13 de julho de 2012

Fim de Temporada: Melhores animes Primavera 2012


Chegamos ao fim de mais uma temporada das animações da terra do sol nascente; e que temporada! 
A qualidade das séries lançadas na primavera japonesa foi de nível altíssimo, principalmente em relação à arte. Tivemos o prazer de acompanhar diferentes estilos e variações tanto de enredos, quanto de animação. Algumas boas séries que tiveram início em abril ainda continuam temporada(s) a fora, porém pouco mais de duas dúzias chegaram ao fim e serão elas as citadas nesse texto.

Novamente os animes da lista são de meu gosto pessoal, porém sempre tento ser o mais isento possível em relação a notas e quesitos técnicos. Dessa vez a ordem dos animes esta decrescente. E quero deixar claro que a ideia aqui não é de resenhar obras e sim de deixar um breve comentário a respeito das mesmas. Espero que gostem do artigo e que sirva como referência para consultas e também como indicação para assistir bons animes.
10°
Zetman
Nota: 5/10 
Estúdio: TMS
Episódios: 13
Gênero: Ação, Drama, Sci-Fi
Jin Kanzak é um estranho garoto com uma marca em forma de anjo na mão, ele vive uma vida pobre, porém tranquila ao lado do avô. Um dia sua vida pacífica muda completamente quando um estranho monstro chamado "Player" aparece, cortando cabeças e matando qualquer um que cruzar o seu caminho.
A série que tinha tudo para dar certo, deu muito errado. O famoso mangá Zetman teve uma adaptação ruim e inconstante. Os primeiros episódios ainda conseguem ter qualidade, mas depois a coisa desanda e é facilmente perceptível a falta de tempo para a quantidade de informações e ações executadas sem muito desenvolvimento. Dizem por ai que o primeiro episódio do anime corresponde a mais de 80 capítulos do mangá!! Eu não acompanho o mangá, mas ainda assim percebi que está tudo corrido demais, principalmente do meio para o fim.
 
 Sankarea
Nota: 6/10 
Estúdio:Studio Deen
Episódios: 12
Gênero: Ecchi, Comédia, Romance
Furuya Chihiro é um viciado em tudo o que é relacionado a zumbis, de filmes a brindes e o sonho dele é namorar com uma bela jovem zumbi. Um dia seu gato é atropelado e ele decide testar um antigo manuscrito que ele tinha sobre a arte da ressurreição em seu gato morto, mas durante seus experimentos, ele se depara com Sanka Rea, uma bela garota de uma distinta família local, em meio a um terrível desabafo. Os dois se tornam amigos e por ai vai.
Confesso que após assistir os quatro episódios inicias, fiquei com a impressão de um anime bem feito e que seria facilmente lembrado por muita gente, porém as coisas começaram a desandar depois disso.  O enredo foi deixado de lado em alguns episódios e os famosos fillers tomaram conta da série. Depois ficou uma briga entre enredo e filler, comédia e seriedade. A ideia até foi boa de mesclar esses episódios, mas acabou sendo um tiro no pé da forma como foi apresentada.
O clima de mistério deu lugar a uma fraca comédia romântica e personagens secundários com suas histórias engraçadinhas envolvendo o protagonista. Até então tudo ok, mas eles resolveram voltar para o clima de mistério e ficaram em zig zag entre ambos. Isso fez com que o mistério perdesse força e o fanservice perdesse o motivo de existir . Depois de tanto trabalho para desenvolver um enredo linear em cima dos acontecimentos, eles pegaram tudo e jogaram fora e depois tentaram trazer de volta e tornou-se um ciclo vicioso até chegar ao fim meia boca.
Resumindo, quem queria ver mistério ficou frustrado e quem queria ver os slice of life também. Sacrificaram a estória sem necessidade, pois o enredo dava total liberdade para fanservice sem precisar de fillers.
 

 Acchi kocchi
Nota: 6/10
Estúdio: AIC
Episódios: 12
Gênero: Comédia, Romance
Tsumiki e Io têm uma sutil distância que qualquer um iria querer entrar no meio só para brincar com eles. E é para isso que os outros personagens estão lá. Tsumiki, sendo uma tsundere e tudo mais, não é honesta em seus sentimentos sobre Io. Io, por outro lado, não sabe dos sentimentos de Tsumiki, por isso a sutil distância entre os dois.
Tsumiki é uma tsundere fora dos padrões. Ela possui um “Q” diferente e isso da um certo charme e inovação a série. As piadas são legais, apesar de medianas e chegam a enjoar em alguns momentos. Os personagens secundários são bem carismáticos e ajudam na comicidade. Uma palavra resume essa série MOE!!! Moe ao extremo e ao quadrado, ou melhor, ao cubo. Uma série bonitinha com personagens fofos e piadas medianas no anime mais moe da temporada.
 
7° 

Ozuma
Nota: 6/10 
Estúdio: Gonzo
Episódios: 6
Gênero: Sci-Fi
Em um futuro distante, a irradiação elevada do sol destruiu o meio ambiente da Terra e dos seres humanos, e como resultado, a taxa de natalidade diminuiu drasticamente. O governo controla a sociedade com um exército de soldados clonados chamados “Ideal Children (IC)”. Sam Coin é um comerciante em um deserto. Um dia, ele salva uma linda mulher chamada Maya, que tem sido perseguida por Teseu, um IC. Ele a abriga em seu navio de comércio, mas os destruídores de Teseu os cercam.
Curto, direto e sem enrolação. Bom anime que mescla a ficção cientifica com um pouco de fantasia. O enredo poderia ter sido mais bem trabalhado e os personagens serem mais carismáticos, mas no geral a série é boa. 
 
6° 
Jormungand
Nota: 7/10 
Estúdio: White Fox
Episódios: 12
Gênero: Ação
A história desenrola-se à volta de Koko Hekmatyar, uma jovem traficante de armas para a HCLI que vende armas ilegalmente por todo o mundo, sempre acompanhada pelos seus guarda-costas. A sua última adição para a equipa é Jonah, um rapaz aparentemente sem emoções que é exímio em combate, mas que detesta traficantes de armas. Jonah se junta a Koko para descobrir o traficante de armas responsável pela morte dos seus pais.
A primeira temporada foi decente. Teve boas cenas de ação e personagens bem construídos. Os “vilões” são carismáticos possuem boas personalidades. O único ponto em que o anime ficou devendo foi no fechamento do enredo dessa primeira temporada.  Os fatos que ocorreram nos episódios finais são descartáveis em parte e por enquanto não fomos apresentados as principais batalhas da série. Então só nós resta aguardar pela próxima temporada.
 5° 
 Lupin III: Mine Fujiko to Iu Onna
Nota: 7/10
Estúdio: TMS Entertainment
Episódios: 13
Gênero: Aventura, Ação, Ecchi
Lupin the Third: Mine Fujiko to Iu Onna ("A mulher chamada Mine Fujiko") descreve a ladra Fujiko e o resto do elenco de Lupin III durante seus anos de juventude. A série captura a "sensualidade" presente no mangá original de Monkey Punch, em uma interpretação mais ousada desenvolvida pela franquia responsável pelo anime.

Mais uma série de Lupin, porém dessa vez a atenção de Lupin é divida com a sensual Mine Fujiko. Gostei muito dessa série e da direção da mesma. O enredo é agradável, apesar dos episódios finais irregulares, a obra como um todo é de boa qualidade, tanto nos quesitos técnicos quanto em conteúdo. A variedade de bons personagens também contribui para isso. Recomendo para quem curte uma boa estória contada de maneira diferente com elementos excêntricos e uma personagem sensual que não se reprime. Nem preciso dizer que os fãs de Lupin devem assistir, apesar de ser ponto de vista bem distinto das séries anteriores.
4° 
 Fate/Zero 2nd Season
Nota: 8/10
Estúdio: Ufotable
Episódios: 12
Gênero: Ação, Fantasia
O confronto mais esperado das últimas temporadas finalmente acontece em Fate/Zero 2nd. E por incrível que pareceu a qualidade de animação melhorou ainda mais e os primeiros episódios dessa temporada é de deixar qualquer fã com o queixo caído diante de tamanha qualidade visual e cenas de ação de tirar o fôlego. Batalhas empolgantes e diálogos afinados desfilam por toda a série rumo ao clímax realista e digno de um desfecho épico.
É difícil encontrar defeitos em Fate Zero, mas acreditem, eles existem. A narrativa não consegue manter o ritmo e em alguns poucos momentos os diálogos ficam confusos e arrastados . O desenvolvimento de alguns personagens ficou medianos, provavelmente isso ocorreu por Fate ter um elenco grande. A Saber por exemplo não é tão bem explorada quanto em Fate Stay. Outro fato que me deixou um pouco frustrado foi à inutilidade e ingenuidade do personagem que se tornou o foco dessa temporada, Kiritsugu. Arrisco-me a dizer que se o foco ficasse e Kirei ou em outro personagem, o desfecho da série teria sido bem mais empolgante.
De qualquer forma a obra é magnífica e altamente recomendada.  Poderia facilmente estar em posições mais altas, porém a temporada de primavera de 2012 foi de alto nível e apesar de Fate Zero ser uma obra do tipo “Superior”, outras obras também apresentaram desempenho similar e entre as colocações de 4° a 2° poderiam estar quaisquer uma dessas obras quatro obras. Confesso que foi difícil escolher, por isso deixo uma medalha de honra para Fate.
Nazo no Kanojo X 
Nota: 8/10 
Estúdio: Hoods Entertainment
Episódios: 13
Gênero: Romance, Ecchi

A história começa com Mikoto Urabe, uma nova estudante que se senta ao lado de Akira Tsubaki, sua guia. Urabe é pouco sociável e dorme durante as aulas, essas atitudes fazem com que seus colegas de classe mantenham uma certa distância dela, achando que ela é estranha. Tsubaki descobriu após um tempo que Urabe têm uma habilidade especial. Que habilidade é essa? O que aconteceu com Mikoto e Akira? O que será que essa menina tem de tão misterioso?
Romance a moda “antiga”, onde os detalhes e as pequenas conquistas possuem maior valor. Dizendo desse jeito até parece que faz tanto tempo assim, mas atualmente não é fácil encontrar obras que foquem em detalhes como o que acontece em Kanojo x. A sensibilidade é o principal tempero do jovem casal,Urabe e Akira. Ambos possuem uma relação de descoberta envolvendo trocas e cumplicidade do tipo que só os casais mais íntimos possuem. E não estou falando de intimidade física, mas de sentimentos, onde um complementa o outro através de compreensão e amadurecimento. A beleza do anime é exatamente essa troca de experiências entre o casal e as pequenas conquistas cotidianas entre eles.

A direção do anime é ótima e as cenas são muito bem feitas. O traço e a animação são firmes, belos e fluidos. Tudo isso com um toque do estilo dos anos noventa que cai como uma luva para a série e a trilha sonora também não poderia ser outra. Enredo excelente, qualidade técnica exemplar e um tema sensível e bem executado fazem com que essa obra mereça de cabeça erguida a medalha de bronze da temporada de primavera de 2012. Espero que uma continuação surja em um futuro próximo, pois esse casal ainda tem muita coisa que aprender.

 Tsuritama
Nota: 8/10
Estúdio: A-1 Pictures
Episódios: 12
Gênero: Sci-Fi, Aventura
O anime conta a história de quatro rapazes na ilha de Enoshima, são eles: Yuki, um estudante pouco comunicativo com descendência francesa; Haru, viciado em pesca e auto-proclamado extraterrestre; Natsuki, nativo da ilha e Akira um misterioso rapaz indiano que anda acompanhado do seu pato chamado Tapioca.
Essa sinopse não consegue expressar nem 1% do que é Tsuritama. Com enredo simples e ao mesmo tempo complexo, inovador e ao mesmo tempo clichê. Tsuritama é um paradoxo assim como seus personagens. Visualmente belo e colorido, e musicalmente envolvente e suave. A nobre missão de Haru e seu humor são cativantes, e até mesmo o problemático Yuki tem que concordar comigo. É difícil entender como um anime com tantos elementos de ficção cientifica consegue ser ao mesmo tempo tão atual em termos de cenário e me arrisco a dizer que chega a ser até mesmo retro em alguns aspectos. A simplicidade dos personagens e seus hobbies comuns se mesclam com maestria aos alienígenas e toda aquela organização interplanetária.

O enredo de Tsuritama normalmente só é visto em filmes, principalmente pela forma como o anime foi dirigido. Imagine você assistir a um filme de animação de alto nível, porém em formato de série!  Essa foi a sensação que tive em Tsuritama,  certamente darei um a boa versão em longa metragem.
Resumindo, é quase impossível não gostar dessa série e se não fosse por algumas quedas no ritmo da narrativa aqui e ali a nota seria maior. Para um texto mais aprofundado sobre Tsuritama indico uma excelente resenha da Roberta Caroline do blog Elfen Lied Brasil. Clique aqui para ler a resenha.

 

 Sakamichi no Apollon

Nota: 9/10 
Estúdio: Tezuka Productions
Episódios: 12
Gênero: Romance / Drama

A série Sakamichi no Apollon, ou apenas Apollon, foi adaptada do manga de mesmo nome escrito por Yuki Kodama. A obra original possui nove volumes que somam quarenta e cinco capítulos no total e começou a ser lançada dia 28 de setembro de 2007 e chegou ao fim dia 28 janeiro de 2012, pouco antes da série animada ser exibida pelo bloco Noitamina da TV Fuji.

O estúdio Tezuka Productions ficou encarregado pela produção do anime que possui direção de Shinichiro Watanabe e músicas de Yoko Kanno. Essa famosa dupla já trabalhou junta em outras obras, tendo como maior destaque a série Cowboy Bebop.

É verão no Japão no ano de 1966 e o jovem Kaoru Nishimi não esta nada feliz com a situação em que se encontra. Por causa do emprego de seu pai, Nishimi teve que se mudar de Yokosuka para Kyushu e morar com seus parentes.

Enquanto Nishimi faz seu percurso para o primeiro dia de aula em sua nova escola, ele pensa – “O brilho do sol que cai sobre você de manhã. Esses estudantes, que não possuem nada na cabeça...e ter de subir essa ladeira íngreme todo dia a partir de hoje só para chegar na escola. Isso me faz querer vomitar”.

Nishimi então se apresenta para a turma e passa o restante do tempo ocupado em seus pensamentos enquanto pratica um de seus hobbies, ler. Seu vizinho de carteira é “o nerd” da sala chamado Maruo. Ele puxa assunto com Nishimi que por isso acaba sofrendo seu primeiro bullying na nova escola. Maruo revela que o “delinquente“ Kawabuch senta-se próximo a eles. Só de saber disso Nishimi sente enjoo e começa a suar frio.

Ritsuko Mukae é a representante de classe e tem o dever de apresentar as dependências da escola para os novos alunos, então ela leva Nishimi para um tour pela escola, porém as coisas não sem muito bem para ele, graças a uma pancada na cabeça causada por uma bola de baseball. Isso faz com que toda a atenção do local se volte para Nishimi, o que deixa com sufocado e enjoado. Em meio ao seu desespero ele corre para o telhado da escola e acaba encontrando um jovem com aparência americana deitado em frente à entrada do terraço e descobre que para ter acesso ao terraço ele precisa da chave que está em posse de um grupo de delinquentes. Sabendo disso Nishimi tenta pegar a chave em vão e acaba sendo empurrado por um dos integrantes do grupo. O jovem de aparência americana então decide ajuda-lo e consegue a chave depois de vencer os delinquentes em uma briga. Em seguida ele cobra certa quantia para entregar a chave a Nishimi.

De volta à sala de aula Nishimi descobre que o jovem de aparência americana é na verdade Sentarou Kawabuchi, o tal delinquente que senta próximo a ele cujo Maruo o havia avisado. Sentarou fica surpreso em saber que Nishimi é de sua turma e passa a chama-lo de riquinho, uma vez que Nishimi vem de uma família de boa situação financeira.

Ritsuko descobre que Nishimi toca piano e gosta de música clássica. Ela o convida a visitar a loja de discos de seu pai e Nishimi aceita o convite. Chegando lá ele se depara com muitos vinis de jazz e é convidado por Ritsuko a conhecer o porão da loja, onde encontra Sentarou tocando bateria próximo a um piano. Mal sabia ele que aquele porão, aquelas pessoas e aquele piano fariam parte dos melhores momentos de sua vida e ficariam marcados eternamente em sua memória.

Depois dessa extensa introdução ao enredo da série, faltou deixar claro algumas intenções e objetivos da mesma. A trama envolve amizade, romance, aprendizado, estudos, profissão, família, cotidiano, hobbies e conflitos. Tudo isso com jazz como plano de fundo, já que esse estilo musical é usado como válvula de escape durante a toda a série.

Sentarou, ou simplesmente Sen, ao contrário de Nishimi, vem de faimilia pobre com vários irmãos. O contraste entre os dois dá um tempero especial à série. Riquinho gosta de música clássica com todas as suas regras, enquanto Sen gosta de jazz e sua liberdade para improvisar e extravasar. Aos poucos eles vão trocando experiências entre si, tanto musicalmente quanto em relacionamentos.


Por ser um anime que se passa na década de sessenta, Apollon possui um visual mais retro, até mesmo o design dos personagens possui um toque que remete a época. As roupas, objetos, instrumentos, as casas, ruas, enfim todo o cenário é característico da década. Isso combina muito bem com o clima agradável de liberdade que o anime possui. Logicamente a trilha sonora ajuda muito a dar esse clima, principalmente em momentos mais sentimentais.

Watanabe mandou muito bem, uma vez que as cenas foram dirigidas com maestria, ao ponto de você ficar imerso no mundo de Apollon sem se dar conta disso. O ritmo da série é outro ponto forte, já que tudo parece acontecer no momento certo e de maneira natural. A única resalva quanto ao ritmo fica para os dois últimos episódios, onde se percebe facilmente que aceleraram os acontecimentos.

O desfecho da série é um ponto onde posso dizer que poderia ser melhor trabalhado. Apesar do anime terminar de forma aceitável, ainda seria melhor que o encerramento fosse como no manga, onde o ritmo natural que comentei no parágrafo anterior é mantido. O problema é que para ser fiel aos capítulos finais do manga, o anime precisaria de pelo menos mais uns dois episódios, talvez mais um, porém isso não aconteceu. No fim das contas não é nada que prejudique a obra em si, mas tira um pouco da excelência que a série possui na maioria dos episódios.

Chegou a hora de falar da arte, e que arte! O belo e peculiar traço de Yuki Kodama ficou perfeito na animação. Como já foi dito antes, toda a arte combina com a década. Os personagens são bem detalhados e possuem expressões assombrosas de tão reias que são. A textura da animação também é linda. Os movimentos são bem naturais e fluidos. Toda a arte e animação do anime em si são de alta qualidade. Agora veja você, como se não bastasse à direção de Watanabe, um dos grandes nomes da animação mundial, o excelente trabalho do estúdio Tezuka, a quase perfeita adaptação da obra original e o belo traço de Yuki Kodama, ainda colocaram as composições da lendária Yoko Kanno!! É para deixar qualquer fã de animação entusiasmado.

A trilha sonora é um espetáculo a parte. Logo na abertura do anime temos o tema “Sakamichi no Melody” da cantora Yuki. Um pop com pegada rock rico em instrumentos e melodia. O tema de encerramento é "Altair" de Motohiro Hata que possui uma melodia sentimental daquelas de encher os olhos. Agora as melhores músicas estão no recheio do anime e possuem assinatura de Yoko Kanno e alguns clássicos do mundo do jazz. Leia mais sobre a trilha sonora aqui

A grande maioria das músicas é instrumental, as que possuem letra são cantadas pelos próprios personagens. Com grande destaque para o medley “Kaoru & Sentaro Duo in BUNKASAI”.  Guardem o nome dessa música e corram para ouvir.

Bem, chegou a hora de concluir essa resenha antes que eu me empolgue e escreva ainda mais sobre essa excelente série que merece ser apreciada por todos os fãs de boas estórias contadas de maneira agradável e com trilha sonora sofisticada e de alto nível sentimental. Não conheço sequer uma pessoa que tenha desgostado de Sakamichi, pois apesar de ser uma série mais voltada ao público jovem adulto, certamente agradara aos mais novos também. Sakamichi merece ser vista com carinho e em alto volume. Altamente recomendada. Então não perca mais tempo lendo essa resenha e vá assistir a série e ouvir a ost no volume máximo.
 “Naquele momento eu senti como se tivesse asas nos pés”  Kaoru Nishimi  

 

Até a Próxima Temporada!

Comente com o Facebook:

20 comentários:

  1. Vou ser sincero, eu não planejava ver Nazo no Kanojo, mas vou dar uma chance pra ele já que gostei do que li haha

    Unica dessa temporada que vi até agora, e ainda n terminei, foi Tasogare Otome x Amnesia (que não tá ai), e realmente estou gostando :) mas as expectativas quanto ao final são baixas :/

    ResponderExcluir
  2. Tasogare Otome x Amnesia fica empatado com Zetman em 10°.

    ResponderExcluir
  3. Da sua lista eu só vi Nazo no Kanojo X, Acchi Kocchi, Fate/Zero e Sankarea.
    Zetman eu dropei no episodio 05 (ou foi o 06?!), e pra ser franco o que "melou" sua lista foi isto... achei ele muito ruim, muito longe das expectativas, TOxA foi melhor que ele. Mas de resto achei sua lista um luxo!

    Posso passar mais tarde e deixar um lista minha??


    Quero fazer uma observação sobre seu BLOG... achei MUUIIITTTTOOOOO... SHOW!!! O designer é simples mas é muito foda... as fontes usadas nos textos foram muito bem escolhidas, a cor do Blog é leve e não cansa a visão, e está hiper organizado! Muito bom cara!
    Meus Parabens... Achei Show de Bola!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. @ Heverton

    Olá Heverton, fico feliz em saber que você gostou do blog ^^

    Quanto a Zetman, realmente foi bem abaixo das expectativas, porém TOxA tb não me agradou e optei por colocar zetman na lista, mas poderia ter sido TOxA tb, já que dei nota 5 para ambos.


    Pode deixar sua lista com certeza, fique a vontade. Estou no aguardo!

    ResponderExcluir
  5. Top Animes Temporada de Primavera 2012

    01- Fate/Zero S2
    02- Nazo no Kanojo X
    03- Sankarea
    04- Hyouka
    05- Acchi Kocchi
    06- Accel World
    07- Haiyore! Nyaruko-san
    08- Natsuiro Kiseki
    09- Recorder to Randoseru S2
    10- Tasogare Otome x Amnesia

    Ruins D+: Medaka Box, Saint Seya Omega, Aquarion EVOL, Upotte! e Shining Hearts.

    Dropados: Zetman, Hiiro no Kakera, Sengoku Collection e Kuromajyo-san Touru!.

    ResponderExcluir
  6. Nazo no Kanojo em terceiro?
    Isso realmente me impressionou. No começo da temporada, quando vi sobre o que era esse anime, pensei que seria somente mais um anime para pervertidos que gostam de ecchi. Mas agora com sua resenha vejo que ele mereçe mais consideração.

    Só assisti alguns animes da lista: Sakamichi no Apollon, Tsuritama, Fate/Zero 2 e Lupin. Uma coisa é certa: Sakamichi mereceu muito a primeira coloção.

    ResponderExcluir
  7. nada a ver,o melhor anime de 2012 é sword art online

    ResponderExcluir
  8. esses top são de fãn boys, por exemplo melhor anime segundo tops japoneses que entende realmente do assunto ate pq esse top e opnião de pouco porcento de pessoas que assistem a maioria vai dizer naruto blablabla SWORD ART ONLINE o melhor e segundo tops que realmente priorizam um belo anime. SWORD ART ONLINE acompanhe eps lançados no sábdo melhor anime de 2012 fodão.

    ResponderExcluir
  9. E Sword Art Online mssmm vei vejam ai e muito bala
    Sinopse:
    No ano de 2022 um RPG chamado Sword Art Online é lançado e as primeiras 10 mil cópias são vendidas estrondosamente rápido, o diferencial desse jogo é que o jogador põe um "capacete" que o é como se o jogador fosse transportado para o jogo ou seja seus cinco sentidos estão dentro do jogo. Kirito um desses jogadores no primeiro dia de jogo, logo após ensinar um homem chamado Klein a jogar é convocado junto com os outros jogadores a comparecer num lugar onde o criador do jogo faria seu pronunciamento. O líder revela no seu pronunciamento que todos os que estão no jogo estão presos ou seja não poderão deslogar e se tirarem o "capacete" irão morrer e mostra algumas reportagens de familiares que tiraram o capacete de alguns jogadores e todos eles morreram e se você morrer no jogo morre na vida real. Sem contar que agora os jogadores estão com as aparências da vida real e terão que enfrentar todos os chefões e chegar no centésimo nível para ganhar o jogo. Depois o líder desliga e deseja boa sorte a todos, Kirito tenta se juntar a Klein mas ele prefere ficar com os seus amigos que ficaram na fila com ele e abandona Kirito o deixando sozinho a vagar pelo imenso mundo de Sword Art Online.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sword Art Online não é da temporada de primavera. Então não tem pq ele estar nessa lista.

      Excluir
  10. otimo rank , pra mim colocaria nazo em primeiro pois faz muito tempo que nao se vê um anime que alem de ter um toke retro a historia é incrivel , nao é aquele romance onde a menina coloca o kra num pedestal mas sim aquela menina que o garoto pede algo ela vai e joga na lata (pra que isso? nao tem pra que) isso me lembra minha adolescencia e axo que da maioria aqui pois chega mais ao realismo da vida! comentario perfeito man parabens pelo site!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colocaria nazo em primeiro lugar, eu já vi tantos animes e mangás que perdi a conta, mas uma obra como essa eu pensei que nunca iria contemplar, aguardo ansiosamente que tenha season 2.

      Excluir
  11. Olá, antes de mais nada gostaria de parabenizar pelo site, é bonito e limpo.
    Gostei muito das indicações, assisti Sakamichi no Apollon e posso afirmar que foi um dos melhores que já assisti, gosto muito desse estilo de anime.
    Vou acompanhar o site e aguardo ansiosamente pela próxima lista.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou. Agradeço sua visita.

      Excluir
  12. cadê sword art online e 10000000000000000 vezes melhor que esses lixos

    ResponderExcluir
  13. sakimichi no apollon é simplesmente fantástico foda d+

    ResponderExcluir
  14. Nazo no Kanojo X, é o melhor, diferente de tudo que já foi visto eu colocaria em 1° lugar sem sombra de dúvidas, única coisa que me intriga é o grande resumo que foi feiro se comparado à revista, dito isto, se tiver algum desses citados melhor que ele, eu realmente vou estar surpreso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc.
      Quanto a ter um anime melhor ou não, isso é muito pessoal. Eu prefiro o Sakamichi, mas vc pode preferir o Nazo no Kanojo. De qualquer forma são animes com bons enredos e cada um com seu ritmo. Ambos possuem alta qualidade.

      Excluir
  15. caralho já ia bolar um texto enorme questionando a sua convicção para avaliar anime quando vi a porcaria do nazo no kanojo na frente de fate zero

    dai desci mais um pouco e: sakamichi no apollon em primeiro. Parabéns, viu :c

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a grande maioria prefere Fate Zero e com razão. Eu gosto de ambos, tanto de Fate quanto de Kanojo X, mas a direção de Kanojo foi de tamanha qualidade que fez com eu colocasse ele na frente de Fate. Certamente mais de 90% dos blogs devem ter feito o contrário.

      Sakamichi não tinha como não ficar em 1°. hehe

      Agradeço o comentário e espero que aparece mais vezes por aqui.

      Excluir

Copyright © 2016 Animecote , Todos os direitos reservados.
Design por INS