15 de abril de 2014

Fim de Temporada: Melhores Animes Inverno 2014


Chegou ao fim mais uma temporada de animes e como de costume elaborei meu top pessoal com os melhores animes que terminaram no fim dessa temporada de inverno. As escolhas foram um pouco mais difíceis que o normal, graças a grande quantidade de animes de níveis semelhantes. Como critério de desempate optei por escolher as obras com maior originalidade e com personagens que mais me marcaram.

Dos 70 animes terminados recentemente, assisti cerca de 13 ou 14 ou 15 deles (não lembro ao certo), alguns títulos como Log Horizon e Magi: The Kingdom of Magic não estão na lista pelo simples fato de eu não ter assistido ainda. Por isso não me crucifiquem se não encontrarem tais animes por aqui.

Sei que algumas pessoas costumam usar meus tops de fim de temporada como um guia para assistir animes, por isso quero deixar claro que recomendo fortemente os animes das 5 primeiras posições dessa lista em específico. O restante do top é composto por animes bons e medianos, porém vale a pena assisti-los se você tiver um pouquinho mais de tempo e desejar conhecer mais obras interessantes.


Sinta-se convidado a compartilhar seu top da temporada nos comentários e aproveite para concordar ou discordar da minha lista também. Para saber as sinopses dos animes clique aqui.


Agora vamos ao que interessa.


10°  
Toaru Hikuushi e no Koiuta
Nota: 6/10 
Estúdio: TMS Enterteniment
Episódios: 13
Gênero: Aventura, Drama, Romance
Me chamou atenção primeiramente por se tratar de uma série de aventura envolvendo romance e fantasia. A ambientação e os aviões também me agradaram. Pena que o enredo não é consistente o bastante como o filme que deu origem a série de tv. O anime tem ritmo meio lento e demora muito a desenvolver a trama principal. No fim acabou deixando um gosto de desperdício, pois o mundo existente no anime e os dramas dos personagens não são explorados de maneira satisfatória, deixando tudo muito vago e superficial. É uma pena. Recomendo o filme Toaru Hikuushi e no Tsuioku, já a série fica dispensável. 



                                                        Saki: Zenkoku-hen
Nota: 6/10 
Estúdio: Studio Gokumi
Episódios: 13
Gênero: Game, Slice of Life


Terceira temporada do universo das meninas jogadoras de mahjong e segunda temporada direta de Saki. Eu esperava muito mais de Saki: Zenkoku-hen, já que a primeira temporada teve mais partidas e consequentemente mais empolgação. Já Saki: Zenkoku-hen começou recapitulando momentos através de lembranças dos personagens e focando no background das meninas. As pouquíssimas partidas que tiveram presentes no anime foram boas, mas no fim acabou decepcionando por deixar o mahjong quase que em segundo plano, isso sem falar que a protagonista que leva o nome da série praticamente só aparece em parte de um episódio e quase não fala. O jeito é esperar pela próxima temporada para poder assistir à partida da Saki contra a irmã dela.



 8°
 Kuroko no Basket 2
Nota: 6/10 
Estúdio: Production I.G
Episódios: 25
Gênero: Esportes
Continuação direta da primeira temporada do anime de basquete mais estiloso e posudo já produzido. O ritmo continua o mesmo da temporada anterior, ou seja, ainda vale a pena assistir e curtir as partidas “super poderosas” dos rapazes bonitos que fazem as fãs irem ao delírio. Destaque para a ótima abertura, e contras pelos momentos em que a beleza atrapalha o desenvolvimento das partidas.

 


 
 
Kill la Kill
Nota: 6/10 
Estúdio: Trigger
Episódios: 24
Gênero: Comédia, Ecchi, Ação
 
Bela animação e ótimo design do novo estúdio Trigger. Músicas boas, ritmo acelerado, humor nonsense, fanservice e muita ação. Esse anime tem tanta ação que deve ter extinguido todas as reservas de aços grandes do mundo (sei que essa piada foi podre, mas eu não resisti).

Eu gostei dos episódios iniciais, mas conforme fui avançando no anime senti um certo ciclo sem fim. A estória continuou a mesma: lutar, ficar mais forte com roupas (ou sem roupas) mais fortes, mais lutas, mais roupas, mais situações sem sentido com conclusões iguais e cada vez mais os uniformes ficando menores e as partes dos corpos das meninas e também dos rapazes ficavam mais expostas e continuavam as lutas e cada vez menos roupas e mais lutas e super poderes e lutas e poderes e roupas e nudez e lutas.... Acho que já deu para entender onde quero chegar.

Se fosse um OVA, ou um filme, ou até mesmo uma série de 12 ou 13 episódios, a obra teria menos chance de fracassar, mas depois de 24 episódios de mais do mesmo tornou-se maçante e repetitivo demais para o meu gosto. Recomendo assistirem alguns episódios, não é necessário assistir o anime inteiro, afinal nada vai mudar mesmo. Infelizmente mataram Kill la Kill. 

  


Noragami
Nota: 6/10 
Estúdio: Bones
Episódios: 12
Gênero: Ação, Aventura
 
Divertido e com personagens bacanas, principalmente os deuses bizarros presentes na série. O enredo não é lá grande coisa, mas compensa nos diálogos e nas atitudes de certos personagens. A animação é de boa qualidade e as músicas me agradaram também. Não sou fã do gênero sobrenatural, pois na maioria das vezes ele é mal feito, mas em Noragami ele não chega a atrapalhar. O ponto negativo da série é um rapaz chamado Yukine, ele traz um ar melodramático em alguns episódios e isso eu não curto muito. De qualquer forma esse foi um dos poucos bons animes de janeiro de 2014.




 5°
Nagi no Asukara
Nota: 7/10 
Estúdio: P.A.Works
Episódios: 26
Gênero: Fantasia, Drama, Romance

Clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap… palmas para o estúdio P.A Works!  Esse estúdio foi responsável pela animação de Nagi no Asukara, que é um espetáculo visual. Possui cenas deslumbrantes, verdadeiras obras de arte. Basta olhar com um pouco mais de cuidado para perceber os ricos detalhes visuais presentes em quase todas as cenas do animes. Os objetos, as roupas, a natureza, os personagens e tudo mais foi feito sobre medida. Todos os quesitos técnicos são maravilhosos. Essa com certeza foi a série de tv mais bem animada e com melhor visual já produzida.

O enredo é interessante, mas batido e melodramático além da conta. O universo do anime é curioso e prende a atenção. É fácil se envolver com a estória e torcer pelos personagens, e apesar do elemento fantasia presente na obra, ainda assim parece que aquele mundo existe. Eu gostei bastante desse anime e fiquei maravilhado com sua beleza, mas o vai e vem de emoções que não chegam a lugar algum enjoa. A personalidade do protagonista não chega a ser irritante, mas tem momentos que faz dele um pé no saco. No fim das contas ainda vale a pena assistir Nagi no Asukara graças a sua estória bonita e seu visual avassalador. Nunca esquecerei os belos momentos e tons de azul presentes nessa série.


 
Hoozuki no Reitetsu
Nota: 7/10 
Estúdio: Wit Studio
Episódios: 13
Gênero: Comédia, Fantasia, Supernatural

Agora irei convidar todos a dançarem o hino do inferno japonês, onde existem 273 (acho que é isso) tipos diferentes de infernos. Cada um deles feitos especificamente para determinados tipos de pecados. Então solte a voz com essa excelente abertura clicando aqui.

Hoozuki no Reitetsu é um comédia slice of life retratando o cotidiano dos funcionários dos infernos japoneses. As situações de humor negro presentes no anime são criativas e divertidas. É difícil não assistir Hoozuki no Reitetsu sem um sorriso no rosto. Coisas como coelho fofinho se tornam vingadores assassinos sadistas e provocam situações surreais de tão estranhas que são. Hoozuki é o principal sadista do anime, ele meio que o gerente do inferno e usa toda sua seriedade para trolar e levar dor e vergonha para os outros.

Recomendo para quem gosta de uma boa comédia fora dos moldes convencionais. O humos negro é agradável e em nenhum momento apelativo. As brincadeiras são inteligentes e criativas com o único intuito de fazer o espectador saborear as iguarias do inferno. Então venha para o jigoku!


 
SpaceDandy
Nota: 8/10 
Estúdio: Bones
Episódios: 13
Gênero: Comédia, Sci Fi

Quase dois anos depois da sua última obra animada, o mestre Sinishiro Watanabe (Cowboy Bebop) voltou à ativa com um anime de humor.

Space Dandy não é um anime feito para provocar gargalhadas, o tipo de humor presente na série é mais introspectivo e casual. É interessante ver como cada episódio se diferencia completamente do outro. Eu sempre gostei de aventuras episódicas com uma trama central ligando pontos principais para serem resolvidos no final, mas o que vemos nessa primeira temporada de Space Dandy se diferencia um pouco disto, já que os episódios são muito mais soltos e livres entre si. A explicação mais convincente para isso é o fato da trama se passar em universos paralelos, o que por si só já é um motivo quase que inquestionável e dá uma liga à trama que parecia não haver. Eu confio no Watanabe e sei que na próxima temporada o mundo de Dandy fará mais sentido.

Como o anime é episódico, existem oscilações na qualidade. Dos 13 episódios dessa temporada inicial eu só não gostei de 3 deles, por outro lado tem alguns que são épicos, como o #4 que trata de zumbis, o #5 que tem uma garotinha órfã, o #7 com uma corrida maluca espacial e conta com um desfecho surreal e o #9 que mostra a psicodélica terra das plantas, além de outros que não me recordo no momento.

Os personagens também são um show à parte, eu sempre me apaixono pelas personalidades que o Watanabe consegue dar aos seus personagens, é sempre tão real que é difícil acreditar que são apenas desenhos. Até mesmo o simpático robô QT consegue emocionar no episódio #13.

Space Dandy tem a “zueira” como ponto de partida, mas não se deixe enganar, é só prestar um pouquinho de atenção e você vai ver críticas e mensagens profundas. É um ótimo anime para refletir certos aspectos da vida.

Agora só me resta esperar pela próxima temporada que chega em julho desse ano e que certamente estará presente no top de fim de temporada futuramente. Recomendo Space Dandy para todos que apreciam animação de qualidade e personagens bem construídos. Assista os episódios que citei como melhores que você não irá se arrepender.


 
Gin no Saji 2nd Season
Nota: 8/10 
Estúdio: A-1 Pictures
Episódios: 11
Gênero: Comédia, Slice of life


Continuação direta de Gin no Saji e cada vez melhor! Essa nova temporada começou forte e seguiu bem até o seu desfecho. É gostoso ver o desenvolvimento dessa série, que vai gradativamente ganhar mais força emocional, mas sem perder a leveza do humor. Eu diria que a primeira temporada foi muito boa e que essa segunda foi além, pois é fácil perceber o amadurecimento e uma imersão maior nos conflitos dos personagens.

Para quem assistiu e gostou da primeira temporada essa é quase que obrigatória e para quem ainda não conhece a obra, corra atrás e divirta-se.



Hajime no Ippo: Rising
Nota: 9/10 
Estúdio: Madhouse
Episódios: 25
Gênero: Esporte, Drama, Comédia

Depois de mahjong e basquete, esse é o terceiro anime de esporte presente nesse top. Fato que está se tonando cada vez mais regular nos meus tops, graças as produções recentes desse gênero.

Hajime no Ippo: Rising é sensacional, possui um ritmo bom e empolgante, assim como toda as outras temporadas da série. Está cada vez mais interessante de ver a evolução de Ippo e companhia. Os personagens continuam ganhando mais XP, tanto físico quanto psicológico. Eu fico maravilhado com o background e realidade imprimida em cada um dos personagens, até mesmo naqueles que tem menos importância. O autor do manga George Morikawa certamente fez um detalhado trabalho de gênesis de personagem.

Enfim, o cinturão de ouro está em ótimas mãos. Ippo levou essa por nocaute, embora tenha sido uma vitória suada.





Uchuu Kyoudai
Nota: 10/10 
Estúdio: A-1 Pictures
Episódios: 99
Gênero: Sci fi, Comédia, Drama



E pela primeira vez na história de 2 anos do Animecote um anime conseguiu o prêmio supremo do blog, o diamante!

Diamantes são eternos, lindos, raros e únicos. Nada melhor que presentear um anime com as mesmas características de um diamante do que com um diamante. Uchuu Kyoudai conseguiu esse feito inédito nesse que é o nono post de fim de temporada do Animecote. Depois de quase 100 animes apareceu um que se sobressaiu sobre os demais.

Para começar dou os parabéns para o estúdio A-1 pictures que vem fazendo um trabalho louvável evoluindo a animação japonesa. E foi esse estúdio que ficou responsável pela animação do excelente anime Uchuu Kyoudai, ou seja, os Irmãos do espaço.

O enredo da série é simples, mas com variantes intrigantes. Acompanhamos o processo dos dois irmãos Nanba durante o anime. O irmão mais novo, Hibito, já é uma revelação como astronauta, enquanto o irmão mais velho, Mutta, está trabalhando para ser um astronauta. A premissa é simples e o objetivo de ambos é ir para a lua. O que torna esse anime tão especial é a maneira como ele se desenvolve focando no aprendizado e dificuldades pessoais de seus personagens. Não são raras as vezes que nos deparamos com conflitos complicados, onde o certo ou errado são subjetivos, permitindo que o caráter dos personagens se sobressaiam em situações extremas com inteligentes desfechos para situações delicadas.

Muitas questões levantadas no anime representam pontos cruciais da vida. A maneira como essas questões são abordadas fazem o espectador refletir sobre como resolver determinadas situações e o mais legal de tudo isso é que nem sempre tudo dá certo, as vezes é necessário desistir e seguir por outro caminho e reaprender a viver buscando outros objetivos, afinal tudo na vida é passageiro.

Os personagens são a alma do anime. Eu sempre dou preferência a obras com personagens bem construídos e com um amplo leque de emoções e intelecto, e em Uchuu Kyoudai isso tem de sobra. As músicas são boas, a animação é acima da média, principalmente se tratando de uma série longa, só nessa primeira temporada foram 99 episódios e ainda tem muita trama para se desenrolar.

Sentirei saudades da companhia de Ucchu Kyoudai, já que passei dois anos junto a eles, já estava me sentindo parte da família Nanba. Só espero que a próxima temporada não demore muito e que mantenha a excelente qualidade da obra. Recomendo fortemente esse anime para todos e agradeço aos irmãos Nanba pelo excelente entretenimento que me foi concedido. Mutta e Hibito merecem esse diamante. 


 
Fico por aqui e espero que na próxima temporada tenha tantos animes bons como tiveram nessa. Agradeço a todos que prestigiaram esse texto e deixo um abraço para os que concordam com meu top e um beijinho no ombro para os que não concordam. Fui!

 

Até aproxima temporada!








See you Space Brothers

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Fiquei empolgado com o anime diamante e já vou procurar pra conferir. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste tanto quanto eu e meus amigos.

      Excluir

Copyright © 2016 Animecote , Todos os direitos reservados.
Design por INS