15 de março de 2015

Especial: Temporada de Primavera 2015


É temporada de primavera, para muitos sempre a melhor época do ano quanto a estreias de animes, mas... Impressão minha, ou ela parece estar com uma cara, um jeito, uma mania, de temporada de inverno?


A um novato que começasse agora a ver animes e pegasse esse guia para definir o que assistir, poderia ele desconsiderar metade das estreias, pois há aqui uma porcentagem absurda de continuações e spin-offs. Só na categoria de esportes temos três, com garotas membros de um clube de tênis que podem ir até a Lua, menos jogar uma partida do início ao fim, um rapaz que até ontem mal sabia manusear uma raquete e hoje parece um Novak Djokovic, e outro jovem que aos poucos foi refinando seu estilo de jogar baseball. Fora desse campo, temos mais garotas fofas fazendo coisas fofas, sejam elas humanas ou personificações de antigos mechas dos anos 70; mais rapazes e seus haréns ora cheios de frescuras amorosas, ora repletos de dramas pesados, ora simplesmente carentes de roupas; e mais franquias populares retornando após décadas, alguns anos ou poucos meses depois de seu último anime, indo desde um carismático ladrão conhecido mundialmente, crianças (ôpa, agora são adolescentes!) ao lado de seus companheiros monstrinhos digitais ou guerreiros e jovens se confrontando (novamente...) pela posse do Santo Graal. Alienígenas no Período Edo, o dia a dia de um otaku ao lado de sua adorável esposa, o martírio humano a anos-luz no espaço, a volta de outra famosíssima franquia com nova protagonista e ambientação... Ah, chega, está bom. Alguns aí eu não compreendo como seguem em frente, mas para outros seria melhor esse novato ver os animes que os antecedem para ter mais (boas) opções do que assistir, já que de novidades mesmo essa temporada de primavera não está tão ruim assim igual uma de inverno, mas ela ficaria levemente envergonhada perto de suas irmãs de anos atrás.


Para não assustar o tal usuário novato, que registre-se, não está acostumado a certas esquisitices otakus, seria aconselhável também tirarmos as incógnitas vindas de fontes obscuras e que chamam mais a atenção por conta da premissa do que por parecerem bons. Portanto, adeus vegetais depressivos se embebedando em um bar, Holmes versão bishounen caçando um vampiro, garota neko querendo se tornar parte do zodíaco chinês não importa como e disputas musicais entre bandas estilizadas - espera, para começar, alguém (eu) planejava vê-los? Temos, okay, obras originais vindas de estúdios e nomes prestigiados, tanto mostrando a rotina de um clube de música ambicionando voltar aos tempos de glória e participar de torneios, o drama entre uma androide e um humano e o sofrimento (?) de um garoto que se vir uma calcinha destruirá o mundo, mas vamos dar uma de chatos e afunilar ainda mais a situação, sequer recomendando esses títulos ao Sr. Novato, porque sabe-se lá o que virá dessas apostas - ou você sai por aí sugerindo aos outros aquilo que nunca viu ou leu?

Então, após isso, não sobrou muita coisa.

Com certa condescendência podemos, finalmente, encher duas mãos com animes recomendáveis que não se encaixam nas restrições mencionadas até agora. O romance açucarado e inocente entre uma frágil garota e um rapaz grandalhão extremamente simpático; batalhas culinárias altamente apelativas e saborosas; uma aventura em um mundo de fantasia medieval ao estilo RPG, literalmente falando; garotas de corpos esbeltos em sequências de ação absurdas; humanos, demônios e deuses convivendo em uma cidade caótica; novas missões lideradas por uma experiente "major"; seguidas confusões numa escola com troca de corpos e outros poderes; mais um professor usando métodos de ensino não ortodoxos e mais uma comédia romântica fantasiosa saída da mente de uma veterana mangaká. Dá para pinçar um ou outro aí de acordo com seu gosto e preferências, mas realmente essa temporada de primavera, além de estar inchada de continuações, traz um número abaixo do normal de novas adaptações de obras que já possuam um mínimo de popularidade. 


Enfim, diria que esse novato não escolheu a melhor época para começar a ver animes...


*****

São por enquanto 44 estreias, porém esse número aumentará, no mínimo, para 57. A razão disso é que há mais 13 animações já confirmadas que preferi ir adicionando aos poucos nos próximos dias, para que o post não atrasasse. Na tabela do Neregate tem listada quase todas elas, mas segue abaixo a relação dos títulos faltantes:


Ame-iro Cocoa (adicionado)
Arslan Senki (TV) (adicionado)
Denpa Kyoushi (TV) (adicionado)
Lupin III (2015) (adicionado)
Omakase Mamitasu (adicionado)
Owari no Seraph (adicionado)
Re-Kan! (adicionado)
Super Short Comics (adicionado)


Como de praxe, a cartela do Neregate ainda tem à disposição, para quem quiser, os anúncios de OVAs, Movies, Specials e OADs que virão nos próximos meses. Já para séries de TV e ONAs, continuarei com comentários pessoais meus em boa parte dos animes, principalmente naqueles cuja obra original eu pude conhecer um pouco - o que foram até poucos se considerarmos que se trata da temporada de primavera, mas isso se explica facilmente pelo fato de mais da metade dos 57 títulos confirmados por enquanto serem continuações.  Certamente um anime que estou aguardando muito agora poderá ser uma droga, ou um que só menosprezei poderá se mostrar muito bom (e às vezes eu também acerto, vai!); mas enfim, são apenas especulações, de acordo com a visão que tive do material original ou da equipe envolvida na produção.

*****

Como esse post está sendo feito com certa antecedência, muitos dados novos surgirão ou terão de ser corrigidos; desse modo, manterei logo a frente uma relação das atualizações realizadas aqui. A propósito, com exceção de um, todos os demais animes possuem em seu título um link que o leva às suas respectivas páginas no MyAnimeList.

Concluindo, as datas de estreia se referem ao dia exato da primeira exibição do anime (excluindo pré-estreias), não importando o horário. Ex: em alguns sites colocam que anime X estreará dia 6 de abril, sendo que sua estreia será à 1:00 da manhã já do dia 7; mas aqui a data estará como dia 7 de abril mesmo.

PS: Comentários são bem-vindos; ou, para ser exato, eu quero que comentem! Claro, só estou sendo um pouco exagerado, mas feedbacks para algo que levou um mês para ser montado (e que nem chegou ao fim ainda) é, assim, um ótimo "pagamento", que me motiva a continuar com essa postagem em temporadas futuras. Não se preocupe com o tamanho ou conteúdo do comentário, somente deixar seu suporte, crítica ou sugestão já me será o suficiente.

PS (2): Dê o seu voto: No final do post há uma enquete perguntando quais animes você pretende ver nessa temporada, apenas para ver qual é a predileção do público do Animecote. O resultado será divulgado no início de abril. 

PS (3): PARTICIPE DO SORTEIO DE ANIVERSÁRIO DO ANIMECOTE E CONCORRA A TRÊS JOGOS! Para isso basta curtir nossa página no Facebook, compartilhar o post do sorteio e possuir uma conta na plataforma Steam. Veja clicando aqui descrições sobre os jogos (os três abaixo) e detalhes para participar dos sorteios. As inscrições ficarão abertas até o dia 26 de março!


Final Fantasy XIII


Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 3 Full Burst


The Legend of Korra



*****







Como colocar o link direto da imagem causava lentidão no carregamento do post e problemas na hora de realizar atualizações, clique aqui para ser direcionado à página do site Neregate, onde pode visualizar ou baixar a cartela nos formatos JPEG e PNG.


Para quem quiser ver os animes listados de acordo com suas respectivas datas de estreia, clique aqui para acessar uma planilha que montei no Google Drive.



**********

Atualizações:


17/11: O anime "Super Short Comics" foi dado baixa nesse guia como "ADIADO", visto que sua estreia só veio a ocorrer durante a temporada de outono 2015.

23/04: Agora "Super Short Comics" é o único anime que segue sem definição de data de estreia. 
23/04: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Robot Girls Z Plus".
18/04: Adicionado o anime "Gon 2nd Season".






**********



Ame-iro Cocoa
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 05/04
Estúdio: EMT²
Diretor: Tomomi Mochizuki ("Dirty Pair Flash 2", "Pupa", "Sarai-ya Goyou")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, sem separação de volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Vindo de um mangá digital que possui textos e áudios tanto em japonês, quanto em inglês (sim, você pode ouvir dubladores interpretando cada linha), a sinopse oficial de "Ame-iro Cocoa" nem poderia ser chamada dessa forma; ela diz apenas que um estudante normal do ensino médio, chamado Aoi Tokura, estava tendo um dia péssimo por conta de um bonito rapaz ter lhe chamado de feio enquanto andava de trem (!). Nisso, ele se depara com uma pequena e aconchegante cafeteria conhecida como "Rainy Color", e rapidamente começa a trabalhar durante meio período no local. Então, certa pessoa entra na cafeteria, e... Eis que surge Keiichi Iwase, o cara que xingou Aoi de feio!!??

Disponível para compra nas lojas do Google Play e do iTunes, não consegui achar mais nada de relevante que explicasse uma pouco melhor sobre o material de origem, mas com uma premissa dessas está parecendo que se terá aqui apenas um "shounen-ai" focado na comédia, já que também não dá para ir muito além disso com episódios de 2 minutos de duração cada. Olha, pra não dizerem que não tenho nada vejam uma montagem com os personagens bonitões principais ("Eu não sou uma garotinha!", ótima frase de apresentação para alguém tendenciosamente uke...).

Tomomi Mochizuki (Pupa, Pupa! Mas qualquer profissional se queimaria com aquilo...) cuidará da direção e roteiros, enquanto que Kaoru Kondou fará a trilha sonora e Atsuko Takahashi o "character design".


**********

Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Liden Films / Sanzigen
Diretor: Noriyuki Abe ("Bleach", "Flame of Recca", "Gakkou no Kaidan", "Great Teacher Onizuka", "Yu Yu Hakusho")
Gênero: Ação / Aventura / Drama / Fantasia
De onde saiu: Mangá, 3 volumes, em andamento - que, por sua vez, é adaptação de uma light com atuais 14 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

A trama narra a saga do príncipe Arslan após Ecbatana, a capital do rico reino de Pars, ser invadida pelo país vizinho Lusitania depois que o seu pai, o rei Andragoras, cai vítima de uma traição liderada por um de seus servos mais confiáveis. Sobrevivendo por pouco no campo de batalha com a ajuda do excelente cavaleiro Daryun, esse príncipe de apenas 14 anos verá ser formado ao seu redor um grupo incomum - composto pelo estrategista Narsus e seu jovem servo Elam, a sacerdotisa Falangies e o músico enigmático Gieve, além de Daryun -, e com eles terá de criar alianças e reunir forças para poder recuperar as suas terras das mãos de Lusitania, cujo ataque está sendo manipulado por um estranho guerreiro conhecido como "Silvermask".

Antes de tudo, entenda a posição do anime: publicada de maneira irregular desde 1986, "Arslan Senki" é uma coleção de novels escrita por Yoshiki Tanaka, profissional que alguns devem conhecer pela imensa e elogiadíssima série de OVAs "Ginga Eiyuu Densetsu", um space opera vindo de uma novel sua que teve 14 volumes lançados entre 1982 e 1989. Em 1991 "Arslan Senki" conquistou sua primeira adaptação animada, precisamente seis OVAs que de início até seguiram a história original, porém depois, por falta de material, se encerraram com um final próprio; ainda no mesmo ano do lançamento do primeiro OVA foi iniciada uma versão mangá que chegaria a 13 volumes, contudo esse anime será baseado em outra versão nesse formato cuja publicação mensal começou em 2013 nas mãos de Hiromu Arakawa, prestigiada autora de "Fullmetal Alchemist" e "Gin no Saji" - com somente 3 volumes até então, só agora o enredo dessa adaptação fechou o primeiro volume da obra de Tanaka.

Por fim, tudo isso tem por base "Amir Arsalan", uma antiga lenda persa que já se tornou até musical.

Algo que sempre falam com rasgação de seda sobre "Ginga Eiyuu Densetsu" é como ele possui tramas políticas intricadas e conflitos, tanto bélicos quanto humanos, bem detalhados, atributos que, se no mangá de "Arslan Senki" pelo menos eles não parecem tão complexos assim talvez por culpa da transição de mídia, de todo modo ainda possuem considerável importância e esmero. Trazendo diversas referências e menções óbvias as doutrinas, costumes e fatos históricos do cristianismo e islamismo, porém apenas mudando nomes de pessoas e lugares cá e lá para deixar tudo numa "zona segura" (salvam-se somente da lenda original alguns termos, títulos e honoríficos persas), "Arslan Senki" pode ter me apresentado um personagem principal meio apagado chamado Edward... Digo, chamado Arslan, que não atraiu tanto a atenção no começo com seu estereótipo de "príncipe extremamente bondoso e ingênuo que é bastante diferente do rigoroso pai e que aos poucos vai amadurecendo e ficando mais forte e confiante", contudo isso foi compensado pelo interessante elenco a sua volta e uma narração lenta e concisa por parte de Arakawa quanto a evolução e retratação de cada evento e suas consequências. Um príncipe inexperiente, um estrategista de grande inteligência e seu leal servo, uma sacerdotisa linda e fria, um músico charlatão pouco confiável e um guerreiro extremamente forte se veem diante de traições, emboscadas e joguinhos políticos enquanto tentam se opor a uma ameaça muito mais numerosa, formada por inimigos alguns caricatos, outros complexados e outros simplesmente humanos sedentos por poder. É o seu típico épico medieval (e com magia inclusive, apesar de aqui ela ser rara e complicadíssima de se fazer) cujos protagonistas formam uma "party" que poderia facilmente ter saído de um jogo de RPG, entretanto ele mostra algum diferencial justamente por não se focar unicamente em - ótimas e geralmente fortes - cenas de batalhas em detrimento de algum plano de fundo mais elaborado.

Bom deixar claro, "Arslan Senki" não evita de usar vários argumentos e artifícios vistos à exaustão em outras obras desse tipo (o segredo do vilão principal, por exemplo, quando revelado foi algo que me fez suspirar e pensar "ah, de novo não..."), mas a questão é a maneira que desenvolve essas ideias e acrescenta nisso alguns temas pouco abordados em histórias do gênero em animes e mangás. Discussões pertinentes como o papel da escravidão na sociedade ou desavenças religiosas (de um lado uma nação pagã, do outro uma monoteísta que usa da força bruta para impor sua doutrina) dividem espaço com a saga de um jovem príncipe que lentamente "descobre" um novo mundo fora das protegidas paredes de seu palácio, onde será obrigado não só a empunhar uma espada, como também a lidar melhor com os interesses alheios. Repetindo o que disse no parágrafo anterior Arakawa dá um destaque mais detalhado e levemente maduro em torno desses fatores, gerando assim longos diálogos e uma evolução vagarosa, e é de se esperar que o anime cubra rapidamente os seus 3 volumes e, após isso, siga um novo caminho - agora, se ele antecipará trechos futuros do mangá (algo que ocorre em raras ocasiões) ou criará um desfecho original, só resta esperar para ver.

A ser produzido por Liden Films e Sanzigen, dois estúdios pequenos que já trabalharam juntos anteriormente em obras curtas, sendo o segundo bastante experiente em CGI (área que será sua responsabilidade aqui, e dá para notar pelo trailer que, para o bem e para o mal, abusarão disso nas batalhas), "Arslan Senki" contará ainda com o veterano Noriyuki Abe ("Bleach", "Great Teacher Onizuka", "Yu Yu Hakusho") na direção, Makoto Uezu ("Akame ga Kill!", "D-Frag!") na supervisão de roteiros e Taro Iwashiro ("Suisei no Gargantia") na trilha sonora.


**********

Baby Steps 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Studio Pierrot
Diretor: Masahiko Murata ("Gilgamesh", "Shikabane Hime: Kuro")
Gênero: Comédia / Esporte / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 33 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Baby Steps", anime de tênis baseado em um mangá com 33 volumes publicados desde 2007. Já definido que terá 25 episódios igual a primeira série, a direção permanece com Masahiko Murata, junto a Katsuhiko Chiba ("Freedom") na supervisão de roteiros e Masayuki Kouda no "character design".



**********

BAR Kiraware Yasai
Formato: TV (1 min. por episódio)
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Gathering
Diretor: Mankyuu ("30-sai no Hoken Taiiku", Puchimas!: Petit iDOLM@STER")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, sem separação de volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Até os vegetais possuem sentimentos.

Baseado em um mangá de tirinhas publicado direto na internet, "BAR Kiraware Yasai" trará como protagonistas vegetais que as crianças odeiam ou que várias pessoas hesitam em comer - e que ainda por cima cheiram mal, no caso de alguns deles. Indo desde uma tomate idol, berinjela funcionário público, jiló estudante universitário e até um aipo de 28 anos que ainda é sustentado pelos pais, todos visitam um bar cuidado por um simpático humano para desabafar e jogar conversa fora enquanto bebem.

Acostumado a produzir apenas animes curtos, o estúdio Gathering colocou um funcionário seu de longa data que é o bom Mankyuu na direção, junto a Narita Koyu na supervisão de roteiros. Ademais, nessa página do site Comic Walker, nos quadradinhos azuis numerados, é possível visualizar (em japonês) algumas páginas do mangá gratuitamente. 

E, olha, tecnicamente falando o tomate seria uma fruta e não um vegetal, mas enfim...


**********

Battle Spirits: Burning Soul
Formato: TV
Data de estreia: 01/04
Estúdio: Sunrise
Diretor: Kunihisa Sugishima ("Beyblade: Metal Fusion", "Nabari no Ou", "Speed Grapher") 
Gênero: Ação
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de uma franquia multi-mídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Oitava temporada de "Battle Spirits", anime iniciado em 2008 que é baseado em um jogo de cartas criado pela parceria entre Bandai e Sunrise, e que nesse tempo já originou diversos mangás, brinquedos e jogos em várias plataformas. Ainda está incerto (há um trailer, porém pessoalmente não conheço nada da franquia para notar o que ele tem de diferente das outras animações) se "Burning Soul" é continuação direta da série anterior, mas ao menos toda a equipe de produção principal foi substituída: Watanabe Masaki, que esteve à frente dos três últimos animes, sai da direção e entra em seu lugar Kunihisa Sugishima ("Speed Grapher", várias séries de "Beyblade"), enquanto que o roteirista Katsumi Hasegawa ("Final Approach" e também diversas séries de "Beyblade") e o "character designer" Yoshinori Yumoto ficarão no lugar de Atsuhiro Tomioka ("Blade & Soul", "Zetman") e Tetsuya Ishikawa, respectivamente.


**********


Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken 2 Sure-me
Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 03/04
Estúdio: Seven
Diretor: Shinpei Nagai ("Inugami-san to Nekoyama-san")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 4 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken", anime do estúdio Seven - será sua 12ª série de TV curta - que narra o dia a dia de uma dedicada funcionária de escritório chamada Kaoru ao lado de seu marido Hajime, um jovem otaku. Vindo de tirinhas 4-koma, "Danna ga Nani", ao mesmo tempo em que possui seu teor cômico em relação ao hobby de Hajime, ele também vai mostrando um lado mais afável e sentimental, mas sem esquecer nisso o bom humor, quanto ao relacionamento dos dois e os pequenos (ou enormes, caso tenham visto o final da primeira temporada!) obstáculos que enfrentam juntos.

O diretor e roteirista segue o mesmo da temporada anterior, Shinpei Nagai. No post "Dez animes curtos de 2014" eu falei a respeito desse anime, clique aqui se quiserem saber mais detalhes.



**********

Denpa Kyoushi (TV)
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Masato Sato ("Detective Conan", episódios 333 ao 504)
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 14 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Junichirou Kagami era um gênio da física; com apenas 17 anos ele chegou inclusive a ter uma tese sua publicada na prestigiada revista Nature, porém logo perdeu interesse pelo assunto e hoje, com 24 anos, não passa de um NEET otaku cuja maior preocupação é atualizar seu blog de animes. Irritada com esse seu comportamento, a irmã de Junichirou, Suzune, o força a obter um emprego de professor de física substituto na escola onde ele estudou: relutante no começo, Junichirou acaba se empolgando e se mostrando um excelente profissional ao usar métodos de ensino nada convencionais, e geralmente inspirados em conhecimentos obtidos graças ao seu hobby, para motivar e corrigir alunos problemáticos.

Publicado desde 2011 na "Weekly Shounen Sunday" ("Kyoukai no Rinne", "Arata Kangatari"), "Denpa Kyoushi", se baseando pelos volumes iniciais, pode ser resumido como uma história dividida em pequenos arcos onde um professor esquisito vai ajudando um aluno por vez com seus problemas pessoais, queiram eles ou não e através de atos realmente nada comuns; seja se fantasiando de "Homem da Justiça" para pregar uma peça em garotas que praticam bullying em uma estudante aspirante a dubladora, "amansando" um valentão violento o forçando a se tornar mais sociável através de uma partida de futebol ou aconselhando uma louquinha garota mangaká que falta às aulas justamente por conta de seu trabalho, vemos Junichirou colecionando "casos" bem sucedidos na sua nova profissão enquanto, ao mesmo tempo, acompanhamos seu vício absurdo pelo maravilhoso mundo dos animes e mangás, abusando aqui e ali de referências e termos otakus.

Enfim, se querem comparações, podem facilmente coloca-lo ao lado de "Ansatsu Kyoushitsu" ou, exemplo mais "clássico" e que até no mangá chegam a citar, "Great Teacher Onizuka". Antes de ler o mangá achava que o texto sobre esse anime até seria maior, mas, devido ao formato usado nos 4 primeiros volumes que eu li, na verdade nem daria para falar muita coisa sem soar repetitivo; tenham noção apenas de que o protagonista nesse caso é um folgado que "sofre" de "não faço nada que eu não goste de fazer" simultaneamente genial e palerma, capaz tanto de produzir jogos do zero para interagir com sua classe, criar uma teoria provando que é possível existir garotas mágicas ou criar a "porta dokodemo" do famoso Doraemon, quanto recusar uma oferta de emprego em um avançado instituto de pesquisa no exterior não por achar que sentiria falta de seus estudantes, mas sim porque não teria uma Akihabara por perto com seus diversos eventos e produtos otakus. Ao menos, para compensar esse seu lado meio egoísta e caprichoso, tal arremedo de professor fanático pelo 2D e que não aceita que seu hobby seja tratado com desdém (dica, não fale a ele de forma leviana que deseja se tornar um dublador, senão tomará um grande sermão) vai colocando no caminho certo desde estudantes delinquentes ou cabuladores de aula a apenas aqueles complexados consigo mesmos, ajudando-os a aceitar melhor sua situação e os fazendo perceber, ou sair em busca, de o que querem ser e fazer - e durante tal processo ele também não deixa de aprender uma ou outra lição com seus alunos, criando dessa forma um grande, unido e carismático elenco à sua volta.

Com Hiroshi Kamiya dublando Junichirou, substituindo assim o papel que Ono Daisuke atuou em comerciais de 2012 e drama CDs (e pra mim é a mesmíssima situação de "Ansatsu Kyoushitsu", no qual o estilo despojado de Fukuyama Jun na série de TV se encaixou melhor que o tom grave da voz de Tomokazu Seki nos OVAs lançados antes), a equipe principal contará com Atsushi Maeakwa ("Digimon Adventure 02", "The Prince of Tennis") na supervisão de roteiros, Ryuuichi Takada ("The iDOLM@STER) do estúdio MONACA na trilha sonora e Isao Sugimoto ("Girls und Panzer", "Kemeko Deluxe!") no "character design".

**********



Diamond no Ace: Second Season
Formato: TV
Data de estreia: 06/04
Estúdio: Madhouse / Production I.G
Diretor: Mitsuyuki Masuhara ("Chi's Sweet Home", "Kobato.", "Shirokuma Cafe"
Gênero: Comédia / Esporte
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de um mangá com atuais 45 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Diamond no Ace", anime de baseball originado de um mangá com 45 volumes publicados desde 2006. A primeira série, que teve início em 2013, acabará agora em março com 75 episódios, e a única mudança será no dia de exibição, ao sair das manhãs de domingo e ser realocado nas tardes de segunda. Já a equipe de produção segue a mesma, com o ótimo Mitsuyuki Masuhara na direção, Kenji Konuta ("Blood Lad") na supervisão de roteiros e Minoru Ueda no "character design".


**********

Digimon Adventure Tri. (ADIADO)
Formato: TV
Estúdio: Toei Animation
Diretor: Keitaro Motonaga ("Date A Live", "Jormungand", "Katanagatari" ,"School Days")
Gênero: Ação / Aventura
De onde saiu: Continuação do anime de 2000. 
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Franquia que teve início em 1997 com o lançamento pela Bandai de bichinhos de estimação virtuais, "Digimon" obteve seu primeiro anime em 1999 com "Digimon Adventure" (exibido aqui no Brasil inicialmente pela Rede Globo, tendo aquela abertura maravilhosa cantada por Angélica), e, passados quinze anos, o estúdio Toei Animation comemora o aniversário da série de TV com um novo título que, ao que parece, levará em conta apenas as duas primeiras animações - a segunda temporada, "Digimon Adventure 02", foi exibida entre 2000 e 2001 -, ignorando assim as seis últimas séries produzidas de 2004 a 2012.

Não que tenham liberado até o momento alguma sinopse concreta que pôde confirmar isso: com um site oficial ainda divulgando novidades aos pedaços, sabe-se apenas que veremos os personagens de "Digimon Adventure" na adolescência e durante o ensino médio, seis anos após os eventos do primeiro anime e três do segundo - pois em uma das pequenas notas do site é dito que o protagonista Taichi já estaria com 17 anos, sendo que ele tinha 11 em "Digimon Adventure" e 14 em "Digimon Adventure 02". Fora isso, nem o único trailer disponível até o momento ajuda, visto que ele mais apela para a nostalgia com cenas do anime antigo do que se preocupa em revelar algo.

Quanto a equipe responsável pelo projeto, tem-se o prolífico Keitaro Motonaga na direção, profissional que estará no comando de sua 19ª série de TV e que possui no currículo desde monstruosidades do tipo "Date A Live" e "School Days" a obras prestigiadas como "Jormungand" e "Katanagatari" - é um bom diretor, desde que deem algo decente para trabalhar em cima. Junto a ele há também Yuuko Kakihara na supervisão de roteiros ("Chihayafuru 2", "Sora no Otoshimono") e Atsuya Aki ("Tsuritama") no não muito bem recebido "character design". Caso surjam mais informações sobre o anime as acrescentarei nesse texto, e avisarei sobre isso na relação de atualizações no início do post.



**********

Duel Masters VSR
Formato: TV
Estúdio: Ascension
Data de estreia: 05/04
Diretor: Shinobu Sasaki
Gênero: Ação / Aventura / Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de um mangá que, juntando todos os seus títulos, possui atuais 56 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Décima segunda temporada de "Duel Masters", anime de 2002 originado de um mangá que teve 17 volumes publicados entre 1999 e 2005, e que foi seguido por outras três séries de 12, 18 e 9 volumes cada - essa última segue em andamento. No mesmo ano da primeira série foi criado o principal produto dessa franquia (e que é o próprio tema do mangá), um jogo de cartas, pela empresa Wizard of the Coast, a mesma do popular aqui no ocidente "Magic: The Gathering".

Shinobu Sasaki permanece na direção, com Yoichi Sato ("Aikatsu!", "Mushibugyou") na supervisão de roteiros e Yosuke Yabumoto no "character design".


**********

Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: J.C. Staff
Diretor: Yoshiki Yamakawa ("Hatsukoi Limited", "Kill Me Baby", "Little Busters!")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia / Fantasia
De onde saiu: Light novel, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Enquanto muitos aventureiros se juntam na cidade de Orario em busca de fama e riqueza derrotando os monstros que se encontram nas profundezas de um labirinto conhecido como "Dungeon", Bell Cranell teria, digamos, um objetivo mais passional; ele apenas deseja interagir e conhecer garotas em sua jornada, passando-se pelo clássico herói na frente delas enquanto as protege do perigo. Isso, contudo, não será tão fácil quanto o rapaz imagina, e, apoiado por uma pequena e impopular deusa que o ajuda na evolução de suas habilidades, Bell irá sim se esbarrar com várias garotas em sua jornada, porém ao invés de romances e a chance de realizar atos heroicos elas lhe trarão alguns problemas...

Adaptação de uma light novel publicada desde 2013 pela GA Bunko, editora que completará em breve 10 anos de existência (sendo essa adaptação a primeira parte de um projeto para comemorar seu aniversário), "Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka" - ou, se usarmos o glorioso Google para uma tradução literal, temos o quase certeiro e cômico "É errado tentar pegar garotas em uma masmorra?" - será justamente o que a sinopse implica: uma fantasia medieval com vários seres do sexo feminino, sejam elas humanas, deusas ou elfas, em volta de um personagem principal que com grande rapidez vai se tornando cada vez mais forte em um mundo cujas habilidades evoluem como se estivéssemos em um jogo de RPG - daí você nota que esse candidato a herói será dublado por Yoshitsugu Matsuoka, que deu voz ao adorável Kirito de "Sword Art Online" e o pateta Sora de "No Game No Life", e pronto, tudo agora faz sentido...

Não pude ler a light novel por não haver versões traduzidas, então tive de me basear na versão mangá que hoje possui 3 volumes publicados. Contudo, tirando uma narração visivelmente bem resumida e pobre (o que é comum para adaptações em mangá de light novels), "Dungeon ni Deai..." realmente não passou nesse começo de uma historinha na qual todas as garotas de Orario parecem ser atraídas pelo protagonista Bell, indo desde Hestia, sua companheira deusa-loli peituda (de longe a mais apaixonada, tanto quando sóbria quanto estando bêbada), a empregada humana de uma taverna, a elfa conselheira da guilda que ele faz parte e inclusive a guerreira mais forte e temida da cidade. Nisso, enquanto os conflitos dos primeiros arcos não foram além de alguns transtornos causados por uma deusa estranhamente interessada (pra variar!) no rapaz, junto a outros acontecimentos ainda não muito explicados, o maior foco mesmo foi apresentar os conceitos do mundo que se passa a trama. Sendo suncinto, deuses e humanos vivem em harmonia e estes podem formar parcerias, ou "famílias" como chamam isso, na qual os primeiros concedem bençãos e auxiliam no desenvolver de suas técnicas, e os segundos dão algo em troca disso, seja dinheiro ou o que for combinado entre eles - e claro, nosso casal principal não é nada mais que uma deusa que possui somente um seguidor, o próprio Bell, e um garoto inexperiente de nível 1, literalmente falando. Aliás, nesse ponto vale citar a razão de como "Dungeon ni Deai..." se assemelha a um jogo de RPG, pois, dentre outros fatores, não só os aventureiros possuem em suas costas hieroglifos que registram seus atributos (ATK, DEF etc), como também o tal labirinto "Dungeon" é simplesmente uma série de andares onde, conforme mais fundo você desce, ocorrem spawns de monstros mais fortes, e todos eles derrubam pedrinhas mágicas misteriosas que podem ser trocadas por dinheiro - podemos questionar em como, tendo centenas de pessoas coletando elas todos os dias em um lugar no qual monstros "nascem" sem parar não faz com que seu valor seja irrisório e assim ocorra alguma crise na região, mas, ah, ignoremos isso. O que importa é que se verá aqui muitas lutas, uma comédia suave com fanservice fraco (ao menos no mangá não houve nada de chamativo nisso) e um harém se formando em volta de Kiri... Digo, Bell.

Nesse caso fiquei dividido; ainda que o tenha achado até agradável (mais por conta de ser afeiçoado a fantasias medievais), "Dungeon ni Deai..." não chegou a me empolgar em momento algum nesses 3 volumes do mangá justamente por não ter apresentado nada de relevante ou impactante em relação a enredo. Tem lá sua diversão devido ao tema tratado, e será melhor ver o anime esperando unicamente isso. Com um profissional bem mais ou menos que é Yoshiki Yamakawa na direção, a equipe principal ainda contará com Hideki Shirane ("Date A Live") na supervisão de roteiros, Keiji Inai ("Btooom!", "Outbreak Company") na trilha sonora e Shigeki Kimoto no "character design".


**********


Eikoku Ikke, Nihon wo Taberu
Formato: TV
Data de estreia: 12/04
Estúdio: Fanworks
Diretor: Rareko ("Gakkatsu!")
Gênero: Slice-of-Life
De onde saiu: Livro.
Site oficial: Clique aqui

Quem acompanha as estreias de cada temporada deve notar como às vezes surgem certas tendências e temas abordados à exaustão em alguns períodos de tempo, sendo que geralmente os motivos por trás disso sequer ficam muito claros ao menos para nós aqui do ocidente. Qual foi a razão de ter havido um número altíssimo de animações sobre esportes no final de 2013 e início de 2014, por exemplo? Não faço ideia, sinceramente. E qual a explicação para o surgimento, do final de 2014 até agora, de tantas animações adaptando todo tipo de mídia com temas culinários? Vá saber. Está certo que são obras de fontes bem diferentes e para públicos distintos, mas é difícil imaginar que seja apenas coincidência...

De qualquer forma, em agosto de 2014 houve "Medamayaki no Kimi Itsu Tsubusu?", anime curto com um protagonista obcecado pelo modo de se alimentar dos outros; em outubro tivemos os cozinheiros bishounen de "Bonjour♪Koiaji Pâtisserie" vindos de um jogo voltado às mulheres; em janeiro o estúdio Shaft apresentou "Koufuku Graffiti" e suas garotinhas de comportamentos excêntricos e sugestivos no ato de comer; logo abaixo verão a versão animada do popular mangá de "Shokugeki no Souma"; e, por fim, temos aqui a adaptação de um livro de viagem e culinária escrito por um jornalista britânico. Conhecido justamente por obras que relacionam esses dois tópicos, Michael Booth publicou em 2009 "Sushi and Beyond: What the Japanese Know About Cooking" ("Sushi e além: O que os japoneses sabem sobre culinária" numa tradução literal, e não há versão em português), livro autobiográfico onde é narrada uma viagem de três meses que ele, sua esposa e seus dois filhos de na época 4 e 6 anos fizeram pelo Japão experimentando todo tipo de comida local - para essa tarefa Michael confessa ter se inspirado em um livro escrito nos anos 80 por Shizuo Tsuji chamado "Japanese Cooking, A Simple Art", que é grande referência no assunto até hoje. De visitas a restaurantes secretos e exclusivos ou a bares com cachorros de companhia, compras no caótico e famoso mercado de peixes Tsukiji em Tóquio, degustação de caranguejos crus de Hokkaido e preparo do venenoso e mortal peixe baiacu (por lá conhecido pelo nome de Fugu), Michael Booth vai descrevendo em cerca de quarenta contos diversas atividades e curiosidades enquanto divaga, ao mesmo tempo, sobre a complexidade e a beleza dos pratos típicos japoneses e também os aclamados benefícios à saúde que tais hábitos alimentares causam na sua população, que possui hoje a maior expectativa de vida do mundo entre as mulheres (86,6) e a quarta maior entre os homens (80,2). Além disso, não consegui confirmar o quanto isso foi adiante, mas em um artigo escrito pelo próprio autor em fevereiro de 2014 ele fala que haviam planos de produzirem um dorama (!) baseado em sua obra e até um programa de TV que seguiria sua família em nova viagem pelo país - o livro chegou em terras japonesas no início de 2013 (e pela metade, o restante veio em outra publicação ano passado) e rapidamente figurou nas listas dos mais vendidos.

Com exibição prevista no canal NHK e produzido pelo estúdio Fanworks, é bem certo dizer que "Eikoku Ikke, Nihon wo Taberu" será um anime curto com uma pegada quase que didática. Não deverá apresentar um primor de animação, e talvez nem um estilo narrativo tão atraente, porém dessa vez tal tema não precisará disputar a atenção com garotas suspirando, garotas seminuas ou rapazes lindões...


**********

Etotama
Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: Shirogumi
Diretor: Fumitoshi Oizaki ("Acchi Kocchi", "Astarotte no Omocha!", "Romeo x Juliet")
Gênero: Comédia / Fantasia
De onde saiu: Mangá, número de volumes indefinido.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

A história terá como protagonista Nya-tan, uma gata da astrologia chinesa que deseja se tornar membro do zodíaco chinês. De mente simples e sofrendo de perda de memória, ela usa métodos tolos para atingir seu objetivo, e logo no início conhece Takeru Tendo, um jovem estudante que mora sozinho em Akihabara e que tem sua casa invadida pela garota felina. Pouco a pouco, Nya-tan vai ficando mais próxima de seu sonho (essa frase solta e vaga é da sinopse oficial mesmo, não tenho culpa).

Vindo de um mangá que começou a ser publicado no finalzinho de 2013, "Etotama" pega emprestado uma das lendas mais populares sobre a origem do zodíaco chinês, na qual o gato, após ser enganado pelo rato, perde o banquete do Imperador de Jade onde os doze signos animais foram definidos, e por conta disso fica de fora do zodíaco - o início da lenda varia de acordo com a fonte, mas se resume ao rato mentindo sobre a data do banquete. Agora, mudando o sexo de todos esse animais e dando-lhes tanto uma versão "adulta" quanto uma versão "chibi" (ou precisamente "pretty", de bonita em inglês, conforme termo descrito em seu site oficial), o anime mostrará a saga dessa neko girl aparentemente avoada através de lutinhas cheias de efeitos e malabarismos - clique aqui para ver uma cartela montada por mim listando todas as personagens e os animais originais que representam (mas somente as que fazem parte do zodíaco, para ser exato, pobre da gatinha que foi excluída de novo!).

O não muito popular estúdio Shirogumi ("Antique Bakery", as duas temporadas de "Moyashimon") nunca foi lá essas coisas em se tratando de animação convencional; sua especialidade mesmo é em computação gráfica, se destacando nesse caso em obras como "Stand By Me Doraemon", "Piano no Mori" e "Friends: Mononoke Shima no Naki" - além disso, eles também produzem animações para jogos, e seu último trabalho nesse ramo foi em 2014 no título "Zero: Nuregarasu no Miko", o quinto jogo da franquia "Fatal Frame". Pelos 3 trailers divulgados acima, dá-se a entender que a série mesclará uma animação normal quando elas estiverem no mundo dos humanos, e uma toda em CG num possível mundo paralelo nas horas em que surgirem lutando no seu modo "chibi" - pelo menos é o que espero, pois, se não dei a mínima para a história e achei um tanto feios os desenhos das personagens em CG, admito que fiquei admirado com os cenários tão coloridos e bonitos. É daqueles animes que verei com certa culpa e ressalva, mas de todo modo pego no mínimo uns 5 assim a cada temporada - e a taxa de arrependimento ao final gira em torno de uns 80%, porém, mesmo assim, continuo fazendo isso...

Junto ao mediano Fumitoshi Oizaki na direção, "Etotama" terá ainda a fofa Deko Akao ("Arakawa Under the Bridge", "Noragami") na supervisão de roteiros, Asami Takahashi adaptando o "character design" versão "chibi" das personagens criado por Akio Watanabe ("Kami Nomi zo Shiru Sekai", "Bakemonogatari"), Satoshi Koike ("Senki Zesshou Symphogear") adaptando a versão "adulta" feita por QP:flapper ("MM!") e 
Daisuke Hirakawa na direção de CGI.


**********

Fate/stay night: Unlimited Blade Works (TV) 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: ufotable
Diretor: Takahiro Miura
Gênero: Ação / Drama / Fantasia
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de uma visual novel.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Segunda temporada de "Fate/stay night: Unlimited Blade Works", anime que narra a segunda das três rotas da visual novel "Fate/stay night" criada pela desenvolvedora Type-Moon - rota essa que já foi adaptada em 2010 pelo Studio Deen em um filme de encher os olhos quanto ao nível técnico e sequências de ação, mas que em contrapartida mostrou um péssimo resumo da história.

A equipe é a mesmíssima da primeira série, com Takahiro Miura na direção, Hideyuki Fukusawa na trilha sonora e ufotable na produção, estúdio que futuramente fará um filme da terceira e última rota da visual novel, "Heaven's Feel", que é focada nos personagens Shirou e Sakura.

**********

Funassyi no Funafunafuna Hiyori
Formato: TV
Data de estreia: 30/03
Estúdio: Ashi Productions
Diretor: Tomio Yamauchi
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Animação original baseada em um personagem.
Site oficial: Clique aqui

A história de uma pera.

Ele não é um garoto, nem uma garota, mas uma pera de 1,877 anos e o quarto filho de um casal que teve 274 crianças; ademais, ele também adora pêssegos, curte heavy metal e é fã do Aerosmith; esse é Funassyi, mascote não oficial do distrito de Funabashi, localizado na prefeitura de Chiba. Criado em 2011 por um morador local para inicialmente promover seu site pessoal, essa criatura não tardou a ganhar fama e começar a aparecer em diversos eventos, festivais e programas televisivos, alcançando ainda feitos como lançar um CD single (que vendeu bem!), possuir uma loja própria, ser entrevistado pelo canal CNN e até representar o Japão no exterior. Ao contrário de outros mascotes que normalmente mal falam e se mexem pouco, Funassyi é bastante tagarela (sendo que sempre termina suas frases com "nassyi") e agitado, constantemente balançando a cabeça de um lado ao outro e fazendo loucuras - o governo de Funabashi recusou pedidos para torna-lo seu mascote oficial justamente por causa disso, pois só assim seria possível ter um personagem agindo tão livremente, sem formalidades e burocracia, comportamento que explica sua tamanha popularidade e, por consequência, lucro (em 2013 ele arrecadou uma receita superior a 5 milhões de reais).

Com mais de um milhão de seguidores no Twitter e centenas de vídeos no Youtube, que vão desde uma entrevista barulhenta a um programa de variedades, um "show" seu durante uma exposição em Paris ou então caindo em uma pegadinha, já deu pra perceber como esse mascote é de fato famoso...

E feio, caso tenham visitado alguns dos links que passei. Eu o acho muito mais assustador e bizarro do que bonito...

Mas, de todo modo, ele terá um anime de episódios curtos a ser exibido dentro de um programa matinal, onde apresentarão ainda um novo personagem chamado Guressyi. Não será a primeira vez que Funassyi se envolve com o mundo da animação e mangás em geral, pois ele já fez uma ponta em um filme de Pretty Cure e realiza propagandas de obras como "Gundam" e "Parasyte".

Aliás, a pera é o principal item de exportação do distrito de Funabashi (viu como ler os textos desses animes não é algo totalmente inútil?).


**********

Future Card Buddyfight 100
Formato: TV
Data de estreia: 11/04
Estúdio: OLM / Xebec
Diretor: Shigetaka Ikeda 
Gênero: Ação
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um jogo de cartas.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Future Card Buddyfight", anime originado de um jogo de cartas criado pela empresa Bushiroad que no Japão é voltado a crianças de 9 a 11 anos, porém na América é destinado a um público mais velho ao apresentar um sistema de batalhas de maior complexidade. Ainda não foi confirmado se a equipe de produção será a mesma, mas, como a primeira temporada só acabará agora em março com mais de 60 episódios, possivelmente não haverá mudanças quanto a isso.

E apenas para não perder a chance de postar isso de novo mesmo que não tenha utilidade alguma, clique aqui para ver um vídeo promocional de 2013 da franquia, com direito a um garoto enfrentando um homenzarrão no ringue e, esse, fazendo uma "atuação" muito convincente ao ser derrotado...

**********

Ghost in the Shell: Arise - Alternative Architecture
Formato: TV 
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Production I.G
Diretor: Kazuchika Kise 
Gênero: Ação / Sci
De onde saiu: Spin-off da franquia "Ghost in the Shell".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Iniciado como um mangá seinen curto (mas que antecederia outras obras também pequenas) em 1989 e em seguida gerando duas séries de TV principais e vários filmes, OVAs e especiais, o complexo mundo sci-fi policial de "Ghost in the Shell" ganhou uma não tão bem aceita repaginada em 2013 ao lançarem "Ghost in the Shell: Arise", série de 4 filmes que trouxe um novo "character design" e novos dubladores para todos os personagens, e que possui como ponto de partida eventos que se passam antes do que foi mostrado nas séries de TV ou filmes anteriores - ou seja, é uma espécie de prólogo, então não há necessidade de conhecer a franquia de antemão para assisti-los. Por sua vez, "Alternative Architecture" será composto por uma compilação dos quatro filmes em 8 episódios mais 2 com material inédito, que servirão de gancho para um filme a ser lançado ainda em junho desse ano - segundo o roteirista Tow Ubukata ("Le Chevalier D'Eon", "Psycho-Pass 2") tal longa abordará, mais profundamente do que foi feito em "Arise", o passado da protagonista Motoko Kusanagi, que com essas mudanças ganhou um visual mais "moe" e passou a ostentar a doce voz de Maaya Sakamato, dubladora que está longe de ser ruim, pelo contrário, porém nesse papel ela não se compara com a atuação forte que Atsuko Tanaka fazia...

Perdão, perdão, são só resmungos de um fanboy que "adorou" tais modificações na franquia. Como esse anime se encaixa em "continuação / spin-off", me absterei de inserir sinopses ou comentar a fundo sobre seu conteúdo, então fiquemos por aqui.

**********

Gintama°
Formato: TV
Data de estreia: 08/04
Estúdio: Sunrise
Diretor: Chizuru Miyawaki
Gênero: Comédia / Esporte / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2012, vindo de um mangá com atuais 57 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quarta temporada de "Gintama", anime originado do famoso mangá da Shounen Jump que desde 2003 teve 57 volumes publicados. Diretor desde o episódio 100 da primeira temporada, Yoichi Fujita será substituído pela estreante Chizuru Miyawaki.

*********

Formato: TV (15 min. por episódio)
Data de estreia: 04/04
Gênero: Ação / Aventura
De onde saiu: Continuação do anime de 2012, vindo de um mangá com 7 volumes, finalizado.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Gon", anime sobre o dia a dia de um pequeno dinossauro que de alguma forma sobreviveu a extinção de sua espécie. O mais curioso desse anime é que, tal qual o mangá de onde ele veio (sete volumes publicados de 1992 a 2002), não há aqui qualquer diálogo ou onomatopeias, se baseando em gestos e expressões exageradas para narrar as interações do personagem título com seus amigos animais.

Como é de se esperar, tal dinossaurinho já gerou diversos produtos e apareceu em várias mídias, mas talvez muitos aqui o reconheçam por sua participação no saudoso jogo de luta "Tekken 3".


*********


Grisaia no Rakuen
Formato: TV
Data de estreia: 20/04
Estúdio: 8bit
Gênero: Drama / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de uma visual novel.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Grisaia no Kajitsu", anime que em 2014 adaptou de maneira corrida em 12 episódios toda uma longa visual novel que possui mais de 50 horas de duração - convenhamos, ele pode impactar pelo conteúdo pesado presente na história de todas as heroínas, porém na questão narrativa foi um desastre (mas não que o jogo também seja uma maravilha quanto a desenvolvimento). A visual novel é composta por três títulos, sendo "Grisaia no Rakuen" a adaptação da terceira, logo teremos antes um especial de 1 hora de "Grisaia no Meikyuu" a ser exibido no dia 13 de abril; esse será baseado na segunda visual novel, que possui uma coletânea de continuações para a história de cada heroína, bem como uma trama sobre o passado do protagonista Kazami Yuuji e vários curtas. Já o jogo de "Grisaia no Rakuen", cujo anime estreará uma semana depois, continua a rota principal de "Grisaia no Meikyuu", fechando a trilogia - ou seja, é sim recomendável que vejam o especial primeiro.

Pelo espaço de tempo curto entre um anime e outro não deve haver mudanças na equipe de produção, porém como não fizeram anúncios oficiais sobre isso prefiro aguardar mais um pouco para adicionar tais informações.    

**********


Gunslinger Stratos: The Animation
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Shinpei Ezaki
Gênero: Ação / Sci-fi
De onde saiu: Jogo arcade.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Vindo de um jogo para arcades da Square Enix lançado em 2012 no qual você joga usando duas armas para controlar seu personagem (clique aqui e aqui para ver dois vídeos a respeito), "Gunslinger Stratos" tem como ambientação o ano de 2115, e nele o país antes conhecido pelo nome de Japão se encontra dividido em dois mundos paralelos; o "Frontier S", um local sem lei cuja impunidade corre solta; e o "17º Far East Imperial City Management District", um lugar totalitário em constante vigilância. Quando esses dois universos começam a se fundir em um só, seus governantes iniciam a "Operação Stratos", um protocolo de escala mundial onde mercenários, pistoleiros e indivíduos especiais de ambos os universos serão escolhidos para serem enviados ao ano de 2015, tendo o objetivo de alterar o passado eliminando os integrantes do grupo inimigo até que apenas um lado sobreviva, o que acarretará na destruição de um dos universos.

Isso no jogo se resume a sair pelas ruas atirando no adversário até ou zerar os pontos dele, ou o tempo acabar, e ainda podemos discutir alguns furos nessa premissa, mas... Quem se importa? O anime em si não teve sua sinopse oficial divulgada (isso se houver uma), mas obviamente deve se valer do argumento original para criar mais uma adaptação de jogo que poderá até ser interessante no quesito ação, entretanto pecará no enredo e desenvolvimento de personagens - e sejamos francos, o foco mesmo é divulgar a franquia que em 2015, após dois títulos, sairá dos arcades e terá uma versão online para computadores (clique aqui para ver um vídeo de testes em fase alfa). E um adendo que vale ser mencionado: em alguns sites o popular Gen Urobuchi ("Mahou Shoujo Madoka Magica", "Psycho-Pass") tem sido creditado no anime como criador do conceito original, porém ele fez isso durante o planejamento do primeiro jogo; nessa animação propriamente seu envolvimento é nulo, mas dá pra entender porque o A-1 Pictures tem exposto seu nome em notícias e peças de divulgação, já que é um bom chamariz...

Cuidando do anime mesmo temos Shinpei Ezaki (diretor de alguns episódios em "Shingeki no Kyojin" e "Guilty Crown") estreando no posto de direção, junto a Norimitsu Kaihou (roteirista do jogo) na supervisão de roteiros, Tetsuya Kobayashi ("Persona 4 the Golden Animation") na trilha sonora e Shin'ichi Yokota no "character design".


**********

Happy George
Formato: TV
Data de estreia: 02/04
Estúdio: Kachidoki Studios
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Uma comédia sobre uma família americana morando no Japão. E é isso. Não sei mais nada a seu respeito, a não ser ainda que será animado pelo Kachidoki, estúdio que sempre produz obras curtinhas - mas, oras, quem se importa com isso? O coloquei agora só para não passar um dia sem adicionar anime novo no guia...



**********
Hello!! Kiniro Mosaic
Formato: TV
Data de estreia: 06/04
Estúdio: Studio Gokumi
Diretor: Tensho ("Grisaia no Kajitsu")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de um mangá com atuais 5 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Segunda temporada de "Kiniro Mosaic", anime vindo de tirinhas 4-koma que é o habitual "slice-of-life" de garotinhas fofas fazendo coisas fofas.

A direção continua com Tensho (também conhecido pelo nome de Motoki Tanaka), com Yuniko Ayana ("Orenchi no Furo Jijou") na supervisão de roteiros e Kazuyuki Ueda no "character design".


**********


Hibike! Euphonium
Formato: TV
Data de estreia: 08/04
Estúdio: Kyoto Animation
Diretor: Tatsuya Ishihara ("Chuunibyou Demo Koi ga Shitai!", "Clannad", "Kanon 2006", "Suzumiya Haruhi no Yuuutsu")
Gênero: Drama / Música
De onde saiu: Novel.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Houve uma época em que o clube de instrumentos de sopro da escola Kitauji chegou a participar de competições nacionais e ser campeão, mas após a mudança de conselheiro eles não foram mais capazes de sequer avançar nos torneios qualificatórios. Contudo, tendo agora a liderança rigorosa do professor Noburo Taki, o clube dá sinais de melhora e anseia a participação em mais um torneio, isso enquanto discussões sobre quem fará apresentações solos, ou a decisão de alguns estudantes em abandonar tais atividades para poder focar nos estudos, agitam seu dia a dia.

Parece "K-ON!", mas não é igual a "K-ON!" - ou pelo menos é o que falam por aí.

Baseado em uma novel - não confundir com light novel, que é abaixo disso - publicada em 2013 pela escritora novata Ayano Takeda, "Hibike! Euphonium" tem recebido comentários um tanto instigantes pela internet, tanto de leitores anônimos quanto da própria equipe de produção do anime, que dão a entender que não se verá aqui mais um "slice-of-life" moe de clube sem rumo e de público restrito como seria o normal - o que vai contra a expectativa geral pois, principalmente por ter Kyoto Animation no meio, é claro que desde o seu anúncio começaram a compara-lo com certo anime deles de 2009 onde cinco meninas bonitinhas, membros de um clube de música, mais tomavam chá e comiam doces do que tocavam. O próprio diretor prata da casa Tatsuya Ishihara falou que "Hibike! Euphonium" é um "drama sincero", enquanto leitores também tem destacado em fóruns sobre como a novel possui um trato mais delicado nesse sentido e na evolução de personagens, além de realmente mostrar a música como elemento principal. O objetivo do clube (que é grande e tem integrantes de ambos os sexos, quebrando o padrão geralmente visto em animes) é chegar ao torneio nacional, mas não será jogando conversa à toa que conseguirão isso.

Só a questão de vir de uma mídia que possui público mais amplo, e ainda por cima ter sido escrita por uma mulher, já me é suficiente para achar que tais comentários, mesmo os que soam um tanto parciais, não estejam exagerando. A dúvida mesmo é a respeito das intenções do Kyoto Animation nessa adaptação quanto a se deseja produzir um anime capaz de fisgar um público maior com essas garotas tocadoras de eufônio, trompete, tuba e demais instrumentos, ou, se pretende criar algo de nicho que é o seu costume atualmente. O diretor Tatsuya Ishihara e o supervisor de roteiros Jukki Hanada ("Kyoukai no Kanata", "Kantai Collection") são dois nomes tendenciosos para o segundo caso, e sempre tem de considerar o hábito do estúdio em adicionar vários elementos próprios que mudam em muito o estilo do anime em comparação com a obra original - logo seria melhor, em um primeiro momento, sequer dar tanta atenção assim ao que falam da novel.

Completando a equipe, tem-se ainda Akiko Matsuda ("Glasslip") na trilha sonora e Shoko Ikeda ("Suzumiya Haruhi no Yuuutsu") no "character design". 

**********

High School DxD BorN
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: TNK
Diretor: Tetsuya Yanagisawa ("Kenzen Robo Daimidaler", "Seirei Tsukai no Blade Dance")
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de uma light novel com atuais 19 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Terceira temporada de "Highschool DxD", anime de alto teor ecchi iniciado em 2012 que vem de uma light novel com 19 volumes publicados desde 2008. Experiente em obras desse tipo, Tetsuya Yanagisawa permanece na direção, tendo ainda Takao Yoshioka ("Shigatsu wa Kimi no Uso") na supervisão de roteiros, Ryosuke Nakanishi ("Love Stage!", "Sakura Trick") na trilha sonora e Junji Goto ("School Days") no "character design".


**********


Himitsukessha Taka no Tsume DO
Formato: TV
Data de estreia: 03/04
Estúdio: DLE
Diretor: Frogman
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de uma animação original.
Site oficial: Clique aqui

Sexta temporada de "Himitsu Kessha Taka no Tsume", série iniciada em 2006 que narra a saga da "Eagle Talon", uma sociedade secreta de Tóquio que planeja dominar o mundo para, com isso, trazer paz ao mesmo. Produzido em flash pelo estúdio DLE, são acompanhadas as tentativas (e consequentes falhas) da sociedade em seu ambicioso plano, e ela possui como líder um homem de 55 anos que à primeira vista pode ser confundido com o M. Bison de "Street Fighter" - com a vantagem de ter subordinados únicos, desde cientista gênio com aparência de ursinho a vocalista de heavy metal. Eles, aliás, são os protagonistas da animação, ao passo que o covarde e narcisista herói Deluxe Fighter é um personagem secundário que sempre os derrota.

É uma obra de grande sucesso interno, no Japão; concebido inicialmente para se passar no bloco de um programa de televisão, a franquia já rendeu, junto com as séries, 4 filmes de longa metragem e alguns especiais, além de diversos jogos e licenciamento dos personagens para campanhas promocionais de empresas como Capcom e Sanrio. Está difícil conquistar o mundo, mas ao menos devem ganhar alguns bons trocados.

**********

Houkago no Pleiades (TV)
Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: Gainax
Gênero: Fantasia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Garotas mágicas moe em prol da indústria automotiva.

Em 2011 o quebrado estúdio Gainax produziu "Houkago no Pleiades", um ONA de 4 episódios que serviu como propaganda indireta para a Subaru, marca de carros subsidiária do grupo industrial Fuji Heavy Industries, que foi quem financiou tal projeto. Nele, temos como protagonista Subaru (wow), uma estudante lerdinha e de cabelos rosa que logo no primeiro episódio descobre que sua melhor amiga Aoi faz parte de um grupo de garotas mágicas, que tem como objetivo resgatar fragmentos de um motor para ajudar uma pequena criatura alienígena a voltar para sua casa em Plêiades – um aglomerado de estrelas localizado na constelação de Touro e que em japonês é conhecido pelo nome de Subaru (elas estão presentes no logo da marca). Apesar da insistência da amiga em não querer que se envolva, Subaru acaba entrando no grupo para ajuda-las nessa tarefa.

Até que falei muito para algo que em 4 episódios não passa de 20 minutos de duração. Há ainda um garoto vilão que também está reunindo os fragmentos desse motor e que acaba atrapalhando as meninas, porém o que chama mesmo a atenção nesses curtas, além das gritantes alusões a Subaru (que vão desde a chave do clube que a protagonista usa aos báculos voadores com designs autorais que até fazem um barulho parecido com o motor de um carro quando usados), é a animação caprichada aliado ao fofíssimo "character design" de Mai Otsuka, ilustrador que esteve na mesma função em outros animes como "Astarotte no Omocha!", "Non Non Biyori" e "Shakugan no Shana". A história não presta, o "final" é bastante subjetivo e aberto, mas, por alguma razão, decidiram que tal argumento poderia agora ser aproveitado em uma animação para a TV, isso após Gainax e Subaru anunciarem um filme em 2013 que até hoje não foi lançado – talvez essa série o esteja substituindo.

E pra fechar, mais uma daquelas curiosidades ligadas de algum modo ao tema da animação, contudo sem utilidade alguma: sabiam que a Subaru, conhecida por seus veículos potentes e "inquebráveis", vendeu somente 1,100 unidades no Brasil em 2014? E olha que são números até razoáveis para uma marca cuja maior parte das vendas se concentra no Japão e Estados Unidos, porém já anunciaram que farão um investimento mais pesado por aqui a partir desse ano (imaginem comerciais com essas garotinhas mágicas na televisão, imaginem...).



**********

Jewelpet Magical Change
Formato: TV 
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Nobuhiro Kondo ("Nobunagun")
Gênero: Comédia / Fantasia
De onde saiu: Spin-off do anime de 2014, vindo de uma franquia multi-mídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Sétima temporada de "Jewelpet", anime de 2009 vindo de uma franquia iniciada em 2008 com brinquedos e que depois se expandiu para outros produtos como jogos, livros e itens diversos, resultado de uma parceria entre as empresas Sanrio (focada na criação de produtos "kawaii", desde acessórios variados a material escolar, sendo ela a idealizadora da popular personagem "Hello Kitty") e Sega Sammy (fusão entre as empresas Sega e Sammy, mais voltada a jogos e entretenimento). Contando a história de um mundo mágico chamado "Jewel Land" onde humanos e criaturas conhecidas como "Jewelpets" vivem lado a lado, a série animada é um "mahou shoujo" voltado às crianças - mas é claro que atrai junto um bom público crescidinho, né.

Cada temporada possui uma protagonista diferente (a única personagem fixa é a mascote Ruby), seja ela uma garota que já é do mundo mágico, ou então uma habitante da Terra que de algum modo se envolve com magia e criaturinhas fofas; a diferença em "Jewelpet Magical Change" é que dessa vez Ruby e outras jewelpets serão as novas heroínas ao se transformarem em garotas para resgatar um item que caiu no mundo dos humanos. Além disso, sempre há mudanças na equipe principal de produção, agora com Nobuhiro Kondo ("Nobunagun") na direção, Masahiro Yokotani ("Hataraku Maou-sama", "Beelzebub") na supervisão de roteiros e Hiroki Harada ("Sasami-san@Ganbaranai") com Tomo Miyakawa (toda a franquia de "Jewelpet") no "character design"; porém, o estranho é que foi informado ainda apenas a entrada do Studio Deen como responsável na animação, sendo que em todas as séries anteriores havia o Studio Comet nessa função. 

**********

Kaitou Joker 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 06/04
Estúdio: Shin-Ei Animation
Diretor: Yukiyo Teramoto (alguns filmes de "Doraemon")
Gênero: Aventura / Comédia / Suspense
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 19 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Kaitou Joker", anime adaptado de um mangá infantil, em publicação desde 2008, que tem como protagonista um jovem ladrão capaz de roubar qualquer item de valor com seus diversos truques que desafiam a lógica. A equipe de produção segue a mesma, com Yukiyo Teramoto na direçãoDai Sato ("Eureka Seven") na supervisão de roteiros e Miho Shimogasa ("Ultra Maniac", "Demashitaa! Powerpuff Girls Z") no "character design".


**********
Kekkai Sensen
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Bones
Diretor: Rie Matsumoto ("Kyousogiga")
Gênero: Ação / Aventura / Fantasia
De onde saiu: Mangá, 9 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Sempre gosto de deixar claro nos comentários quando um anime ou mangá me interessa não pela sua qualidade no geral, mas apenas por um ou outro detalhe pequeno, ou algum tema em específico, que sozinho não seria o suficiente para eu sair por aí o recomendando - e do mesmo modo tento deixar evidente quando uma obra não me satisfaz por conta de seu estilo, não significando que a achei ruim, horrível. Digo isso porque "Kekkai Sensen" é baseado em um mangá publicado regularmente desde 2009 por Yasuhiro Nightow, criador da famosa obra "Trigun" e do anime original "Gungrave", duas animações que eu confesso ter pouca estima. É uma questão puramente pessoal, pois geralmente não me apego por histórias de ação tão absurdas com personagens tão caricatos e poderosos - e olha que quem fala isso é alguém que gosta de "Durarara!!", por exemplo, mas aí já entra na equação o fato de me encantar mais por seus diálogos engraçadinhos e pseudos-intelectuais, a trilha sonora fantástica de Yoshimori Makoto, a narração milimetricamente quebradiça...

Enfim, desculpem-me pelo desvio. No caso de "Kekkai Sensen" teremos como cenário a cidade de Nova York... Ou, ao menos, o lugar onde se localizava, pois três anos atrás ela foi destruída totalmente com o surgimento de um portal que ligou esse mundo a outro sobrenatural, trazendo consigo diversas criaturas bizarras que formaram "O Terreno de Jerusalém" (Jerusalem's Lot na tradução em inglês), uma cidade constantemente coberta por um nevoeiro. Em um local onde humanos, demônios e deuses coexistem o caos é permanente e a criminalidade chega a níveis extremos, e a história focará nas ações do "Libra", grupo formado por seres humanos dotados de superpoderes que tentam preservar a ordem desse pequeno mundo.

No único volume traduzido dos 9 publicados que pude ler é apresentado também o protagonista Leonardo Watch, um jovem que veio parar em Jerusalém contra sua vontade após um incidente e que agora busca respostas para resolver um problema pessoal. Nisso, acontece um mal entendido, ele se envolve com o "Libra", é revelado que Leonardo possui uma habilidade sobrenatural bastante útil - pra variar - e no fim o rapaz se junta ao grupo (composto, aliás, por uma lobisomem sádica, um mulherengo que cria espadas com seu próprio sangue e um cavalheiro cuja aparência e força lembram vagamente um Wolverine dentuço, dentre outros) imaginando que sua influência e poder lhe ajudarão a atingir seu objetivo. Enfrentarão inimigos estilosos e esquisitos, tipo esse no início da trama, terão aliados tão ou mais excêntricos ainda, serão causadores de muita ação e cenas destrutivas com um pouco de humor no meio, e é isso.

Num primeiro momento "Kekkai Sensen" segue à risca o estilo dos trabalhos mais conhecidos de Yasuhiro Nightow; e, que nem abordei no início do texto, é comum eu não me atrair para esse tipo de obra, e realmente não achei tanta graça no mangá, mas devo dizer que curti e me simpatizei com as sequências de ação e o cenário de fantasia urbana em torno de personagens tão apelativos. História? Bem, em 1 volume só me deparei com uma apresentação rápida sobre a cidade de nome sugestivo e frases um tanto indiretas e misteriosas sobre outros assuntos, então não tenho o que comentar desse trecho. Podemos, contudo, notar pelos trailers que no quesito animação o estúdio Bones virá com algo caprichado, o que é seu costume, e terá nessa produção o novato Rie Matsumoto como diretor ("Kyousougiga"), Kazunao Furuya na supervisão de roteiros, Toshihiro Kawamoto ("Cowboy Bebop", "Noragami") no "character design" e Taisei Iwasaki na trilha sonora, compositor debutante na indústria de animes, porém experiente na criação de trilhas para filmes e séries live-action.

**********

Kyoukai no Rinne (TV)
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Brain's Base
Diretor: Seiki Sugawara ("D-Frag!")
Gênero: Comédia / Romance
De onde saiu: Mangá, 23 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quando criança Sakura Mamiya desapareceu misteriosamente numa floresta atrás da casa de sua avó; após uma semana ela retornou sem nenhum ferimento nem lembranças do que lhe aconteceu, porém desde então tornou-se capaz de ver espíritos à sua volta. Hoje adolescente e mais acostumada com tal habilidade apesar de preferir se ver livre dela, Sakura tem sua rotina de estudante interrompida após conhecer Rokudou Rinne, um colega de classe que nunca apareceu nas aulas desde o início do ano e que tem como tarefa guiar para a reencarnação os espíritos cujos arrependimentos ainda os prendem na Terra.

Publicado na Weekly Shounen Sunday ("Arata Kangatari", "Hayate no Gotoku") desde 2009 por Rumiko Takahashi, autora de obras famosíssimas como "Ranma 1/2", "InuYasha", "Urusei Yatsura" e "Maison Ikkoku", devo-lhes revelar aqui algo um tanto "constrangedor": nunca vi nada por inteiro, seja mangá ou seus respectivos animes, de Rumiko! Pronto, falei! No máximo assisti metade de "Ranma 1/2" na época da PlayTV como canal aberto e episódios esporádicos e picotados de "InuYasha" na Globo. Até por isso, nem tenho como comparar "Kyoukai no Rinne" com seus trabalhos anteriores, e assim concordar ou não com os comentários gerais de fãs que dizem ser essa uma das obras mais fracas de sua autoria.

E realmente, ao menos para um viajante de primeira viagem no "mundo de Rumiko" cheio de histórias geralmente envolvendo romance, comédia e elementos sobrenaturais com elencos enormes, "Kyoukai no Rinne" foi uma apresentação bem apagada, que só nos últimos capítulos dos 4 volumes que li de seu mangá é que começou a se tornar um pouquinho mais interessante - e isso graças apenas pela comédia. Seguindo um estilo de tramas fechadas e quase que independentes, os volumes iniciais mostraram uma série de "casos" onde o meio shinigami, meio humano Rinne atendeu pedidos de ajuda (e praticamente todos vindos de colegas da sua escola...) daqueles que passavam por algum problema cuja causa sempre era um espírito preso na Terra. Uma aluna recebendo ligações misteriosas - e mal educadas! - de alguém no celular mesmo quando o aparelho estivesse desligado; um guerreiro, morto há muito tempo, obcecado por uma garota que ele pensa ser a amada com quem iria se casar; o trauma de uma estudante que anos atrás morreu afogada na piscina da escola e que hoje fica atrapalhando e dando susto em todos que nadem nela... Com o auxílio (ou mais o apoio moral) de Sakura, um espírito neko baixinho e bonitinho chamado Rokumon e diversas bugigangas com finalidades diversas que compensam suas limitações por não ser um shinigami puro - além das oferendas dadas pelos alunos que são essenciais para alguém tão pobre, pobríssimo, que chega a chorar de alegria ao ganhar um uniforme usado... - Rinne vai investigando e resolvendo as pendências desses espíritos para que eles possam, enfim, seguir para o outro mundo. Foram historinhas de argumentos e desenvolvimentos bastante simples, tolinhos, da qual pra mim a maioria só não foi um marasmo devido ao ocasional bom humor entre os personagens, fosse por conta do comportamento de Rinne em relação a dinheiro (assim, estamos falando de um rapaz que acha 500 ienes uma fortuna) e por às vezes ele ser meio desligado, ou então o próprio desenrolar cômico de alguns desses casos mesmo quando pareciam se tratar de algo mais sério – o do guerreiro apaixonado é um ótimo exemplo, se assemelhando ao tipo de comédia que presenciei em "Ranma 1/2".

Afora isso, nas pausas entre um "trabalho" e outro dos protagonistas, permanece esse jeito ingênuo e engraçadinho com a rotina escolar dos dois, intromissões de rivais ou conhecidos de Rinne tão ou mais atrapalhados e estranhos quanto ele, um pseudo romance que depois vira um triângulo amoroso sem forma definida e tramas que vão revelando um pouco da história de cada personagem. Para um mangá que possui hoje 23 volumes é possível que o cenário e sua pegada tenha se modificado consideravelmente (ou não, ouço muitas reclamações dos fãs de Rumiko sobre como suas obras são enroladas), e para um anime que já está definido que terá 25 episódios é provável que lá pela metade ele comece a esboçar um enredo central, saindo levemente desse formato quase que episódico - porém, eu também não iria ficar lendo o mangá até chegar a esse ponto, principalmente porque nesse caso não me apeguei a esse estilo tão ingênuo. Ou para ser mais exato, não pela ingenuidade em si, mas a grande fraqueza das primeiras histórias foi o que de fato me desmotivou a continuar.

Com Seiki Sugawara a frente de sua segunda animação, a equipe principal de produção tem ainda o trio feminino Michiko Yokote ("Genshiken", "Shirobako", "xxxHolic) na supervisão de roteiros e Akimitsu Honma na trilha sonora.


**********

Lupin III (2015) (ADIADO)
Formato: TV
Estúdio: Telecom Animation Film
Diretor: Kazuhide Tomonaga ("Buta")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 1984, vindo de um mangá composto por 14 volumes (o primeiro).
Site oficial: Clique aqui

Quarta temporada de "Lupin III", anime que de 1971 a 1984 teve 3 séries de TV baseadas no mangá de onde surgiu Arsene Lupin III, simplesmente o ladrão mais carismático da história da animação japonesa - criado pelo mangaká Monkey Punch, tal personagem é inspirado em outro ladrão fictício do qual esse seria descendente, o Arséne Lupin, que no início do século XX teve diversas histórias publicadas pelo escritor francês Maurice Leblanc. Durante esses mais de 30 anos sem ter sua própria série de TV - não entra na conta o belíssimo anime de 2012 "Lupin the Third: Mine Fujiko to Iu Onna", que tem como protagonista um personagem diferente -, o ladrão com cara de macaco apareceu em dezenas de especiais e 7 filmes, sendo um deles até ao lado da estrela de outra icônica franquia, o Edogawa Conan de "Detective Conan".

Quanto a sua nova empreitada, sabe-se pouca coisa, como por exemplo que Lupin surgirá com um paletó de cor diferente, dessa vez azul (detalhe inútil, mas a cada série de TV mudam a cor de sua vestimenta, que já foi verde, vermelha e uma não muito bem lembrada rosa), e que a trama se passará nos países da Itália e San Marino - e inclusive os italianos serão os primeiros a verem a animação. Além disso, o diretor-chefe Kazuhide Tomonaga revelou que seu propósito é voltar às origens da franquia, quando esta era destinada ao público adulto, se distanciando da pegada meio infantil que as histórias de Lupin adquiriram nas últimas séries, criando nisso um cenário mais sério e realista, porém sem deixar de dar uma exagerada em alguns momentos. Junto a isso, ele também afirma que gostaria de desenvolver um Lupin de maior complexidade, onde se mesclem o jeitão cômico e brincalhão com um lado mais grave e maduro.

A ser animado pelo pequeno Telecom Animation Film, estúdio que nos últimos anos produziu dois especiais e um filme da franquia, Kazuhide terá Yuichiro Yano (as duas temporadas de "Moyashimon") como diretor-assistente, e quaisquer novas informações sobre a equipe ou o enredo do anime eu as adicionarei aqui assim que forem divulgadas.


**********

Mahou Shoujo Lyrical Nanoha ViVid
Formato: TV
Data de estreia: 03/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Yuuki Itoh
Gênero: Ação / Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2007 e baseado em um mangá com atuais 13 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quarta temporada de "Mahou Shoujo Lyrical Nanoha", franquia "mahou shoujo" que teve início numa animação original dirigida por Akiyuki Shinbou em 2004 no estúdio Seven Arcs antes de ele começar a trabalhar na Shaft. Obtendo em seguida outras duas séries de TV e dois filmes dirigidos por Keizo Kuzakawa ("Dog Days"), essa continuação se baseará em um dos vários mangás paralelos que a franquia gerou, precisamente o "Mahou Shoujo Lyrical Nanoha ViVid", que desde 2009 teve 13 volumes publicados e cuja história se passa 4 anos após os eventos da terceira temporada - não conheço nada a respeito, porém fãs dizem que se trata de um trabalho menos centrado no enredo e mais focado no "slice-of-life".

Dessa vez a ser produzido pelo estúdio A-1 Pictures, o diretor agora será o estreante Yuuki Itoh com o igualmente novato Naruo Kobayashi nos roteiros, e por fim Masaaki Yamano no "character design", substituindo Yasuhiro Okuda. Além da nova série de TV, um filme intitulado "Mahou Shoujo Lyrical Nanoha: The Movie 3rd Reflection", com material todo original, foi anunciado no início de 2013 para ser lançado em 2014 pelo Seven Arcs, e... Nada de informações novas até agora, mas o mais provável é que o projeto tenha sido por ora adiado devido a esse anime.


**********

Mikagura Gakuen Kumikyoku
Formato: TV
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Dogakobo
Diretor: Tarou Iwasaki ("Isshuukan Friends", "Ryoko's Case File")
Gênero: Ação / Comédia
De onde saiu: Vídeos musicais.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Igual "Mekakucity Actors" há exatamente um ano, "Mikagura Gakuen Kumikyouku" tem como fonte original uma série de músicas cantadas pelo sintetizador de voz Vocaloid, dessa vez criadas por um compositor conhecido pelo apelido de Last Note. Em 2013 ele passou a publicar uma versão tanto em light novel, quanto em mangá dessas suas músicas, cujas histórias também lembram bastante a produção do SHAFT: aqui, a protagonista Eruna Ichinomiya consegue ser aceita na escola privada Mikagura Gakuen Kumikyoku, isso após tê-la como opção somente por conta dos belos uniformes que as garotas usam. Inicialmente despreocupada, Eruna logo descobre que nesse local só é permitida a existência de clubes culturais, e que estes devem lutar entre si em batalhas repletas de poderes especiais a fim de obterem privilégios - pra piorar, a garota obviamente se torna representante de um desses clubes, apesar de ter acabado de chegar na escola.

Cliquem aqui, aqui, aqui, aqui e aqui para verem o clip de cinco músicas desse projeto, cada qual contando a história de um personagem diferente.

É outro anime vindo de um material sem traduções disponíveis, com exceção do primeiro capítulo da versão mangá que foi nada além de um prólogo do que acabei de contar - logo não dá para falar tanto a seu respeito a não ser trivialidades, como por exemplo a de que teremos nesse anime uma protagonista indubitavelmente lésbica, detalhe que deve se mostrar suficiente para atrair alguns de vocês... Fora isso, fisgando informações aqui e ali, só deu mesmo para ter uma ideia melhor dessas tais batalhas entre clubes que, indo desde o de arranjo de flores, pesquisa de mangás, drama, astronomia, caligrafia, arte ou simplesmente o clube dos sem clube (...), todos são obrigados a participar em intervalos regulares de torneios julgados por professores cujos resultados definem não unicamente o status social dos melhores colocados, mas ainda problemas como distribuição de comida e direitos e deveres de cada clube. Nisso, chegamos a algo mais perto de "Baka to Test to Shoukanjuu", anime de duas temporadas baseado numa light novel onde os confrontos eram entre salas de aulas inteiras, nas quais os alunos usavam avatares que baseavam sua força nas notas obtidas por seus donos em determinadas matérias - e dessa forma os maiores vencedores ficavam na série principal (A) com salas de estudo mais modernas e inúmeros privilégios, que diminuíam até chegar ao último nível, a sala F (lar dos protagonistas), lugar tão precário que as carteiras eram caixas de papelão e ter giz para usar na lousa já era um luxo...

Ou seja, uma junção do tema de "Baka to Test" com a questionável fonte do fracassado "Mekakucity Actors" que, ao menos para quem está escrevendo esse texto, não é nada atrativo visto que ele não gostou de nenhum desses animes... Só mesmo a presença da agradável e colorida animação do estúdio Dogakobo me serve de algum atrativo, junto a uma equipe razoável que tem Masahiro Yokotani ("Hataraku Maou-sama", "Free!") na supervisão de roteiros e Yoshiaki Fujisawa ("Love Live! School Idol Project", "Uchouten Kazoku") na trilha sonora.


**********

Nagato Yuki-chan no Shoushitsu
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Satelight
Diretor: Jun'ichi Wada
Gênero: Comédia / Romance
De onde saiu: Spin-off do anime de 2009, e vindo de um mangá próprio com atuais 7 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Spin-off de "Suzumiya Haruhi no Yuutsu", anime vindo de uma light novel com 11 volumes publicados desde 2003 e que, através do estúdio Kyoto Animation, foi adaptado em duas séries de TV e um filme. "Nagato Yuki-chan no Shoushitsu", por sua vez, tem como fonte um mangá publicado desde 2009, no qual o cenário é o universo paralelo onde a protagonista Haruhi Suzumiya nunca chegou a formar o clube "Brigada SOS" (algo que ocorre no filme e no quarto volume da light novel). Dessa forma, teremos como heroína Nagato Yuki, e não na sua versão alienígena sem emoções, mas sim como uma garota tímida e hesitante que é presidente do clube de literatura e que se encontra apaixonada pelo amigo Kyon, porém tem imensa dificuldade em deixar isso claro para ele - esse mangá, aliás, é do mesmo autor, Puyo, da série em tirinhas "Suzumiya Haruhi-chan no Yuuutsu", que também teve um anime de episódios curtos produzido pelo Kyoto Animation em 2009.

Agora, Satelight? Pois é, KyoAni está fora, e por um motivo simples: o estúdio Satelight é parte da empresa operadora de pachinkos Sankyo Group, que em 2014 lançou uma máquina com o tema (e animações feitas pelo KyoAni, curiosamente) de "Suzumiya Haruhi no Yuutsu" - clique aqui para verem um vídeo dela em funcionamento. O anime da Yuki apenas faz parte de uma série de ações para promover esse produto, e logo tem sentido preferir usar seu próprio estúdio para produzir isso do que pagar pelo trabalho de um terceiro. Se tal mudança poderia causar anos atrás uma enxurrada de lamentações pela internet, tamanha a popularidade que essa franquia alcançou, o que pude notar hoje é que, na verdade... Não tem sido dada tanta importância assim, principalmente por ser um spin-off. Ainda pude ler aqui e ali alguns saudosistas e viúvos desaprovando a presença do Satelight e desejando ver mais da obra original nas mãos do Kyoto Animation, contudo a maioria parece ter desencanado após o longo e cansativo arco "Endless Eight" da segunda temporada e o fato de que não é possível fazer uma continuação se a light novel em si está há quase 4 anos sem novos volumes, inviabilizando desse modo o interesse de sua editora, a Kadokawa Shoten, em promovê-la - ela mal teria retorno com a adaptação de uma obra parada há tanto tempo, enquanto que o estúdio que a editora financiasse, KyoAni, Satelight ou qual fosse, sairia, com certeza, lucrando muito nisso (somente 4 dos 11 volumes foram animados, então a questão de material disponível não é problema aqui).

Aliás, para sanar a dúvida que alguns devem ter: não há necessidade em ver as séries de TV anteriores, ou o filme, para assistir esse anime. Claro, "Nagato Yuki-chan no Shoushitsu" até possui várias piadas e diálogos que brincam e fazem referência com o universo original da obra, mas isso é antes de tudo uma espécie de fanservice para os fãs que não interfere em nada numa historinha que será unicamente um "slice-of-life de" clube com uma pitada doce de comédia romântica. Na Yuki isso é gritante, mas, por ser o mangá de autoria de outra pessoa, mesmo os outros personagens virão com personalidades e aparência distintas; Haruhi continua um tanto mandona e hiperativa, mas em um nível bem menor e aceitável do que a versão que alimentou tanto ódio de vários que viram os animes anteriores; Kyon ainda tem suas habituais réplicas inteligentes, mas no geral se mostra um personagem mais brincalhão e imaturo; e o restante do elenco também possui sutis diferenças, e todos, como podem notar pela imagem acima, estão com um visual mais jovem e singelo por se tratar de um desenhista com estilo diferente. Nesse cenário flagraremos uma afobada Yuki tentando ser mais confiante de si mesma e se esforçando para se confessar um dia ao Kyon, tendo a ajuda (ou a intromissão nos piores momentos) de seus amigos nesse processo, isso enquanto se vê a rotina de um clube de literatura que não condiz nada com o seu tema. As trapalhadas de uma garota que se "autossabota" constantemente ao negar seus sentimentos, os delírios de uma menina que não deixa de pensar no amado nem por um segundo, o martírio de uma adolescente para conseguir entregar um chocolate caseiro no Dia dos Namorados ao rapaz que ela gosta - enfim, uma Nagato Yuki de eternas bochechas vermelhas e gaguejante sendo retratada através de caretas e traços fofos. Não é o "Suzumiya Haruhi no Yuutsu" da forma que muitos de vocês conhecem, mas ainda assim não deixa de ter seu charme e graça.

Com um diretor debutante e com poucos trabalhos no currículo, Jun'ichi Wada terá o auxílio da veterana Touko Machida ("Hamatora", "Lucky Star") na supervisão de roteiros, Tatsuya Kato ("Free!", "Gingitsune", "Mirai Nikki") na trilha sonora e Ikuko Ito no "character design".


**********

Nar Doma
Formato: TV 
Data de estreia: 16/05
Estúdio: Kachidoki Studio
Diretor: Takeshi Onaka ("Nyanpuku Nyaruma")
Gênero: Comédia / Shounen-ai
De onde saiu: Mangá, 1 volume, em andamento (versão física).
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

E o prêmio de obra com pior animação vai para...

Temos aqui mais um anime originado de mangá online; publicado desde 2013 no Comico (e desde janeiro de 2015 em forma física), site japonês que disponibiliza mangás de graça"Nar Doma" se intitula como uma "comédia gag heterodoxa surreal" onde os protagonistas são o bonitão, narcisista, lolicon e melhor companheiro de um espelho Hagito, e o loiro, masoquista e teimoso Kei. Ainda segundo sinopses oficiais, ao redor desses dois há também outros sujeitos peculiares, que vão desde a extremamente forte, porém feminina, Totono, o demasiado estiloso e trabalhador Saitou e o absurdamente negativista Roku - tem um rapaz normal no meio disso tudo, mas na verdade mesmo ele não consegue ser tão normal assim...

É classificado como "shounen-ai", porém, mesmo em japonês, uma olhada rápida em alguns capítulos (clique aqui para ir direto a página dele no site Comico) foi suficiente para perceber que o humor fala bem mais alto do que qualquer esboço de romance - nesse caso seria entre os dois protagonistas citados acima, contudo somente Kei demonstra realmente algum sentimento na maior parte do tempo. A ser produzido em flash pelo Kachidoki Studio, "Nar Doma" é integrante de um pacote de cinco obras que a desenvolvedora de apps para smartphones NHN PlayArt (dona do Comico, que também possui um app de leitura gratuito para esses aparelhos) anunciou mês passado. Um deles será adicionado daqui a pouco, "Super Short Comics", enquanto que os outros três, "Mamokun", "Nambaka" e "ReLife" - esse último o único que parece ser de fato bom - estrearão em temporadas futuras.

**********

Ninja Slayer From Animation
Formato: ONA (12 min. por episódio)
Data de estreia: 16/04
Estúdio: Trigger
Diretor: Akira Amemiya ("Inferno Cop")
Gênero: Ação / Sci-fi
De onde saiu: Novel, 8 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Mentiras, ninjas e animação ultra estilizada.

Na cidade futurística de Neo Saitama diversos ninjas são ressuscitados após muitos anos e começam uma guera entre si, tendo como uma de suas vítimas a família de Fujikido Kenji, um trabalhador comum que estando à beira da morte é possuído pela alma de um ninja. Ficando agora conhecido como Ninja Slayer, ele buscará vingança pela morte da esposa e filhos, enquanto que sua outra metade anseia pela destruição de todos os ninjas de má índole.

"Ninja Slayer From Animation" tem se vendido como a adaptação de uma novel americana criada por dois indivíduos chamados Bradley Bond e Philip Ninj@ Morzez, que autorizaram via Twitter sua tradução em japonês em nome de Honda Yu e Sugi Leika; em seguida, postada pedaço a pedaço em irritantes e curtas mensagens de 144 caracteres nessa rede social, a história teria ganho tal popularidade que a editora japonesa Enterbrain passou a publicar uma cópia física dela em 2012, e desde então já houveram também três adaptações em mangás e até um Drama CD.

Agora, os fatos reais:

Vejam esse trailer (não coloquei lá em cima por não haver quase nada da animação em si) e percebam que, na verdade, não há novel ou escritores americanos algum e os artistas originais são os dois japoneses que citei antes. Pela internet ainda é possível achar supostas versões do texto original em inglês, repletas de erros de ortografia e concordância - o mesmo ocorre nos vídeos da animação. Em suma, ao forjar uma origem estrangeira, "Ninja Slayer" não passa de uma grande "pegadinha" (ou trollagem, se quiserem usar o internetês) que parece ter como propósito satirizar a visão que obras americanas possuem sobre ninjas em geral, e para isso recorre ainda, de forma consciente, a diversos clichês e lugares-comuns. Com uma animação de baixíssimo orçamento a ser exibida via internet - porém ano que vem ela passará na televisão - e com direção e roteiros a cargo de Akira Amemiyao mesmo que comandou o ONA "revolucionário" e trash "Inferno Cop", sensação no mundo virtual que foi a primeira obra produzida pelo aclamado estúdio Trigger, "Ninja Slayer From Animation" sugere que seguirá os mesmos passos do drama do policial vindo do inferno, apresentando algo absurdamente forçado e cartunesco em episódios possivelmente curtos. Poderá ser ruim, deverá ser ruim, mas um ruim honrosamente proposital que, no fim, fica até bom.

Aliás, cliquem aqui caso queiram ter uma noção maior do que afinal é "Inferno Cop".

**********

Nisekoi:
Formato: TV
Data de estreia: 10/04
Estúdio: Shaft
Diretor: Akiyuki Shinbou ("Bakemonogatari", "Mahou Shoujo Madoka Magica", "Sayonaya Zetsubou Sensei")
Gênero: Comédia / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 16 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Nisekoi", comédia romântica adaptada de um mangá shounen que já possui hoje 16 volumes publicados. O faz tudo Akiyuki Shinbou continua no cargo de diretor-chefe, com Naoyuki Tatsuwa de diretor-assistente, Tomoki Kikuya ("Hidamari Sketch") na trilha sonora e Nobuhiro Sugiyama ("ef: a tale of memories") no "character design".

**********


Nyuru Nyuru!! Kakusen-kun 2nd Season
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 06/04
Estúdio: DLE
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, uma produção original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Nyuru Nyuru!! Kakusen-kun", anime curto que tem como protagonistas os "Kakusen", pequenas criaturas que vivem nos poros da pele de seres humanos.

O estúdio DLE, experiente em animação em flash, continuará produzindo o anime, mas por ora não foi confirmada a equipe por trás dele e nem se os dubladores populares que estiveram na primeira série, nesse caso Fukuyama Jun e Haruka Tomatsu, reprisarão seus papéis já que nas artes de divulgação aparecem novos personagens e somente um dos antigos, porém não os deles.

**********

Omakase Mamitasu
Formato: TV (10 min. por episódio)
Data de estreia: 31/03
Estúdio: Oriental Light and Magic
Diretor: Mitsuo Hashimoto ("Bakugan Battle Brawlers", "Beyblade G Revolution", "Initial D: Fifth Stage")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Livro.

Publicado em 2014, "Neko no Ashiato" é um livro autobiográfico escrito pela atriz, cantora, dubladora e ilustradora de 29 anos Shoko Nakagawa; nele, além de falar sobre a sua vida e a de sua família, dentre eles o pai Katsuhiko Nakagawa - famoso cantor dos anos 80 -, Shoko também reserva um bom espaço para... Os seus gatos, muitos gatos. O anime "Omakase Mamitsu" terá como protagonistas dez dos felinos que ela cuida atualmente, e que surgirão aqui numa versão mais antropomorfizada.

Previsto a ser exibido durante um ano no canal estatal NHK em episódios de 10 minutos cada, a sinopse oficial descreve, caso isso tenha alguma importância, que o seu gatinho favorito se chama Mamitsu, que é quem dá nome ao anime, e veremos uma espécie de comédia pastelão retratando o dia a dia deles ao lado de sua dona (nesse caso como criança e com o nome de Pokotan) e o restante da família Nakagawa, que ao que parece ficará em segundo plano. Curiosamente, Shoko Nakagawa já teve sua vida transformada em um mangá publicado pela tradicional revista shoujo Nakayoshi ("Cardcaptor Sakura", "Bishoujo Senshi Sailor Moon"). 

**********

Ore Monogatari!!
Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: Madhouse
Diretor: Morio Asaka ("Chihayafuru", "Chobits", "Nana")
Gênero: Comédia / Romance
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Porque os brutos também amam.

Peso: 120 kg. Altura: 2 metros. Apesar de seu corpanzil e aparência intimidadora, Gouda Takeo é um sensível estudante que acabou de chegar no ensino médio e que gasta seus dias de maneira pacífica ao lado de Sunakawa, fiel amigo de infância imensamente popular com o sexo oposto. Ele, por sua vez, não se dá bem com as garotas e tampouco possui alguma experiência em relacionamentos; contudo, ao salvar uma estudante, chamada Yamato, de um molestador no trem, Takeo mais uma vez acaba se apaixonando, e quem sabe nessa primavera as coisas tomem um rumo diferente do normal...

Adaptação de mais um mangá da revista Bessatsu Margaret ("Ao Haru Ride", "Ookami Shoujo to Kuro Ouji"), e vencedor na categoria shoujo do prêmio "Kodansha Manga Award" em 2013, "Ore Monogatari!!" não só chama a atenção logo de cara por possuir um protagonista que foge do estereótipo masculino habitual em romances voltados a esse público - no máximo, tal estilo de personagem é secundário ou terciário em comédias escolares -, como também surpreende no próprio desenrolar inicial de sua história. Desculpem-me pelo spoil apesar de ser apenas do primeiro capítulo (um extenso primeiro capítulo de mais de 100 páginas, e para ser preciso um one-shot que só depois, pela boa recepção, se tornaria série), porém, ao nos ser apresentada a longa e curiosa amizade entre dois rapazes de personalidades tão adversas, nesse caso um grandalhão sentimental que sempre é mal interpretado e considerado suspeito pelos outros, e um bishounen insensível que não se interessa por nenhuma das garotas que se confessam para ele, além de surgir em cena uma menina de inocência tão grande quanto a altura de Takeo, o que se vê em seguida é uma sequência de mal entendidos bem típica em romances juvenis, no qual o protagonista meio desligado imagina que Yamato na realidade gosta de seu amigo (algo que sempre foi rotineiro com suas paixonites), e dessa forma tenta ajudar e empurra-la para Sunakawa sem perceber o que é óbvio para todos: que Yamato na verdade gosta dele. Sorte sua por possuir um amigo que todo protagonista meio "obtuso" adoraria ter ao seu lado nessas horas, pois, com sua intervenção, ao final desse capítulo Yamato e Takeo ficam cientes dos sentimentos que um tem pelo outro e, sem delongas, começam a namorar.

Um namoro de imensurável ingenuidade e pureza, aliás. E um namoro de verdade e sem dramalhões intermináveis entre um casal todo complexado (não estou cutucando "Ookami Shoujo" ou "Ao Haru Ride", que isso!)

De fato, "Ore Monogatari!!" será uma comediazinha romântica bastante radiante, calorosa e doce para quem não se importar em ver um casal tão inocente e bobinho, onde é possível presenciar tanto bochechas se avermelharem apenas porque o garoto tirou a camisa ao lado da namorada (e isso mesmo ele tendo uma regata embaixo!), quanto um pequeno mal entendido entre os dois por conta de em certo momento Takeo declarar que não tocará um dedo nela enquanto não forem adultos (oohh!), e essa ficar preocupada e sentir-se que está enganando Takeo porque... Tem vergonha de, após ouvir isso dele, confessar que gostaria de andar de mãos dadas e abraça-lo de vez em quando (ooohhh!) - e a confusão termina com eles, enfim, se dando as mãos pela primeira vez, ainda que se atrapalhando um pouco em um ato tão simples. A esse ponto julgo que muitos já devem ter decidido se verão ou não tal anime devido a essa abordagem: no meu caso, lhes revelo que li 3 volumes do mangá com um baita sorriso no rosto, mesclado a um sentimento de nostalgia, nem por sentir falta da época de estudante, mas sim desse período ingênuo de descobertas e pela incrível sinceridade nos sentimentos desses dois. Três volumes lidos, a propósito, onde ocorrem solavancos tão pequeninos na relação de Takeo e Yamato, ofuscados por várias declarações, provas de amor e conversas supérfluas de apaixonados, coraçõezinhos aqui e ali e mensagens de textos repletas de emoticons, que admito às vezes ter ficado levemente "enjoado" de tanta doçura e estranhado a falta de algum evento que abalasse de maneira significativa esse relacionamento, ao mesmo tempo que torcia, no início de cada capítulo, para não surgir nada do tipo justamente por não querer ver dois personagens tão adoráveis e puros sofrer sem necessidade. Ou seja, no mínimo metade do anime transcorrerá sem graves transtornos, apenas "alarmes falsos" em alguns instantes, como flagrar as amigas de Yamato falarem mal de seu namorado, essa sentir uma leve inveja e se distanciar um pouco dele após conhecer uma garota que Takeo chegou a gostar antes ou, então, a mesma ficar magoada depois que ele a pede para não mais espera-lo terminar as atividades de um clube, sendo que a razão por trás disso era que Takeo tinha receio do que poderia acontecer com ela ao permanecer sozinha na rua durante a noite - esses eventos não são tão diferentes do que se vê em outras histórias do tipo; a questão mesmo é que, ao menos no mangá, eles não se tornam bolas de neve incontroláveis, se resolvendo de modo rápido e sensato, e geralmente no mesmo capítulo que se iniciou.

Por um lado, um homenzarrão de dois metros de altura, literalmente uma montanha para seus adversários, capaz de salvar pessoas durante um incêndio e de até proteger a namorada do ataque de um javali - e de mosquitos - ao se perderem numa floresta... E, por outro lado, um jovem estudante tão inexperiente no amor que pede dicas de lugares para encontros ao melhor amigo e inclusive o força (o que o desespero não faz...) a realizar testes de beijo com ele - mas isso tudo, fique claro, é em prol de uma menina que é de uma simplicidade e fofura tão grandes que chega ao ponto de, em seu aniversário, só pedir envergonhada que eles fiquem juntos o dia inteiro. Nem ouso dizer que "Ore Monogatari!!" será o romance água com açúcar da temporada, pois em sua dosagem ele tem muito mais o segundo do que o primeiro. E como tal, acompanhar as descobertas e o desenvolver de um casal tão casto deverá ser um compreensível martírio para alguns, enquanto que outros sentirão uma leve invejinha desse relacionamento enquanto torcem pelo bem estar deles.

Previsto para ter 24 episódios nas mãos do estúdio Madhouse, que vá saber o motivo de ter dado uma pausa com as adaptações de light novels (e isso após finalmente começarem a render alguns frutos), a equipe de produção contará com um nome de peso que é Morio Asaka na direção, cuja maioria dos trabalhos abordam romances mais maduros, tais como "Nana" e "Chihayafuru". Junto a ele, Natsuko Takahashi ("Tokyo Magnitude 8.0") cuidará da supervisão de roteiros, o grupo instrumental S.E.N.S ("xxxHolic", "Kimi ni Todoke") será responsável pela trilha sonora e Kunihiko Hamada ("Nana", Chihayafuru") fará o "character design".


**********

Owari no Seraph
Formato: TV 
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Wit Studio
Diretor: Daisuke Tokudo
Gênero: Ação / Drama / Fantasia
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Em certo dia, um vírus começou a se espalhar por todo o mundo, supostamente matando qualquer pessoa que tivesse acima de 13 anos de idade, enquanto que ao mesmo tempo vampiros surgiram das profundezas da Terra e dominaram os humanos. O protagonista, Yuuichirou Hyakuya, faz parte de um grupo de órfãos que os vampiros mantêm vivos em cativeiro em troca de sangue; junto ao seu amigo Mikaela, os dois planejam escapar levando consigo as demais crianças, porém terminam por cair numa armadilha e todos, com exceção do próprio Hyakuya, acabam morrendo.

Uma vez do lado de fora, o garoto percebe que o mundo não está assim tão inóspito como imaginava, e logo em seguida conhece Guren Ichinose, líder da "Moon Demon Company", uma unidade de extermínio da "Japanese Imperial Demon Army". Sendo-lhe revelado que os humanos, apesar de terem sido reduzidos a um décimo de sua população original, ainda resistem aos ataques de vampiros e de criaturas bizarras que começaram a surgir após a propagação do vírus, Hyakuya decide tornar-se um membro do grupo a fim de vingar a morte de seus amigos.

Publicado desde 2012 na revista mensal Jump Square ("Ao no Exorcist", "D.Gray-man"), "Owari no Seraph" é de autoria de Takaya Kagami, escritor de "Densetsu no Yuusha no Densetsu" e "Itsuka Tenma no Kuro Usagi", duas light novels que tiveram suas versões animadas através do estúdio ZEXCS nos anos de 2010 e 2011, respectivamente. É um autor de razoável popularidade graças às suas histórias fantasiosas repletas de magia e ação, mas, confesso que, se considerar apenas os animes, ainda estou para entender o porquê de tanto barulho à sua volta...

Bem sei que os comentários unânimes de fãs das light novels alegam que as produções do ZEXCS foram muito mal resumidas e cheias de modificações, mas de todo modo isso não muda o fato de que me vi assistindo dois animes com personagens geralmente dotados de comportamentos irritantemente afetados e arrogantes, e pra piorar dentro de enredos enrolados com diversos temas que se debatiam entre si para ver quem se destacava mais. Com "Owari no Seraph", me baseando nos três volumes que aguentei ler de seu mangá, tive sensação semelhante; posso estar me precipitando porque a esse ponto ainda haviam vários fatos e segredos a serem revelados que poderiam mudar consideravelmente o rumo da obra, mas de início me deparei apenas com uma história na qual um protagonista chatinho e cabeça dura tenta a todo custo se tornar um matador de vampiros, mesmo que esteja longe de fazer isso sem trabalho em equipe, algo do qual não é muito afeiçoado. Vampiras lolis ou vampiros bishounen superpoderosos, armas especiais possuídas por demôniosenormes monstros "apocalípticos", cidades sitiadas e protegidas por grandes muros, inimigos com planos mirabolantes, segredos por trás da propagação do vírus ocorrida anos atrás, um passado sangrento atormentando constantemente um protagonista que parece ter sido vítima de questionáveis experimentos e que, hoje, vai aprendendo a fazer amizades e confiar mais nos outros enquanto deixa de ser menos teimoso e convencido, amigos de lados opostos, rivais do mesmo lado que apesar das diferenças e eternas brigas combatem o inimigo juntos... Enfim, esse é um apressado esboço geral do que poderá ser visto nessa primeira temporada (veja abaixo), vindo de alguém que, além de não ter gostado muito do mangá e desse modo não estar tão empolgado de falar a seu respeito, também sofre de "desânimo pós-postagem do guia", síndrome onde animes adicionados depois do guia ser publicado correm o risco de ganharem textos menos detalhados e expressivos do que se tivessem sido postados desde o início.

Bem, pelo menos estou sendo honesto com vocês.

Não gostei do mangá de "Owari no Seraph", seja pelos argumentos banais e artifícios manjados que me apresentou até onde li, seja pelos personagens cheios de si ou então um protagonista mala gritando a todo instante "Quero matar vampiros!" (só agora penso como teria sido interessante ter salvo e reunido todas as páginas com essa frase...); me foi uma leitura sem graça e bastante artificial, mas... Eis aqui um dos prováveis hits da temporada, que, com esses elementos tanto criticados por uma pessoa atualmente sem paciência para eles, mas que de todo modo são muito atraentes ao seu público alvo, mais uma produção de peso envolvendo o bom Wit Studio ("Shingeki no Kyojin") e uma equipe cujo maior nome é o popular - porém meio repetitivo ultimamente... - compositor Hiroyuki Sawano ("Shingeki no Kyojin", "Kill la Kill", "Aldnoah.Zero"), tem ótimas chances de fazer sucesso - e estão de tal maneira confiantes nisso que já há prevista uma segunda temporada a estrear ainda em outubro desse ano. Me perdoem pelo texto preguiçoso, porém espero que tenham ficado um pouco cientes do estilo que o anime terá, um anime que até pelos trailers se vende como uma "super produção" um tanto narcisista, com grandes sequências de ação, conflitos intensos e várias reviravoltas, nem que no fim ele apenas esteja reciclando mil e um argumentos mesclados em uma só história.


**********

Panpaka Pantsu
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: DLE
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original baseada em um personagem.
Site oficial: Clique aqui

A historinha de um porco cuja família tem como "missão" coletar roupas de baixo; essa é a ideia por trás de Panpaka, um personagem criado em 2008 que, dando uma olhada pela internet, deu para perceber que ele possui muitos produtos levando seu nome (inclusive cuecas estilosas, lógico) e ainda tem certa popularidade tanto em algumas regiões do Japão, quanto até na China - que tal ouvir em mandarim uma musiquinha sobre roupas de baixo protagonizada por um porquinho? 

O anime será produzido pelo DLE, estúdio experiente com animações em flash e que já lançou um filme desse personagem no ano passado.



**********


Formato: TV (15  min. por episódio)
Data de estreia: 29/04
Estúdio: Oriental Light and Magic / Production I.G
Diretor: Daiki Tomiyasu
Gênero: Drama / Slice-of-Life
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Animação original infantil e educativa feita em parceria com o canal NHK Educational (braço do canal NHK focado em programas de teor educativo), a história de "Pikaia!" tem início em um futuro onde a Terra já não é mais habitável e humanos começam a migrar para colônias espaciais. Nesse cenário, Vince a Hana são duas crianças que trabalham como pesquisadores no "Projeto Cambriano", e junto com uma criatura chamada Pikaia eles procuram pelo "Código Perdido", a chave para restaurar a Terra e fazê-la voltar ao seu estado original no Período Cambriano - tal período ocorreu há cerca de 500 milhões de anos e ficou marcado por uma grande e rápida evolução nos seres vivos do planeta, além de ter ocorrido, em seu final, a primeira extinção em massa (olha só, vocês nem vão ver esse anime, então ao menos já estão aprendendo algo aqui...).

Está definido que a animação será composta por 13 episódios, contudo apenas 4 deles serão exibidos na temporada de primavera, entre os dia 29 de abril e 4, 5 e 6 de maio; após isso, "Pikaia!" dará uma pausa e só retornará na temporada de verão. Na equipe de produção o principal nome é o de Jun'ichi Fujisaku, roteirista em animes como "Moshidora" e "Blood+".


**********

Plastic Memories
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Dogakobo
Diretor: Yoshiyuki Fujiwara ("GJ-bu", "Mikakunin de Shinkoukei")
Gênero: Drama / Romance / Sci-fi
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

A história tem início em um futuro não muito distante onde se tornou comum a convivência de androides entre humanos. Aqui, a fabricante SA Corp. criou os "Giftia", modelo com as características físicas e emotivas mais semelhantes às humanas já feito; todavia, devido a um problema em sua tecnologia, esses androides possuem um determinado tempo de serviço, e uma vez que ele se esgota... Bem, o resultado disso não é muito agradável.

Por conta disso, a SA Corp. criou um terminal com o intuito de recuperar os "Giftia" cujo tempo de serviço acabou. Nessa área o recém empregado Tsukasa Mizugaki forma dupla com a androide Isla para realizarem juntos tal serviço, porém...

Pois é, sinopses de animações originais (isso quando divulgam uma) geralmente são um tanto "incompletas", contudo toda a arte criada em volta e os trailers jogam uma clara sensação de que veremos aqui uma história romântica bastante sentimental. O discutível relacionamento entre um humano e uma androide, a informação de que esses "Giftia" só podem "viver" por no máximo 9 anos (segundo o site oficial), as frases "Remoção de memórias, esse é nosso trabalho" e "Uma história de amor nascida a partir de memórias digitais" que surgem em um dos trailers, dando a entender que essa "recuperação" envolve manipular e apagar lembranças que o androide teria de seu tempo de serviço, ou algo semelhante... É uma produção original, mas sua premissa e possível ar afetado praticamente o faz parecer algo saído de uma visual novel, sem falar nos vários animes que já abordaram tal tema à sua maneira - "Kowarekake no Orgel", "Chobits", "Eve no Jikan"... Se for causar alguma surpresa, será somente no modo como resolverá esse conflito.

Pela primeira vez o estúdio Dogakobo ("Love Lab", "Yuru Yuri", "Gekkan Shoujo Nozaki-kun") não pega um mangá ou visual novel para adaptar, porém sua característica animação colorida e de tons fortes permanece, tendo o prata da casa Yoshiyuki Fujiwara ("GJ-bu", "Mikakunin de Shinkoukei") como diretor, nome que acho adequado para um anime desses considerando seu estilo pacato nessa função. Além dele, Naotaka Hayashi é o criador dos roteiros originais (e olha só, ele é roteirista em sua maioria de visual novels, tais como "Steins;Gate" e "ChaoS HEAd") e okiura (desenhista da light novel de "IS: Infinite Stratos") é o autor do "character design" a ser adaptado por Chiaki Nakajima ("Love Lab").


**********

Pri Para 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Dongwoo Animation / Tatsunoko Productions
Diretor: Makoto Moriwaki ("Tantei Opera Milky Holmes")
Gênero: Comédia / Música / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, originado de um jogo arcade.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Pri Para", anime que mostra competições entre idols e que é baseado em um jogo arcade criado pela fabricante de brinquedos Takara Tomy - empresa que também foi autora de "Pretty Rhythm", franquia que de 2010 a 2014 gerou quatro séries de TV e é antecessora de "Pri Para".

A equipe segue a mesma, com Makoto Moriwaki na direção, Michiro Tsuchiya ("Major") na supervisão de roteiros e Shoji Hara no "character design". Além da série de TV, um filme intitulado "Pri Para Movie: Mi~nna Atsumare! Prism☆Tours" estreou nos cinemas japoneses no último dia 7.

**********


Punchline
Formato: TV
Data de estreia: 10/04
Estúdio: Mappa
Diretor: Yutaka Uemura ("Dantalian no Shoka")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Se alguém me dissesse 5 anos atrás que isso seria exibido no noitaminA eu riria da cara dessa pessoa...

"Uma vez que ele vir uma calcinha, o mundo será destruído?!", e "A história segue Yuuta Iridatsu, cujo espírito foi separado de seu corpo" são as únicas frases oficiais divulgadas quanto ao conteúdo dessa animação original a ser produzida pelo novato estúdio Mappa e exibida no bloco noitaminA - porém, tem ainda as brevíssimas apresentações no site oficial quanto ao quarteto principal de garotas que nos trailers acima recebem ousados closes de suas calcinhas, se resumindo a brilhante e avoada Mikatan, a NEET viciada em jogos online Hikiotani, a geniosa inventora Meika e a médium farsante Lovera. Mas pra que divulgar sinopses mais detalhadas quando vídeos promocionais com fanservice intenso e animação estilizada já dão conta de fisgar um bom público, não é?

Não cabe ficar aqui criticando muito (pois já não seria a primeira ou segunda vez que faria isso em um guia) em como o noitaminA da TV Fuji se desviou bastante do seu objetivo inicial quando estreou 10 anos atrás, em 2005; antes destinado a animações voltadas a um público que não fosse somente o jovem masculino, o bloco foi aos poucos adicionando em seu acervo séries mais comerciais, e pelo andar do último ano parece estar agora querendo focar aquele nicho mais hardcore com fanservice considerável e animes repletos de estereótipos e arquétipos usados à exaustão - cito nesse caso os recentes "Ryuugajou Nanana no Maizoukin" e "Saenai Heroine no Sodatekata", dois títulos que fingem ser um pouquinho diferentes quando na verdade só ironizam e brincam com as fórmulas que eles mesmos usam sem pudor, enquanto que o próprio conteúdo em si não tem nada de criativo - são legais e bem humorados, mas não vão muito além disso. "Punchline" dá a entender que seguirá caminho semelhante: olhe que animação linda, que personagens "descolados" e metidos a engraçadinhos, que trilha sonora empolgante... E isso em volta de um rapaz que parece ser capaz de destruir o mundo caso flagre uma calcinha - se azul com bolinhas, verde xadrez ou uma clássica cor de rosa, bem, aí já não deve fazer diferença, creio eu...

Estou sendo um tanto rabugento? Sim, não nego, mas unicamente por conta do local onde esse anime será exibido; acredito que "Punchline" deverá ser um tanto divertido, puro entretenimento, mas ele fará isso no lugar de outra animação que não seria, em tese, tão presa a moldes e truques baratos da indústria. É um espaço a menos para animes desse tipo, e pra piorar um espaço que ficará menor em 2015 - digo isso porque a partir dessa temporada o bloco noitaminA terá apenas meia hora de duração, não uma, por conta do envolvimento na produção de uma série de filmes, dentre eles três adaptações de livros do escritor de ficção científica Satoshi Itou, que faleceu em 2009 aos trinta e quatro anos. Não há previsão de quando voltarão ao horário normal.

Com pouca bagagem no cargo de direção, se resumindo a um morno "Dantalian no Shoka", Yutaka Uemura terá o apoio de Kotaro Uchikoshi nos roteiros, profissional estreante em animes, porém experiente na criação de enredos para jogos, sendo popular por obras como "Ever 17: The Out of Infinity" e o premiado "Zero Escape: Virtue's Last Reward". Encerrando, o veterano músico Tetsuya Komuro cuidará da trilha sonora.



**********

Re-Kan!
Formato: TV
Data de estreia: 03/04
Estúdio: Pierrot Plus
Diretor: Masashi Kudo ("Hayate no Gotoku! Cuties", "Kyou no Asuka Show")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 4 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Mais uma garota na temporada que se envolve com o sobrenatural: adaptação de um mangá em tirinhas 4-koma publicado desde 2010, "Re-Kan!" tem como protagonista Amami Hibiki, uma estudante que consegue enxergar espíritos à sua volta. Em pequenas narrações é acompanhada sua vida escolar enquanto interage com suas amigas e seres vindos de outro mundo.

Desse nem tenho muito o que falar, visto que seu mangá possui até hoje apenas um capítulo traduzido, suficiente apenas para conhecer uma protagonista adoravelmente avoada e gentil que se comunica com espíritos sem o maior cuidado de esconder ou evitar isso, o que cria cenas como vê-la cumprimentando o nada, olhar pra lá e pra cá enquanto conversa com alguém ou aproveitar da ajuda de tais seres para fazer uma prova. De resto, descobre-se mais lendo as descrições dos personagens no site oficial, que se resume a espíritos com aparições esporádicas e colegas da escola de Amami, que vão desde uma garota que odeia fantasmas e histórias de terror a outra que é vidrada no assunto e inclusive possui um blog popular sobre ocultismo, uma terceira que é ex-delinquente e age de forma rude, porém no fundo tem um bom coração, e por fim uma possível trap - porque se a descrição vem e fala "Uma garota... Talvez" e essa personagem é meio tomboy, você já está querendo deixar algo implícito, não?

Nessa comediazinha "assustadora" a ser produzida com alguns trocados (que animação mais pobre no trailer), o diretor Masashi Kudo terá Takashi Aoshima ("Love Lab", "Mitsudomoe", "Yuruyuri") na supervisão de roteiros e Aoi Yamamoto ("Fairy Tail") no "character design".

**********

Robot Girls Z Plus
Formato: TV (8 min. por episódio)
Data de estreia: 20/05
Estúdio: Toei Animation
Diretor: Hiroshi Ikehata
Gênero: Ação / Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, uma produção original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Robot Girls Z", anime que teve 3 episódios (ou na realidade 9 de oito minutos cada, pois a cada mês eram exibidos três episódios curtos em sequência) em 2014 mostrando versões antropomorfizadas e moe de antigos animes de mecha da Toei Animation, tais como "Mazinger Z", "Getter Robo", "Koutetsu Jeeg" e "Choujin Sentai Baratack", dentre vários outros. Para terem uma ideia do nível de transformação sofrida por esses clássicos, o vilão Doublas M2, da franquia "Mazinger Z" por exemplo, se tornou essa garotinha fofinha e chorona que, obviamente, de malvada não conseguiu ser nada...

Vindo originalmente de um ONA de 2011, "Robot Girls Z" a esse ponto já possui até jogo online à disposição, e a segunda temporada do anime, a ser exibida durante seis meses em novos episódios de curta duração, apresentará novas garotas-robôs e terá sua historinha baseada em dois filmes do estúdio Toei, precisamente "Great Mazinger vs. Getter Robo" e "Great Mazinger vs. Getter Robo G: Kuuchuu Dai-Gekitotsu", ambos de 1975. A equipe segue a mesma, com Hiroshi Ikehata na direção, Kazuha Hyodo ("Sekai de Ichiban Tsuyoku Naritai!") na supervisão de roteiros e Tetsuya Kawakami ("Ryuugajou Nanana no Maizoukin") no redondinho "character design".


**********


Saint Seiya: Soul of Gold
Formato: ONA
Data de estreia: 11/04
Estúdio: Toei Animation
Diretor: Takeshi Furuta ("Mangaka-san to Assistant-san to")
Gênero: Ação / Fantasia
De onde saiu: Franquia "Saint Seiya".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Nova animação de "Saint Seya" (ou "Cavaleiros do Zodíaco" aqui no Brasil), franquia que teve início em um mangá de 1986 e desde então gerou diversas séries de TV, filmes e adaptações em outras mídias ao longo dos anos - bem sei que para obras desse tipo não preciso me estender em explicações, mas digamos que também não quero fugir tanto do protocolo... A ser produzida pelo Toei Animation e exibido diretamente na internet, a única informação a respeito da trama de "Saint Seiya: Soul of Gold" liberada até agora é que ela será focada nos cavaleiros de ouro - porém, muitas pessoas que conhecem a franquia e viram o trailer desse ONA especulam que ele seria uma continuação do filme conhecido aqui no Brasil pelo título "Os Cavaleiros do Zodíaco - Prólogo do Céu". Certeza mesmo de seu conteúdo só depois do dia 21 desse mês, quando houver a pré-estreia do primeiro episódio em um cinema de Tóquio.

Entre a equipe principal de produção haverá Takeshi Furuta na direção, Toshimitsu Takeuchi (alguns episódios de "Seirei Tsukai no Blade Dance") na supervisão de roteiros e Hideyuki Motohashi ("Fushigi Yugi", "Hikaru no Go") no "character design".

**********

Shokugeki no Souma
Formato: TV
Data de estreia: 04/04 
Estúdio: J.C. Staff
Diretor: Yoshitomo Yonetani ("Brigadoon", "Tiger & Bunny The Movie - The Rising")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, 10 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Experiente na cozinha, o sonho de Yukihira Souma é terminar os estudos para se tornar um chef em tempo integral no pequeno restaurante de seu pai e um dia supera-lo com suas habilidades culinárias, porém o garoto é surpreendido certa tarde quando este lhe avisa que fechará o estabelecimento para trabalhar no exterior. Apesar da surpresa, os ânimos de Souma se reacendem após seu pai lhe desafiar a sobreviver por três anos na "Tootsuki Culinary Academy", uma escola de culinária de alto padrão onde menos de 10% dos alunos são aprovados. Inicialmente desdenhando a situação, seus conhecimentos rapidamente serão postos à prova ao se deparar com cozinheiros de personalidades e técnicas variadas.

Publicado desde 2012 na "Weekly Shounen Jump" ("Naruto", "Death Note", "One Piece"), "Shokugeki no Souma" pode vir com um tema pouco comum em obras destinadas a essa faixa etária - o espalhafatoso "Toriko" é uma exceção da exceção -, contudo, em sua essência, ele possui diversos dos artifícios e argumentos que seriam rotineiros de se ver em qualquer "battle shounen". Tanto faz se através de um protagonista persistente e otimista com um vago objetivo pela frente, inimigos que se tornam amigos após um confronto, rivais que se respeitam mutuamente, desafios repletos de reviravoltas e superações, heroína bonitinha quase que totalmente inútil ou os ocasionais momentos de fanservice bobinhos, dentre outros elementos, "Shokugeki no Souma" se mostra um grande épico, uma grande jornada que narrará os diversos perigos e imprevistos existentes... No campo da culinária.

Os inimigos são chefs profissionais donos de restaurantes conceituados ou estudantes dotados de técnicas de alto nível, os desafios ocorrem atrás do fogão enquanto fettuccines, ovos benedict e bife bourguignon são preparados minuciosamente tendo em jogo o orgulho de uma pessoa ou a permanência numa escola de elite rigorosíssima, e o fanservice se passa exclusivamente quando alguém desfruta, se delicia e se perde em êxtase graças a um prato de sabor divino, angelical, sublime ou o adjetivo que achar melhor... Enfim, aqui a cozinha não é lugar para os fracos! Junto a isso, se considerarmos ainda que várias das "batalhas" culinárias ocorrem por meio de um sistema chamado "Shokugeki", onde duas pessoas se digladiam valendo algo, ou então o fato de a escola ser praticamente controlada por um grupo "elite da elite" formado por dez estudantes e que o protagonista almeja em participar para poder um dia superar seu pai, mais algumas extravagâncias que se eu contar já estarei avançando demais nos spoils, percebe-se como "Shokugeki no Souma" realmente segue com fidelidade a cartilha de um "battle shounen" convencional, apenas usando um tempero diferente (nossa, que metáfora mais previsível...) em sua composição. Lendo o mangá nunca pude deixar de achar o quão tudo era meio exagerado e barulhento demais ("Um novo inimigo aparece!", "Uma decisão impiedosa!", "Qual é o ingrediente surpresa!?"), com cenas e diálogos carregados de tensão e nervosismo em níveis absurdos, faíscas e farpas pra todo lado, desavenças quase sempre sendo resolvidas no preparo e julgamento de um prato entre cozinheiros de técnicas e movimentos insanos... Tudo excessivo, desmedido, parecendo antes um excêntrico reality show do que a "vida real" por assim dizer, mas, puxa, o sucesso do mangá é prova de como essa fórmula caiu no paladar (...) de seu público alvo. Eu mesmo confesso que fui fisgado por toda essa parafernália, principalmente por culpa do maldito truque de terminarem cada capítulo com um gancho habitual em obras desse tipo - bem sabemos que raramente a continuação do evento no capítulo seguinte terá maior impacto do que o próprio suspense criado em volta dele no final do anterior, mas, sempre caímos nisso... 

Um protagonista determinado e de imensa criatividade na cozinha que não titubeia em provocar uma escola inteira (e consequentemente ser alvo de rancor por quase todo mundo) nem entrar em conflito com os cozinheiros mais temidos a fim de atingir seus objetivos; prolixos diálogos cheios de floreios e descrições detalhadas sobre desde refinadas iguarias francesas até as mais tradicionais invenções da culinária japonesa; e, no mangá pelo menos, uma arte até que caprichada na retratação de suculentos pratos, entretanto mais ainda na hora de destacar os corpos de garotas durante seus delírios degustativos - o que não é de se estranhar uma vez descoberto que o desenhista, Shun Saeki, é autor de obras hentai; e é bom ressaltar que esse fanservice, pra quem achou muito desnecessário (tipo eu), diminui sua frequência com o andar da história. Mesmo que tal "exagerismo" não vá ser do gosto de todo mundo, o maior atributo de "Shokugeki no Souma" é exatamente essa sua capacidade de empolgar e inserir tanta adrenalina em um tema que, normalmente, seu público alvo passaria longe. É bobalhão, é despropositado, porém vende sua ideia com invejável destreza.

Com um diretor veterano que é Yoshitomo Yonetani no comando, teremos ainda Shogo Yasukawa ("Terraformars", "Rokujouma no Shinryakusha!?") na supervisão de roteiros, Tatsuya Katou ("Free!", "Gingitsune", "Mirai Nikki") na trilha sonora e Tomoyuki Shitaya ("Bakuman.", "Jinsei") no "character design".


**********

Show By Rock!!
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Bones
Diretor: Takahiro Ikezoe ("Ozma")
Gênero: Musical
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aquiaquiaquiaquiaqui e aqui

Em Midicity, a cidade da música, uma garota neko usando vestes de lolita gótica chamada Cyan é abordada por Maple Arisugawa, o presidente de uma agência musical. A partir disso ela conhece ainda Chuchu, uma garota coelho excelente nos estudos; Retoree, uma garota cachorro nerd; e Moa, uma garota ovelha alienígena. Juntas, as quatro formarão a banda "Plasmagica" e almejarão o topo do mundo com a força da música, algo que não será assim tão fácil uma vez que terão de enfrentar outras bandas que possuem o mesmo objetivo.

Fundada em 1960, a empresa Sanrio fabricou diversos produtos em cima de personagens que ela mesma criou, e a maioria voltado às garotas, ao longo desses 55 anos, contudo por aqui deverão conhecê-la por conta unicamente da famosa Hello Kitty - visitem no link acima o site oficial deles no Brasil, praticamente só se vê essa gatinha sem boca em todo canto. Cito a Sanrio porque todos os personagens de "Show By Rock!!" são de sua autoria, sendo que em 2013 eles originaram um jogo gratuito (ou "freemium", pois é possível comprar itens com dinheiro) para dispositivos iOS e Android mesclando música e cartas, onde é possível escolher mais de 30 bandas diferentes para jogar. 

E é dessa fonte bem frágil da qual se baseará a premissa do anime, o primeiro envolvendo a Sanrio que será exibido de madrugada e focará em um público mais velho. A cada mês tem sido apresentada uma nova banda que aparecerá na animação (vejam os trailers acima), e, além de ser notado como os personagens foram bastante humanizados em comparação com o jogo para ficarem mais atrativos - clique aqui para assistir um vídeo curtinho dele -, é curioso perceber que "Show By Rock!!" parece querer chamar a atenção tanto dos homens com suas garotinhas estilosas cheias de arquétipos, quanto das mulheres com bandas formadas por bishounens. Se dá para desconfiar e com razão do conteúdo do anime em si, ao menos musicalmente ele deverá ser um tanto agradável, não só pela boa trilha sonora do jogo que pude ouvir em alguns vídeos, como também por termos no elenco de dubladores nomes que são ótimos cantores, entre eles Mamoru Miyano, Ai Kayano e Rina Hidaka. É claro que para uma adaptação dessas eu não seguro expectativa alguma, mas, como que vou ignorar algo que tem uma garota neko vestindo trajes de lolita gótica, como?! E uma bunny girl, então?

Já a garota ovelha e alienígena eu deixo passar...


**********

Sidonia no Kishi: Daikyuu Wakusei Seneki
Formato: TV
Data de estreia: 11/04
Estúdio: Polygon Pictures
Diretor: Hiroyuki Seshita
Gênero: Ação / Mecha / Sci-fi
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 13 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Sidonia no Kishi", anime sci-fi baseado em um mangá com 13 volumes publicados desde 2009. Na equipe principal de produção a maior mudança será a saída de Kobun Shizuno como diretor, que será substituído pelo novato Hiroyuki Seshita, diretor-assistente no anime anterior. Fora isso, Sadayuki Murai (terceira e quarta temporada de "Natsume Yuunjichou") continua na supervisão de roteiros, com Noriyuki Asakura ("Rurouni Kenshin") na trilha sonora e Yuki Moriyama no "character design".

Por fim, dois detalhes: no dia 6 de março estreou nos cinemas japoneses "Sidonia no Kishi Movie", filme que, com cenas adicionais e efeitos sonoros reeditados, resume os acontecimentos do anime de 2014 - clique aqui para ver seu trailer. Além disso, tem sido feita certa (e exagerada) expectativa pelos produtores o fato de que outro mangá de Tsutomu Nihei, precisamente o popular "Blame!", terá uma adaptação dentro dessa segunda temporada, mas isso não passará de "um anime dentro de um anime", como podem ver nesse vídeo.




**********


Super Short Comics (ADIADO)
Formato: ONA (5 min. por episódio)
Estúdio: Steven N' Steven
Diretor: Keisuke Matsumoto
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, sem separação de volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Um garoto que ao tentar saltar um plinto de 25 andares acaba derrubando tudo e tendo que reunir, em uma caixinha, milhares de caranguejos que saíram de dentro do aparelho; um rapaz "pilotando" um chikuwabu para chegar a tempo na escola e outro passando por florestas, avenidas e caindo num penhasco enquanto carrega um lanche do McDonald's que acabou de comprar; uma bruxa colando o galho quebrado de uma árvore viva usando cola; e uma mulher que... Ah, desisto, não faço a mínima ideia do que possa ter ocorrido nesse aqui. Junto a "Nar Doma" (leia sobre esse mais acima), "Super Short Comics" é a outra adaptação dessa temporada de um mangá online publicado no site Comico (clique aqui para ir até sua página) e, como o próprio título sugere, ele é apenas uma série de narrações curtinhas, essas bem aleatórias e nonsense como podem ver pelos primeiros capítulos e o trailer do anime, que terá episódios de cinco minutos de duração cada.

Já previsto a chegar a somente 8 episódios, o mais curioso nesse projeto é ver um cantor veterano que é Ichirou Mizuki, com passagens em várias animações de mechas, estrelando a música tema do anime e ainda por cima com a companhia de um bom punhado de dubladores populares, como Fukuyama Jun, Yuki Kaji e Ikue Ootani, dentre outros.


**********

Takamiya Nasuno Desu!: Teekyuu Spin-off
Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Millepensee
Diretor: Shin Itagaki ("Ben-To", "Devil May Cry", "Teekyuu")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, nenhum volume completo publicado até agora.
Site oficial: Clique aqui

Teremos algo bastante incomum nessa temporada: uma série de TV e um spin-off dessa mesma série de TV sendo exibidos simultaneamente. Precisamente, "Takamiya Nasuno Desu!" é baseado no mangá homônimo que começou a ser publicado em junho de 2014 e que tem como origem "Teekyuu", obra iniciada em 2012 que já resultou em três animes de curta duração. Enquanto o original conta a rotina de quatro garotas "não muito normais" que são membros de um clube de tênis - porém fazem de tudo, exceto justamente praticar esse esporte -, seu spin-off é focado na luxuosa vida da personagem Takamiya Nasuno, garota rica, absurdamente rica, que tenta resolver tudo com dinheiro. Se seguir o estilo de "Teekyuu", essa aqui será uma animação de comédia com altíssimas doses de nonsense, e devido ao fato de não haver linearidade alguma não seria preciso assistir os animes que o antecedem.

"Teekyuu", aliás, surge logo abaixo com sua quarta temporada, sendo que ele e "Takamiya Nasuno Desu!" serão dirigidos pela mesma pessoa, Shin Itagaki, e produzidos pelo mesmo estúdio, o pequeno Millepensee - esses dois animes marcam sua estreia como produtor principal, pois antes disso ele atuou apenas como estúdio secundário em diversas animações, inclusive nas três primeiras temporadas de "Tekyuu".


**********

Tamagotchi! Tamatomo Daishuu GO
Formato: TV
Data de estreia: 02/04
Estúdio: OLM
Diretor: Jouji Shimura
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, inspirado nos bichinhos virtuais "Tamagotchi".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quinta temporada de "Tamagotchi!", anime baseado nos bichinhos de estimação virtuais criados pela Bandai em 1996. Para ser exato, essa será a sétima série de TV da franquia, mas as cinco últimas se baseiam na linha "Tamagotchi ID", que possui tela colorida e é mais avançada - e que não chegou a pegar aqui no Brasil, ao contrário dos primeiros modelos.

A direção continua com Jouji Shimura no estúdio Oriental Light and Magic ("Pokemon", "Youkai Watch").

**********

Teekyuu 4
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Millepensee
Diretor: Shin Itagaki ("Ben-To", "Devil May Cry")
Gênero: Comédia / Esporte
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de um mangá com atuais 7 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Quarta temporada de "Teekyuu", anime iniciado em 2012 que mostra, abusando de muito humor nonsense  e diálogos insanamente rápidos, a rotina de quatro garotas membros de um clube de tênis. Na verdade, elas podem praticar baseball, jogar video-game, participar de uma guerra ou ficar apenas tagarelando em uma velocidade que o obriga a pausar o vídeo a cada dez segundos (mas calma que os episódios só duram 2 minutos!), porém, jogar tênis mesmo, nem esperem por isso!

É simplesmente uma comédia totalmente aleatória com um grupo de garotas nada recatadas ou normais, indo desde uma riquinha esnobe que tenta resolver tudo com dinheiro a uma pervertida com tendências lésbicas dublada pela diva Hanazawa Kana. Suas três primeiras temporadas saíram pelo estúdio MAPPA ("Sakamichi no Apollon", "Shingeki no Bahamut: Genesis") e tiveram vendas muito boas considerando seu tamanho e orçamento baixíssimo; pra se ter ideia a terceira temporada, de 2013, vendeu quase 3 mil cópias em seu volume único. Já a quarta traz o mesmo Shin Itagaki na direção, porém o nanico Millepensee, que foi produtor-assistente nos animes anteriores, será dessa vez o estúdio principal no lugar do MAPPA.

Devem ter notado, mas se tiverem passado direto vejam um pouco acima que haverá ainda nessa temporada "Takamiya Nasuno Desu!", outro anime curtinho que, nas mãos do mesmo estúdio e diretor, adaptará um mangá spin-off de "Teekyuu" baseado na personagem podre de rica Takamiya Desu. Por fim, eu já cheguei a citar "Teekyuu" no post "Dez animes curtos de 2012", clique aqui caso queiram dar uma olhada.


**********

Tesagure! Bukatsumono Spin-off Purupurun Sharumu to Asobou
Formato: TV (30 min. por episódio)
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Tesagure!Production Committee
Diretor: Koutaoru Ishidate ("Minarai Diva")
Gênero: Slie-of-Life
De onde saiu: Spin-off do anime de 2014, e vindo de um mangá com número de volumes indefinido.
Site oficial: Clique aqui

Spin-off de "Tesagure! Bukatsumono", anime todo feito em CG  através do programa "MikuMikuDance", ferramenta inicialmente criada para o sintetizador de voz "Vocaloid" que permite aos seus usuários produzirem animações em 3D. Tanto a primeira temporada exibida no final de 2013, quanto a segunda no início de 2014 tiveram episódios com 10 minutos de duração cada, porém esse spin-off, que apresentará cinco novas personagens e é baseado em um mangá chamado "Minarai Megami: Puru Purun Sharumu", terá episódios com o triplo desse tempo. O mangá, por sua vez, faz parte de um projeto multi-mídia que envolve um programa de rádio onde cinco dubladoras montam esquetes no improviso - não sei dizer o quanto estão relacionados, mas em 2014 o diretor Koutarou Ishidate comandou "Minarai Diva", que era uma espécie de "anime ao vivo" onde as dubladoras improvisavam nos diálogos e a animação era feita simultaneamente com uma tecnologia de captura de movimentos e o programa "MikuMikuDance". Talvez o próprio "Minarai Diva" tenha dado origem ao programa de rádio, que gerou o mangá e depois esse anime, e todos no fim façam parte do mesmo projeto visto que possuem em comum vários nomes da equipe de produção, porém não pude achar sites confiáveis que confirmassem isso.

Enfim, o já citado Koutarou Ishidate repete o papel de diretor da franquia, com Masatake Yamaguchi e Satoyuki Takahashi na supervisão de roteiros, Junichi Inoue ("Minarai Diva") na trilha sonora e Gochou Kedama no "character design".


**********

Triage X
Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: Xebec
Diretor: Akio Takami / Takao Kato ("Busou Renkin", "Pandora Hearts", "To Love-Ru")
Gênero: Ação / Aventura
De onde saiu: Mangá, 9 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Peitos, ação, motos, peitos, explosões, muitas mortes, peitos e um pouco de história no meio disso tudo.

Do mesmo desenhista do superestimado "Highschool of the Dead" (desenhista, okay, não autor), Shouji Satou, "Triage X" tem uma premissa da qual nem é necessário fazer alguma piada a respeito. Aqui, o hospital Mochizuki abriga algumas das mais bem treinadas (e esbeltas, também) enfermeiras e médicas da região que, enquanto durante o expediente cuidam normalmente de seus pacientes, nas horas vagas elas praticam outro tipo de "tratamento médico", digamos assim: liderado pelo próprio diretor da instituição, Masamune Mochizuki, e formada por funcionárias do hospital e mais alguns jovens estudantes, a organização de mercenários "Black Label" age nas sombras para "extirpar os vírus" da sociedade, eliminando seus alvos antes que a doença se alastre.

Não, não estou inventando na sinopse, as originais são assim mesmo, e realmente há nos diálogos muitas metáforas em alusão a medicina, como chamar um policial de "anticorpo", declarar ao seu alvo que ele é um "tumor maligno", ir atrás do "foco" de um conflito ou fazer uma "triagem" quanto as ações cometidas pela próxima vítima para decidir o que será feito contra ela...

Ah, "Triage X" é uma afetação e baboseira pura, discorrer sobre qualquer evolução do enredo não seria muito inteligente de minha parte: trata-se unicamente de um grupo de mercenários (sim, vendo a imagem perceberá que tem um homem entre elas, ao estilo clássico do desligado e sem emoções que em ação é impecável, porém se mostra totalmente inapto em relação a normas sociais) que faz justiça com as próprias mãos, e que no processo acaba se tornando inimigo tanto da polícia que os enxerga apenas como terroristas, quanto dos criminosos que os veem como um estorvo, um obstáculo em seus planos. É isso junto, claro, a histórias dramáticas do passado que cada personagem possui e que alguns ainda não conseguiram superar, como é de praxe nessas tramas. Contudo, tais detalhes serão o de menos a partir do momento que você se depara com uma médica partindo pessoas e carros ao meio com sua katana ou então uma enfermeira usando uma máscara assustadora enquanto metralha tudo a sua frente - sem falar das várias sequências alucinantes envolvendo motos, e aqui veremos que é possível usa-las inclusive para invadir o quarto andar de um prédio com a ajuda de um cabo. Não pense, não pense!

Por fim, há também aquilo que tanta atenção chamou em "Highschool of the Dead", vindo de um desenhista autor de diversas obras hentais; não bastasse seus traços já serem muito provocantes, criando corpos femininos de proporções majestosas e surreais e os mostrando com inúmeros decotes e ângulos sugestivos, Shouji Satou nos proporciona ainda constantes cenas honestas de total e abundante fanservice, especialmente nas horas pós-missão - porque nudez e peitos pulando para fora durante os "momentos em que fingimos se importar com o plot", igual outras obras fazem por aí, não rola, seria passar dos limites, nessas horas pode-se no máximo só um decote ou close ou uma apalpada indiscreta! Em suma, o ponto positivo de "Triage X", cujo mangá abandonei antes de terminar o terceiro volume, é como ele ao menos é tão aberto e sem enrolações quanto ao que tem e deseja apresentar ao seu público. Carrega lá uma história, entretanto isso é aproveitado como um suporte consciente para muita (boa) ação e erotismo.

Além da dupla Akio Takami e Takao Kato na direção, o irregular Katsuhiko Takayama será supervisor de roteiros ("Aldnoah.Zero", "Mirai Nikki", "Tasogare Otome x Amnesia") e Akio Takami ("Ladies versus Butlers!") adaptará o sensual "character design" do mangá, profissional que a julgar por seus trabalhos anteriores dificilmente será fiel aos traços sensuais de Shouji - e outro ponto que "Triage X" não deverá se equiparar a "Highschool of the Dead", se quisermos insistir nessa comparação apesar de serem de autores diferentes, é quanto ao nível de sua animação, visto que um foi produzido pelo Madhouse, e esse será feito pelo tecnicamente fraco Xebec. A propósito, não pode-se esquecer que deverá haver alguma censura pelo menos na televisão, logo...

É melhor ir direto para o mangá mesmo.


**********

Urawa no Usagi-chan
Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 10/04
Estúdio: A-Real
Diretor: Mitsuyuki Ishibashi
Gênero: Comédia / Slice-of-lIfe
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

"Urawa no Usagi-chan" será mais um daqueles animes propaganda de alguma região do Japão, precisamente do distrito de Urawa, localizado na prefeitura de Saitama. Nada foi revelado sobre uma possível história, mas pela aparência o anime certamente não passará de um "slice-of-life" de garotinhas, cujos nomes farão menções a pontos conhecidos de Urawa, tais como Kojika Bessho, Minami Oyaba e Saiko Numakage.

Como curiosidade extra, é em Urawa que se localiza o considerado melhor time de futebol do Japão (o que não significa muito, mas enfim), o Urawa Red Diamonds, que inclusive já chegou a participar de um Mundial de Clubes em 2007 onde ficou em terceiro lugar, a melhor campanha feita até agora por um time desse país na competição - o que também não quer dizer absolutamente nada mas, olha, do anime em si nem tenho o que falar mais...

**********

Uta no☆Prince-sama♪ Maji Love Revolutions
Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Makoto Hoshino
Gênero: Comédia / Musical / Romance
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de uma visual novel para PSP.
Site oficial: Clique aqui

Terceira temporada de "Uta no☆Prince-sama♪ Maji Love 1000%", anime de tema musical baseado em uma visual novel voltada ao público feminino. Na equipe principal de produção a única mudança é na direção, pois sai Yuu Kou e entra no seu lugar o novato Makoto Hoshino, diretor de alguns episódios em separado nas duas primeiras temporadas. Fora isso, Tomoko Konparu ("Kamigami no Asobi", "Kimi ni Todoke") continua na supervisão de roteiros, junto ao grupo Elements Garden ("Senki Zesshou Symphogear") na trilha sonora e Mitsue Mori no "character design".


**********


Vampire Holmes
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 04/04
Gênero: Suspense
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui

Calma, Sherlock Holmes não se tornou um vampiro (se bem que ele já foi transformado até em cachorro...); "Vampire Holmes" se baseia em um jogo de fuga para smartphones onde você controla o famoso detetive em versão bishounen, e seu objetivo é investigar uma estranha mansão para buscar a verdade por trás de vários ataques envolvendo um vampiro (também bishounen) pela cidade de Londres. É daqueles jogos ao estilo "point-and-click" no qual deve-se encontrar pistas para sair de algum local.

Anime de 5 minutos vindo de uma fonte dessas, ah... Pois é. Clique aqui para ver algumas imagens do jogo que atualmente possui 3 capítulos lançados, estando o primeiro disponível para baixar gratuitamente em aparelhos iOS e Android - vá nessa página do site oficial para saber mais. Como última informação inútil, para verem que o tema desse anime não é assim tão bizarro, sabiam que existe um conto de Sherlock Holmes chamado "A Vampira de Sussex"? 

Está certo que Sherlock logo descobre que não é vampira de verdade alguma, mas okay...


**********

Formato: TV
Data de estreia: 03/04
Estúdio: feel.
Diretor: Kei Okawa ("Minami-ke: Okaeri", "Outbreak Company")
Gênero: Comédia / Romance / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2013, vindo de uma light novel com atuais 10 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru.", comédia romântica nem tão romântica assim baseada em uma light novel que possui 10 volumes publicados desde 2011. Saindo do estúdio Brain's Base, que realizou uma adaptação bem preguiçosa dos 6 primeiros volumes da obra original, "Yahari Ore no Seishun..." agora será produzido pelo fraco estúdio Feel ("Jinsei", "Ushina Mirai wo Motomete"), algo que normalmente seria preocupante, mas, creio ser difícil piorar o que foi feito dois anos atrás...

Além disso, entre os principais nomes da equipe de produção a diretora Ai Yoshimura ("Ao Haru Ride") será substituída por Kei Okawa, enquanto que o "character design" ficará a cargo de Yuichi Tanaka ("Toaru Majutsu no Index"), que toma o lugar de Yuu Shindou ("Persona 4 the Golden Animation") - essa tem sido por ora a mudança de maior discussão (clique aqui para ver uma imagem comparando os dois estilos), pois tem muito fã que não gostou do quão normais ficaram os protagonistas, em especial o Hikigaya. De todo modo, na composição da trilha sonora permanece o estúdio monaca ("Servant x Service, "Aikatsu!") e na supervisão de roteiros continua Shoutarou Suga ("Isshuukan Friends", "Nanatsu no Taizai").


**********


Yamada-kun to 7-nin no Majo (TV)
Formato: TV
Data de estreia: 12/04
Estúdio: Lidenfilms
Diretor: Tomoki Takuno
Gênero: Comédia / Romance
De onde saiu: Mangá, 15 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui (material promocional lançado em 2013) e aqui

Só sendo assim para o protagonista conseguir beijar todas as garotas de seu harém...

Chega tarde, vai embora cedo, tem notas horríveis, é briguento; Ryuu Yamada é um conhecido e temido delinquente da escola Suzaku High, que se encontra extremamente entediado com sua vida de estudante. Porém, em certo dia, ao subir um lance de escadas, ele escorrega e cai em cima de Urara Shiraishi, a melhor aluna da escola, sendo que ao acordar na enfermaria Yamada percebe surpreso que trocou de corpo com a garota. Os dois tentam reverter a situação e logo aprendem que um beijo entre eles faz e desfaz a troca, e passam a se aproveitar das vantagens que isso lhes dá no dia a dia.

Apesar de não contarem sobre isso para mais ninguém, em pouco Yamada e Shiraishi tem seu segredo descoberto pelo vice-presidente do conselho estudantil Toranosuke Miyamura, que com a ajuda dos dois revive o Clube de Estudos Sobrenaturais como fachada para eles poderem ter um lugar onde trocar seus corpos em paz. Entretanto, com o passar do tempo, os membros desse clube conhecerão outras garotas na escola cujos poderes são igualmente ativados através de beijos.

Mangá shounen de grande popularidade criado pela bonitinha Miki Yoshikawa, profissional que já foi assistente do autor de "Fairy Tail" Mashima Hiro, "Yamada-kun to 7-nin no Majo" será a sua típica comédia romântica de harém com protagonista (muito) um tanto burrinho, mal entendidos diversos, pantyshots ocasionais... E garotos beijando garotas, garotos beijando garotos (!) e garotas beijando outras garotas (ainda que, tecnicamente, continuem sendo garotos). E isso é apenas o começo, pois a confusão vai ficando pior conforme surgem novas personagens com poderes diferentes.

Duvido muito se o anime, que por fontes não oficiais tem sido divulgado que terá 12 episódios (o que seria provável considerando o estúdio), vai ao menos mostrar todas essas sete garotas que podem reparar na imagem acima sem com isso realizar grandes cortes e resumos, já que, para terem uma noção, nos 3 primeiros volumes do mangá só conhecemos a fundo duas delas - e o trailer que eu coloquei lá no topo foi lançado pelo Lidenfilms em 2013, logo ele está mais para um material pré montado que não seria fiel ao resultado final (Edição dia 20/03: Pelo trailer divulgado essa semana parece que vão sim mostrar todas em 12 episódios, o que de fato deixará a história meio corrida, no mínimo). De todo modo, no início da história será visto um rapaz "delinquente" (delinquentes protagonistas de animes, né, sabem como é) e uma jovem estudiosa, contudo antissocial, aproveitarem o poder que possuem em mãos - ou nos lábios - para ajudarem entre si nos seus pontos fracos; ela fazendo exames e melhorando as notas do rapaz, e ele criando amizade com as garotas e a livrando do bullying que praticavam nela, por exemplo. E claro que essa premissa, tanto no começo quando são apenas esses dois, quanto mais adiante ao entrar no meio outros personagens que vão descobrindo sobre tal fenômeno, dá brecha para constantes cenas constrangedoras e cômicas devido a esse troca-troca de corpos, já que será comum flagrar alguém em situação enganosa (tipo a Urara trocar de lugar com Yamada e depois ver seu próprio corpo seminu sendo agarrado por outro homem) ou se comportando de maneira totalmente inapropriada para o seu (novo) sexo - não esquecendo também, nisso tudo, os vários instantes de fanservice protagonizados quase 100% por garotos nos corpos de garotas, que parecem achar normal exibir a roupa íntima por aí e, os perdoemos porque duvido que ninguém deixaria de fazer isso, não perdem tempo de verificar seus atributos físicos ao trocarem de gênero. É, em suma, uma trapalhada atrás da outra, seguidas bobeiras e tumultos, numa obra cujos primeiros passos possuem argumentos padrões como eventos escolares e briguinhas com o conselho estudantil, além de ser visto mais uma vez um clube reunindo pessoas que, sozinhas, não eram lá sociáveis ou bem vistas, mas que juntas acham um pequeno local, uma sala empoeirada abrigando um clube quase que inexistente para ser exato, onde podem interagir entre si à vontade e tornar mais prazerosas suas antes nada empolgantes rotinas escolares. Obviamente, a história vai obtendo uma identidade mais individual com o passar do tempo e até as piadas em cima da troca de corpos fica em segundo plano com o aparecimento de novas garotas e poderes, mas na série de TV, caso não passe realmente de 12 episódios, tais mudanças mal terão espaço e somente será vista uma trama terminando em algum conflito meia-boca que no original sequer teria tanta relevância, isso se a adaptação tentar ser fiel a ele.

Fui até o mangá disposto a não passar do primeiro volume, um inegável preconceito devido a sinopse e seu tema desgastado, mas em um só dia li 3 sem esforço algum; "
Yamada-kun to 7-nin no Majo" foi-me divertido, algo leve e bobalhão que em relação a ideias não teve nada de original (e dispenso comentar sobre a coincidência de haver tantos eventos sobrenaturais em uma mesma escola, visto que isso é "normal" em animes, vide "Kyoukai Rinne" também), mas que entretanto mostrou uma ótima fluidez narrativa e personagens agradáveis - porém tem sido comum eu achar esse tipo de comédia boa no mangá e depois ficar sem paciência com sua versão animada, então sequer boto grandes expectativas no anime. Aliás, quanto a equipe de produção, o único profissional de destaque entre tantos novatos fica para o bom trio feminino Michiko Yokote ("Genshiken", "Shirobako", "xxxHolic) na supervisão de roteiros, ao passo que no elenco de dubladores há nomes populares como Eri Kitamura, Ono Daisuke, Saori Hayami, Fukuyama Jun e Aoi Yuuki.

E, caso queiram ter uma prévia melhor da mediana animação feita pelo nanico estúdio Lidenfilms, em dezembro foi lançado o primeiro de uma série de dois OVAs que se encerrará em maio - clique aqui para ver seu trailer. Já antecipo que não há necessidade em assisti-lo para acompanhar o anime, pois ele possui uma história original onde forçosamente tentam apresentar todo o elenco do mangá, dando lá e cá alguns spoils avançados e aleatórios. Ademais, como última informação, em 2013 foi exibido na televisão uma versão (sem graça) em live-action composta por 8 episódios.




**********


TOTAL:

61 estreias**


30 continuações / spin-offs
14 novas adaptações de mangás
novas animações originais
3 novas adaptações de jogos (Arcade: 1; Dispositivos móveis: 2)
2 novas adaptações de livros
2 novas adaptações de novels
1 nova adaptação de light novel
1 nova adaptação de vídeo musical


** Já excluídos "Digimon Adventure Tri", "Lupin III (2015)" e "Super Short Comics" por terem sido adiados.





**********


Animações mais - e também menos, por que não - esperadas pela comunidade do MyAnimeList (de acordo com o total de usuários que já adicionaram cada anime às suas listas) (números do dia 15/03):

 High School DxD BorN - 28,602
 Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru. Zoku - 23,787
 Nisekoi: - 18,753
 Fate/stay night: Unlimited Blade Works (TV) 2nd Season - 18,671
 Shokugeki no Souma - 11,600
 Digimon Adventure Tri. - 11,222
 Owari no Seraph - 10,509
 Nagato Yuki-chan no Shoushitsu - 8,748
 Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka - 8,364
10º Sidonia no Kishi: Daikyuu Wakusei Seneki - 8,305 
...
...
...
52º Future Card Buddyfight 100 - 59
53º Omakase Mamitasu - 51
54º Jewelpet Magical Change - 45
55º Tamagotchi! Tamatomo Daishuu - 20
56º Nyuru Nyuru!! Kakusen-kun 2nd Season - 18

** Ainda não adicionados no guia.

"Pri Para 2nd Season" é o único anime a não possuir no momento página no MyAnimeList; ele tinha uma, porém foi deletada dias atrás por motivos que desconheço.



**********

Resultado da enquete "Quais animes pretende ver nessa temporada?":


Foram 178 votos únicos, bem abaixo do obtido na enquete da temporada anterior (263) devido a alguns "probleminhas" ocorridos na divulgação do post. Com uma média de quase 9 animes selecionados a cada voto, a maior até agora, 47,7% dos participantes deixaram a nostalgia falar mais alto e ajudaram "Digimon Adventure Tri" a alcançar o primeiro lugar, mesmo que não tenha sido divulgado praticamente nada quanto ao seu conteúdo - e o mais irônico é que, no fim, a estreia do novo anime dos monstrinhos digitais deverá ficar para a temporada de verão (será que teremos um raro caso de um mesmo anime ganhar essa enquete duas vezes seguidas, será?!)


Agradeço mais uma vez a participação de todos. Até a temporada de verão!


**********

Meus perfis:

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Que alegria ter em mãos o melhor especial de temporada que poderia querer.
    A Temporada promete algumas obras bem interessantes, outras que simplesmente me fariam sentir culpa por assistir, mas sempre temos que respeitar a regra dos três episódios né.
    Muitas das continuações nem chegarei perto, mais pelo motivo de não ter gostado das primeiras temporadas, embora as obras originais me chamaram atenção.

    Espero ter uma temporada agradável, visto que as últimas foram decepções seguidas de decepções.
    Pelo menos o animecoteCast terá muito material para me proporcionar risadas.

    ResponderExcluir
  2. Opa, o guia :B

    Fiquei impressionado realmente com a grande quantidade de sequelas da temporada, bem, não que isso seja de todo ruim, até porque está com ótimas continuações :B (tipo Nisekoi e Sidonia <3), mas sempre fico com a ânsia de poder assistir novas obras de qualidade, então acaba desanimando um pouco x).

    Enfim, acabei não selecionando muita coisa pra ver no final das contas, até então selecionei 11 séries, sendo a 'metade' continuações. Entretanto também estou a espera das atualizações do post sobre os animes que ainda não foram comentados, o único, até então não listado, que coloquei no Plan to Watch foi Arslan Senki, que já havia me chamado a atenção anteriormente.

    Em adendo, sobre os novos lançamentos, expectativas positivas pra Ore Monogatari e Hibike! Euphonium. Além deles ouvi falar muito bem de Shokugeki no Souma, duma fonte não muito confiável, mas parece interessante de qualquer forma xD

    Insiro aqui agora os velhos clichês de agradecimentos ao Erick, mais uma vez ótimo guia, parabéns pelo esforço e dedicação, você é o melhor filtro de temporadas ever hahahaha, sempre salvando minhas temporadas =).

    Até mais ^^

    ResponderExcluir
  3. Ótimo guia, como sempre.

    Se fosse assistir algum dia todos que fiquei interessado seria tranquilo, afinal marquei 18 aqui. Mas enfim, expectativa maior fica pela 2º temporada de Oregairu e o Ore monogatari pela descontração.

    E sobre o tomate não ser um vegetal fico com um sentimento incomodo, pq considero vegetal o termo generalista para tudo que vem do reino plantae (da época em que se dividia as coisas em reino animal, vegetal e mineral), não apenas hortaliças. Mas isso é opção pessoal, há divergências pelo google.

    Não consigo me sentir atraído em ver animes que falem de comida. Deve ser culpa da tendência de se buscar menos prazer sexual (e daí precisam substituir por outras fontes de prazer) como dizem pela internet que há por aqueles lados. Mas daí utilizar a culinária como fan service é um grande salto. Se for isso descobriremos daqui alguns anos quando a moda for de animes sobre incêndios.

    ResponderExcluir
  4. "Enfim, diria que esse novato não escolheu a melhor época para começar a ver animes..." -> hahaha, a frase mais engraçada do post...
    Parabéns @Erick. Post 'lindo' como sempre. Só você mesmo para ter tempo e paciência para fazer isto.
    Well, vamos então comentar sobre algumas coisas...

    Diamond no Ace -> tem certeza que isto é uma continuação? Loool cara, nem intervalo de uma temporada o anime terá. Para mim, nem precisavam mudar o nome, afinal, o anime nem parou... continuação... ok.

    Danna ga Nani -> não sabia que o anime era curto assim... quando voltar a assistir animes curtos, pretendo com certeza pegar isto rapidamente. =)

    Digimon Adventure Tri -> um dos animes mais aguardados, desta temporada que se avizinha, pela galera mais "old". Muita coisa mudou de 99 para cá, mas mesmo assim é meio que normal o character design não ter sido muito bem recebido...

    Dungeon ni Deai -> "daí você nota que esse candidato a herói será dublado por Yoshitsugu Matsuoka, que deu voz ao adorável Kirito de "Sword Art Online" e o pateta Sora de "No Game No Life", e pronto, tudo agora faz sentido..." kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Fate/stay night: UBW(TV) 2nd Season -> que raios de é aquela ali?? O_O

    Gintamaº -> não entendi a mudança de direção... Aff! Japoneses...u_u

    Gunslinger Stratos -> mistura de Gunslinger Girl com Infinite Stratos?? O.o hahahaha

    Kyoukai no Rinne -> tem muito fanboy esperando por isto. xD

    Lupin III -> eu gostaria de "trabalhar" com a franquia, mas o tempo não deixa... Torço para que o Malkav legende. o/

    Ore Monogatari!! -> fiquei com uma vontade grande de ver isto. E não precisei nem ler o post todo para tomar esta decisão. Depois do 2º parágrafo, já tinha cravado isto. Espero que você possa falar maravilhas do anime no próximo podcast de temporada. xD

    Punch Line -> ""Uma vez que ele vir uma calcinha, o mundo será destruído?!"", como diria o Luk, "tá de sacanagem né?"
    "Se alguém me dissesse 5 anos atrás que isso seria exibido no noitaminA, eu riria da cara dessa pessoa...", eu faria o mesmo NA cara da pessoa...

    Teekyuu 4 -> eu só de UMA única coisa sobre este anime: Erick e Evilásio vão assistir. kkkkkkkk

    Vampire Holmes -> NANI??? O_O

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o guia, embora peguei poucos animes dessa temporada, acho que tenho o gosto meio "ruim" no ponto de vista da maioria né, mas parabéns por mais um ótimo trabalho.

    ResponderExcluir
  6. Temporada fraquíssima para meu gosto
    ótimo guia!!!!! como sempre

    ResponderExcluir
  7. Vou ver Shokugeki no Souma, Hibike e Owari no Seraph

    ResponderExcluir
  8. Wow Mt lançamento ai top e continuações de arrepiar. Devo conferir uns 15 animes dessa lista ai fácil. =D Ótimo post como sempre.

    ResponderExcluir
  9. To impressionado com a qualidade desse podcast e em especial deste guia. Parabéns. Quanto aos animes dessa temporada, se arlan senki for 10% do que LoGH foi, ja ta valendo a temporada. Outros animes que provavelmente valeram a pena assistir sao: digimon(nostalgia feelings), FSNUBW, Oregairu S2, ore monogatari, punchline, ghost in the shell arise, denpa kyushu,

    ResponderExcluir

Copyright © 2016 Animecote , Todos os direitos reservados.
Design por INS