14 de dezembro de 2015

Especial: Temporada de Inverno 2016





Nunca antes deixei tanto anime para adicionar após a publicação do guia em comparação com os que já estão adicionados desde o início, porém prometo fazer horas extras nos próximos dias como compensação!

...

Mas só de imaginar que ainda tenho 3 light novels para ler, ah não...


Deixemos isso de lado, e vamos falar dessa temporada de inverno que, olha só, até que está muito decente - bem, os mais pessimistas dirão que isso é impressão por culpa do quão frustrantes foram, sei lá, todas as quatro temporadas de 2015, mas okay. Entre as estreias temos as sempre presentes continuações, como a persistência de um grupo de alunos tentando assassinar seu bizarro professor para salvar a Terra, um príncipe aprofundando sua relação com uma farmacêutica, seres de um mundo fantástico mantendo contato com o Japão e criando nisso conflitos políticos e a "extravagante", para não dizer perigosa, rotina de Ikebukuro com seus eventos sobrenaturais e frenéticos - há ainda novos contos de terror, a sétima série de TV (sétima!) daquelas garotas membros de um clube de tênis que na realidade não veem uma raquete há no mínimo três temporadas, e, vá entender o porquê, mais três meses de tipos sanguíneos antropomorfizados fazendo piadinhas sem graça. Do outro lado da ponte vislumbramos não continuações, mas projetos de profissionais, franquias e estúdios famosos que às vezes jogam para primeiro plano aquilo que geralmente nem daríamos bola, tais como Kyoto Animation e sua nova animação que traz a sinopse mais genérica das genéricas em light novels, P.A. Works e um clube prestes a fechar cujos membros parecem brincar de detetives, e Madhouse e seu bando de rapazes integrantes de um clube que é reaberto (os alunos não se importam mais com clubes no Japão, é isso?) e no qual seu tema é a prática de um esporte que exige grande preparo físico - desculpa esfarrapada para apresentar lindos rapazes ofegantes e suados. De resto, o criador de "Code Geass" retorna com um anime que não promete ser melhor que "Code Geass", e a franquia "Macross" volta à vida com um projeto que parece mais dedicado em divulgar singles, álbuns e idols novatas do que contar uma boa história com mechas - ah, sim, aqui também terá rapazes bishounen para atrair o público feminino, para vocês verem o quão eles estão por dentro das tendências atuais.


Em relação a novidades, novidades mesmo, talvez as mais absurdas sejam a de quatro bustos feitos de gesso formando um grupo de idols (São Jorge, Hermes, Ares e Médici, celebridades de peso!) e a de uma polícia que viaja mundo afora para combater... Restaurantes picaretas que ofereçam comida japonesa ilegítima ou de baixa qualidade, algo que de fato é um crime inafiançável! Falando em comida, conheçam o maravilhoso mundo dos doces japoneses de baixo custo tendo como guia uma garota exótica e louquinha, ou então acompanhem o às vezes engraçado e meigo, às vezes nonsense e meio pervertido, relacionamento entre um senhor gordinho que adora marshmallows e sua colega de trabalho que gosta dele, porém expressa isso com ações não muito sensatas. Garota mágica que usa trajes de banho quando se transforma, e outra que tem de trabalhar como idol enquanto enfrenta monstros bizarros são alguns dos temas mais otakus, ao passo que a história sobre 3 garotas e 9 rapazes viajando em uma embarcação misteriosa deverá ser outro anime a atrair a atenção da ala feminina. Por fim, o drama de um jovem que descobre ser imortal e é caçado por várias pessoas por diferentes motivos, além da missão de um rapaz que viaja no tempo para impedir que no futuro ocorra um crime do qual ele será acusado injustamente, serão talvez as apostas mais seguras da temporada - temporada essa que realmente promete ser melhor que as anteriores, mesmo que não seja preciso lá muito esforço para alcançar isso...

*****

São por enquanto 26 estreias, porém esse número aumentará, no mínimo, para 41. A razão disso é que há mais 15 animações já confirmadas que preferi ir adicionando aos poucos nos próximos dias, para que o post não atrasasse. Na tabela do Neregate tem listada quase todas elas, mas segue abaixo a relação dos títulos faltantes:

Bubuki Buranki (adicionado)
Dimension W (adicionado)
Koukaku no Pandora (adicionado)
Luck & Logic (adicionado)
Nijiiro Days (adicionado)
Ooyasan wa Shishunki! (adicionado)


Como de praxe, a cartela do Neregate ainda tem à disposição, para quem quiser, os anúncios de OVAs, Movies, Specials e OADs que virão nos próximos meses. Já para séries de TV e ONAs, continuarei com comentários pessoais meus em boa parte dos animes, principalmente naqueles cuja obra original eu pude conhecer um pouco - nessa temporada deverei chegar a 12 títulos lidos considerando os que ainda adicionarei, quantidade razoável para uma temporada de inverno.  Certamente um anime que estou aguardando muito agora poderá ser uma droga, ou um que só menosprezei poderá se mostrar muito bom (e às vezes eu também acerto, vai!); mas enfim, são apenas especulações, de acordo com a visão que tive do material original ou da equipe envolvida na produção.

*****

Como esse post está sendo feito com certa antecedência, muitos dados novos surgirão ou terão de ser corrigidos; desse modo, manterei logo a frente uma relação das atualizações realizadas aqui. A propósito, todos os animes possuem em seu título um link que o leva às suas respectivas páginas no MyAnimeList.

Concluindo, as datas de estreia se referem ao dia exato da primeira exibição do anime (excluindo pré-estreias), não importando o horário. Ex: em alguns sites colocam que anime X estreará dia 6 de janeiro, sendo que sua estreia será à 1:00 da manhã já do dia 7; mas aqui a data estará como dia 7 de janeiro mesmo.

PS: Comentários são bem-vindos; ou, para ser exato, eu quero que comentem! Claro, só estou sendo um pouco exagerado, mas feedbacks para algo que levou semanas para ser montado (e que nem chegou ao fim ainda) é, assim, um ótimo "pagamento", que me motiva a continuar com essa postagem em temporadas futuras. Não se preocupe com o tamanho ou conteúdo do comentário, somente deixar seu suporte, crítica ou sugestão já me será o suficiente.

PS (2): Dê o seu voto: No final do post há uma enquete perguntando quais animes você pretende ver nessa temporada, apenas para ver qual é a predileção do público do Animecote. O resultado será divulgado no início de janeiro. 

*****


Como colocar o link direto da imagem causava lentidão no carregamento do post e problemas na hora de realizar atualizações, clique aqui para ser direcionado à página do site Neregate, onde pode visualizar ou baixar a cartela nos formatos JPEG e PNG.

Para quem quiser ver os animes listados de acordo com suas respectivas datas de estreia, clique aqui para acessar uma planilha que montei no Google Drive.


**********

Atualizações:


28/02: Adicionado o anime "Jewelpet: Attack Chance!?".
26/01: Adicionado o anime "Koyomimonogatari".
17/01: Adicionado o anime "Kochin Pa!".
10/01: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Ooyasan wa Shishunki!".
10/01: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Reikenzan: Hoshizuku-tachi no Utage".
10/01: Adicionado novo trailer de "Hai to Gensou no Grimgar".
10/01: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Mahoutsukai Precure!".
09/01: Adicionado o anime "Watashitachi, Luck Logic-bu!".
08/01: Adicionado o anime "Kanojo to Kanojo no Neko: Everything Flows".
07/01: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Tabi Machi Late Show" (decidi informar sobre isso já que não havia nenhum trailer antes desse aqui).
04/01: Após 21 dias e 74 notificações, declaro que AS ATUALIZAÇÕES ESTÃO ENCERRADAS; possíveis correções de informações ou links quebrados, se houver, serão feitas sem aviso - a exceção fica para animes que ainda vierem a ser adicionados ou modificações que eu julgar importante destacar aqui. 
04/01: O único anime confirmado que falta adicionar no post é a terceira produção do CoMix Wave Films no bloco "Super Ultra Anime Time", da qual ainda não foi divulgada nenhuma informação a respeito - mas ela estreará em março, então tem tempo pra isso.
04/01: Veja no final do post um ranking com o número de votos para cada anime na enquete.
04/01: Adicionado o anime "Hai to Gensou no Grimgar".
03/01: Adicionado o anime "Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!".
01/01: E votem na enquete, pois a encerrarei na noite de domingo!
01/01: Espero adicionar nesse fim de semana tanto "Hai to Gensou no Grimgar", quanto "Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!", mesmo que eu acabe vendo apenas suas versões em mangás.
31/12: Adicionada uma planilha do Google Drive listando todos os animes de acordo com a data de estreia de cada um, para que fique mais fácil acompanhar o início da temporada. O link para ela se encontra no texto acima destacado em azul.
31/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Yami Shibai 3rd Season".
31/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Saijaku Muhai no Bahamut".
31/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Mim Mam Mint".
31/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Momokuri".
31/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Ketsuekigata-kun! 4".
31/12: Adicionado o anime "Mim Mam Mint".
31/12: O anime "Macross Delta" não estreará nessa temporada. Leia uma breve nota a respeito no seu texto.
31/12: Adicionado novo trailer de "Boku Dake ga Inai Machi".
31/12: Adicionado o anime "Momokuri".
30/12: Adicionado novo trailer de "Phantasy Star Online 2 The Animation".
30/12: Adicionado novo trailer de "Norn9: Norn + Nornet".
30/12: Adicionado o anime "Saijaku Muhai no Bahamut".
29/12: Adicionado novo trailer de "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu".
29/12: Adicionado novo trailer de "Dagashi Kashi".
28/12: Adicionado novo trailer de "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu".
28/12: Adicionado no título do anime "Tabi Machi Late Show" um link para a sua página no MyAnimeList.
28/12: Adicionado o anime "Mahoutsukai Precure!".
27/12: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu".
27/12: Adicionado o anime "Rilu Rilu Fairilu: Yousei no Door".
27/12: Adicionado o anime "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu".
27/12: Adicionado novo trailer de "Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri - Enryuu-hen".
27/12: Adicionado o anime "Bubuki Buranki".
26/12: Adicionado o anime "Dimension W".
26/12: Adicionados dois novos trailers de "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu".
26/12: Adicionado novo trailer de "Macross Delta".
25/12: Adicionada na informação "Formato" a duração dos episódios do anime "Sushi Police".
25/12: Adicionada na informação "Formato" a duração dos episódios do anime "Ooyasan wa Shinshuki!".
25/12: Adicionada na informação "Formato" a duração dos episódios do anime "Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara.".
25/12: Adicionado ao final do texto do anime "Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara." uma nota corrigindo uma informação que eu tinha passado antes.
25/12: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Nurse Witch Komugi-chan R".
25/12: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Oshiete! Galko-chan".
25/12: Adicionado novo trailer de "Luck & Logic".
25/12: Adicionado novo trailer de "Boku Dake ga Inai Machi".
25/12: Adicionado o anime "Koukaku no Pandora".
24/12: Adicionado novo trailer de "Dagashi Kashi".
24/12: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Ooyasan wa Shishunki!".
24/12: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara.".
24/12: Corrigida a informação "Trailer" do anime "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu", visto que o link anterior era de outro anime.
24/12: Peço desculpas pela demora nas atualizações em relação ao tanto de títulos que ainda faltam adicionar, porém espero avançar bastante nisso nos próximos dias.
23/12: Adicionado novo trailer de "Schwarzesmarken".
23/12: Adicionada a informação "Trailer" do anime "Durarara!!x2 Ketsu".
22/12: Adicionado o anime "Luck & Logic".
21/12: Adicionado novo trailer de "Yami Shibai 3rd Season".
21/12: Substituído o link do segundo trailer de "Boku dake ga Inai Machi" por outro com vídeo legendado em inglês.
21/12: Animes previstos para serem adicionados nos próximos 3 dias: "Koukaku no Pandora", "Luck & Logic" e "Dimension W".
21/12:
 Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Yami Shibai 3rd Season".
21/12: Corrigidos alguns erros de formatação e digitação.
21/12: Adicionado o anime "Reikenzan: Hoshizuku-tachi no Utage".
20/12: Adicionado o anime "Nijiiro Days".
20/12: Adicionado novo trailer de "Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season".
20/12: Adicionado novo trailer de "Ajin".
19/12: Adicionado o anime "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu".
18/12: Adicionado novo trailer de "Musaigen no Phantom World".
18/12: Adicionado novo trailer de "Active Raid: Kidou Kyoushuushitsu Dai Hakkei".
18/12: Adicionado o anime "Tabi Machi Late Show".
18/12: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Haruchika: Haruta to Chika wa Seishun Suru".
18/12: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Macross Delta".
18/12: Adicionado novo trailer de "Boku Dake ga Inai Machi".
18/12: Adicionado o anime "Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu".
16/12: Animes previstos para serem adicionados nos próximos 3 dias: "Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu", "Niijiro Days" e "Tabi Machi Late Show".
16/12: Adicionada uma nova informação no final do texto do anime "Boku dake ga Inai Machi".
16/12: Adicionado o anime "Ao no Kanata no Four Rhythm".
15/12: Corrigidos alguns erros de formatação e digitação.
14/12: Adicionado o anime "Ooyasan wa Shinshuki!".
14/12: Adicionadas novas informações no texto do anime "Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season".
14/12: Revisão de todos os textos e links em andamento.



**********

Active Raid: Kidou Kyoushuushitsu Dai Hakkei
Formato: TV 
Data de estreia: 07/01
Estúdio: Production IMS
Diretor: Goro Taniguchi ("Code Geass: Hangyaku no Lelouch", "Gun x Sword", "Infinite Ryvius", "Junketsu no Maria", "Planetes")
Gênero: Ação / Sci-fi
Tema: Policial
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

A ser dirigido por Goro Taniguchi durante duas temporadas em separado, profissional que ganhou fama por ter participado de diversas animações com elementos sci-fi e mechas, das quais podem ver algumas nas informações acima (se bem que seu último trabalho, "Junketsu no Maria", fugiu um pouco de seu estilo habitual), a respeito de "Active Raid" foi dito pouco sobre sua ambientação: nesse caso, a trama se passa em uma região de Tóquio de grande perigo vigiada pela Unidade 8 da 3ª Divisão de Assalto Móvel da 5ª Divisão de Segurança Pública Especial, ou popularmente conhecida como "O Oitavo", que usa as armaduras exoesqueletos "Willwear" para combater o aumento do crime. Nela, Asami Kazari se apresenta com a suposta tarefa de avaliar o estado da unidade e reporta-la para seus superiores, porém seu objetivo real é reabilitar esse grupo desleixado e corrupto. Acabou a introdução, segue em frente.

Agentes usando armaduras para combater o crime, um elenco inchado de garotas com visual moe e, o que deverá ser um dos maiores "atributos" desse anime, uma personagem chamada Liko que é uma garota virtual empregada que pode ser instalada em qualquer smartphone ou computador, sem esquecer ainda a frase "Tchau, tchau, bom senso!" destacada em sua página oficial; claro que é só especulação, entretanto não creio que temas tão recorrentes em outros trabalhos de Taniguchi como política e conflitos sociais terão grande significância aqui, dando espaço para uma descompromissada obra policial sci-fi com possíveis pitadas de comédia e argumentos bem mais modestos do que sua sinopse sugere. E nem vejo isso lá como ponto negativo, pois Taniguchi já mostrou por várias vezes saber montar atraentes e empolgantes sequências de ação.

Oitavo anime a ser comandado pelo Production IMS e com animação em CG (não muito boa no trailer, mas é de se esperar já que o Production IMS produz animes com orçamentos bastante baixos) a cargo do estúdio Orange ("Rokka no Yuusha", "Rail Wars!", "Zankyou no Terror"), "Active Raid" terá, junto a Goro Taniguchi como diretor chefe, Noriaki Akitaya ("Joukamachi no Dandelion") de diretor assistente, Naruhisa Arakawa ("Kingdom", "Outbreak Company") na supervisão de roteiros, Kotaro Nakagawa ("Code Geass", "Prison School, "Gosick") na trilha sonora e Asako Nishida ("Denpa Onna to Seishun Otoko", "Love Live! School Idol Project") na adaptação do "character design" originalmente criado por Shun Saeki, o artista por trás do mangá "Shoukugeki no Souma" e também autor de várias obras hentai.


**********

Ajin
Formato: TV 
Data de estreia: 16/01
Estúdio: Polygon Pictures
Diretor: Hiroyuki Seshita ("Sidonia no Kishi: Daikyuu Wakusei Seneki")
Gênero: Ação / Horror / Suspense
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Documentados pela primeira vez há 17 anos durante um conflito na África, "Ajin" é o nome dado a seres humanos que são imortais - porém, fora o fato de não poderem morrer, eles se parecem e vivem como pessoas normais e por conta disso são difíceis de serem identificados. Totalmente dedicado aos estudos para poder no futuro se tornar um médico, o adolescente Kei Nagai acaba em certa tarde sendo atropelado por um caminhão ao sair da escola; o rapaz morre na hora, contudo retorna à vida instantes depois como se nada tivesse acontecido, descobrindo desse modo que ele próprio é também um Ajin, o terceiro a ser encontrado no Japão. Alvo de grande interesse da mídia e perseguido pelo governo, agora resta a Nagai fugir e se esconder enquanto, com o passar dos dias, lhes são revelados vários segredos em torno dos humanos imortais.

Baseado em um mangá seinen publicado desde 2012 na revista "good! Afternoon" ("Witch Craft Works", "Billionaire Girl"), "Ajin" será seu anime violento da temporada, e ainda todo feito em CGI pela Polygon Pictures ("Sidonia no Kishi", "Sanzoku no Musume Ronja") para variar, estúdio esse que é especializado em tal técnica de animação - muitos fãs tem chiado quanto a isso após a divulgação dos trailers, o que é compreensível considerando as limitações técnicas para uma série de TV de baixo orçamento e a perda de qualidade em comparação com os traços detalhados da obra original. Aliás, Polygon também lançará uma trilogia de filmes que recapitulará o que será visto na televisão; o primeiro estreou nos cinemas no último dia 27, ao passo que o segundo está programado para o mês de maio e o terceiro, ainda não tem previsão de lançamento.

Pude ler três volumes do mangá antes da publicação desse guia, mas confesso que não tenho muito de relevante a falar dele; após um primeiro volume que me soou artificial demais e monótono devido ao modo como alguns personagens se comportavam e a maneira que ocorriam certos acontecimentos (a explicação sobre os Ajins, o raciocínio e reação das pessoas diante de um, a série de eventos posteriores a isso e etc), admito que da metade do segundo volume em diante fui fisgado pelos desdobramentos quanto ao crescente drama de Nagai e as diversas explicações e descobertas em relação aos Ajin, havendo nisso vários conflitos de interesses em seu redor - ah, claro, as muito bem desenhadas e explícitas sequências de ação também ajudaram nisso, sem dúvida, a maioria com humanos sendo massacrados por esses seres imortais, porém já teve inclusive uma cena onde dois deles acabaram se enfrentando como podem ver pelas imagens (para evitar exagero nos spoils prefiro não explicar melhor o que seriam exatamente essas, digamos assim, "múmias" em destaque numa delas). Honestamente, na maior parte do tempo senti que estava antes lendo não uma obra de demografia seinen, mas sim de shounen por conta da sua simplicidade nos diálogos e narração, e só em raros momentos, quando por exemplo surgiam comentários mais profundos a respeito do que são os Ajin e o tratamento dado a eles pela sociedade, ou então nas horas em que Nagai refletia sobre a angústia de aos poucos estar deixando de ser alguém "normal" (praticamente um Ken Kaneki de "Tokyo Ghoul", apesar de terem personalidades bem opostas em alguns pontos), é que o mangá mostrou maior maturidade. Ponto negativo? De forma alguma: com um protagonista metódico disposto a não perder a sanidade em meio a essa nova e conturbada fase de sua vida, um amigo do mesmo que fará de tudo para protegê-lo e grupos e organizações que possuem visões e objetivos opostos para com os Ajin, o mangá pode não ter a complexidade prevista para a sua demografia (e claro que isso não é regra, eu apenas queria deixar essa questão esclarecida), estando mais nela por culpa da violência crua, entretanto isso não diminui sua qualidade como história de ação e suspense. Diverte, emociona um pouco que seja nos devidos momentos, instiga o interesse do leitor com suas reviravoltas e ao liberar em pedaços novas informações a respeito dos Ajin; enfim, faz jus a expectativa que está havendo em cima do anime. 

Já tendo sido declarado que a série de TV pretende apresentar detalhes inéditos sobre o mundo em que a história se passa, e previsto ainda para ser disponibilizada no Netflix por inteiro na metade do ano (fizeram o mesmo com "Sidonia no Kishi"), entre a equipe de produção de "Ajin", junto a Hiroyuki Seshita no comando de sua segunda série de TV, temos também Hiroaki Ando de diretor assistente, Yuugo Kanno ("Psycho-Pass", "Jojo's Bizarre Adventure: Stardust Crusaders") na trilha sonora e Yuki Moriyama ("Sidonia no Kishi") no "character design"

**********

Akagami no Shirayuki-hime 2nd Season
Formato: TV 
Data de estreia: 12/01
Estúdio: Bones
Diretor: Masahiro Ando ("Hanasaku Iroha", "Zetsuen no Tempest")
Gênero: Drama / Fantasia / Romance
Tema: Histórico
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 14 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Akagami no Shirayuki-hime", anime cujo mangá, hoje com 14 volumes, é publicado desde 2006 na revista shoujo Lala DX ("Natsume Yuunjichou"). Narrando a história de amor entre um príncipe e uma farmacêutica que trabalha em seu castelo, a animação continuará na direção de Masahiro Ando e com produção do estúdio BONES; não foi detalhado ainda o restante da equipe, mas, como trata-se de um anime na qual a primeira temporada foi exibida há poucos meses, não deverá haver grandes mudanças nisso.


**********

Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Lerche
Diretor: Seiji Kishi ("Angel Beats!", "Hamatora", "Jinrui wa Suitai Shimashita", "Seto no Hanayome", "Yuuki Yuuna wa Yuusha de Aru")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Escolar
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 16 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Ansatsu Kyoushitsu (TV)", anime cujo mangá, hoje com 16 volumes, é publicado desde 2012 na revista shounen Weekly Shounen Jump ("One Piece", "Haikyuu!!", "Shokugeki no Souma") - sendo que desses, 9 já foram lançados aqui no Brasil pela editora Panini. A equipe principal segue a mesma, com o estúdio Lerche ("Gakkou Gurashi!", "Monster Musume no Iru Nichijou") na produção do anime, Seiji Kishi ("Angel Beats!", "Yuuki Yuuna wa Yuusha de Aru") na direção, Makoto Uezu ("Akame ga Kill", "D-Frag!") na supervisão de roteiros, Naoki Satou ("Eureka Seven", "Blood-C", "Moyashimon") na trilha sonora e Kazuaki Morita ("Persona 4 The Animation", "Seto no Hanayome") no "character design". Já está definido que essa continuação será composta por 25 episódios.

A propósito, em março do ano passado estreou um filme em live-action do mangá (clique aqui para ver um trailer), enquanto que no mesmo mês também teve o lançamento de um jogo para Nintendo 3DS - no qual seu objetivo, claro, é tentar assassinar o Koro-sensei; clique aqui para ver um vídeo de alguém jogando as primeiras fases. Para 2016 está previsto um segundo filme em live-action, que estreará no Japão durante a estação de primavera, e um novo jogo para Nintendo 3DS em março.


**********

Ao no Kanata no Four Rhythm
Formato: TV 
Data de estreia: 12/01
Estúdio: Gonzo
Diretor: Fumitoshi Oizaki ("Acchi Kocchi", "Astarotte no Omocha!", "Etotama", "Romeo x Juliet")
Gênero: Drama / Romance / Sci-fi
Tema: Escolar / Harém
De onde saiu: Visual novel para PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Baseado em uma visual novel lançada em 2014 para PC, a história de "Ao no Kanata no Four Rhythm" se passa em um arquipélago de quatro ilhas localizado ao sul do Japão, isso em um mundo futurista onde foi criado uma espécie de sapatos anti-gravidade que possibilitou a qualquer pessoa a voar pelos céus apenas com o uso da força de seu próprio corpo - e como resultado desse invento surgiu também um popular esporte focado nele, chamado "Flying Circus". O protagonista, Masaya Hinata, se mostrava promissor nessa modalidade, porém ele desistiu de seguir essa carreira tanto após sofrer uma derrota humilhante, quanto por outros motivos particulares. Todavia, ao conhecer Asuka Kurashina, garota que acabou de se transferir para a sua escola, Masaya acabará reacendendo sua paixão pelo "Flying Circus" conforme treina ela nesse esporte, algo que ainda dará início a uma história de amor que se elevará até os céus.

Urgh, perdão, eu inventei a baboseira final dessa frase, mas ela não difere muito dos textos oficiais e afetados que encontrei sobre essa visual novel. Produzido pelo estúdio sprite, que também é criador de "Koi to Senkyo to Chocolate", outro jogo que já teve uma série de TV em 2012, fiquei impedido de jogar "Ao no Kanata no Four Rhythm" visto que só recentemente alguns fãs começaram a traduzi-lo, mas pelo menos economizei bastante tempo para um título que, sinceramente, vendas ótimas e elogios à parte, não parece trazer uma história tão decente assim que valerá a pena testemunhar na animação que estará a cargo do combalido Gonzo. Não posso negar que a arte da visual novel, igual aos outros títulos do mesmo desenvolvedor, é muito atraente conforme podem ver nessa galeria de 70 imagens que eu montei (há algumas cenas de nudez e seminudez no meio), e sendo uma obra bem longa (quase 50 horas de duração) com pouco conteúdo sexual e mais focada no desenvolvimento de personagens, é de se esperar um roteiro acima da média para trabalhos desse gênero, mas confesso que qualquer expectativa minha se esvai ao bater o olho nas descrições dos personagens e nos acontecimentos retratados nessas mesmas belas ilustrações. Seja pelo protagonista masculino que (pra variar...) sofre de algum trauma, ou então pelo quarteto de garotas que se reunirá ao redor dele e o ajudará a superar isso, indo desde a mocinha principal refinada e enérgica até a baixinha "mascote" que adora doces, a tímida e estudiosa que daria uma perfeita dona de casa e a "tomboy" que se mostra a sábia piadista do grupo, além de sequências repletas de mal entendidos, momentos pseudo românticos com todas elas, dramas pessoais de cada uma que omitirei detalhes aqui e outros eventos rotineiros sem aparente muita inspiração, eis um anime que de primeiro momento só tem de chamativo mesmo sua boa equipe de produção, destacada logo abaixo - e lhes revelo que, mesmo vendo imagens da visual novel ou esse e esse vídeo de abertura da mesma, não consegui compreender até agora como raios é jogado esse tal esporte "Flying Circus"; parece luta com acrobacias, sei lá, mas de qualquer forma os trajes são embaraçosos!

Com Fumitoshi Oizaki na direção, profissional quer considero até que bem satisfatório, "Ao no Kanata Four Rhythm" terá a competente Reiko Yoshida ("Bakuman." "K-ON!", "Kaleido Star", "Yowamushi Pedal", o novo anime do P.A. Works logo adiante) na supervisão de roteiros e o grupo Elements Garden ("Grisaia no Kajitsu", "Senki Zesshou Symphogear" na trilha sonora. Por fim, em 2016 será lançada um nova versão da visual novel para PS Vita. 


**********


Boku dake ga Inai Machi
Formato: TV 
Data de estreia: 08/01
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Tomohiko Ito ("Gin no Saji", "Seikimatsu Occult Gakuin", "Sword Art Online")
Gênero: Drama / Suspense
De onde saiu: Mangá, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui (Leg. em inglês), aqui e aqui

Aos 28 anos a carreira de mangaká de Satoru Fujinuma não se encontra em boa situação, pois, enquanto recebe seguidas rejeições e críticas sobre o quão seus manuscritos não parecem ter uma identidade própria ou não são bons o suficiente para serem publicados, ele se vê dependente de um emprego como entregador de pizza para poder se sustentar. Todavia, sua rotina está longe de ser tão ordinária quanto parece: por algum motivo, Fujinuma possui uma habilidade sobrenatural que o força a voltar no tempo para evitar mortes e catástrofes, sendo sempre enviado para momentos antes do incidente ocorrer e obrigado a repetir esse loop temporal até que consiga impedir a tragédia. Tal anomalia gera algumas dores de cabeça em sua vida, mas em contrapartida ele já conseguiu salvar várias pessoas graças a ela.

Porém, em certo dia Fujinuma é envolvido em um caso de assassinato no qual é visto como o principal suspeito; querendo salvar a vítima, ele tenta voltar alguns momentos no tempo, contudo acaba retornando 18 anos no passado, se tornando agora, mais uma vez, um estudante do ensino fundamental. Fujinuma logo percebe que a data para a qual ele voltou é um mês antes do desaparecimento de sua colega de classe Kayo Hinazuki, e dessa forma decide prevenir que isso ocorra uma vez que esse evento parece ter ligação com o que viria lhe acontecer anos depois.

Baseado em um mangá seinen publicado na Young Ace ("Blood Lad", "Isuca") desde 2012, "Boku dake ga Inai Machi" é o mangá / light novel que mais li para o guia dessa temporada; foram 5 volumes consumidos em poucos dias, mas, apesar disso, o texto sobre ele será bem enxuto. O motivo é que enquanto com obras mais focadas na comédia, ação, ecchi e etc não tem muito problema em eu ficar postando imagens e dando spoil de acontecimentos diversos, desse mangá, pelo contrário, quanto menos se souber a seu respeito será melhor para não prejudicar a experiência com o anime - a sinopse mesmo já engloba quase um volume inteiro devido à lenta introdução de cenário e construção de caracterização do protagonista no início, mas logo abaixo só comentarei superficialmente o que já deve ser esperado desse argumento.

Uma coisa é ficar preso em um loop temporal de poucos minutos até que salve a vida de alguém, e outra, muito mais arriscada e complexa, é retornar vários anos no passado para evitar um acontecimento que mudará drasticamente o futuro: totalmente óbvio, mas é claro que a intervenção de Fujinuma não sairá da maneira que ele espera - será uma bagunça de fatos se sobrepondo, na realidade. Seja não repetindo uma única ação que na sua ausência será benéfica para alguém, mas que terminará não sendo nada boa para outra pessoa, ou seja modificando uma sequência de atos que no final, apesar de parecer que mudará algo, na realidade apenas no máximo retardará um pouco a fatídica tragédia, Fujinuma logo descobre o quão delicado é manipular e reparar uma grande cadeia de eventos com tantas pessoas e pormenores envolvidos, principalmente estando no corpo de uma criança no ano de 1988, cujas limitações físicas e sociais enfraquecem a vantagem de ainda possuir a consciência de um adulto de 28 anos. Adulto esse, aliás, que no ano de 2006 não passa de um mangaká desiludido trabalhando em um subemprego para viver; tendo se tornado um antissocial que desconfia dos outros e que não ostenta uma relação muito amistosa com sua mãe, o que mais me chamou a atenção em "Boku dake ga Inai Machi" foi o alto teor psicológico da trama, onde um sujeito amargurado com a vida, ao revisitar e reviver eventos de sua infância, tem a chance de analisar e alterar os fatos que o tornaram na pessoa que é hoje. A mãe mais jovem e ainda agradável de se conversar antes que o elo entre os dois se deteriorasse, seu grupo de amigos quase já esquecido, o adulto que lhe serviu de companhia quando se encontrava isolado, e, chave central nesse problema, a colega de classe com a qual Fujinuma mal conversava em sua "primeira vida", mas que agora terá de criar e forçar algum contato de maior intimidade para conhecê-la melhor e tentar salva-la... Tudo começou com a ideia de voltar uns poucos minutos que fossem no passado para prevenir um assassinato, porém o que se vê aqui é um protagonista numa viagem de autoconhecimento enquanto se vê diante de algo muito maior do que ele imaginava que seria. Erros serão repetidos e falhas serão constantes, segredos desagradáveis virão à tona, novos momentos de felicidade e tristeza serão criados, e sabe-se lá até que ponto, por quanto tempo, será necessário intervir no passado: mesmo que seja de se questionar os inevitáveis paradoxos temporais em certos trechos, tenho achado o mangá de "Boku dake ga Inai Machi" bastante equilibrado e coeso em relação ao drama de Fujinuma e o suspense com diversos desdobramentos em torno do desaparecimento de Hinazuki e suas consequências. Chega, mangá é bom, já foi inclusive indicado a premiações como o "Tezuka Osamu Cultural Prize" em 2014 e o "Manga Taishou" em 2014 e 2015 e ponto final, se eu esmiuçar um mínimo além disso estarei dando uma de chato.

A ser produzido por A-1 Pictures e dirigido pelo mediano Tomohiko Itou, o anime contará também com o bom Taku Kishimoto ("Usagi Drop", "Haikyuu!!") na supervisão de roteiros, Yuki Kajiura ("Fate/Zero", "Noir", "Sword Art Online") na trilha sonora e Kaeigo Sasaki ("Ao no Exorcist", "Nanatsu no Taizai") no "character design".


Atualização, 16/12: Ah, esqueci de mencionar que esse será o único anime a ser exibido no bloco noitaminA nessa temporada.


**********

Bubuki Buranki
Formato: TV
Data de estreia: 09/01
Estúdio: Sanzigen
Diretor: Daizen Komatsuda
Gênero: Ação
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quando Azuma Ikki retorna ao Japão após dez anos, ele acaba sendo rendido por um grupo de homens armados e se torna seu prisioneiro - contudo sua amiga de infância, Kogane Asabuki, o salva dessa situação usando a Bubuki, uma arma que possui vida própria. Azuma descobre que ele mesmo é um potencial usuário de tais armas, e dessa forma parte em uma jornada, ao lado de Asabuki e outras pessoas, numa tentativa de encontrar e reviver Oumai, um Buranki (titã) que está adormecido no subsolo.

Ah, okay..."Bubuki Buranki" será uma animação original produzida pelo Sanzigen no seu aniversário de dez anos, visto que ele foi fundado em 2006 por ex membros do Gonzo - especializado em animação CGI, entre suas produções podemos destacar "Aoki Hagane no Arpeggio", "Arslan Senki", "Miss Monochrome" e a trilogia de filmes de "Initial D", havendo ainda participações secundárias em diversos animes no trato de cenas em CGI igual fizeram, recentemente, com "Kill la Kill", "Terraformars" e "Heavy Object". Reunindo uma equipe formada em sua maioria por novatos, encabeçada pelo debutante Daizen Komatsuda na direção junto do também estreante Jirou Ishii na supervisão de roteiros, e com uma premissa dessas da qual, tirando ela, há somente descrições vagas de alguns personagens no site oficial onde descobrimos que essas "armas vivas" parecem ser passadas de geração em geração, eis aqui uma estreia que é uma total incógnita - igual ao que ocorre com grande parte dos projetos originais, né, mas de primeiro momento só tenho a elogiar mesmo a boa animação em CGI vista no trailer, pois o argumento inicial em si é demasiado banal e sem sal.

Completam a equipe Yukinori Kitajima ("Gokukoku no Brynhildr") na criação dos roteiros originais (ele possui poucos trabalhos em animações, porém foi responsável pelos roteiros de alguns jogos de suspense e ação, o que pode indicar o estilo desse anime), o competente Masaru Yokoyama ("Shigatsu wa Kimi no Uso", "Rampo Kitan", The Rolling Girls") na trilha sonora, Yuusuke Kozaki ("Speed Grapher") no "character design" e Takeshi Takakura ("Aquarion Evol", "Captain Earth", "Infinite Stratos") nos desenhos mecânicos.

**********

Dagashi Kashi
Formato: TV
Data de estreia: 07/01
Estúdio: feel.
Diretor: Shigehito Takayanagi ("Kami Nomi zo Shiru Sekai", "Kanameno", "Tokyo ESP")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 3 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Um jovem que não deseja herdar o negócio de família, uma garota "um pouco" maluquinha e muitos, muitos doces.

O pai de Shikada Kokonotsu deseja que seu filho seja o orgulhoso nono herdeiro de uma respeitável... Loja minúscula de doces baratos, conhecidos como "dagashi", localizada numa região rural do Japão, porém o rapaz se recusa totalmente a seguir tais planos uma vez que sonha em se tornar mangaká - contudo, em breve seu pai ganha uma nova "aliada" nisso chamada Shidare Hotaru, garota de bela aparência, mas de comportamento um tanto excêntrico, cuja família é dona da "Shidare Company", uma grande e famosa produtora de doces no país. Fazendo um acordo no qual o pai de Kokonotsu, pessoa prestigiada no ramo, terá de trabalhar na empresa deles caso consiga convencer seu filho a herdar o negócio de família, já que ele mesmo afirma que só aceitaria a oferta se isso acontecesse, Hotaru passará agora a frequentar (e tumultuar) a pequena loja de doces para apresentar ao garoto as maravilhas desse mundo de guloseimas de baixo custo, mas em pouco tempo percebe que não será tão fácil e rápido fazê-lo mudar de ideia quanto imaginava.

Apesar de ser publicado na revista shounen "Weekly Shounen Sunday" ("Hayate no Gotoku!", "Magi","Denpa Kyoushi") há somente um ano e meio, "Dagashi Kashi" e seus curtos capítulos de em média 10 páginas cada já obteve elogiável popularidade graças, em grande parte, a essa garota de cabelos roxos e unhas pintadas na imagem acima, que engloba vários atributos de considerável apelo aos otakus numa só personagem - admito ter me surpreendido com o número de fanarts e doujins que achei dela pela internet, numa quantidade normalmente existente apenas para obras que já receberam suas versões animadas (visto que isso aumenta e muito a visibilidade delas). Claro, estou citando esse lado não tão "honrado" do mundo otaku mais como informação extra para tentar explicar um dos motivos de o mangá ser tão popular, contudo eu não teria lido todos os capítulos traduzidos por ora se não tivesse me atraído também o bom e (inusitado) educativo humor em volta dela e dos demais personagens.

Os pequenos capítulos de "Dagashi Kashi" seguem uma fórmula que por ora continuam atraentes, porém questiono por quanto mais tempo o mangá conseguirá seguir nesse ritmo e, em especial, se a repetição não ficará menos aturável no anime. Basicamente, a cada capítulo, com raras exceções que fogem do padrão, vemos Hotaru apresentar a Kokonotsu algum "dagashi" qualquer e começar a discuti-lo de forma apaixonada seja a respeito do melhor modo de comê-lo, suas (para ela) inúmeras e admiráveis características ou então sobre curiosidades diversas - a palavra "dagashi" se refere a doces de baixo custo que possam ser comprados pelas crianças com o pouco dinheiro que recebem dos pais, geralmente não acima de 50 ienes; até uma ou duas décadas atrás haviam em todo canto lojas dedicadas a esses produtos (chamadas "dagashiya") onde eles compartilhavam espaço com brinquedos de igual valor e inclusive ofereciam, no caso de alguns, a chance de a pessoa ganhar outro doce caso viesse algum palitinho ou embalagem premiada, mas o aumento da soma de dinheiro recebido pelas crianças (que acabam preferindo comprar guloseimas mais caras em outros lugares) e a ininterrupta queda na taxa de natalidade do país tem feito muitos desses comércios fecharem as portas. E é de se esperar que a situação esteja ainda pior para uma lojinha perdida numa cidadezinha sem nenhum atrativo turístico, o que justifica o nosso protagonista masculino em se mostrar tão teimoso no assunto e querer se tornar um mangaká de obras shoujo - e até que ele desenha e escreve bem segundo as minuciosas opiniões de seu intrometido pai, que também chegou a tentar usar da mesma ferramenta para fazer o filho mudar de ideia, em vão. Nisso, entram os """planos""", com várias aspas mesmo, de Hotaru para convencê-lo do contrário, dos quais podemos resumi-los como várias ideias distorcidas, ações incoerentes e explanações delirantes em relação a vários doces, e é de se elogiar como ela permanece tão confiante e imponente mesmo após vê-los falhar...

Descubra os "segredos" por trás do "Morocco Fruit Yogul", um doce parecido com iogurte que, para compreender melhor a razão de haver um elefante como mascote e Marrocos no nome, impeliu Hotaru a viajar para o país africano (gente rica é outra coisa...) com o intuito de desvendar suas influências, entretanto no fim foi Kokonotsu quem lhe trouxe à tona a maior revelação; entenda, nas palavras dessa mesma garota, a razão de o barato e singelo "Kinako Bou" (um doce de palitinho que se esfarela facilmente) ser tão adorado mesmo não possuindo mascote ou embalagens coloridas de apelo visual, confiando unicamente na força de seu sabor, e durante o andar do capítulo Hotaru mostrará "técnicas" questionáveis de como degusta-lo propriamente e Kokonotsu terá um embaraçoso momento disso gravado em sua mente; veja Hotaru, de novo, divagando sobre por que na hora de comprar um "Butamen" (simulacro de lámen) as crianças preferem não arriscar muito na escolha dos sabores, visto que se trata de um dagashi de preço elevado, custando "altos" 70 ienes - se bem que não precisava para isso desligar o ar condicionado da loja, em pleno verão, para criar um ambiente "propício" à degustação desse alimento, creio eu. Pai e filho conversando enquanto repartem alguns cigarros... de chocolate; "Bontan Ame" e sua embalagem feita de papel de arroz que pode ser consumida junto com a bala; o charme de "Fue Ramune" e dagashi semelhantes que podem ser usados como brinquedos, no caso desse um apito; Hotaru ficando incompreensivelmente bêbada apos tomar "Namaiki Beer", um pozinho que ao ser dissolvido em água simula o sabor de uma cerveja; a experiência de comer bolinhas coloridas de chocolate enquanto se lê adivinhações com o "Puchi Puchi Uranai Chocco", algo que o torna um favorito entre as garotas; a chance que o dagashi em forma de macarrão "Yatta! Men" lhe dá em ganhar "dinheiro" para comprar qualquer outro doce; o pai de Kokonotsu contando uma história nada factível para retratar a origem da bebida "Ramune", que segundo ele causou a abertura do Japão ao ocidente no século XIX; e, claro, nesse endeusamento a tudo que é doce não faltaria aquele que todos vocês devem ter presenciado ao menos uma vez em qualquer anime, o famoso Umai Bou, e aqui Hotaru salienta e enfatiza sua genialidade em tornar capaz de experimentar em simultâneo sabores de alimentos que seriam incompatíveis de provar juntos, como pizza e nattou, por exemplo (não, obrigado). 

Ufa! Chega, né? Em dois volumes que eu li esse foi o material predominante, uma série de narrações e comentários parciais a respeito de dagashi, do qual o próprio autor, Kotoyama, se mostra tão fã que constantemente faz recomendações e tece elogios de lojas reais e produtos. Como deve ter ficado evidente a Hotaru rouba de fato a cena na maior parte do tempo devido a sua empolgação inesgotável por dagashi, realizando nesse processo as mais diferentes e cômicas expressões, como podem ver nessa colagem com várias imagens; fora isso, temos um Kokonotsu desempenhando muito bem o papel de tsukkomi ao replicar as loucuras dela e de seu pai (outra figura que tem a cara de pau em falar asneiras com profunda seriedade), a amiga de infância do protagonista que, coitada, não parece ter esperança alguma num futuro próximo em conseguir ganhar a atenção do rapaz, e seguidos momentos de duplo sentido entre os dois personagens principais, já que Kokonotsu se interessou por ela à primeira vista e essa, frequentemente, o confunde com frases e ações dúbias que sempre no final ele percebe (dolorosamente) serem voltadas a mais dagashi - e Hotaru está longe de pensar em outro assunto a não ser nisso, valendo por fim ressaltar que mesmo tendo potencial e aberturas para tal, os momentos de fanservice em cima dessa garota são tão (ao meu ver) insignificantes e esparsos que nem merecem ser destacados com imagens. É pura comédia, puro slice-of-life no interior do Japão sem evolução no argumento apresentado na premissa, pura fonte de sabedoria sobre uma ínfima parte da cultura japonesa que temos a oportunidade em conhecer melhor. Digo-lhes que me simpatizei com o mangá, mas admito que já estou ficando meio cansado desse seu estilo, e imagino se o estúdio feel., que vem numa sequência de quatro séries de TV com episódios curtos, não fará o mesmo aqui com essa fórmula um tanto engessada - mas acho ser mais provável mesmo produzirem episódios de tamanho normal por conta da propaganda em cima dele e do quão o mangá é popular, o que em contrapartida fará o anime correr o risco de ficar repetitivo e monótono em pouco tempo caso não saibam unir bem suas várias historinhas.

Com a queridinha Ayana Taketatsu (Kirino em "Ore no Imouto", Azusa em "K-ON!") dublando Hotaru, "Dagashi Kashi" terá S
higehito Takayanagi na direção, nome um tanto contestado devido às suas adaptações de obras vindas de mangás - sendo a última o fraquíssimo "Tokyo ESP" -, e ele, mais Yasuko Kamo, cuidarão da supervisão dos roteiros a serem criados por Michiko Yokote ("Genshiken", "Prison School", "xxxHOLIC"), Tatsuhiko Urahata ("GATE", "Boku wa Tomodachi ga Sukunai") e o próprio Yasuko. Kanetoshi Kamimoto ("Burst Angel", "Dakara Boku wa, H ga Dekinai.") fará o "character design", e agora dia 18 de dezembro será lançada uma versão em light novel do mangá, de volume único, com ilustrações do autor Kotoyama e história por Manta Aisora, criador da light novel "Haiyore! Nyaruko-san".


**********

Dimension W
Formato: TV
Data de estreia: 10/01
Estúdio: Orange / Studio 3hz
Diretor: Kanta Kamei ("Oreshura", "Ryuugajou Nanana no Maizoukin", "Usagi Drop")
Gênero: Ação / Sci-fi
De onde saiu: Mangá, 9 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

No ano de 2072 os problemas relacionados a geração de energia no mundo todo foram resolvidos graças a criação dos "coils" ("bobinas" em inglês), que são aparelhos de indução eletromagnética capazes de extrair energia de uma fonte supostamente infinita que é a "Dimensão W", um plano existente além das dimensões X, Y e Z. Apesar de serem rigorosamente controladas por uma empresa que detêm seu monopólio, com frequência surgem pessoas portando coils não oficiais, modificadas, cujo poder sem restrições não é páreo para a polícia, e é aí que entra sujeitos como Kyouma Mabuchi, homem que tem como trabalho recuperar essas coils. Averso a qualquer tecnologia que usa esses aparelhos, após mais um serviço e certos imprevistos Kyouma se vê forçado a ter como companhia justamente uma androide movida a coils chamada Mira, que possui alguns segredo quanto a sua origem.

Baseado em um mangá seinen publicado desde 2011 por Yuji Iwahara ("Ibara no Ou", character designer" de "Darker than Black"), "Dimension W" se resume a uma satisfatória trama sci-fi episódica de ação com toques de comédia e suspense, no qual sua dupla principal bate cabeça o tempo inteiro enquanto lida com problemas relacionados ao uso indevido desses tais coils. E é isso, os parágrafos seguintes só servirão mesmo para encher linguiça descrever alguns acontecimentos e ambientação, e caso estejam querendo saber mais detalhes sobre o que são esses aparelhos é melhor esquecer, visto que até o mangá se omite quanto a isso ao dizer que "poucos compreendem seu funcionamento como um todo" ou "sua estrutura e composição são confidenciais" - não é como se esperássemos também uma explicação bonitinha e verossímil para eles, né, mas aí fica fácil criar qualquer conceito "milagroso" em algum campo...

Kyouma é "old school": em um mundo onde tudo tem como base um novo tipo de energia, nosso protagonista ainda dirige um carro movido a gasolina, carrega um celular com bateria normal e usa armas brancas "arcaicas" para enfrentar aqueles que se aproveitam de coils modificados com o intuito de praticar crimes - nos 3 volumes que li do mangá já deu para compreender um pouco o motivo de ele odiar essa tecnologia, e é lógico que isso tem a ver com um passado nada nostálgico e feliz, mas nisso não darei maiores spoils. Logo no primeiro trabalho seu que acompanhamos, onde o objetivo é ir atrás de uns bandidos de terceira categoria que estavam reunindo grande quantidades de coils para aumentar o poder de fogo de suas armas, descobrimos tanto o quão esse homem de cara fechada luta bem mesmo em grande desvantagem numérica, quanto como ele é totalmente indiferente a tudo que não tenha ligação direta com o seu serviço, visto que sequer dá a mínima nas ameaças de um dos criminosos em matar uma garota refém - por sorte tal jovem era, na realidade, uma androide que pôde se virar sozinha nessa situação, sendo que logo em seguida ela deu um merecido tapa no rosto daquele que nem se importou em salva-la. E desse modo, entre um estranho suicídio cometido pelo criador dos coils que estava desaparecido há dois meses, a revelação de que essa androide, de nome Mira, foi projetada pela esposa desse inventor que ela chamava de "Pai" e a dúvida sobre qual seria o real motivo de sua existência, uma vez que parece possuir habilidades muito avançadas e peculiares em comparação até mesmo com os modelos mais atuais do mercado, Kyouma será obrigado a servir de guardião para a mesma, formando assim uma relutante parceria composta por uma androide moe que expressa emoções em demasia e um homem rabugento e grosso que a trata, digamos... Como se fosse uma máquina qualquer? Está certo que é meio incomum ver um robô expressar cansaço após uma limpeza ou vergonha por ser pega vestindo pouca roupa, mas daí chuta-la ou mandar que viaje no porta malas do carro já é demais, não acham... (e ficar brincando com a cabeça dela como se fosse uma bola após esta ser decapitada, então, é um absurdo!)

Uma empresa, batizada de New Tesla, mais poderosa que Estados inteiros e que monopoliza a fabricação dos coils, possuindo para isso bases imensas ao redor de todo o globo a fim de gerar energia infinita (é inspirada vagamente nessa teoria do inventor Nikola Tesla); vários segredinhos sujos debaixo do tapete dessa mesma empresa, que sempre parece estar envolvida em grandes incidentes causados por esses aparelhos; e um personagem principal que, já não bastasse ter de aturar a presença de uma androide em suas habituais caçadas a criminosos, se vê agora diante de de uma série de eventos bizarros que tem como ponto central o uso de certos coils raros, extremamente poderosos e instáveis, que podem causar estragos imensuráveis nas mãos erradas. Apresentando arcos grandinhos, isso foi o que "Dimension W" me mostrou nos seus 3 volumes iniciais, junto a já citada interação um tanto cômica entre Kyouma e Mira, essa última representando a carga moe da obra que deverá causar alguma impaciência para muitos com seu comportamento todo delicadinho e cheio de bochechas vermelhas - pessoalmente não cheguei a acha-la uma personagem chata, pelo contrário, mas em alguns momentos seu arquétipo exagerado realmente contrasta demais com a suposta seriedade que o mangá tenta passar durante cada caso. De todo modo, indo desde vilões que usam coils ilegais para ir contra o rígido sistema atual de educação que lhe causou algum prejuízo no passado, ladrões mascarados que buscam se vingar da New Tesla por conta do que esta fez com ele e sua família, e escritor renomado morto em uma situação inexplicável dentro de sua mansão na qual a resposta para isso se encontra, óbvia e novamente, no uso de coils, "Dimension W" até que consegue sim impor um tanto de tensão e complexidade em alguns raros trechos de sua trama, todavia o tratamento superficial conferido na maior parte do tempo aos conceitos que ele próprio cria, além da "moezice" excessiva em cima de certa personagem e diversos acontecimentos absurdos pobremente explicados, fazem com que no fim o mangá valha mais a pena mesmo somente pela adrenalina em um cenário sci-fi e seu estilo pseudo policial de "caso da semana". Nem o desenvolvimento de personagens se salva nisso, uma vez que Kyouma e Mira tardam a sair de suas personalidades de tom único, condensáveis em "androide moe e delicada que age como se fosse humana" e "veterano ranzinza que não se abre pra ninguém" - porém esse sujeito solitário e bom de briga será dublado pelo ótimo Ono Daisuke, o que o fará parecer mais "badass" do que já é. Uma obra descontraída de ação, enfim.

Produzido pelo Studio 3Hz ("Sora no Method") em parceria com Orange, tendo sido o primeiro fundado recentemente por ex membros dos Kinema Citrus, "Dimension W" terá, junto ao bom Kanta Kamei na direção, Shoutarou Suga ("Nanatsu no Taizai", "Uchouten Kazoku", "Isshuukan Friends", "Darker than Black") na supervisão de roteiros e Tokuyuki Matsutake ("Tales of Phantasia", "You're Under Arrest") no "character design".


**********

Divine Gate
Formato: TV 
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Studio Pierrot
Diretor: Noriyuki Abe ("Arslan Senki", "Bleach", "Gakkou no Kaidan", "Great Teacher Onizuka", "Yuyu Hakusho")
Gênero: Ação / Fantasia / Sci-fi
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Lançado gratuitamente em 2013 para dispositivos móveis com sistemas iOS e Android, "Divine Gate" é um jogo de cartas, com elementos de RPG e puzzle, onde você atravessa tabuleiros repletos de monstros, armadilhas e tesouros para pode chegar a um portão do outro lado da tela e assim avançar à próxima fase. Criado pelas empresas Gung-Ho Online Entertainment e Acquire, em "Divine Gate" já passaram mais de mil personagens com visuais estilizados nesses dois anos, e com frequência há eventos especiais que adicionam temporariamente elencos de outros jogos, mangás e animes populares, tais como "Fate/stay night", "Fairy Tail", "Steins;Gate", "Danganronpa", "Nisekoi", "Shingeki no Kyojin", "Date A Live" e "Mahou Shoujo Madoka Magica", e por aí vai - clique aqui, aqui e aqui para assistir alguns vídeos de pessoas o jogando, no qual em certos momentos poderão flagrar alguns personagens dessas obras.

Claro que não veremos esses crossovers no anime, que, aliás, teve divulgado até o momento somente uma sinopse vaga e cheia de firulas. Segue sua tradução na íntegra:

Quando o Portão Divino é aberto, o mundo dos vivos, dos céus e o submundo acabam se conectando, dando início a uma era de caos onde os desejos e conflitos se cruzam. A fim de restaurar a ordem, é criado o Conselho Mundial, e conforme a paz é recuperada o Portão Divino vai se tornando uma lenda urbana.

Nesse mundo, garotos e garotas considerados aptos pelo Conselho Mundial são reunidos. Eles almejam alcançar o portão por objetivos pessoais, visto que aquele que for capaz de chegar até ele poderá refazer o mundo.

O que há além do portão? Quando eles o alcançarem, o mundo mudará? Será o passado que sofrerá mudanças, ou será o futuro?

E é isso.

Uma espécie de survival game com visual estilizado, vindo de um jogo, e nenhum sinal de Seiji Kishi na direção? Pois é, isso é o que mais surpreende! Em seu lugar temos o ótimo Noriyuki Abe, profissional que pode ter comandado um bom número de animações elogiadas como as citadas acima, contudo isso não adianta muito se o roteiro que ele tiver em mãos para trabalhar for tão fino quanto uma folha de sulfite, e bem sabemos como adaptações de jogos são amaldiçoadas nesse assunto. Caberá a Natsuko Takahashi ("Moyashimon", "Yuyushiki", "Ore Monogatari!!") essa tarefa, ao passo que Takumi Ozawa ("Hidan no Aria") cuidará da trilha sonora e Ichiro Uno ("Soredemo Sekai wa Utsukushii") do "character design". Além disso, é de se destacar o elenco de dubladores, um dos mais "estelares" da temporada, com nomes como Hiroyuki Yoshino, Ayana Taketatsu, Kanae Itou, Sora Amamiya, Yuuichi Nakamura, Ami Koshimizu, Asumi Kana e KENN.


**********

Durarara!!x2 Ketsu
Formato: TV 
Data de estreia: 09/01
Estúdio: Studio Shuka
Diretor: Takahiro Omori ("Baccano!", "Kuragehime", "Natsume Yuunjichou")
Gênero: Ação / Suspense
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de uma light novel finalizada com 13 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quarta temporada de "Durarara!!", anime de 2010 do estúdio Brains Base que narra a conturbada rotina do distrito de Ikebukuro, em Tóquio, onde ocorrem diversos eventos sobrenaturais e conflitos entre gangues. Baseado em uma light novel encerrada em janeiro de 2014 com 13 volumes escrita por Ryohgo Narita - autor que teve outra excelente obra sua, "Baccano!", também adaptada pelo Brains Base em 2007 -, "Durarara!!x2 Ketsu" é a última parte da trilogia que está sendo produzida pelo Shuka, estúdio recém fundado por um produtor do anime de 2010 responsável pelos projetos do diretor Takahiro Omori, que segue no comando da franquia. A primeira, "Durarara!!x2 Shou", teve seu espaço durante a temporada de inverno desse ano, enquanto que a segunda, "Durarara!!x2 Ten", foi exibida na temporada de verão.

Junto a Takahiro Omori todo o restante da equipe segue em frente, com 
Noboru Takagi ("Sankarea", "Tonari no Kaibutsu-kun") na supervisão de roteiros, Yoshimori Makoto ("Natsume Yuunjichou", "Baccano!") na trilha sonora e Kishida Takahiro ("Haikyuu!!") no "character design". 


**********

Ganbare! Lulu Lolo 3rd Season
Formato: TV 
Data de estreia: 21/01
Estúdio: Fanworks
Diretor: Yuuji Omoto
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de um livro infantil.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Terceira temporada de "Ganbare! Lulu Lolo", anime de 2013 baseado em um livro infantil que narra a vida de dois irmãos ursos trabalhadores, o de cor laranja Lulu e o de cor amarela Lolo. Esse mesmo livro também rendeu um curta-metragem em 2010.

A produção segue nas mãos do estúdio Fanworks ("Eikoku Ikke, Nihon o Taberu", "Medamayaki no kimi Itsu Tsubusu?"), e com Yuuji Omoto na direção.


**********

Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri - Enryuu-hen
Formato: TV
Data de estreia: 09/01
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Takahiko Kyogoku ("Love Live! School Idol Project")
Gênero: Ação / Aventura / Fantasia
Tema: Militar
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de uma novel com atuais 10 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri", anime que tem como base uma novel publicada pela internet por um ex-militar desde 2006 e que possui, hoje, 5 volumes principais e outros 5 com histórias paralelas - há ainda uma adaptação em light novel, de conteúdo mais ameno, com atuais 16 volumes lançados a partir de 2010 (cada volume do original está sendo dividido em dois nesse formato), além de uma versão em mangá que já rendeu 7 volumes desde 2011. 

Por ser um anime que apenas teve seus episódios separados em duas partes, com a primeira temporada tendo sido exibida há poucos meses, a equipe principal segue a mesma, havendo o estúdio A-1 Pictures na produção, Takahiko Kyogoku de diretor, Tatsuhiko Urahata ("Kuroshitsuji", "Monster") na supervisão de roteiros, Yoshiaki Fujisawa ("Uchouten Kazoku", "Love Live! School Idol Project") na trilha sonora e Jun Nakai ("Gin no Saji") no "character design.


**********

Hai to Gensou no Grimgar
Formato: TV
Data de estreia: 14/01
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Ryosuke Nakamura ("Aiura")
Gênero: Aventura / Drama / Fantasia
De onde saiu: Light novel, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Um jovem chamado Haruhito - ou pelo menos esse é o nome que ele imagina ter - acorda num local de total escuridão ao lado de vários outros homens e mulheres; ninguém ali sabe ao certo de onde vieram e onde estão, tampouco recordam direito de seus próprios nomes. Juntos, eles saem em grupo em busca de uma saída, e logo descobrem, através de pessoas que os aguardavam, que se encontram em Grimgar, um mundo que se assemelha a jogos de RPG. 

Praticamente obrigados a se alistar numa organização, de uma cidade chamada Altana, que combate outras raças perigosas aos humanos, Haruhito e companhia recebem uma pequena quantia em dinheiro para iniciarem sua jornada como recrutas. A partir de agora, formando um grupo com alguns deles, esse rapaz passará por diversos apuros e privações para conseguir ficar mais forte e assim sobreviver nesse ambiente hostil e desconhecido.

Baseado numa light novel publicada desde 2013 que, desde abril do ano passado, também passou a ser adaptada para uma versão em mangá, "Hai to Gensou no Grimgar" será a sua história "serious business" sobre um jovem que por qualquer motivo se vê em um mundo semelhante a um jogo de RPG - abordagem bem diferente do anime anterior que adicionei do Studio Deen, o "Kono Subarashii Sekai ni Shufukufu wo!". Infelizmente, devido à minha atual saturação por light novels que cansei de citar no guia dessa vez, não tenho nada de tão relevante a dizer sobre essa obra visto que li pouco dela - foram somente 5 capítulos da light novel cujo primeiro volume possui 23 de tamanho curto, além de 4 capítulos da sofrível versão em mangá. Bem que gostaria de dizer que "Olha, na próxima temporada prometo que serei mais tolerante com light novels e não deixarei elas para o final com textos menos detalhados", mas, quando vejo que em abril já teremos novas adaptações de "escola de super poderes com harém" e "qualquer coisa envolvendo jogo online e mundos de fantasia", o ânimo despenca na hora...

Okay, breve resumo do que li: um bando de jovens perdedores que formam uma "party" patética e que sofrem até para derrotar o monstro mais fraco de Grimgar, que são os goblins. Após oito garotos e quatro garotas serem pobremente instruídos por esse homem - sim, é um homem! - quanto ao fato de "tomem aqui algumas moedas, bem-vindo à nossa organização que protege a cidade de Altana, e agora se virem" (e olha que ainda são recrutas, porque para virarem membros oficiais precisam pagar uma taxa que custa o dobro do que receberam de auxílio!) alguns deles se reúnem ao redor do que parece ser a pessoa mais forte do grupo e vão embora - até onde li eles não chegaram a aparecer de novo -, ficando "de resto" Haruhito, seu protagonista extremamente normal em combate e nada proativo, e outros quatro jovens; Ranta, um baixinho esquentadinho e bobalhão; Yume, uma garota cabecinha de vento que com frequência fala de si mesma na terceira pessoa; Manato, que devido a confiança que passa e inteligência se tornará líder natural da "party"; e Shihoru, menina tímida que não demora a sentir interesse por Manato - há ainda Mogzo, rapaz grandalhão e meio lerdinho, porém forte e camarada, que se juntará a eles dias após ter sido abandonado pelo grupo que lhe acolheu no primeiro dia. As narrativas tanto do mangá, quanto da light novel não tardam a mostrar esses personagens treinando em guildas de classes específicas para aprender suas respectivas habilidades - Haruhito será um ladrão, e os demais se tornarão sacerdote, caçador, mago e duas espécies de guerreiros -, e logo depois disso vemos como tais novatos carecem de trabalho em equipe e sofrem para juntar dinheiro até mesmo para as necessidades básicas como comida e hospedagem. Ao contrário de "Kono Subarashii", em "Hai to Gensou no Grimgar" deu para notar um cenário com uma sensação de perigo bem maior e confrontos muito mais táticos e impactantes; é de fato uma história de considerável teor dramático, como podem ver, por exemplo, na primeira tentativa da party de Haruhito em derrotar um mísero e resistente globin, ou então quando eles se arriscam em atacar outra espécie de goblin, essa bem mais forte, que resulta em graves baixas. Fico impossibilitado de seguir adiante já que li pouco do material de origem, porém, enquanto na busca por informações acabei me bombardeando com spoils avançados que mostram que o anime tem grande potencial (mas confesso que de início não gostei da personalidade de nenhum personagem, e vá pro raio que o parta toda garota que fala de si mesma na terceira pessoa!), para vocês deixo apenas as sóbrias ilustrações dos dois primeiros volumes da light novel, que podem ser vistas clicando aqui.

A ser produzido pelo popular A-1 Pictures, "Hai to Gensou no Grimgar" terá Ryousuke Nakamura na direção e supervisão de roteiros em companhia de Mieko Hosoi no "character design" ("Aiura", episódios 9 e 10 de "Aoi Bungaku"), profissional com a qual ele trabalhou junto, como diretor também, nos dois animes citados entre parênteses.


**********

Haruchika: Haruta to Chika wa Seishun Suru
Formato: TV 
Data de estreia: 07/01
Estúdio: P.A. Works
Diretor: Masakazu Hashimoto ("Soul Eater Not!", "Tari Tari")
Gênero: Romance / Slice-of-Life / Suspense
Tema: Escolar / Música
De onde saiu: Novel, 5 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Haruta Kamijou e Chika Homura são dois amigos de infância e integrantes do clube de instrumentos de sopro de sua escola, que está prestes a fechar por falta de membros. Gastando a maior parte do tempo praticando enquanto tentam recrutar novos colegas, em certo dia um incidente ocorre nos limites da escola, e os dois se juntarão para resolver esse caso.

Décima terceira série de TV do estúdio P.A. Works, sendo a sexta que não se trata de produção original, "Haruchika" é baseado em uma novel que de 2008 até 2012 teve 4 volumes publicados - e após três anos parada teve um quinto livro lançado há poucos meses. Mesclando tramas de suspense com tema musical e o típico argumento inicial "clube prestes a fechar por ter pouca gente, vamos procurar novos membros o quanto antes", não consegui achar nada a respeito das novels a não ser suas respectivas capas, porém o que tem chamado atenção maior mesmo pra cima do anime é a descrição vaga sobre a situação amorosa dos protagonistas no site oficial, junto a comentários de quem diz conhecer a obra original, que indicam haver aqui um triângulo amoroso com personagem homossexual no meio.

Explicando: no site do anime, entre breves descrições de boa parte do elenco como a do professor de 26 anos conselheiro do clube que já foi maestro, ex membros que agora estão em clubes diferentes, outros que sonham em se tornar profissionais no ramo da música e alunos mais velhos que chegaram a participar do "Fumonkan", que seria aqui uma grande competição de instrumentos musicais de sopro, nos pequenos textos tanto de Chika (tocadora de flauta que almeja chegar ao Fumonkan também, para variar), quanto de Haruta (tocador de trompa) há menções quanto a eles estarem preocupados em relação a um triângulo amoroso que se encontram envolvidos. Tudo bem, isso seria de se esperar (ou não, pois em animes do P.A. Works é mais comum ver quadrados, pentágonos ou hexágonos amorosos!), contudo comentários de leitores da novel afirmam que o terceiro elemento nisso seria o professor citado acima, do qual os dois amigos de infância estariam interessados. Apesar disso, além de soar uma paixonite entre alunos e professor que não parece ser correspondida, também é dito por boa parte desses mesmos leitores que esse detalhe quanto a opção sexual de Haruta sequer chega a ser algo de grande importância na trama do anime como um todo, afirmando inclusive que o foco mesmo da obra é no suspense e, em segundo lugar, a música. Especulações, boatos, diz-que-me-diz; não ponho minha mão no fogo para essas declarações, mas de todo modo temos aqui mais um slice-of-life juvenil visualmente atraente do P.A. Works.

Com Masakazu Hashimoto de diretor, profissional que em 2012 comandou "Tari Tari", animação original do próprio estúdio P.A. Works que tinha a música como um de seus temas, "Haruchika" terá ainda a ótima Reiko Yoshida ("Bakuman.", "K-ON!', "Kaleido Star", "Yowamushi Pedal") na supervisão de roteiros, Shiroh Hamaguchi ("Tari Tari", "Shirobako", "Galilei Donna") na trilha sonora e Asako Nishida ("Love Live! School Idol Project", "Vampire Knight") no "character design".


**********

Jewelpet: Attack Chance!?
Formato: ONA (4 min. por episódio)
Data de estreia: 19/02
Estúdio: AIC
Gênero: Comédia / Fantasia
Tema: Mahou shoujo
De onde saiu: Spin-off do anime de 2015, vindo de uma franquia multimídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Oitava temporada de "Jewelpet", anime de 2009 vindo de uma franquia iniciada em 2008 com brinquedos e que depois se expandiu para outros produtos como jogos, livros e itens diversos, resultado de uma parceria entre as empresas Sanrio e Sega Sammy - ambas criadoras do atual "Rilu Rilu Fairilu: Yousei no Door", animação que pode ser vista mais abaixo e que substituiu essa franquia na televisão. A ser exibido dessa vez pela internet no canal oficial da Sega - clique aqui para ver o primeiro episódio -, "Jewelpet: Attack Chance!?" é apenas um anime em flash onde os mascotes Ruby e Labra (únicos personagens fixos) se envolverão com uma nova garota protagonista em episódios de curta duração focados na comédia - em resumo, seus produtores diminuíram bastante o investimento em cima de "Jewelpet", porém parece que seguirão adiante com sua animação mesmo que de forma mais modesta no momento, apesar do que foi informado anteriormente a respeito do fim definitivo dela.

Além do estúdio responsável pela animação, não achei nenhuma outra notícia concreta quanto a equipe de produção, e sinceramente não vou lá me preocupar muito com isso uma vez que no momento eu já estou até montando o guia da temporada de primavera...


**********


Kanojo to Kanojo no Neko: Everything Flows
Formato: TV (7 min. por episódio)
Data de estreia: 04/03
Estúdio: LIDENFILMS
Diretor: Kazuya Sakamoto
Gênero: Drama / Slice-of-Life
De onde saiu: Versão alternativa do anime de 2002.
Trailer: Clique aqui

Enfim descobrimos o quinto e último título a ser exibido nessa temporada no "Ultra Super Anime Time", bloco dedicado a animações curtas que terá dois animes transmitidos durante três meses ("Oshiete! Galko-chan" e "Sekkou Boys") e mais três que ocuparão o espaço de um mês cada - nesse caso "Tabi Machi Late Show" em janeiro, "Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu." em fevereiro e esse aqui em março. Eu havia dito antes, porque era o que estava sendo informado nos anúncios, que o estúdio CoMix Wave Films cuidaria dos três animes mensais, porém parece que "Kanojo to Kanojo no Neko: Everything Flows" será na verdade produzido pelo LIDENFILMS.

De todo modo, tal curta será uma versão alternativa de "Kanojo to Kanojo no Neko", obra de apenas 5 minutos produzida em 1999 que foi criada e dirigida pelo ótimo Makoto Shinkai, profissional conhecido e elogiado por trabalhos como "Hoshi no Koe", "Hoshi wo Ou Kodomo" e "Kotonoha no Niwa". Projeto independente (Makoto Shinkai só não desenvolveu a música) feito todo em preto e branco, nele vemos a história de um gato e sua dona solteira na visão do próprio felino, que remarca passagens de sua rotina e da vida dessa mulher através de curtos comentários bem ingênuos e singelos - é um draminha bastante delicado, cuja excelente repercussão auxiliou para que Makoto conseguisse apoio para futuros projetos de orçamentos muito maiores. Por sua vez, sobre "Kanojo to Kanojo no Neko: Everything Flows" foi dito somente, como sinopse, que será retratada a vida de uma garota (dublada por Hanazawa Kana) que mora sozinha com seu gatinho preto, havendo ainda o detalhe de que ela é uma estudante do ensino superior à procura de emprego - no curta de 1999 o gato era branco, então julgo que teremos aqui só a mesma ideia, porém não os mesmos personagens.

Vale ressaltar que Makoto Shinkai não está envolvido nessa animação, que terá Kazuya Sakamoto (diretor de episódios em vários animes do estúdio Kyoto Animation, como "Clannad", "K-ON!!" e "Kanon 2006") estreando no cargo de direção, além de Naruki Nagakawa na supervisão de roteiros e Chimoto Umishima no "character design".


**********

Ketsuekigata-kun! 4
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 12/01
Estúdio: Assez Finaud Fabric / feel. / Zexcs
Diretor: Yoshihisa Oyama
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 5 volumes.
Site oficial: Clique aqui

O anime mais sangrento da temporada (pare de usar essa piada, por favor!).

Quarta temporada de "Ketsuekigata-kun!", anime curto que possui como protagonistas tipos sanguíneos antropomorfizados, nesse caso o A, B, AB e O. No Japão há um bom número de pessoas que acreditam que seu tipo de sangue revela sua personalidade, e o anime faz repetitivas piadas justamente em cima disso: o A é uma pessoa atenciosa e gentil, contudo indecisa; o O é trabalhador e romântico, porém de pavio-curto; o B é despreocupado e individualista, mas insensível; e o AB possui os bons traços de A e B, entretanto carrega uma personalidade difícil de ser compreendida.

Curiosamente, quatro dubladores populares dão voz aos seus próprios tipos sanguíneos, sendo eles Fukuyama Jun (Lelouch de "Code Geass"), Yuuichi Nakamura (Tomoya de "Clannad"), Tetsuya Kakihara (Natsu de "Fairy Tail") e Akira Ishida (Gaara de "Naruto") - eles dublam A, B, AB e O, respectivamente, valendo ressaltar ainda que da segunda temporada em diante surgiram suas contrapartes femininas (também possuidoras de tipos sanguíneos compatíveis com seus personagens), que seriam Aoi Yuuki (A), Horie Yui (B) Mai Nakahara (AB) e Yuu Kobayashi (O). Permanecendo na produção o estúdio Zexcs ao lado do feel. e Assez Finaud Fabric, a direção continua com Yoshihisa Oyama, tendo novamente Kenichi Yamashita ("Jitsu wa Watashi wa") na supervisão de roteiros e Yoshihiro Hiramine no "character design".



**********

Kochin Pa!
Formato: TV (15 segundos por episódio)
Data de estreia: 22/12 (já estreou)
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Não, eu não cometi um engano na duração do anime; baseado nas personagens mascotes da Island, uma cadeia de pachinkos localizada em Akihabara, "Kochin Pa!" traz em episódios de apenas 15 segundos três garotas conversando (ou tentando conversar, né) entre si, chamadas Aira, Hana (essa dublada por Hanazawa Kana) e Shima. Todo feito em CG, no site oficial há disponíveis os 4 episódios exibidos até o momento, e clicando aqui será possível ver também um clipe musical protagonizado pela garota principal, Aira, que foi lançado em julho - clipe cujo tamanho já equivale a quase seis episódios do anime em si...

Peço desculpas por ter deixado passar despercebido tal obra que fará história (duvido acharem outra série de TV que seja ainda mais curta, duvido!), mas... Ah, quem se importa com isso?

**********

Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu.
Formato: TV (7 min. por episódio)
Data de estreia: 05/02
Estúdio: CoMix Wave Films
Diretor: Soubi Yamamoto ("Meganebu!")
Gênero: Fantasia / Shounen-ai
De onde saiu: Animação original, integrante da franquia "Kono Danshi".
Site oficial: Clique aqui

Então com 21 anos, a jovem Soubi Yamamoto deu início a franquia shounen-ai "Kono Danshi" em 2011 com "Kono Danshi, Uchuujin to Tatakaemasu." OVA que conta a história de um garoto, chamado Kakashi, que é o único capaz de enfrentar alienígenas que estão invadindo a Terra, sendo que conforme isso ocorre surge um peculiar relacionamento entre ele, Arikawa - funcionário de uma seção do governo dedicada a contra atacar os invasores - e o chefe desse último, Shiro. Em seguida, no ano de 2012, foi a vez de "Kono Danshi, Ningyo Hiroimashita.", OVA que apresenta a curiosa relação entre um adolescente e um sereio que o salva de um afogamento, ao passo que em 2013 houve não uma animação, mas sim um Drama CD intitulado "Kono Danshi, Akunin to Yobaremasu", focado em um harém de belos e "perigosos" rapazes ao redor de uma garota. Já para 2014 houve mais um OVA com argumento bizarro, visto que "Kono Danshi, Sekika ni Nayandemasu." narra o elo entre um estudante possuidor de uma doença que faz partes de seu corpo se cristalizarem em momentos de estresse, e um professor de geologia que é obcecado por cristais; por fim, chegamos a esse que é o quinto projeto da franquia, e que virá no formato de uma pequena série de TV a ser exibida durante o mês de fevereiro (4 episódios) no "Ultra Super Anime Time", bloco dedicado a animações curtas - nessa temporada haverão nele duas séries com três meses de duração que podem vê-las aí pelo guia, nesse caso "Oshiete! Galko-chan" e "Sekkou Boys", alem de três outras, todas produzidas pelo CoMix Wave Films, que terão o espaço de um mês cada no bloco.

"Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu." trará uma auto declarada "patética e bonita" história na qual os protagonistas serão Chiharu, um mago de 28 anos que comanda um departamento mágico do governo voltado a medidas defensivas contra crises; e Toyohi Utsumi, jovem de 21 anos desinibido e despreocupado que vive de empregos de meio período enquanto viaja pelo mundo. Ambos se conhecem em um bar frequentado por Chiharu e passam a gastar bastante tempo juntos após Utsumi confessar que está apaixonado por ele - Chiharu vai aos poucos se acostumando com o estilo de vida do rapaz, porém um erro cometido em seu trabalho o fará se dedicar exclusivamente a sua profissão ao mesmo tempo que se afasta de Utsumi.

Parece a mesma ideia vista nos outros animes da franquia, que pude dar uma olhada durante essa semana; abusando de cores saturadas e diversos e ágeis truques narrativos para compensar as limitações do software gratuito usado na produção dos OVAs, o "Live2D" (clique aqui para ver uma galeria de imagens dessas animações e assim ter uma ideia quanto a isso), Soubi Yamamoto traz mais um casal formado por dois homens de personalidades opostas onde, de certo modo, um ajudará o outro em algum problema emocional que ele tenha. No OVA a respeito do garoto cujo corpo se cristaliza quando estressado, por exemplo, esse vê no seu professor a única pessoa com quem pode conversar normalmente (mesmo havendo bizarras e sugestivas frases envolvendo cristais!), já que ele não consegue se socializar com os colegas de classe por ser muito tímido e se preocupar em demasia com o que pensam em relação a sua doença rara, algo que só piora a sua condição - contudo, surgirão breves solavancos no relacionamento quando o garoto conseguir enfim fazer amizades e gastar menos tempo com o professor, e este fingir que não quer mais vê-lo por ter medo de ser deixado de lado e se machucar igual ao que ocorreu com sua ex namorada. Já no drama do sereio vemos um jovem que acabou de perder seu avô e que não tem, de igual forma, sido muito sociável na escola, mas a alegre e inusitada relação com esse habitante do mar o ajudará a ser mais comunicativo e a superar tanto a perda de seu ente querido, quanto o trauma causado pelos seus pais, que exigiam e tinham expectativas enormes em cima dele quando criança - só que, de novo, haverá um aparente esfriamento no elo desse casal justamente após as coisas melhorarem para um deles, uma vez que o outro se sentirá deixado para trás. Finalizando, em se tratando do primeiro OVA, sobre o rapaz que enfrenta alienígenas, esse também aborda o tema da solidão, pois o "salvador da Terra" perdeu sua memória e por conta disso tem medo de imaginar que não há ninguém no planeta que esteja preocupado contigo, porém a convivência com dois oficiais do governo (único OVA a fugir da formação habitual de casal) será primordial para amenizar essa sua insegurança. Cristais, sereios, alienígenas: são ambientações no mínimo estranhas, contudo Yamamoto sabe retratar com considerável sensibilidade e dinamismo dramas típicos de obras "shounen-ai", e já deixou claro também que seu forte mesmo são curtas, porque antes de "Kono Danshi" ela produziu uma ou outra animação de poucos minutos que lhe garantiram algumas premiações, enquanto que, por outro lado, em 2013 esteve a cargo de por ora o único projeto de longa duração em sua carreira, o horroroso "Meganebu!"; está certo que não é uma obra original sua, mas de todo modo foi visível o desgaste de seu estilo narrativo com o passar dos episódios.

E é isso, homens se pegando. Próximo anime.


**********


Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!
Formato: TV
Data de estreia: 14/01
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Takaomi Kanasaki ("Kore wa Zombie Desu ka?", "School Rumble Nigakki", "Tokyo Ravens")
Gênero: Aventura / Comédia / Fantasia / Romance
Tema: Ecchi / Harém
De onde saiu: Light novel, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Após morrer ao tentar salvar uma garota de ser atropelada, o hikikomori e otaku Kazuma Satou se vê em um lugar estranho diante de uma linda jovem de cabelos azuis que se autoproclama uma deusa chamada Aqua. Ela informa que, ao invés de ir ao Paraíso ou reencarnar como um bebê, Kazuma também tem como outra opção ser transportado para uma terra medieval de fantasia na qual, devido às várias mortes ocasionadas pelo terrível exército do Rei Demônio, as pessoas têm se recusado a reencarnar nesse lugar, e com isso a população dela tem diminuído drasticamente. Viciado por jogos de RPG, o rapaz logo se interessa pela proposta; Aqua então lhe oferece como auxílio em sua nova aventura a escolha seja de uma arma poderosa ou uma habilidade especial, porém Kazuma, irritado com os comentários que ela vinha fazendo quanto ao seu estilo de vida recluso e a causa de sua morte, decide escolher a própria deusa para lhe acompanhar em sua viagem, e dessa forma os dois são transportados imediatamente para esse novo mundo.

Imaginando que começaria sem enrolação sua grande aventura igual ao que se é visto em jogos, e que inclusive ganharia de início itens básicos e dinheiro para apoiar sua jornada contra o Rei Demônio, Kazuma se surpreende ao descobrir que terá primeiro de pensar em como se sustentar, tendo que arranjar um emprego qualquer para conseguir comida e abrigo - e a situação não melhorará muito com a presença de Aqua, divindade que, apesar de suas habilidades de cura, se mostra mais inútil e não confiável do que seria devido para uma deusa.

Baseado em uma light novel publicada desde 2013 que também já gerou uma série spin-off no mesmo formato com atuais 3 volumes, além de uma versão em mangá iniciada em setembro de 2014, "Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!" é outra obra que traz um jovem em um mundo de fantasia cujo funcionamento se assemelha ao de jogos de RPG - isso quando não é um jogo de fato, né -, sendo que no caso desse tudo não passa de puro e despreocupado escapismo, com muita comédia, fanservice moderado (se bem que o Studio Deen parece disposto a aumentar isso, considerando o que é mostrado nos trailers) e uma "party" formada por um bando de fracassados que está loooonge de ser uma ameaça ao tal rei Demônio, pelo menos por enquanto.

Não acabei lendo muita coisa, somente 1 volume da light novel e 2 do mangá, e neles flagrei apenas um elenco de personagens esquisitos sofrendo com suas próprias deficiências e frequente falta de dinheiro. Depois de morrer supostamente salvando uma garota de ser atropelada por um caminhão - na verdade era um vagaroso trator, ela nem seria pega, e já o rapaz acabou vindo a óbito devido a um ataque do coração por conta do nervosismo que sentiu na hora, algo que causou risadas até de sua família... -, Kazuma se vê em um mundo totalmente de estilo RPG onde pessoas sobem de nível, aprendem skills, possuem várias classes à disposição e podem realizar quests diversas em troca de dinheiro. Decepcionado ao descobrir que suas skills iniciais são todas normais (exceto o quesito sorte, que na realidade não lhe ajudará muito em vários momentos), ao passo que Aqua é extremamente habilidosa com magia enquanto lhe carece sorte e inteligência - o que é grave para uma deusa! -, esse protagonista rapidamente se desanima mais ainda ao perceber o quão duro é manter uma vida de aventureiro em início de carreira, visto que primeiro ele gasta semanas trabalhando em uma construção a fim de juntar dinheiro para, em seguida, descobrir que as recompensas na resolução de quests voltadas ao seu nível são baixas demais em comparação ao risco envolvido enfrentando monstros - melhor continuar trabalhando num emprego qualquer, sem contar o fato de ter que dormir todo dia num celeiro uma vez que estalagens são extremamente inviáveis para novatos. Logo, os dois decidem aumentar o grupo para torna-lo em tese mais forte, e assim conhecemos primeiro a Megumin, feiticeira baixinha de tapa-olho e com manias de chuunibyou que é capaz de conjurar a magia de explosão mais forte que existe, porém em contrapartida só pode usa-la uma vez por dia e não consegue mover um dedo sequer após isso, além de não possuir nenhuma outra habilidade porque ela mesma diz que só seguiu essa profissão graças unicamente à sua imensurável paixão por magias de explosões; e, pouco depois, surge Darkness, uma linda guerreira loira que de positivo só tem sua excelente defesa e resistência, pois, fora isso, ela é incapaz de acertar um mísero ataque no inimigo - nem que ele esteja parado! - e, bem, é uma confessa masoquista que não se importa em ser constante e repetidamente atacada e humilhada na linha de frente...

Talvez fosse melhor ter ficado só eles dois mesmo, mas agora já é tarde.


E nisso, no meio de lutas contra sapos gigantes que resultam sempre em Aqua sendo devorada e coberta por muco - para inveja de Darkness -, encontro com uma Lich moe, duelo contra um Dullahan hospitaleiro (pobre criatura sem cabeça, preparou até um banquete para o grupo quando fosse atacar sua fortaleza!) cuja educação não é retribuída devidamente pelos protagonistas, e uma rentável e cansativa caça a... Repolhos vivos voadores - o quê? São saborosos, e ajudam a aumentar XP! -, "Kono Subarashii" vai narrando uma sequência de aventuras mal logradas ou minimamente bem sucedidas desse quarteto nada organizado e tampouco balanceado - única harmonia existente nele é na formação do harém, com uma loli bonitinha, uma bela garota mais velha peituda e uma deusa de busto razoável que fica no meio termo. Vou ser franco em dizer que não esperava nada muito decente dessa obra, contudo o volume da light novel que eu li, mais a satisfatória adaptação em mangá, me foram bem agradáveis e divertidos de se ler. Personagens de personalidades excêntricas, líder masculino vivo que sofre nas mãos do seu não muito adorável harém, uma sequência de pequenas histórias que no geral fazem humor dos lugares e raciocínios comuns de tramas de fantasia medieval... Rei Demônio? Ih, Kazuma e companhia se encontra numa cidade composta em sua maioria por novatos (porta de entrada daqueles vindos de outros mundos) que está muito distante da capital, região onde ocorre o principal conflito, logo por ora o importante mesmo é obter o pão de cada dia seja caçando monstros, vegetais ou realizando qualquer tarefa que renda algum dinheiro, e ponto final. Junto a essa série aventureira, aliás, segue um teor ecchi que julgo moderado, porque enquanto na obra original são poucas as ilustrações de maior apelação (clique aqui para ver uma galeria de imagens dos dois primeiros volumes), havendo de pior apenas o ataque dos citados sapos gigantes, na versão mangá por sua vez há um abuso de pantyshots e retratações dos delírios de Darkness - e aproveito a deixa para lhes apresentar uma das habilidades mais (in)úteis que possam imaginar, a de roubar itens que Kazuma aprende logo no início com um ladrão, uma skill que o faz obter um item aleatório ao usar numa pessoa, mas que pra ele nesse caso tem resultado somente em adquirir calcinhas alheias...

A ser produzido pelo contestado Studio Deen, que não só parece que aumentará o fanservice no anime, como também tem sido muito criticado em fóruns pelos fãs devido à animação tão fraca mostrada nos trailers até agora, "Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!" terá a direção de Takaomi Kanasaki junto a Makoto Uezu ("Akame ga Kill!", "Kore wea Zombie desu ka?","Utawarerumono") na supervisão de roteiros e Koichi Kikuta no (sem graça) "character design".


**********

Koukaku no Pandora
Formato: TV
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Studio Gokumi
Diretor: Munenori Nawa ("KissxSis", "Locodol", "Nogizaka Haruka no Himitsu", "R-15")
Gênero: Ação / Comédia / Sci-fi
Tema: Ecchi
De onde saiu: Mangá, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Ciborgues moe empunhando armas e protagonizando cenas pseudo yuri, perfeito!

Durante uma viagem de barco rumo a Cenancle, cidade ilha onde viverá com sua tia, a garota ciborgue Nanakorobi Nene conhece na embarcação a geniosa e rica cientista Uzal Delilah e sua mal humorada acompanhante Clarion, que também é uma ciborgue igual a ela. Nene fica feliz em fazer novas amizades, porém rapidamente percebe que não será muito seguro se envolver com elas; quando um ataque terrorista é iniciado em Cenancle, Uzal declara que o único meio de impedir um desastre é tendo Nene e Clarion formando uma dupla para combinar seus poderes - poderes esses que a garota jamais imaginou possuir -, algo que ela terá de fazer mesmo a contragosto.

Publicado desde 2012 e composto atualmente por 6 volumes, o mangá de "Koukaku no Pandora" é desenhado por Koshi Rikudo, mangaká mais conhecido pela sua insana comédia "Excel Saga", e roteirizado por Masamune Shirow, a mente por trás do cultuado sci-fi "Ghost in the Shell" - combinação meio inusitada, não? Logo, se levarmos em conta ainda que esse último também possui grande renome devido a suas ilustrações e quadrinhos eróticos (clique aqui para ver algumas imagens mais "leves"), torna-se compreensível notar que a junção dos dois resultou em um mangá sci-fi moe com pitadas generosas de ecchi, muita ação e uma comédia de tom suavemente irônico - a propósito, Masamune declarou certa vez que não produz mais obras sensuais, e nem preferiu desenhar o mangá de "Koukaku no Pandora" nesse caso, porque considera sua arte ultrapassada para isso (podemos entender como: não é moe o suficiente para os otakus de hoje).

Pude ler apenas os 2 únicos capítulos traduzidos até o momento em inglês, e, bem, quando você vê uma introdução típica de cenários distópicos com dizeres como "desastres naturais acontecendo por todo o mundo""potências mundias competem por tecnologia e recursos""a distância entre ricos e pobres só aumenta""pessoas vagueiam sem saber como sair disso" e etc, porém no fundo surge uma delicada calcinha vermelha usada por uma ciborgue e, na página seguinte, a confissão "Esta história não está preocupada com tais coisas", é que percebemos o quão conscientemente descompromissado esse mangá será dali em diante. Tendo isso em mente, poderia até citar certos elementos e conceitos de "Ghost in the Shell" que são reaproveitados aqui (novos modelos de Tachikoma!), mas o que importa mesmo saber é que nesses dois capítulos vi de início duas lindinhas garotas ciborgues - de humano possuem somente o cérebro, e uma delas se veste de empregada com orelhinhas de gato! - ativando seus poderes em conjunto de forma muuuuito sugestiva (alguém se lembrou dessa cena em "Chobits"?) para enfrentar primeiro um grupo que persegue a cientista sexy e louquinha por qualquer motivo e, depois, uma organização terrorista. Personagem principal que possui habilidades das quais desconhecia e cuja tia parece ser uma inventora famosa e ter papel primordial na história, cenas de ação exageradas, momentos ecchi e pseudo yuri ocasionais, humor constante mesmo nos trechos de maior tensão... Não parece algo muito promissor, mas para quem procura um anime mais agitado e com fanservice moderado em cima de garotinhas, deverá ser o bastante.

A ser produzido pelo Gokumi ("Kiniro Mosaic", "Lance N' Masques", "A-Channel", "Saki Achiga-hen") estúdio experiente em animações de alto teor moe, "Koukaku no Pandora" terá Munenori Nawa na direção - profissional com passagem em um bom número de obras ecchi -, além de Tatsuya Takahashi ("The iDOLM@STER Cinderella Girls") na supervisão de roteiros e Takuya Tani no "character design". Por fim, vale citar que o mangá foi adaptado para um filme animado que estreou agora dia 5 dezembro, intitulado "Koukaku no Pandora: Ghost Urn".


**********

Koyomimonogatari
Formato: ONA (13 min. por episódio)
Data de estreia: 09/01 (já estreou)
Estúdio: Shaft
Diretor: Akiyuki Shinbou ("Mahou Shoujo Madoka Magica", "Nisekoi", "Sayonara Zetsubou Sensei")
Gênero: Comédia / Suspense
De onde saiu: Integrante de "Monogatari Series", franquia cujos animes tiveram início em 2009 e que são todos baseados numa light novel finalizada com 18 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Fiquei em dúvida se adicionava ou não esse aqui, porém não achei motivos para deixar de fazer isso, então vamos lá: "Koyomimonogatari" é a oitava animação a adaptar "Monogatari Series", a maior light novel de Nisio Isin - nas mãos de Akiyuki Shinbou no estúdio SHAFT a franquia teve sua primeira adaptação através da série de TV "Bakemonogatari" em 2009; após isso houveram mais três séries, "Nisemonogatari" (2012), "Monogatari Series: Second Season" (2013) e "Owarimonogatari" (2015), e três especiais, "Nekomonogatari: Kuro" (2012), "Hanamonogatari" (2014) e "Tsukimonogatari" (2014), sendo que "Koyomimonogatari" é continuação direta desse último, enquanto que a recém finalizada série de TV "Owarimonogatari" viria depois dele se considerarmos a ordem da light novel (clique aqui para ver a relação completa dos volumes). Há ainda uma trilogia de filmes, iniciada agora em janeiro com "Kizumonogatari Part 1: Tekketsu-hen", que é baseada no volume 3 da obra original - nesse caso em particular foram "somente" cinco anos desde o seu anúncio até a revelação de que seriam produzidos três filmes ao invés de um.

Só falando bem por cima, tais animes vão narrando, com diálogos extensos, bom humor e um pouco de suspense e romance, a interação do protagonista Koyomi Araragi, um meio-vampiro, com diversas garotas que sofrem fenômenos estranhos. A obra de Nisio Isin foi "oficialmente" encerrada em 2014 com 18 volumes divididos em três fases (seis volumes para cada), sendo que "Koyomimonogatari", focado exclusivamente no líder masculino Koyomi Araragi, é o nome do volume 14 na contagem geral, onde são narrados em 12 capítulos pequenas histórias em volta dele - diferente das outras adaptações, essa será um ONA com episódios de duração menor que o normal, cerca de 13 minutos em média. Dito isso, dos 18 volumes citados acima, sobrarão ainda o restante de "Owarimonogatari", que não foi totalmente adaptado na série de TV de 2015; os outros dois filmes de "Kizumonogatari", dos quais disseram apenas que também estrearão em 2016; e finalmente "Zoku-Owarimonogatari", último volume que por ora não teve nenhum plano de adaptação divulgado.

Eu disse no parágrafo anterior que a light novel foi "oficialmente" encerrada porque dia 6 de outubro de 2015 foi lançado "Orokamonogatari", primeiro volume de "Monogatari Series: Off Season", uma nova fase que não é uma espécie de continuação direta, e sim traz histórias paralelas que se passam em pontos cronológicos anteriores. Até o momento já foi publicado ainda "Wazamonogatari" dia 13 de janeiro, e para 2016 estão previstos também "Nademonogatari" e "Musubimonogatari", esticando o quanto pode uma franquia que prossegue rendendo bastante ao seu autor e editores.

Akiyuki Shinbou, mais uma vez, permanece como diretor chefe na missão de animar inteiramente a obra de Nisio Isin (será que a nova fase entrará nisso?), havendo novamente Tomoyuki Itamura (todas as animações anteriores da série) de diretor assistente, Satoru Kousaki ("Bakemonogatari", "Nisemonogatari", "Oreimo", "Lucky Star") na trilha sonora e Akio Watanabe no "character design".

**********

Luck & Logic
Formato: TV
Data de estreia: 09/01
Estúdio: Dogakobo
Diretor: Koichi Chigira ("Full Metal Panic", "Last Exile")
Gênero: Ação / Fantasia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui (as cenas no final são do futuro jogo de cartas), aqui e aqui

Animação original que receberá ainda um jogo de cartas previsto para ser lançado dia 28 de fevereiro pela Bushiroad (clique aqui para ver uma partida com decks de amostra), "Luck & Logic" se passa em um mundo onde um conceito novo conhecido pelo nome de "Lógica" governa todos os aspectos da vida, incluindo emoções, talentos, memórias e até deuses. Bem que gostaria de ter evitado essa piadinha, mas aparentemente "lógica" será o que menos veremos aqui...

As sinopses oficiais do anime abusam de termos sem explica-los direito, então pra amenizar um pouco a situação pedi a ajuda de uma Wikia dedicada a esse jogo; como introdução temos a citação de uma guerra que durou cem anos no mundo mítico de Tetraheaven, no qual criaturas demoníacas ("Majin"), após serem derrotadas, acabam por invadir Septia, um mundo governado por humanos. Com o intuito de enfrentar essas visitas indesejadas, é posta em ação o ALCA ("Another Logic Counter Agency"), uma organização cujos membros, chamados "Logicalists", atuam para proteger Septia de ameaças vindas de outros mundos - para fazerem isso cada Logicalist tem um parceiro "Foreigner" (seres vindos de mundos diferentes) com o qual, ao realizarem uma espécie de fusão (Trance), adquirem poderes especiais que os tornam imensamente mais fortes (Tranceunion).

E como é de praxe, o protagonista do anime, Yoshichika Tsurugi, é um civil de passado trágico que leva uma vida sossegada com sua família, apesar de ser incapaz de usar "Lógica" (a tal matéria recém descoberta que rege tudo no universo dessa história); porém, ao ajudar algumas pessoas a escaparem do ataque de um Majin o rapaz conhece e forma um contrato com Athena, uma Foreigner de Tetraheaven que parece carregar a Lógica que falta em Tsurugi. Juntos, os dois serão importantes na proteção do futuro de Septia.

Enfim, será mais ou menos isso - já adianto que não me responsabilizo por interpretações errôneas!

Sendo sincero, como estou adicionando esse texto quase às 3 da manhã, e pra piorar não vejo expectativa alguma nessa premissa tão insossa, terminemos logo esse texto. A ser produzido pelo estúdio Dogakobo com sua animação de cores em tons fortes, "Luck & Logic" poderá até entreter um pouco devido às suas batalhas estilizadas e o modo de combate delas (clique aqui para ver uma relação das duplas principais e suas respectivas fusões), mas o bom diretor Kouichi Chigira e seu assistente Takashi Naoya deverão trabalhar bastante para conseguir tirar algum proveito dos roteiros e conceitos criados por Yuuya Takahashi. Além deles, teremos ainda Tatsuya Kato ("Buddy Complex", "Yoru no Yatterman", "Mirai Nikki") na composição da trilha sonora e Katsuhiro Kumagai, ao lado de Rei Aoi, no "character design".

**********

Macross Δ (ADIADO)
Formato: TV 
Data de estreia: 31/12
Estúdio: Satelight
Diretor: Shoji Kawamori ("AKB0048", "Aquarion", "Macross F")
Gênero: Ação / Romance / Sci-fi
Tema: Mecha / Militar / Música
De onde saiu: Continuação de "Macross F", animação original de 2008 integrante da franquia "Macross".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Quarta série de TV de "Macross", famosa franquia de mechas criada por Shoji Kawamori que teve início numa animação de 36 episódios em 1982 e que, desde então, gerou várias continuações e spin-offs em diversos formatos - as últimas produções foram a série "Macross F" em 2008 e seus dois filmes em 2009 e 2011, isso caso desconsideremos o horroroso "Macross FB7: Ore no Uta wo Kike!", longa que foi feito para (tirar dinheiro dos fãs) "comemorar" o 30º aniversário da franquia em 2012. Como curiosidade, essa será a primeira animação que Kawamori dirigirá em três anos, quando comandou a segunda temporada do anime de mechas e idols "AKB0048: Next Stage" no início de 2013.

Se passando oito anos após os eventos de "Macross F", precisamente em 2067, sobre "Macross Δ" (lê-se "Macross Delta") Shoji Kawamori declarou que ele trará os elementos básicos da franquia: música, triângulo amoroso e Valkyries, que no universo de "Macross" são as populares naves capazes de se transformar em robôs gigantes. Nas últimas semanas tem ocorrido vários pequenos eventos onde a equipe de produção do anime revelou detalhes quanto aos novos modelos que aparecerão nessa série, bem como certos pormenores, tais como o fato de que aqui serão vistas batalhas entre Valkyries (isso nunca aconteceu em outras séries de TV, somente em dois OVAs); não julgo necessário citar todos aqui por considerar essas informações algo de interesse unicamente dos fãs mais entusiastas, logo a maior notícia que eu teria dos bastidores dessa animação é que, igual ao que foi feito para a personagem cantora Ranka Lee em "Macross F", onde realizaram audições para escolher uma novata que a dublasse - dando assim início à carreira de Megumi Nakajima -, em "Macross Delta" também organizaram audições para achar algum rostinho novo que fosse apto ao papel de heroína. Havendo mais de 8,000 candidatas, a jovem de poucos 18 anos Minori Suzuki se saiu vencedora, e ela dublará Freyja Wion, uma aspirante a idol que por ora é a única personagem do anime cujo nome foi revelado.

Outro detalhe é que haverão mais quatro garotas cantoras que formarão o primeiro grupo musical feminino de "Macross", chamado "Tactical Sound Unit Walküre"isso em animações, pois já houve antes as "Milky Dolls" em um jogo para Playstation em 1997. Dessa forma chegamos a sinopse do anime, que na verdade se mostra apenas, por enquanto, o esboço de um argumento que deverá ser explicado melhor nas próximas semanas: é dito que essas meninas lutarão contra os "Var Sydrome", que estariam desgastando a galáxia, tendo ainda um grupo misterioso de belos rapazes combatentes do "Reino do Vento" intitulados "Aerial Knights Valkyrie". Ah, vale ressaltar também que diversas empresas, como a Bandai e a Max Factory, estão lançando juntas uma nova linha de modelos de plástico de aeronaves da franquia, das quais podem ver imagens de alguns nos links dessa página. Quanto a brinquedos isso é natural, mas, grupo feminino de idols e personagens bishounen com "character design" moe e genérico, além de um CG meia boca nos mechas? Seja bem-vindo a 2016, "Macross".

No dia 31 de dezembro haverá um especial que divulgará mais informações sobre o anime e, talvez, chegará a exibir o primeiro episódio por inteiro - não tenho certeza, por isso ainda não inseri sua data de estreia lá em cima. A ser produzido pelo estúdio "Satelight", o diretor chefe Shoji Kawamori terá ao seu lado Kenji Yasuda ("Arata Kangatari", "Shugo Chara!") de diretor assistente, Toshizo Nemoto ("Log Horizon") na supervisão de roteiros, Majiro ("Barakamon") e Yuu Shindou ("Persona 4 The Golden Animation") no "character design" e Stanilas Brunet ("AKB0048", "Aquarion Evol") nos desenhos mecânicos.


Atualização, 31/12: Pois é, após tanta especulação o especial exibido no dia 31 só foi uma prévia do primeiro episódio, e o anime estreará, na realidade, na temporada de primavera. Foram passadas outras informações quanto a equipe de produção, e por ora a recepção dos fãs pelo que foi visto não foi muito calorosa, mas deixemos esses detalhes para o próximo guia.


**********

Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara.
Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 12/01
Estúdio: Pine Jam
Diretor: Kazuhiro Yoneda ("Akatsuki no Yona")
Gênero: Comédia / Ecchi / Slice-of-Life
Tema: Mahou Shoujo
De onde saiu: Mangá digital, sem divisão de volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Garota mágica que usa trajes de banho quando se transforma. Perfeito. 

Certa tarde a jovem Yuzuka Hanami encontra uma estranha criatura vasculhando sacos de lixo, que por sua vez, ao perceber que alguém consegue enxerga-lo, passa a aborda-la perguntando se deseja tornar-se uma garota mágica, visto que ela seria ideal para esse papel. Após muita insistência desse ser suspeito chamado Miton, Yuzuka acaba cedendo aos seus pedidos e aceita usar um bracelete para liberar seus poderes, porém logo se arrepende ao ver que, ao se transformar numa garota mágica, sua roupa é substituída por um delicado traje de banho...

Baseado em um mangá publicado no site da revista shounen "Comic Earth Star" ("Teekyuu", "Mangirl!", "Yama no Susume", "Pupa") desde março desse ano, "Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara.", ou em tradução literal "Eu já tive o bastante quanto a ser uma garota mágica", possui somente 3 míseros capítulos traduzidos pela internet - começaram a trabalhar nele esse mês -, então não há praticamente nada que eu possa discorrer sobre ele. Composto por poucas 12 páginas, o capítulo inicial apresentou o que parece ser outra obra parodiando o subgênero mahou shoujo, já que logo de cara conhecemos uma criatura mágica duvidosa vasculhando sacos de lixo (a situação atual não está nada fácil para mascotes...), e depois abordando uma garotinha na rua quase como se estivesse vendendo algum produto ou serviço, salientando inclusive que as mahou shoujo de antigamente poderiam até enfrentar seres de outro mundo que ameaçavam a Terra e etc, mas que hoje nada mais disso existe e ela poderia aproveitar seus poderes tranquilamente sem precisar lutar com ninguém. Caindo na lábia de Miton após este fingir não estar mais interessado nela - e voltando sua atenção para os sacos de lixo! - ao vê-la indecisa, Yuzuka enfim forma um "contrato" com ele que causará, pelo que eu li dos capítulos 2 e 3 (esses ainda menores, 4 páginas cada) e de comentários dos seguintes, vários e leves momentos de fanservice - ao menos nas obras impressas que conheço da revista Comic Earth Star não há uso de teor ecchi mais abusivo, com exceção de no máximo duas delas, então não creio que o anime trará algo tão "polêmico" assim nessa questão. O seu conteúdo e comédia deverão ser consideravelmente otakus que nem é de praxe, também, nas publicações dessa revista; e por fim, no meio de tantas especulações, a que tem maiores chances de se concretizar é o fato de que teremos aqui uma animação de episódios curtos, pois o mangá digital possui apenas 17 capítulos lançados e, além disso, TODAS as adaptações de obras da Comic Earth Star só receberam animes nesse formato até hoje.

A ser produzido pelo novato estúdio Pine Jam, "Mahou Shoujo Nante Mou Ii Desukara." terá Kazuhiro Yoneda dirigindo sua segunda série de TV (a primeira foi o ótimo "Akatsuki no Yona"), Kazuyuki Fudeyasu ("Yoru no Yatterman", "Miss Monochrome", "Ben-To", "Denkigai no Honya-san") na supervisão e criação de roteiros, - esse último ao lado de Momoko Murakami ("Million Doll") -, Masato Nakayama ("Kimi to Boku.", "Tonari no Kaibutsu-kun") na trilha sonora e Kazuaki Shimada no "character design".


Atualização, 25/12: O anime será mesmo curto, conforme pude ver agora ao revisitar o site oficial, mas só queria esclarecer também que, ao contrário do que eu disse no texto acima, já houveram sim duas adaptações de obras da Comic Earth Star cujos episódios não foram pequenos. O primeiro foi o anime de luta livre "Sekai de Ichiban Tsuyoku Naritai!" em 2013, e após esse houve também "Yama no Susume Second Season" em 2014, que de uma temporada para outra viu seus episódios aumentarem de 3 para 13 minutos de duração cada - nesse caso ainda não são de tamanho normal, mas ao menos fugiu do padrão de outras adaptações dessa revista.

Créditos ao colega Ketsura (@renge_chon) que me apontou isso no Twitter.


**********

Mahoutsukai Precure!
Formato: TV
Data de estreia: 07/02
Estúdio: Toei Animation
Diretor: Masako Mitsuka
Gênero: Ação / Fantasia / Slice-of-Life
Tema: Escolar / Mahou Shoujo
De onde saiu: Franquia "Pretty Cure".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Décima terceira temporada de "Pretty Cure", franquia iniciada em 2004 cuja maior parte das animações são independentes entre si. Em poucas palavras, cada série foca em garotas mágicas chamadas "Pretty Cure" (ou "Precure") que, tendo o auxílio de poderes, itens especiais e criaturas fantásticas, enfrentam monstros e vilões diversos para proteger a Terra. Talvez alguns de vocês tenham visto notícias a respeito nas últimas semanas, mas no Netflix estreou recentemente "Glitter Force", versão ocidental da nona temporada da franquia, pra ser exato "Smile Precure!"de 2012, que sofreu várias modificações e cortes deveras questionáveis - sem contar a dublagem em português, realizada em Los Angeles e também bastante criticada. A ideia é disponibilizar 20 episódios inicialmente, e depois mais 20 numa futura segunda temporada - a série original possui 48 no total.

Voltando a "Mahoutsukai Precure!", nesse anime será apresentada uma nova protagonista de nome Mirai, estudante de 13 anos que, certo dia, visualiza um estranho objeto cair do céu em um parque. Trazendo junto seu urso de pelúcia Mofurun, ela corre até o local para saber o que aconteceu, e ao chegar vê uma garota chamada Riko voando em uma vassoura. Possuindo a mesma idade que Mirai e vindo de um mundo mágico, Riko explica que está em busca de uma joia dotada de grandes poderes conhecida pelo nome de "Link Stone Emerald", porém logo são interrompidas pelo surgimento de Batti, um aliado dos usuários de magia negra Dokurokushi. Exigindo que a garota mágica passe a joia que ela ainda está à procura, Batti invoca um monstro com o intuito de ataca-las, e nisso Riko pede a Mirai que juntem suas mãos para, ao proferirem as palavras "Cure-up Rapapa!", ambas possam se transformar nas lendárias Pretty Cure.

A propósito, o ursinho também se transformará, ganhando a habilidade de falar e sentir energia mágica ao seu redor.

Enfim, a ser produzido pelo estúdio Toei Animation, "Mahoutsukai Precure!" trará Masako Mitsuka na direção ao lado de Isao Murayama ("Majin Bone") na supervisão de roteiros e Emiko Miyamoto no "character design".

**********

Mim Mam Mint
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 24/12 (já estreou)
Estúdio: Kachidoki Studio
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.

Olha eu adicionando outro anime que ninguém dá a mínima enquanto faltam uns aí vindos de light novels que enrolo para ler... 

Pois bem, conheçam Mim e Mam, duas modelos gêmeas que ganharam suas respectivas versões animadas... Ao lado de um mascote parente do Frankenstein. Explico: tendo já estreado no dia 24, "Mim Mam Mint" conta a história de Mim e Mam, duas garotas que, certo dia, recebem de presente de seu pai Choco Mint, um bicho de pelúcia cujo corpo é formado 70% por partes de um coelho e 30% de um urso. Não sabendo o que fazer com ele, as duas passam a conversar com o animal todo em retalhos, e... É isso.

A ser exibido toda última quinta feira de cada mês durante um programa voltado às mulheres, a animação terá episódios de curta duração produzidos pelo Kachidoki, o mesmo estúdio por trás de outras obras curtas como, por exemplo, "Litchi DE Hikari Club" e "Kyoufu! Zombie Neko", esse último sobre um gato zumbi moe que estreou na temporada de outono. Kyou Yatate é responsável pelo "character design".

(a propósito, nem sei com exatidão quem é Mim e quem é Mam, chutei pelo padrão de várias imagens delas juntas, mas isso pouco importa, não?)

**********

Momokuri
Formato: ONA (10 a 15 min. por episódio)
Data de estreia: 24/12 (já estreou)
Estúdio: Satelight
Diretor: Yoshimasa Hiraike ("Amagami SS", "Gugure! Kokkuri-san", "Kaleido Star", "Solty Rei", "Working!!")
Gênero: Comédia / Romance / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá digital, sem divisão por volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Baseado em um mangá digital publicado desde 2014 no site Comico (página que disponibiliza mangás de graça e que teve dois títulos seus adaptados para animações em 2015, nesse caso "Nar Doma" e "Super Short Comics"), "Momokuri" tem como personagem principal Yuki Kurihara, garota que finalmente conseguiu declarar-se e se tornar namorada de um rapaz que ela gosta, chamado Shinya Momotsuki. À primeira vista, Yuki parece alguém totalmente normal; contudo, ela é na verdade obcecada por Momotsuki, chegando ao ponto de fazer anotações sobre todas as suas atividades e gostos e nunca perdendo a chance de se mostrar em situações "bonitinhas" na frente dele. Momotsuki - ou só Momo -, por outro lado, não percebe esse seu comportamento, e apenas a tenta fazê-la feliz mesmo sendo totalmente inexperiente em se tratando de romance.

Pude encontrar somente 3 pequenos capítulos traduzidos desse título, formados por em média 10 páginas cada (cujas larguras são maiores e os desenhos, interligados), e de fato "Momokuri" é um romancezinho extremamente adocicado e ingênuo igual indica a sinopse e trailers, mesclando diversos momentos bonitinhos com outros um tanto mais "excêntricos" devido a esse amor intenso da protagonista. Um ano mais velha que Momotsuki, não basta a Yuki saber apenas que seu amado anjo (anjo não, um Deus!) é do signo de Gêmeos, nasceu dia 20 de junho, possui complexo por ser baixinho, tem tipo sanguíneo O, adora camarão frito e é atualmente um membro inativo do clube de tênis; ela precisa de mais, como por exemplo guardar o canudo da caixinha de bebida que ele acabou de tomar (ela não ia lambê-lo, pareceria um beijo indireto, que indecência! Mas quem sabe só cheira-lo...), ou então bisbilhotar sua sala de aula para vislumbrar cada mínimo acontecimento ao seu redor - isso não é ser stalker, e sim se preocupar com o bem estar da pessoa que gosta! Em outros instantes, contudo, flagramos unicamente um casalzinho desajeitado e lerdinho no qual até para dividir um guarda-chuva ainda é algo além do que é possível no momento para Momotsuki - e uma frustração de planos para Yuki -, e onde bochechas vermelhas e dificuldades de comunicação serão constantes. Podemos questionar as atitudes e o modo de pensar da garota, que se fosse na vida real teria potenciais chances de causar grandes problemas no futuro mas, oras, é tudo tão fofinho e delicado que dá pra relevar (talvez)!

Um "pequeno detalhe" que vale ser mencionado é que "Momokuri" terá uma exibição bem irregular: o primeiro episódio foi disponibilizado gratuitamente no dia 24 no aplicativo da Comico e teve 10 minutos de duração, enquanto que o segundo, de 15 minutos, será exibido dia 7 de janeiro e o terceiro se encontra previsto para fevereiro - desse não disseram a data exata, porém informaram que do episódio 3 em diante a exibição ocorrerá através de um aplicativo exclusivo para o anime. A ser dirigido e roteirizado pelo ótimo Yoshimasa Hiraike, nome experiente em comédias e romances, "Momokuri" terá Miwa Oshima ("Baka to Test to Shoukanjuu", "GJ-bu", "Gugure! Kokkuri-san") com seu meigo "character design" e o trio "To-mas Soundsight Fluorescent Forest" na trilha sonora, formado por Masumi Itou ("Bungaku Shoujo", "Natsuiro Kiseki"), Mito e Youhei Matsui.


Clique aqui caso queira dar uma olhada na página do mangá no site Comico - tudo em japonês, claro, havendo atualmente 92 capítulos lançados. 

**********

Musaigen no Phantom World
Formato: TV 
Data de estreia: 07/01
Estúdio: Kyoto Animation
Diretor: Tatsuya Ishihara ("Chuunibyou Demo Koi ga Shitai!", "Clannad", "Hibike! Euphonium", "Kanon 2006", "Suzumiya Haruhi no Yuuutsu")
Gênero: Ação / Fantasia
Tema: Escolar / Sobrenatural
De onde saiu: Light novel, 2 volumes, finalizada.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

A história se passa em um futuro próximo onde existem monstros que são chamados de "phantoms". O personagem principal, Haruhiko Ichijou, é um estudante do primeiro ano da Hosea Academy que tem como colegas a Mai Kawakami, garota que combate phantoms usando a habilidade "Spirit of Five Elements"; Reina Izuma, possuidora do "Phantom Eater"; e Koito Minase, que luta sozinha. Eles experimentam vários contratempos em suas vidas escolares até ocorrer certo incidente que os levará a conhecer a verdade por trás do mundo no qual vivem.


Nova adaptação de uma novel / light novel lançada por ele próprio, o Kyoto Animation traz dessa vez "Musaigen no Phantom World", light novel que teve um volume publicado em 2013 e um segundo em outubro desse ano. Escrita por Souchirou Hatano e com ilustrações de Shirabi, ela recebeu uma menção honrosa na 4ª edição do "Kyoto Animation Award" de 2012, aquela premiação do estúdio que se tornou famosa por não premiar quase ninguém (como é?) em seis edições desde 2009 - com três categorias (novel, mangá e enredo), a única obra que sagrou-se vencedora em alguma delas foi "Violet Evergarden" na categoria novel em 2013 (e ela inclusive começará a ser publicada agora em dezembro), enquanto que em todas as outras ocasiões houveram no máximo menções honrosas, das quais cerca de um terço, ou seis trabalhos para ser preciso, acabaram sendo ou serão publicados pelo estúdio e, desses, 4 terminaram ganhando uma adaptação animada logo em seguida, como foi o caso de "Free!", "Chuunibyou demo Koi ga Shitai!", "Kyoukai no Kanata" e o próprio "Musaigen no Phantom World". Na edição desse ano não houveram sequer menções honrosas, o que poupou Kyoto de conceder premiações que chegam a 1 milhão de ienes, mas por outro lado ficarão por um bom tempo em posse dos direitos autorais dos trabalhos inscritos para poderem fazer o que bem entender com eles caso haja interesse...

Enfim, que sinopse mais sem sal, não? Caso se encontrasse nas mãos de um Diomedea ou 8bit da vida quase ninguém estaria dando a mínima para essa estreia, porém o "Selo Kyoto Animation de Qualidade Técnica" está fazendo o pessoal aguardar por, pelo menos, um anime de tema sobrenatural com cenas de ação de encher os olhos - em um primeiro momento ele lembra bastante, para o bem ou para o mal (no meu caso seria o segundo...), o já citado "Kyoukai no Kanata", animação de 2013 que trouxe elementos de fantasia e poderes e que deu uma pausa na sequência de animes puramente slice-of-life do estúdio, que já vinha se seguindo há alguns anos. Saindo de uma fonte obscura sem tradução da qual não pude achar uma mínima ilustração de maior importância, tem-se no máximo as fichas do elenco no site oficial que também não trazem nada de informativo; além dos linkados no início do texto, há ainda de personagens relevantes a professora de 26 anos Arisu Himeno, a pequenina fada phantom Ruru, que cabe na palma da mão de uma pessoa, e a garotinha de dez anos Kurumi Kumamakura, que tem chamado atenção por conta dessas horríveis tranças jogadas na frente do seu rosto - como que ela consegue enxergar algo, como? E convenhamos que, se tratando de Kyoto adaptando qualquer obra, e principalmente obras pequenas publicadas por ela mesma, não adiantaria muito pesquisar o teor da light novel porque eles adicionam conteúdo inédito aos montes para compensar a carência de material, muitas vezes ocasionando em diferenças bem drásticas entre uma versão e outra; o bom diretor Tatsuya Ishihara e o supervisor de roteiros Fumihiko Shimo ("Amagi Brilliant Park", "Clannad", "Golden Time", "Air") são opostos quanto a isso, sendo o primeiro mais solto na criação (contudo seu último projeto, "Hibike! Euphonium", até que foi fiel a novel, apenas dando uma exagerada, beeela exagerada, na ambiguidade da relação entre as personagens principais para motivos de fanservice), e o segundo mais comedido e preso ao que está adaptando, todavia pesará contra o fato de que dois volumes da light novel não serão mesmo suficientes para um anime de possíveis 12 episódios. Pessoalmente, se não fossem as credenciais do estúdio sequer me daria ao trabalho de assistir o anime, mas ainda assim não espero ver aqui grande salvação e reviravolta quanto a insossa primeira impressão causada pelo argumento inicial.

Encerrando, junto aos nomes mencionados acima, EFFY ficará a cargo da trilha sonora e Kazumi Ikeda ("Clannad", "Kanon 2006", "Chuunibyou demo Koi ga Shitai!") do "character design".

**********

Nijiiro Days
Formato: TV (15 min. por episódio)
Data de estreia: 10/01
Estúdio: Production Reed
Diretor: Tetsuro Amino ("Broken Blade", "Macross 7", "Shiki")
Gênero: Comédia / Romance / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 10 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

A história possui como protagonistas Natsuki, Keiichi, Tomoya e Tsuyoshi, quatro rapazes que basicamente gastam seus dias fugindo dos estudos (no caso de três deles) e tentando a sorte no amor enquanto se divertem. O foco em relação a isso será em Natsuki com sua paixão não correspondida por uma colega de escola chamada Anna, e seus amigos constantemente se intrometerão nessa relação para (em tese) ajuda-lo uma vez que ele é tímido demais.

Baseado em um mangá publicado desde 2012 na revista shoujo Bessatsu Margaret ("Kimi ni Todoke", "Ao Haru Ride", "Okami Shoujo to Kuro Ouji", "Ore Monogatari!"), "Nijiiro Days", apesar de trazer quatro homens como protagonistas, formação incomum para obras dessa demografia, ele não foge muito dos habituais arquétipos e lugares comuns do gênero, e dessa forma uma série de mal entendidos amorosos e muita enrolação e inocência serão vistos nesse anime que terá 15 minutos de duração por episódio e que, além disso, já está programado para ser exibido durante seis meses.

Eu aguentei 2 volumes e meio do mangá, e lhes confesso que se viesse uma animação de tamanho normal sequer me arriscaria em assisti-la; não achei "Nijiiro Days" ruim, nada disso, apenas, hum... Shoujo demais (como?), ou talvez somente cansativo com seu desenvolvimento lento e cheio de voltas. De início, conhecemos por cima a personalidade dos protagonistas em uma véspera de natal, conforme traçam planos com suas respectivas namoradas: enquanto Keiichi é um sádico que anda por aí com um chicote (!) e possui relações nada "saudáveis" e Tomoya se mostra um paquerador que tenta ficar com várias garotas ao mesmo tempo, Natsuki, muito pelo contrário, é um jovem sonhador e ingênuo que logo de cara, devido a essa sua inexperiência, se vê enganado pela sua primeira namorada que só se importava com presentes e restaurantes caros - calma, isso acontece rápido logo no primeiro capítulo antes de ele conhecer a principal heroína nesse mesmo feriado. No fim, após uma introdução dessas o único que de fato acaba seguindo comprometido durante todo o mangá é o reservado, estudioso e otaku Tsuyoshi, que na noite de natal arranjou uma extrovertida e radiante namorada que adora fazer cosplay. Após isso Natsuki, agora solteiro, reencontra a garota que ele descobre se chamar Anna, e a partir desse ponto veremos, em resumo, tanto esse casal extremamente puro demorando para chegar em algum lugar por culpa seja deles próprios, seja de seus amigos (às vezes mais atrapalham do que ajudam...) e os inevitáveis obstáculos que surgirão adiante, quanto o despreocupado dia a dia de uma forte amizade entre quatro adolescentes.

Dia dos namorados! Primeiro as garotas presenteiam os rapazes, depois é a vez de eles retribuírem o que ganharam, e é claro que veremos quatro garotos se esforçando para preparar chocolates caseiros - alguns se dão mal nisso, outros (adivinhem quem?) preparam mechas com as próprias mãos, e aqui conhecemos a que será uma das maiores pedras no sapato do pobre Natsuki com seu amor não correspondido (ela chega a roubar o chocolate que ele daria de presente!), nesse caso Mari, uma irritante garota arredia que detesta homens e que revela sentir por Anna mais do que mera amizade, ostentando por essa uma relação possessiva e ciumenta. Festival escolar! Natsuki se sente mais "maduro" após ter conseguido convidar Anna para lhe acompanhar no dia do evento através de uma mensagem via celular (pois é, o sujeito é meio devagar), porém surge um contratempo, ocorrerá certo desencontro, um dos dois verá o outro em uma cena sugestiva com alguém do sexo oposto e as coisas se esfriarão brevemente entre eles, contudo é óbvio que após um extenso capítulo de 50 páginas (...) tudo será esclarecido. Ah, e agora, surgiu um rival! Como se os xingamentos e caretas de Mari já não fossem o suficiente, eis que aparece outra pessoa interessada em Anna, e dá-lhe falta de confiança e desespero no lado de Natsuki quanto ao que deverá fazer para não sair perdendo - mas bem sabemos que, narração tendenciosa e joguinhos sujos do tal rival amoroso à parte, isso será apenas uma breve tempestade que não representará grande ameaça e que servirá para fortalecer a relação dos dois, um preparo para uma possível confissão a daqui, sei lá, alguns volumes. Enfim, é isso; estamos falando de uma garota inexpressiva que confunde o nascer de um amor com uma simples febre e que é péssima em ler o clima à sua volta - sequer percebe as intenções românticas que Mari tem por ela ou as vingativas direcionadas a, tipo, todo mundo que se aproxima das duas -, ao passo que do outro lado tem-se um adolescente tão inocente e puro que os amigos adoram lhe pregar peças para vê-lo todo embaraçado e vermelho, chegando ao ponto de desmaiar ao vislumbrar de relance um filme pornô (ai já é demais, né...) e ficando demasiado esperançoso e agitado com qualquer frase ou ação minimamente positiva por parte da amada - e se não bastasse sua morosidade e total incapacidade de nunca saber como falar e agir na frente dela, nos raros momentos que Natsuki reúne coragem para dar um grande passo nesse enrolo ele acaba ou voltando atrás no último segundo, ou sendo interrompido por bolas que lhe atingem bem no final de uma típica declaração, por exemplo. Tenham muita paciência com esses dois, já adianto! E obviamente, o amor não paira exclusivamente em cima da cabeça dessa dupla, como ainda do agradável casal Tsuyoshi e sua namorada Yukirin, do galanteador Tomoya que rapidamente se interessa por Mari (boa sorte!) e do sádico Keiichi, que, mesmo sendo talvez o mais caricato do grupo devido aos seus fetiches, também terminará encontrando seu par mais a frente. 

Por fim, no meio de tanta insegurança juvenil ao se sentir sozinho e excluído enquanto vê seus amigos avançando - não sei como enxerga isso, mas okay - no campo amoroso, frases e ações mal interpretadas que ocasionarão em alguns conflitos com o sexo oposto e dúvidas em relação ao futuro, tem-se um slice-of-life bem humorado retratando a forte e invejável amizade entre os quatro protagonistas. Eles se zoam (tradução: zoam mais o Natsuki) o tempo inteiro, são obrigados, com exceção de Tsuyoshi, a constantemente participarem de aulas extras para melhorarem as notas, se mostram um bando de adolescentes que mais tagarelam do que fazem e de vez em quando brigam um com o outro por motivos bestas, porém nada abala a amizade entre eles - uma amizade em vários momentos apresentada de forma bastante colorida, um "bromance" exagerado se quisermos usar uma expressão direta, mas julgo que isso já seria de se esperar considerando a demografia do mangá. Conversas bobas sobre garotas e pífios esquemas para se ajudarem, sessões de estudo infrutíferas, estadia na casa do amigo otaku para auxilia-lo na edição de seu doujin (claro que isso termina com jogatina e o já citado filme pornô), viagens ou passeios durante as férias escolares ou num fim de semana qualquer... É uma grande camaradagem simultânea aos probleminhas românticos de cada um, algo que para a ala masculina poderá tanto ser um atributo que amenizará os romances cheios de enrolos, quanto uma sentença final para se distanciar de vez do anime por culpa do modo como essas amizades são mostradas. No meu caso, não tive implicações quanto a isso; meu desgosto e intolerância mesmo foi ter acompanhado uma série de eventos, coincidências e imprevistos padrões e mornos para esticar o quanto for possível qualquer desenvolvimento, especialmente, na relação do casal principal, tanto que mesmo tendo achado o mangá satisfatório não pretendo continuar a lê-lo no momento.

Tendo já gerado um Drama CD em 2014 e com previsão de em breve lançarem um jogo chamado "Nijiiro Days Appli" para dispositivos iOS e Android ano que vem, além de um programa de gincanas com os dubladores dos quatro rapazes (dentre eles Nobunaga Shimazaki e Yoshitsugu Matsuoka, este último fazendo o óbvio papel de Natsuki) que exibirão nos mesmos canais que passarem o anime, "Nijiiro Days" será produzido pelo Production Reed, estúdio que fez 40 anos em 2015, mas que terá aqui somente sua terceira série de TV - as anteriores foram os curtinhos "Gasshin Ziguru Hazeru" e "Onsen Yousei Hakone-chan". O veterano Tetsuro Amino, nome que acho um tanto estranho de ver no comando de uma animação desse gênero, terá o auxílio de Tomohiko Ohkubo como diretor assistente e Aki Itami ("Aku no Hana") na supervisão de roteiros.

**********

Norn9: Norn+Nonet
Formato: TV 
Data de estreia: 07/01
Estúdio: Kinema Citrus
Diretor: Takao Abo
Gênero: Aventura / Fantasia / Romance
De onde saiu: Jogo para PSP.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Produzida em 2013 pela Otomate, divisão do estúdio Ideia Factory que é responsável em criar jogos voltados às mulheres, a visual novel de "Norn9: Norn+Nonet" possui 3 protagonistas femininas, cada qual com rotas para 3 rapazes diferentes - ou seja, 9 bonitões no total, que se encontram na imagem ao lado. No prólogo do jogo você, na visão do garoto Sora (calma, esse tem só 12 anos mas não faz parte dos personagens "pegáveis"), é guiado por uma música e acaba viajando no tempo, parando em um mundo estranho que se assemelha ao Japão da Era MeijiTaishou. Aqui conhecemos três garotas e nove rapazes que são tripulantes da peculiar Norn, uma gigante embarcação esférica e flutuante que os está levando para um certo lugar, e desse trecho em diante escolhemos uma das três personagens femininas para continuar a história do ponto de vista dela e assim desvendar o mistério por trás de alguns tripulantes e o objetivo dessa viagem.

A alegre e burrinha Koharu e os garotos Senri Ichinose, Kakeru Yuiga e Masamune Tooya; a calma e orgulhosa Mikoto Kuga e o trio Natsuhiko AzumaSakuya Nijou e Itsuki Kagami; e a descendente de uma família de ninjas Nanami Shiranui com seus "selecionáveis" Akito Shukuri, Heishi Otomaru e Ron Muroboshi; essas são as garotas e os integrantes de suas respectivas rotas. Também em 2013 foi lançada uma versão em mangá da visual novel, que em volume único cobre a história na visão de Koharu seguindo a rota de Kakeru, e após lê-lo devo dizer que... Bem, eu não estarei a bordo da Norn durante a temporada de inverno, isso é certo. Se fosse só questão do quão corrido e mal resumido é o mangá (afinal, ele tenta "adaptar" do início ao fim sabe lá quantas horas da rota de um jogo), daria para relevar, mas a quantidade de spoils avançados que ele me deu já foi o suficiente para notar que, surpresa alguma, o importante aqui mesmo é o desfile de bonitos rostinhos masculinos, ao passo que a trama em si é cheia de furos e firulas.

Não explanarei cada evento em detalhes, senão seria como se lhes contassem praticamente tudo que vá aparecer na série de TV, mas no mangá é explicado que os tripulantes da Norn são todos usuários de habilidades especiais; Koharu, por exemplo, é capaz de manipular o fogo, um poder de grande teor destrutivo que é exceção entre eles, como o de criar campos de força da Mikoto, o de apagar memórias da Nanami, o de visualizar o passado dos outros de Masamune, o de controlar a água do hikikomori Senri, o de telepatia de Heishi, o de manipular sonhos de Itsuki e por aí vai - o mocinho em evidência no mangá, Kakeru (que no anime será dublado pelo queridinho Yuuki Kaji), controla a natureza, se mostrando capaz de fazer flores desabrocharem e árvores crescerem do nada. E por que todos eles foram reunidos num só lugar? Obviamente, por razões desconhecidas, tais pessoas com poderes especiais surgem somente no Japão (...) e, como seria perigoso mantê-los em posse de um único país, a maioria desses jovens apenas têm noção de que estão sendo levados para o "The World", local controlado por várias nações que definirá o destino de cada um - é dito que eles serão divididos entre os países por questões de manter a paz mundial, mas dependendo da situação podem inclusive acabar se tornando inimigos daqueles que conheceram e fizeram amizade há pouco tempo, segundo informado por alguns personagens. Porém, como uma viagem sem contratempos seria monótona, a embarcação sofre misteriosos ataques, aos poucos se percebe que alguns tripulantes ali sabem mais do que contam, surge desconfiança entre eles quanto a quem ali seria um traidor e, oh, o objetivo de todos em seu destino é algo muito mais obscuro e grandioso do que se esperava - e estúpido e ridículo, para ser franco, mas fecharei a boca (dedos?) para não ir além com os spoils. Quanto a Koharu, há um habitual drama pessoal e passado triste que envolve o quão ela foi discriminada, e assim isolada, por temerem seu poder, e dessa forma a garota tenta escondê-lo dos companheiros de viagem (poucos ali têm suas habilidades reveladas aos demais) enquanto sua relação com Kakeru vai se aprofundando, já que ela acaba se identificando com ele devido a sua personalidade e o fato de também estar escondendo algo de seu passado que não deseja que os outros descubram. Como mencionei antes, nem posso criticar tanto a evolução da trama que vi no mangá uma vez que ela é tão pessimamente contada, chegando a ser cômico os diálogos, o modo como o casal desenvolve seus sentimentos e a maneira que os eventos e revelações se desenrolam praticamente se atropelando, todavia o cenário e argumentos apresentados me soaram tão vagos, afetados e nada convincentes que em nenhum momento deixou de parecer somente um pretexto mal feito de romance para juntar um bando de homens bonitos de arquétipos diversos com algumas garotas. Pra piorar, a história do mangá chega a um "happy end" e traz uma resolução "mágica" e morna para os personagens, porém se encerra com vários buracos no roteiro que não foram explicados; achei pessoas dizendo que só após jogar todas as rotas na visual novel é que dá para se entender o enredo completamente, mas ainda assim sobram algumas pontas soltas que viriam a ser atadas apenas com o lançamento do fandisc "Norn9: Last Era" em abril desse ano.

A propósito, pra quem ficou em dúvida, o pobre garoto Sora citado no início do texto acaba esquecido mesmo e relegado a segundo plano no meio desse harém reverso e as suas três líderes femininas; contudo, enquanto isso não é mostrado no mangá, na visual novel descobrimos que ele possui grande relevância na trama central

Resumindo: o anime adaptará uma ou outra rota e deixará muitas perguntas sem respostas, se tornando uma bagunça como é de praxe nessas adaptações - mas sua "missão" estará cumprida desde que ele ajude na divulgação de "Norn9: Act Tune", novo jogo a ser lançado em 2016 para PS Vita.

Obs: Espero que as leitoras não pensem que estou sendo exagerado e tendencioso nas opiniões por se tratar de um otome game: a questão é que realmente achei as ideias dessa obra muito ruins, ao menos no mangá, e de todo modo a minha postura é a mesma quando se tem o oposto, uma visual novel direcionada aos homens que traz um fiapo de argumento só para justificar várias garotas ao redor de um rapaz, isso sem falar nas eternas light novels de harém com suas fórmulas igualmente insossas e engessadas...

Finaliando, a ser produzido pelo Kinema Citrus, o novato Takao Abo cuidará da direção, Natsuko Takahashi ("Moyashimon", "Yuyushiki", "Ore Monogatari!!") da supervisão de roteiros - ele fará isso também em "Divine Gate", outro jogo; quanta dor de cabeça numa só temporada! - e Yukari Takeuchi do "character design". Já em relação ao elenco de dubladores, Yuuki Kaji terá a companhia de bons nomes como Ono Daisuke, Hiro Shimono, Tomokazu Sugita e Hiroyuki Yoshino.


**********

Nurse Witch Komugi-chan R
Formato: TV 
Data de estreia: 10/01
Estúdio: Tatsunoko Production
Diretor: Keiichiro Kawaguchi ("Hayate no Gotoku!", "Mayo Chiki!", "Minami-ke Tadaima", "Sket Dance")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Escolar / Mahou Shoujo / Paródia
De onde saiu: Spin-off do anime "Nurse Witch Komugi" de 2002, que por sua vez é spin-off da série de TV "The SoulTaker"
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Tudo começou em 2001 com "The SoulTaker", animação original de terror produzida pelo Tatsunoko Production em conjunto com Akiyuki Shinbou, diretor que pouco tempo depois iria para o estúdio Shaft e se tornaria o profissional conhecido que é hoje - tal anime foi uma tentativa do Tatsunoko em criar algo voltado a um público mais adulto, porém o retorno não foi lá essas coisas. Entretanto, a popularidade obtida por certa enfermeira mutante e coadjuvante chamada Komugi Nakahara fez ela ser protagonista de "Nurse Witch Komugi-chan Magikarte", série de 5 OVAs lançada entre 2002 e 2004, e sua continuação "Nurse Witch Komugi-chan Magikarte Z", composta por mais dois OVAs. Nesses spin-offs temos como fiapo de história inicial a fuga do Rei dos Vírus, Ungrar, de uma prisão localizada no "Vaccine World" (Mundo da Vacina...); indo parar na Terra, a Deusa de "Vaccine World", Maya, envia a criatura Mugimaru com a missão de captura-lo de volta, mas, impossibilitado de usar magia no mundo dos humanos, ele sai à busca de alguém que possa ajuda-lo, e é desse modo que conhece Komugi, uma idol cosplayer em início de carreira. Se tornando a "Magical Nurse", essa garota preguiçosa, brincalhona e fácil de se distrair terá de conciliar sua rotina de idol com os frequentes embates contra a seguidora mais fiel de Ungrar, a empregada mágica Koyori - inimiga que, por pura coincidência e conveniência, é uma gentil (e peituda) colega de trabalho de Komugi que nunca se lembra de seus atos quando está no "modo vilã"...

E então chegamos a "Nurse Witch Komugi-chan R" mais de dez anos depois.

A ideia segue inalterada, o cenário idem, mas há algumas mudanças, a começar que a personagem principal terá um novo nome de família, se chamando agora Komugi Yoshida, sobrenome de um dos fundadores do Tatsunoko, Tatsuo Yoshida - o mesmo se passará com sua rival (se chamará Saionji Kokona), seu parceiro mágico (Usa-P ao invés de Mugimaru) e mais alguns outros. Junto a isso e a óbvia incrementada no "character design", é de se notar ainda que, se os OVAs traziam no elenco vários personagens da série "The SoulTaker" além da Komugi, essa nova animação os substituirá por "anônimos", como é o caso da presidente e do empresário da agência onde a protagonista trabalha, conforme podem ver nessa imagem. Todas essas mudanças são um esforço visível para renovar a franquia e apresenta-la a uma nova geração de consumidores, valendo nesse processo até mesmo trocar as dubladoras antigas e colocar no lugar novatas (Makoto Koichi, Kei Tomoe, Madoka Asahina, Meemu Tachibana etc) que, podem ser inexperientes no ramo da dublagem, porém possuem certa base de fãs já formada com suas respectivas carreiras artísticas em outras áreas, e a presença delas no anime servirá justamente tanto para atrair de início algum público para o anime, quanto para alavancar a popularidade delas devido à visibilidade que a série de TV as trará. E quanto a história, se é que alguém se importa com isso? Como se garotas mágicas e idols não fosse o suficiente, dessa vez haverá também um tema escolar, pois no começo veremos Komugi Naka... Digo, Yoshida, dividindo seu tempo entre o trabalho de idol iniciante e o de uma atrapalhada estudante do segundo ano do ensino médio. Enquanto suas duas colegas de escola e trabalho, Kokona Saionji e Tsubasa Kisaragi, tem se saído bem como idols, Komugi permanece realizando shows de baixo nível, mas sua vida mudará drasticamente após conhecer Usa-P, uma criatura cujos ferimentos ela ajudou a tratar e da qual recebeu, como gratidão, poderes mágicos que a transformarão na "Magical Nurse". Fadada a batalhar contra monstros bizarros que surgem do nada (esse será o oponente do primeiro episódio, vejam que estiloso!), Komugi agora terá de lidar com uma vida tripla de estudante mediana, idol impopular e garota mágica inexperiente, ao mesmo tempo que vê outras meninas com poderes mágicos surgirem no seu dia a dia.

E para encerrar antes de citar rapidamente a equipe de produção, digo que assisti somente dois episódios da primeira série de OVAs, e deles pude ver o que se espera de uma sinopse tão boba: uma comédia de teor deveras otaku que tira sarro do subgênero mahou shoujo e ainda parodia algumas obras de terceiros, havendo nisso ironias e acidez quanto ao comportamento dos integrantes dessa subcultura, mascote visualmente fofinho cuja voz fina engrossa do nada em alguns momentos e que possui a mentalidade de um senhor pervertido, e personagens quebrando a quarta barreira ao se mostrarem totalmente conscientes dos lugares comuns inerentes a animes de garotas mágicas, dentre outras piadas semelhantes. Confesso que achei o humor do primeiro episódio idiota demais, quase desisti de seguir em frente, mas o segundo já me foi bem melhor e mais cômico apesar de ter continuado a achar que, às vezes, há um exagero no nível de otakice e estupidez em certas piadas.

Com Keiichiro Kawaguchi na direção, "Nurse Witch Komugi-chan R" terá Momoko Murakami ("Million Doll") na supervisão de roteiros, ela e Kazuyuki Fudeyasu (alguns episódios de "Monster" e "Claymore") na criação dos mesmos, Kousuke Yamashita ("Chihayafuru") na trilha sonora e Takao Sano ("Ore ga Ojou-sama Gakkou ni "Shomin Sample" Toshite Gets Sareta Ken") no "character design".


**********

Ojisan to Marshmallow
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Creators in Pack
Diretor: Hisayoshi Hirasawa
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, finalizado.
Site oficial: Clique aqui

Um tiozinho simpático e bigodudo que adora marshmallows, olha quanto moe.

Baseado num mangá todo em cores publicado pela internet que rendeu dois volumes entre 2014 e 2015, "Ojisan to Marshamallow" é focado nas interações que Habahiro Kusaka (apelidado de "Hige" devido ao seu bigode), um homem de meia idade fascinado por marshmallows, tem no local de trabalho com sua subordinada Iori Wakabayashi, mulher que ama Habahiro, porém não sabe expressar seus sentimentos de uma forma "normal", digamos assim. Como na prática esse mangá não foi tratado e traduzido por nenhum scanlator, e logo ele não será achado em sites convencionais do tipo, abrirei uma exceção aqui e disponibilizarei esse link, do fórum de imagens Danbooru, caso alguém queira dar uma olhada na tradução em inglês realizada por meio de anotações em cima dos balões de cada página - mais da metade da obra se encontra disponível dessa forma.

Continuando, não esperava que fosse nesse caminho, mas "Ojisan to Marshmallow" praticamente se resume a uma mulher "trollando" o homem que gosta com incontáveis diretas e indiretas em ações e frases um tanto anormais, e esse não vendo nada à sua frente a não ser uma paixão desenfreada por marshmallows... Da marca Tabekko, bom deixar claro. Para se ter uma ideia, logo nas primeiras páginas já vemos, em sequência, ela se fingindo de surda e recusando em dar um pedaço do doce favorito de Hige mesmo o ouvindo timidamente pedir por um, depois oferecendo o último que sobrou o segurando "naturalmente" pela boca e, estratégia genial e injusta, comprando todos os pacotes de marshmallow da marca que o pobre homem gosta, vendidos em apenas um mercado da região, para logo em seguida poder chantageá-lo - mas no fim isso só resulta num corre corre (aliás, estranho como ele se exercita tanto nesse mangá por culpa dela e mesmo assim permanece gordinho!) entre os dois que termina com Wakabayashi simples e ousadamente falando sobre terem bebês e Hige entendendo algo relacionado a comida; pois é, tente de novo na próxima página...

Após um volume e meio deu pra notar que "Ojisan to Marshmallow" é um gag mangá que vai se alternando tanto com acontecimentos e diálogos um pouco nonsense, quanto com piadas de frequente cunho sexual e usualmente questionáveis ou, apenas, pequenas interações bobas e bonitinhas entre esses dois e demais personagens coadjuvantes. Se por um lado a inexpressiva Wakabayashi se mostra bastante atrevida - e insana - em atos como dizer de propósito frases de duplo sentido envolvendo marshmallows, lamber sem reservas outro marshmallow que ela fez Hige apertar em sua mão ou então tentar presenteá-lo com "dois marshmallows que não são da marca Tabekko, mas que tenho desenvolvido durante 24 anos" (a jovem estava bêbada nesse último, então perdoemos), do outro flagramos cenas mais suaves onde ela "atrai" um Hige dorminhoco com o adocicado cheiro de marshmallows para fazê-lo se aconchegar em seu ombro ou, logicamente se preocupando que o amado possa se machucar e acordar, deixa um prato repleto de marshmallows em cima do seu teclado enquanto ele dorme para que sirvam de fofas mini almofadas. Cansou de ouvir a palavra marshmallow? Não é culpa minha, visto que ele serve como pilar essencial para essa relação na qual temos um homem que chega a chorar de emoção sempre que visita (mensalmente) a fábrica que produz seu adorável doce. É, em suma, um simpático casal que dá mil e uma voltas e do qual, a julgar pelo que pude ler do mangá e o que ficou faltando, não deverá chegar a uma conclusão desse rolo, mas ao menos entretém em seus poucos capítulos. Quanto ao restante do elenco que ajuda e/ou atrapalha tal relacionamento, destaco dois personagens em particular, sendo um deles o carente - e virgem - Isamu, irmão de Wakabayashi que de início não concorda em ver a irmã apaixonada por um cara desses (tradução: gordo), chegando a realizar certos planos duvidosos para "desmascara-lo", tais como se travestir e dar em cima dele a fim de provar que Hige não é confiável (essa cena parece estranha, mas podem verificar aqui que haviam marshmallows no meio da confusão toda, para variar!); e MIO5, colega de trabalho que passa a se interessar por Hige após esse salva-la sem querer de um molestador no trem - a ser dublada por Hanazawa Kana, ela até tentará usar tanto marshmallows, quanto o seu generoso corpo, para ganhar terreno sobre Wakabayashi, porém não tardará a perceber que está lidando com uma profissional conhecedora de todos os pontos fracos de seu alvo (mas dizer um "eu te amo" que é bom, nem pensar, né...).

Com produção do Creators in Pack, estúdio que fará aqui sua quarta série de TV com episódios de curta duração (as anteriores foram "Military!", "Danchigai" e "Hacka Doll"), "Ojisan to Marshmallow" traz o estreante Hisayoshi Hirasawa de diretor chefe, com Noriyoshi Sasaki de diretor assistente, Atsushi Oka ("Galilei Donna") nos roteiros, shusei ("Danchigai") na trilha sonora e Mari Shirakawa no "character design".


**********

Ooyasan wa Shishunki!
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 10/01
Estúdio: Seven Arcs Pictures
Diretor: Yuki Ogawa
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 4 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Da série "deixa eu adicionar um anime do qual não tenho nada a falar enquanto enrolo com os que tem material para ler", "Ooyasan wa Shishunki!" segue a história de um rapaz que, após passar a morar sozinho em um pequeno apartamento que sequer possui banheiro próprio, terá como senhoria uma radiante garotinha - ela cozinha e realiza todo tipo de serviço doméstico ao mesmo tempo que aproveita seus dias estudando e saindo com as amigas. Publicado desde 2012 na revista "Manga Time Family", tal obra é de autoria de Ruruu Minase, mangaká conhecida pelo seu traço tão fofo e histórias de teor yuri, como podem ver na página dela no MyAnimeList.

Olhem só que capas bonitinhas mostrando o quão uma senhoria pode ser tão moe e prestativa; fora essas imagens e algumas tirinhas avulsas que sem tradução se tornam inúteis de exibir aqui, não pude achar mais nada de concreto a respeito da fonte dessa animação - bem que poderia ter esperado mais algum tempo para adiciona-la, já que daqui a poucos dias deverão divulgar qualquer trailer, data de estreia e detalhes sobre os personagens, visto que até o site oficial está seco, seco, no momento. Contudo, vendo por cima o estilo das outras obras da revista de onde o mangá saiu, esse anime parece que será bem "inofensivo", por assim dizer, só abusando mesmo do moe sem trazer algum conteúdo mais apelativo.

A ser produzido pelo Seven Arc Pictures ("Mushibugyou", "Trinity Seven"), estúdio formado em 2012 que é subsidiário da tradicional Seven Arcs, "Ooyasan wa Shinshunki!" ("A senhoria está na puberdade!") terá o novato Yuki Ogawa na direção junto ao grupo Arte Refact ("BlazBlue Alter Memory", "Komori-san wa Kotowarenai!") na trilha sonora e Atsuki Shimizu no "character design".

**********

Oshiete! Galko-chan
Formato: TV (7 min. por episódio)
Data de estreia: 08/01
Estúdio: feel.
Diretor: Keiichiro Kawaguchi ("Hayate the Combat Butler", "Jinsei", "Mayo Chiki!", "Million Doll", "Minami-ke Tadaima", "Sket Dance")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Outro anime do estúdio feel. a estrear nessa temporada, "Oshiete! Galko-chan" vem de um mangá todo em cores publicado desde o ano passado que teve narrado até agora, em dois volumes, a rotina escolar das garotas Gyaruko-chan, Otako e Ojyo, tendo como maior destaque a primeira. Apesar do intimidador estilo gyaru e de seu vocabulário e modo de agir às vezes um tanto rude, Gyaruko-chan é no fim uma garota bondosa, bastante amigável e popular, enquanto que Otako é uma menina solitária não muito comunicativa e Ojyo é uma estudante riquinha e meio lerdinha que fala com naturalidade tudo que lhe vem à mente.

Igual a "Dagashi Kashi", o mangá de "Oshiete! Galko-chan" também possui capítulos curtos, só que ainda menores: são em média 4 páginas em cada um, e enquanto é dúvida se o anime dos doces ganhará episódios pequenos (mas não acredito que ganhe), esse é certeza: ele fará parte da quarta edição do "Ultra Super Anime Time", bloco que ganhou vida em 2015 e que é dedicado a animações de curta duração - os demais estreantes dessa nova leva serão "Sekkou Boys", cujo texto podem ver logo abaixo e que junto com "Oshiete! Galko-chan" será exibido durante toda a temporada, e mais três animações que terão poucos episódios e se alternarão entre os meses de janeiro, fevereiro e março (essas adicionarei em breve). 

Pude ler somente os meros 3 primeiros capítulos traduzidos por ora de seu mangá, e o que vi corrobora a sinopse oficial; Gyaruko-chan pode estar longe de ser uma adolescente educada com os mais velhos e dedicada nos estudos, além de ser capaz de conversar sem reservas com os garotos de sua sala da mesma forma que fala com as meninas, contudo ela também não faz jus ao estereótipo que seu visual com maquiagem pesada indica. Gyaruko chegou mais uma vez com sono no meio da sala de aula? Ah, os colegas murmuram que só pode ter passado a noite com algum homem, só pode... Ou então, talvez tenha apenas varado a madrugada toda assistindo o anime que sua amiga otaku Otako emprestou. É óbvio que ela não é assim "experiente" nesse assunto, algo que se torna evidente, por exemplo, ao flagrarmos como fica toda ruborizada ao ter de narrar uma cena de beijo em um livro na frente dos outros, sendo que até para falar de seu próprio corpo Gyaruko acaba sentindo vergonha - Otako não fica para trás em termos de inocência, e só mesmo a tonta da Ojyo para vir em alguns momentos com frases desconcertantes e fora de hora. Como li pouquíssimo material não dá para descrever muito além do que isso, mas deve ter dado para perceber que se trata de um singelo slice-of-life de garotinhas que traz uma daquelas protagonistas cuja aparência engana quem não a conhece mais intimamente.

O bom e veterano Keiichirou Kawaguchi, que entretanto não vem numa boa fase já há algum tempo, dirigirá e cuidará dos roteiros de mais uma animação no modesto feel., tendo ainda Kenji Fujisaki ("Blood Lad") no "character design".


**********

Phantasy Star Online 2 The Animation
Formato: TV 
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Telecom Animation Film
Diretor: Keiichiro Kawaguchi ("Hayate the Combat Butler", "Jinsei", "Mayo Chiki!", "Million Doll", "Minami-ke Tadaima", "Sket Dance")
Gênero: Ação / Fantasia / Sci-fi
Tema: Escolar
De onde saiu: Jogo para PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Iniciada em 1987 no console Master System da Sega, a franquia de jogos RPG "Phantasy Star" já rendeu em quase trinta anos cerca de dezoito títulos, contando continuações, spin-offs e remakes. "Phantasy Star Online 2", precisamente, é um MMORPG gratuito lançado em 2012 para PC, tendo depois disso adaptações para PS Vita em 2013, dispositivos iOS e Android em 2014 e, por fim, Playstation 4 agora em janeiro - e é aí que entra o anime, para divulgar um jogo que, por enquanto, só está previsto de ser lançado no Japão. Clique aqui para ver o vídeo de um simpático senhor jogando a versão para PC, aqui para visitar seu site oficial americano e aqui para dar uma breve olhada em um trailer do título para PS4.

Considerado um dos pioneiros no gênero RPG ao lado de "Final Fantasy" e "Dragon Quest", após ler sinopses de boa parte dos jogos da franquia deu para notar que seria um tanto difícil e infrutífero detalhar o mundo de "Phantasy Star", mesmo porque o jogo no qual o anime se baseia vem de uma série interna que é independente dos demais, possuindo 4 títulos lançados desde 2000 que trazem temas e estilos próprios, apenas se aproveitando de alguns elementos e conceitos comuns ao restante da franquia. Em resumo, temos aqui um cenário futurista que se passa em diferentes épocas e planetas, e no caso de "Phantasy Star Online 2" seu prólogo começa nos apresentando a Oracle, uma frota gigantesca de naves que vaga pelo espaço viajando de um planeta a outro - e nela existe a organização mercenária Arks, responsável em explorar esses lugares recém descobertos. Você, que acabou de chegar nesse grupo, inicia sua jornada em Naberius, planeta não habitado por nenhuma civilização inteligente, porém repleto de criaturas selvagens: tendo 4 opções de raças disponíveis, que seriam os eternos Humanos que são medianos em tudo, os Newman (humanos geneticamente modificados que se parecem com elfos e possuem destreza no controle de photons, espécie de magia no jogo), os CASTs (robôs) e os Dewman (humanos mutantes que usam photons para incrementar seus ataques físicos), o jogador é então inserido em um típico MMORPG com diversas quests, dungeons em diferentes planetas e um sistema de batalha focado na ação.

E é isso que deverá se esperar do anime em si: ação, já que quanto a história ela possivelmente se mostrará ser seu ponto fraco. Nesse quesito, a propósito, só foi dito até agora que a animação trará um enredo totalmente original, e aqui traduzo na íntegra um anúncio oficial que tem causado barulho em vários sites, nesse caso "a história seguirá jogadores de Phantasy Star Online 2 (que podem estar ao seu lado) na Terra em um futuro próximo". Como? Ela dá a entender que o anime não se passará dentro do mundo do jogo como se ele fosse real, mas sim focará em jogadores do mesmo, e confesso que os trailers, primeiro mostrando estudantes em um cenário escolar bastante normal (não se parecem, ao menos, absolutamente nada com recrutas de uma organização que explora planetas distantes), e em seguida uma sequência como se estivessem fazendo login (igualzinho ao que se vê no jogo de verdade) e aparecendo em um lobby para depois enfrentar inúmeros monstros, também termina por sugerir essa ideia. Deixou de ser novidade ver em animes pessoas entrando de cabeça em um MMORPG, seja por vontade própria ou não, mas quanto a se basear numa franquia de jogos já existente, bem, o mais próximo disso que me vem à mente seria o caso de ".hack", série de jogos que teve início no Playstation 2 em 2002 e cujo protagonista joga um MMORPG chamado "The World" - você pode inclusive "deslogar" dele e realizar outras atividades e etc, sendo que no mesmo ano foi produzido ".hack//Sign", anime que muda um pouco a situação e mostra um jovem despertando dentro do "The World" sem saber o motivo. Vai, creio que outra animação que podemos considerar semelhante seria o curtinho "Hi☆sCoool! SeHa Girls", onde (coincidência?) garotas que personificam consoles da Sega invadem diversos jogos clássicos ou recentes da empresa (mas, obviamente, a grande maioria não possui modo online).

De qualquer forma, "Phantasy Star Online 2 The Animation" não parece que terá uma produção muito caprichada através do pequeno estúdio Telecom Animation Film ("Lupin III 2015", "Moyashimon Returns"), havendo ainda o veterano Keiichiro Kawaguchi na direção (que comandará nessa mesma temporada "Oshiete! Galko-chan" logo acima), Mitsutaka Hirota ("X-Men", alguns episódios em "Yowamushi Pedal" e "Akagi") na criação e supervisão de roteiros e Mino Takasu ("Ojii-san no Lamp") no "character design". Esse mesmo jogo também já inspirou uma peça de teatro em 2014, do qual podem ver algumas cenas clicando aqui.


**********

Prince of Stride: Alternative
Formato: TV 
Data de estreia: 05/01
Estúdio: Madhouse
Diretor: Atsuko Ishizuka ("Hanayamata", "No Game No Life", "Sakurasou no Pet na Kanojo")
Gênero: Drama / Slice-of-Life
Tema: Escolar/ Esportes
De onde saiu: Novel.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Os rapazes de "Free!" com mais roupa.

A série tem como foco a prática de um esporte que exige grande preparo físico conhecido pelo nome de "Stride", no qual times formados por 6 atletas realizam corridas de revezamento pela cidade. Decididos a reviver o clube dedicado a esse esporte na Honan Academy, que fora fechado por falta de membros, os primeiranistas Nana Sakurai e Takeru Fujiwara saem em busca de novos integrantes, e inicialmente tentam convencer Riku Yagami a participar dele, jovem que não tem lá um bom relacionamento com Takeru. Uma vez completo, o objetivo final do clube é poder participar e vencer o "End of Summer", a maior competição de Stride onde escolas disputam entre si.

Uma mocinha esforçada e vigorosa, um bando de dubladores populares dando vida a rapazes bonitões, rivalidade, amizade, companheirismo, superação, torneio interescolar, cenas exageradas que extrapolam o limite do corpo humano, homens suados e ofegantes (como é?); baseado em uma série de novels iniciada em 2012 que depois recebeu um Drama CD em 2013 e uma visual novel, sem conteúdo explícito, há apenas quatro meses para PS Vita, "Prince of Stride: Alternative" parece à primeira vista a sua habitual adaptação de harém reverso voltado às mulheres mesclado a uma temática esportiva com pegada shounen. Não consegui achar um só vídeo ou descrições mais detalhadas de sua fonte, exceto vídeos promocionais; porém, através de esparsos comentários pela internet aqui e ali, é dito que a visual novel, pelo menos, realmente possui um estilo narrativo que mais se assemelha a um mangá de esporte masculino do que a um jogo direcionado ao público feminino - talvez por isso, então, que suas vendas tenham sido tão baixas até agora como vários sites têm divulgado? De todo modo, além do que já foi citado, essa franquia também possui um mangá em tirinhas 4-koma e, desde o final de novembro, teve início também um novo mangá chamado "Prince of Stride: Galaxy Rush" que é focado na Nishihoshi Academy, escola rival da Honan Academy destacada na sinopse - aliás, pelo que pesquisei a respeito, o "stride" do título se trata de uma aceleração de curta duração feita a passos largos depois de uma corrida leve ou antes de uma corrida ou exercício mais pesado, porém aqui esses rapazes parecem apenas praticar um tipo de revezamento com dois integrantes a mais e sem bastão, e ponto final.

Apresentando um elenco gigantesco (clique aqui para ver um vídeo promocional da visual novel que mostra todos os personagens, divididos entre os grupos de corrida de suas respectivas escolas), "Prince of Stride: Alternative" trará a diva Hanazawa Kana dublando a heroína Nana Sakurai, garota que decidiu estudar na Honan Academy por influência de um vídeo que viu na internet onde veteranos dessa escola participavam de uma corrida - sendo que após se juntar ao clube de Stride ela acabou virando gerente dele; já na ala masculina temos um sem fim de nomes conhecidos, como por exemplo Mamoru Miyano, Ono Daisuke, Takahiro Sakurai, Yoshitsugu Matsuoka, Junichi Suwabe, Hiro Shimono, Nobuhiko Okamoto, Natsuki Hanae, Ryotaro Okiayu e Yuuki Ono. Quanto a equipe de produção reunida pela superestimada Madhouse (que desde 2013, com o horroroso "Photokano", não fazia uma série de TV que tivesse como base algum jogo), o maior destaque vai para a diretora Atsuko Ishizuka, prata da casa que carrega no currículo "No game No Life", "Hanayamata", uma das histórias de "Aoi Bungaku", metade dos episódios de "Supernatural: The Anime Series" e "Sakurasou no Pet na Kanojo" (esse último pelo J.C. Staff), todos animes nos quais um dos pontos comuns entre si é a animação com cores de tons fortes, igual ao que pode ser visto no trailer de sua nova empreitada. Taku Kishimoto ("Usagi Drop", "Haikyuu!!", "Gin no Saji") cuidará da supervisão de roteiros, e Kokunen Ou adaptará o "character design".


**********

Reikenzan: Hoshikuzu-tachi no Utage
Formato: TV
Data de estreia: 09/01
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Iku Suzuki ("DearS", "Happy Lesson", "Yumeiro Pâtissière")
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia
De onde saiu: Novel chinesa.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui 

Baseado em uma popular novel chinesa originalmente chamada "Cong Qian You Zuo Ling Jian Shan" que é publicada pela internet desde 2013 e que, um ano depois, recebeu também uma adaptação em quadrinhos coloridos, "Reikenzan" conta a história de um mundo onde esta prevista a queda de um cometa que trará grande calamidade, e em ordem de escolher uma criança destinada por tal evento o tradicional clã Reiken dá início a exames para encontrar um novo discípulo. O protagonista, o jovem Oriku, possui uma alma especial que só aparece uma vez a cada mil anos, e ele começa um árduo treinamento a fim de se tornar um grande sábio.

Hum... Né? Produzido em conjunto com a empresa chinesa Shenzhen (boa parte dos produtos que você compra no AliExpress vem dessa cidade!) Tencent Computer System Company Limited, esse anime surge em um primeiro momento como o "patinho feio" do Studio Deen na temporada, visto que as suas outras duas estreias estão tendo planejamento e atenção bem maiores - a propósito, elas serão adicionadas em breve no guia. Novel? Não achei uma informação a respeito. Quadrinhos? Idem. Trailers da animação? Oras, ela foi anunciada há poucos dias, em cima da hora, logo não há nada disso de igual modo até o momento. Temos à disposição apenas o perfil de personagens ainda em construção no site oficial, que menciona o quão o protagonista Oriku é um gênio cujo QI e impudência são inigualáveis (em outro canto do site mencionam como ele enfrentará diversos desafios e é um estrategista sagaz e incomum), tendo como mestre uma mulher de nome Obu que também possui um temperamento forte, além de uma nota da equipe do Studio Deen falando que o anime será repleto de gags - mescla de ação, comédia e fantasia, então. Bastante provável que liberem mais informações nas próximas duas semanas, e caso isso ocorra atualizarei esse texto.

Previsto para ser exibido simultaneamente no Japão e na China, já dublado em mandarim, "Reikenzan: Hoshikuzu-tachi no Utage" terá o experiente Iku Suzuki na direção acompanhado de Makoto Iino no "character design" - outras posições de relevância que sempre cito como roteirista e compositor não foram divulgadas por ora.

**********

Rilu Rilu Fairilu: Yousei no Door
Formato: TV
Data de estreia: 06/02
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Sakura Gojou
Gênero: Fantasia
De onde saiu: Animação original inspirada em personagens recém criados pela empresa Sanrio.
Site oficial: Clique aqui

Fadas, fadas, muitas fadas.

Esse anime cujo título não será nada agradável de ouvir japoneses falando é resultado da mais nova parceria entre as empresas Sanrio (focada na criação de produtos "kawaii", que vão desde acessórios variados a material escolar, sendo ela a idealizadora da popular personagem Hello Kitty) e Sega Sammy (fusão entre as empresas Sega e Sammy, voltada a jogos e entretenimento), que anteriormente já tinham produzido em conjunto "Jewelpet", franquia de garotas mágicas cujas animações alcançaram 7 temporadas desde 2009 e que, pelo visto, chegará ao seu fim uma vez que essa nova série de TV será exibida no mesmo horário que a temporada atual, "Jewelpet Magical Change". Voltado ao público feminino infantil (mas muito marmanjo já confessou estar babando por tanto moe!), logicamente o anime é só a introdução a uma futura linha de produtos que será composta por bolsas, material escolar, livros, jogos e o que mais for possível inventar.

História? Ah, igual a qualquer outro anime que tenha a participação da Sanrio e personagens criados por ela ("Show By Rock!!" e "Gudetama", isso só ficando em títulos recentes), a história é um detalhe secundário, mas vamos lá: no mundo mágico de Little Fairilu vivem as "Fairilu", que são pequenas fadas, nascidas das "Sementes de Fairilu", que representam flores, insetos, sereias e várias outras entidades. Cada fada nasce com uma chave própria que se encaixa em somente uma "Fairy Door" que elas precisam encontrar; se qualquer uma delas acha e passa pela porta correta, essa pode finalmente amadurecer e se tornar uma fada por completo, sendo que as tais portas também as ligam com o mundo humano - enquanto isso não ocorre, todas as fadinhas devem ir à escola e estudar para aprender sobre o lugar em que vivem. No anime a protagonista será Nozomi Hanamura, uma garota que adora flores e acredita na existência de criaturas mágicas; certo dia, ela testemunha o nascimento de uma Fairilu enquanto uma Fairy Door surge na frente dela, evento esse que mudará sua vida e, talvez, a maneira que as duas espécies se relacionam.

Nessa página do site oficial já é possível ver, na ordem, uma chorona fadinha das tulipas, a sentimental fadinha das violetas, a radiante fadinha dos girassóis, a orgulhosa fadinha das rosas, dois unicórnios gêmeos criminosamente fofos e duas fadas adultas que supervisionam o comportamento e as mágicas executadas por todas as fadinhas - mas haverão ainda muitas outras fadas secundárias dos mais variados tipos, como podem ver nessa imagem. A ser produzido pelo Studio Deen, "Rilu Rilu Fairilu: Yousei no Door" terá o novato Sakura Gojou na direção em companhia de Aya Matsui ("Dragon Ball GT", "Marmalade Boy") na supervisão de roteiros e Jinshichi Yamaguchi no "character design".


**********

Saijaku Muhai no Bahamut
Formato: TV
Data de estreia: 11/01
Estúdio: Lerche
Diretor: Masaomi Ando ("Gakkou Gurashi!", "White Album 2")
Gênero: Ação / Fantasia / Romance
Tema: Escolar / Harém
De onde saiu: Light novel, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Não confundir esse anime com "Rakudai Kishi no Cavalry". Ou então com "Gakusen Toshi Asterisk". Muito menos com "Seirei Tsukai no Blade Dance". Ou "Infinite Stratos". E nem também...  

A história tem como principal personagem Lux, um ex príncipe do opressor império de Arcadia que, cinco anos atrás, veio a cair após sofrer um golpe de Estado. Sendo agora obrigado a realizar diversos tipos de serviços para a população do novo reino de Atismata como forma de penitência, certa tarde o rapaz, sem querer, invade uma área de banho feminino e flagra nua a princesa Lisesharte, que como meio de se vingar de tal afronta o obriga a participar de um duelo usando Drag-Ride - antigas armaduras mecânicas que foram encontradas em escavações de ruínas por todo o mundo dez anos atrás. Antes conhecido como o mais forte Drag-Knight já visto, atualmente Lux é chamado de "o invicto mais fraco" devido ao fato de nunca atacar durante seus confrontos mas, mesmo assim, acabar vencendo ou empatando através de outros meios. 

Por certos motivos, após esse duelo Lux será obrigado a frequentar a escola exclusiva para garotas, onde Lisesharte estuda, que treina membros de famílias nobres para se tornarem futuras Drag-Knights.

Baseado em uma light novel publicada desde 2012 pela editora GA Bunko (que fará dez anos de existência ano que vem, como devem ter reparado nos trailers), vou ser sincero com vocês: eu li apenas parte dos capítulos um e dois da obra original de "Saijaku Muhai no Bahamut" antes de desistir dela e pegar no lugar a versão mangá, que é publicada desde 2014 e da qual li os 2 volumes disponíveis por enquanto. O motivo? Total impaciência com obras desse gênero depois de esbarrar nelas toda santa temporada - um rapaz de força muito maior do que aparenta? Encontro casual com uma das alunas mais poderosas de uma escola, e ainda por cima princesa, onde a flagra nua ou seminua? Duelo entre os dois por conta desse infeliz mal entendido? Usuários de armas especiais? Gente, não citando nomes e termos, só essas descrições servem sem problemas tanto para o anime em questão, quanto para "Rakudai Kishi no Cavalry" ou "Gakusen Toshi Asterisk", que são dessa temporada que acabou agora. Três meses, três meses atrás eu ainda li duas light novels com a mesma premissa! E há seis meses foi mais uma semelhante. E há nove foram outras duas. E há um ano... Entenderam, né? Preferi pegar a versão mangá por ser algo mais enxuto, rápido de se ler, e enfim poder adicionar esse título logo para fixar minha atenção a outras duas adaptações de light novels que restam dar uma olhada.

É sabido que adaptações em mangás de light novels geralmente são bem medíocres em se tratando de narrativa, visto que cortam e resumem muito conteúdo no processo - servem primeiramente como divulgação do material original. Por conta disso, não seria coerente eu questionar o ritmo ou a maneira como se desenvolve os personagens e história da versão mangá de "Saijaku Muhai no Bahamut", pois ela é realmente corrida em excesso, então nos fixemos em fatos. Ex príncipe de um reino tirano no qual os homens, vistos como superiores, eram o únicos permitidos a pilotarem essas Drag-Ride (um tipo de mecha que você ativa usando uma espada), Lux possui um trágico passado em suas costas que fez mudar seu estilo de batalha, tornando-se hoje uma pessoa aparentemente bastante submissa e despreocupada. Já no novo reino de Atismata, agora são as mulheres que comandam Drag-Ride porque foi descoberto que elas têm maior compatibilidade com as máquinas. A partir disso, qual seria o principal intuito em usa-las? Além de enfrentar grupos rebeldes que querem reerguer o antigo império de Arcadia, por "coincidência" e azar, ao mesmo tempo que as Drag-Ride foram encontradas durante as escavações de ruínas anos atrás, também vieram à tona as "Abyss", criaturas de formas variadas e possuidoras de uma força absurda da qual é necessária a união de vários Drag-Ride para combate-las - outro uso para elas, e é aí que muitos de vocês pensarão em como a coisa desanda de vez, é nos conflitos contra outros países quanto ao direito de escavar essas ruínas pelo mundo (tipo, apareceram ruínas do nada em todo lugar?), porque de meses em meses são realizadas batalhas entre Drag-Ride de diferentes nações, numa competição chamada "Dragon Competition", a fim de obter direitos de investigar esses locais, sendo que para poder participar delas é preciso vencer as "Campus Selection Battles", algo como seletivas internas.

E, só para não aprofundar no spoil, o primeiro arco da história apresentará aparições numa quantidade fora do comum desses Abyss e o ataque de um grupo de ex integrantes do império de Arcadia, enquanto descobrimos ainda que todo o elenco feminino principal (e possivelmente Lux em breve) participa de uma unidade especial que luta contra os Abyss, algo que não é possível a qualquer um da academia. É isso.

O sortudo protagonista, que de início conheceu a garota principal após correr meia cidade atrás de um gato ladrão de bolsas, se reencontrará em seguida com sua irmãzinha que estuda na mesma escola que ele se vê obrigado a frequentar, a amiga de infância peituda que não via há sete anos, uma garota estrangeira misteriosa e outras fêmeas das quais ainda não pude conhecer muito, tal como a loira do pôster acima, por exemplo. Talvez valham certas ressalvas aqui: entre uma Lisesharte toda tsundere no começo que em pouco se torna quase inteiramente "dere", uma irmã com complexo de irmão, uma amiga de infância que insiste ser tratada intimamente pelo protagonista mais do que ele deseja, e ocasionais tropeções e apalpadas acidentais ocorridos seja ao acordar do lado de uma garota seminua sem saber o motivo ou durante um passeio pela cidade, "Saijaku Muhai no Bahamut" até que traz um drama moderadamente pesado. O tal reino de Arcadia possui uma história carregada em sangue e constantes abusos contra as mulheres, e o passado tanto de Lux, quanto de Lisesharte envolve conflitos e traumas familiares intensos; ademais, fãs da light novel salientam como o relacionamento desses dois é diferente do que é normalmente testemunhado em outras tramas do gênero com harém no meio, e por fim que o próprio Lux está longe de ser um líder masculino fraco e indeciso.

Mas, olha, não caio mais nesses "poréns" não, nem pensar.

Nos dois volumes que li da versão mangá percebi mesmo que Lux tem certa presença e determinação, e certos eventos do passado se mostraram de fato fortes e violentos, sem contar que me surpreendi (hum, talvez seja culpa da narrativa resumida?) pelo quão rápido Lisesharte se transforma e se mostra tão explicitamente interessada no garoto. Contudo, de nada adianta se na página seguinte Lux derrota centenas de inimigos com seu "poder oculto" depois de os demais aliados terem sido massacrados, se os argumentos por trás de todas essas tragédias são tão rasos e cheios de furos, e se a questão romance não anda em linha reta, e sim fazendo diversos desvios e retrocessos, uma vez que as outras garotas conseguem interromper com facilidade a relação de Lux com Lisesharte - um destemido guerreiro em batalha, um cabeça dura que não percebe nada fora dela! Posso estar queimando a língua e, vá saber, lá pro volume 3, 4 ou 5 a situação muda de figura drasticamente? Posso, mesmo porque uma hora ou outra essas light novels tomam um rumo definitivo que geralmente nunca vemos ser adaptados nos animes, porém não julgo que numa série de TV de possíveis 12 episódios presenciaremos algo tão fora do habitual. Em um primeiro momento é algo mais recomendado mesmo para quem já curte o gênero - e pensar que para a temporada de primavera já tem confirmado outro título semelhante...

A propósito, clique aqui caso queira ver uma galeria com ilustrações da light novel, inclusas cenas de teor ecchi.

A ser produzido pelo pequeno estúdio Lerche, "Saijaku Muhai no Bahamut" terá Masaomi Ando de diretor ao lado de Yuuko Kakihara ("Sora no Otoshimono", "Unbreakable Machine-Doll") na supervisão de roteiros, Akito Matsuda ("Hibike! Euphonium", "Jitsu wa Watashi wa") na trilha sonora e Keiko Kurosawa ("Re: Hamatora") no "character design".


**********

Schwarzesmarken
Formato: TV
Data de estreia: 11/01
Estúdio: LIDENFILMS
Diretor: Tetsuya Watanabe ("Kimi ga Nozomu Eien", "Zone of the Enders")
Gênero: Ação / Drama / Sci-fi
Tema: Mecha / Militar
De onde saiu: Novel, 7 volumes, finalizada - spin-off de outra novel, "Muv-Luv Alternative: Total Eclipse", que recebeu uma série de TV em 2012.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Baseada na novel homônima publicada entre 2010 e 2014, "Schwarzesmarken" é spin-off de "Muv-Luv", franquia iniciada como visual novel adulta em 2003 (pela empresa Âge, mesma criadora de "Kimi ga Nozomu Eien") que recebeu uma continuação, "Muv Luv Alternative", em 2006, sendo que ao longo dos anos essas duas obras foram adaptadas em diversos mangás, novels e light novels - para não se perder em tantos títulos destaco somente "Muv-Luv Alternative: Total Eclipse", novel com 7 volumes lançados de 2007 a 2013 cujos eventos são posteriores ao que é visto em "Schwarzesmarken", precisamente 18 anos já que um se passa em 2001, e o outro em 1983. "Muv-Luv Alternative: Total Eclipse" já chegou a receber uma série de TV em 2012 através do estúdio Satelight, na época muito criticada por distorcer a obra original e adicionar vários eventos fillers a fim de seguir em frente com 24 episódios, quando metade disso seria o suficiente para adaptar o material existente na ocasião.

Focado nos integrantes de um batalhão do exército da Alemanha Oriental, o sugestivo 666th TSF Squadron, que são dedicados a enfrentar determinados tipos de alienígenas existentes no mundo da franquia "Muv-Luv", ficarei devendo a pequena sinopse que foi divulgada já que exigiria explicações de alguns termos que surgem nela - e além disso continuações e spin-offs possuem baixa prioridade nesses guias, a não ser que tenham informações relevantes quanto a sua produção. Com um jogo para PC lançado em novembro, intitulado "Schwarzesmarken Kouketsu no Monshou", e com outro previsto para o ano que vem chamado "Schwarzesmarken Junkyousha-tachi", além de uma nova versão em light novel que está sendo publicada desde julho desse ano, "Schwarzesmarken" terá o mesmo diretor da versão animada de "Kimi ga Nozomu Eien" em 2003, Tetsuya Watanabe, junto a Tatsuto Higuchi ("Cross Ange") na supervisão de roteiros, o grupo Elements Garden ("Grisaia no Kajitsu", "Dance with Devils", "Senki Zesshou Symphogear") na trilha sonora e Shuichi Hara no "character design".

**********

Sekkou Boys
Formato: TV (7 min. por episódio)
Data de estreia: 08/01
Estúdio: LIDENFILMS
Diretor: Tomoki Takuno
Gênero: Comédia
Tema: Música
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Gente, confesso que estou petrificado com a ideia desse anime. 

Saindo das mentes geniais dos empresários da Kadokawa, da fabricante de produtos personalizáveis de personagens Zargiani Works e da fornecedora de materiais artísticos Holbein Artist Materials, "Sekkou Boys" trará como protagonistas quatro bustos feitos de gesso que formarão um grupo de idols liderados por Miki Ishimoto, uma gerente em início de carreira que terá como missão guiar esse quarteto tão peculiar no ramo do entretenimento, um mundo cujo caminho ao topo é cheio de obstáculos, armadilhas... E pedras.

E não pensem que acompanharemos aqui qualquer estatuazinha de parque público não, que isso; Tomokazu Sugita terá a honra de dublar São Jorge, um santo guerreiro estoico e de forte senso de justiça, porém bastante amigável; Fukuyama Jun emprestará sua voz à eloquência de Hermes, astuto e belo deus grego, que servia de mensageiro aos deuses do Olimpo e de guia para as almas dos mortos ao reino de Hades; por sua vez, Ono Daisuke encarnará a ira e a paixão intensa de Ares, outro morador do Monte Olimpo que sempre teve seu nome ligado a violência da guerra e que possuiu várias amantes que lhe geraram uma prole numerosa; e Shinnosuke Tachibana, o menos conhecido entre dubladores tão populares, viverá um dos descendentes dos Médici, riquíssima família que durante séculos dominou o cenário político italiano - a pessoa que vos escreve esse texto pede humildes desculpas por não ter descoberto quem exatamente dessa família aparecerá no anime, mas basta dizer que muitos de seus membros eram apreciadores das Artes e conhecidos hedonistas. Formado por figuras histórias e mitológicas tão impactantes, não duvido nada que esse grupo fará imenso sucesso, independente do lugar para onde seus membros sejam carregados com a ajuda de sua esforçada empresária...

Pois é, nem mesmo ela (que, aliás, é dublada pela novata Shiho Kokidoparece acreditar na situação em que se meteu, como podem ver (ouvir) pelos seus surtos no segundo trailer acima que na verdade é o primeiro - já que antes desse lançaram um vídeo com pessoas e bustos reais (...) no qual simularam uma coletiva de imprensa entrevistando os personagens e anunciando o anime, com direito a repórteres espantados com certas declarações polêmicas, anunciante do evento quase não conseguindo fingir seriedade e segurar o riso e breves cenas deles realizando um show enquanto são carregados por pessoas vestidas de preto nada difíceis de serem notadas. Oras, o que mais dá para dizer dessa maluquice toda? Sabe lá Deus como será o anime (que é um dos integrantes do bloco de animações curtas "Ultra Super Anime Time"), contudo já foi dado início ao comércio de produtos diversos ligados a esses quatro sublimes idols, indo desde botons a porta retratos, chaveiros, materiais de arte personalizados e até mesmo almofadas, sem contar o que deverá ser lançado de singles e álbuns musicais aproveitando os nomes por trás de suas vozes. E olha, o anime poderá acabar se tornando uma porcaria, porém duvido que qualquer outra animação da temporada tenha "bastidores" tão criativos e tontos igual ao que podemos ver nas contas oficiais de "Sekkou Boys" no Twitter e no Facebook; nos mostrando o dia a dia cansativo de São Jorge e companhia, nessas páginas podemos ver fotos de momentos mais íntimos como Ares tomando água durante uma pausa ou sendo flagrado cochilando, bem como um vislumbre deles gravando alguma cena ou então esperando o atrasado Médici para começarem mais um dia de trabalho - nada melhor para a relação ídolo e fã do que manter um contato mais descontraído e aberto!

A ser produzido pelo LIDENFILMS, "Sekkou Boys" terá o estreante Tomoki Takuno na direção junto ao trio feminino Michiko Yokote ("Genshiken", "Kyoukai no Rinne", "Prison School", "xxxHOLIC") na supervisão de roteiros e Eriko Itou ("Danchigai", "Hamatora") no character design dos personagens humanos.



**********

Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu
Formato: TV 
Data de estreia: 07/01
Estúdio: Project No.9
Diretor: Takuya Satou ("Ichigo Mashimaro", "Seitokai no Ichizon", "Selector Infected Wixoss", "Steins;Gate")
Gênero: Comédia / Drama / Romance
Tema: Escolar
De onde saiu: Visual novel para PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aquiaquiaqui e aqui

Buntarou não sabe o que quer do futuro; sem possuir nenhum sonho ou qualquer ambição, ele gasta seus dias apenas saindo e se divertindo com os amigos. Contudo, em certa ocasião sua colega de classe Sayuki, após ler um roteiro escrito pelo rapaz para o clube de drama, pede sua ajuda para desenvolver uma visual novel. Buntarou não tem conhecimento algum a respeito desse tipo de jogo, porém Sayuki afirma que ela é capaz de fazê-lo se tornar um sucesso, e dessa forma será visto um grupo de jovens dando um ousado passo rumo ao desconhecido...  

Lançada em março desse ano, a visual novel de "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu" é um dos quatro integrantes do "Takahiro IV", projeto pessoal de Takahiro iniciado em 2014 - os outros três trabalhos foram a adaptação animada de seu trágico mangá "Akame ga Kill!", o roteiro da série de TV original "Yuuki Yuuna wa Yuusha de Aru" e a novel "Washio Sumi wa Yuusha de Aru", cuja trama se passa dois anos antes do visto no anime das garotinhas mágicas. O jogo, aliás, foi produzido pela MinatoSoft ("Maji de Watashi ni Koi Shinasai!", "Kimi ga Aruji de Shitsuji ga Ore de"), que possui como um de seus donos o próprio Takahiro, e... Bem, não tenho muito mais a falar sobre o que cerca esse anime. Igual a "Ao no Kanata", essa é outra visual novel que não pude jogar, entretanto sequer achei também comentários sobre seu conteúdo e nem galerias dos CGs; no máximo, descobri em alguns sites relativamente confiáveis que esse título esteve longe de ser bem sucedido quanto a vendas, e somente isso. A ser produzido pelo pequenino Project No.9, estúdio que tem no seu currículo apenas animações de teor ecchi variados ("Ro-Kyu-Bu!", "Momo Kyun Sword", "Saikin, Imouto no Yousu ga Chotto Okashiinda ga."), e observando os arquétipos dos personagens cujas personalidades são evidentes só de bater o olho neles, confesso que em outras situações a sinopse me causaria maior interesse - curto essas abordagens sobre o mundo otaku -, mas em um primeiro momento não parece que o anime irá muito além de uma comédia meio ecchi com pseudo romance e drama. Sou bastante cético com adaptações de visual novels, já deixei isso claro aqui e em outros guias, e nesse caso nem havendo Takahiro como autor da história original (se bem que sequer gostei de "Akame ga Kill!" e "Yuuki Yuuna"...), e nem considerando que os jogos da MinatoSoft geralmente trazem argumentos mais criativos e interessantes, me soam confiáveis.

"Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu" terá, junto ao bom Takuya Sato na direção, Yukino Ayana ("Kiniro Mosaic", "Locodol") na supervisão de roteiros e Takayuki Noguchi ("Queen's Blade: Rebellion", "Ro-Kyu-Bu!") no "character design".


**********

Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu
Formato: TV
Data de estreia: 08/01
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Shinichi Omata ("Rozen Maiden (2013)", "Sankarea")
Gênero: Drama
Tema: Histórico
De onde saiu: Mangá, 8 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Narrada durante o final da década de 60, "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu" traz como protagonista um ex prisioneiro que, após ser liberado por bom comportamento, tem como objetivo se tornar aprendiz de Yakumo, um veterano praticante de rakugo do qual ele passou a admirar após ver sua interpretação em uma história chamada "Shinigami". Apesar de nunca ter tido um aprendiz, para a surpresa de todos Yakumo acata os pedidos do rapaz, passando inclusive a apelida-lo de Yotarou ("pessoa estúpida, tonta").

Conforme começa sua nova vida, Yotarou se encontrará com diversos conhecidos de seu mestre, dentre os quais Konatsu, jovem cujo pai era um famoso contador de histórias até ele sofrer uma morte trágica. Estando agora aos cuidados de Yakumo, ela adorava a profissão do pai e até desejaria seguir o mesmo caminho, algo impossível uma vez que rakugo não permite a participação de mulheres.

Baseado em um mangá josei publicado desde 2010 que já marcou presença em diversas premiações do ramo, como por exemplo uma indicação no "Manga Taishou" de 2012, outra no "Tezuka Osamu Cultural Prize" em 2013, uma premiação secundária no "Japan Media Arts Festival" também de 2013 e, finalmente, uma vitória no "Kodansha Manga Award" de 2014 na categoria "Melhor mangá em geral" (é que há uma categoria que engloba todos os títulos, e outras que os dividem por demografia), acho uma pena estar adicionando o texto de "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu" sem poder ser mais detalhado a respeito de seu conteúdo com vocês, visto que a obra original não se encontra traduzida no momento - nem ela, e tampouco dois OVAs lançados esse ano. Se muito, posso lhes dizer que a autora do mangá, Haruko Kumota, possui um currículo composto em 90% por títulos shounen-ai e yaoi, sendo a única exceção justamente esse aqui que será adaptado, não por coincidência, pelo Studio Deen, um dos estúdios mais fiéis com o público feminino atualmente; logo, não teremos aqui qualquer relacionamento amoroso explícito envolvendo homens, porém não seria de se espantar caso flagrássemos uma relação mais íntima e sugestiva do que o normal entre eles (de todo modo, um anime só com adultos, amém!).

Apenas duas notas antes de encerrar citando os membros da equipe de produção, "Shouwa Genroku" se refere a um período entre o final dos anos 60 e início dos 70, época em que o Japão ainda apresentava um significativo crescimento econômico. Ademais, conforme dito na sinopse, as encenações de rakugo, na qual um pessoa sentada em um tatame realiza monólogos humorísticos, eram realmente restritas a homens até poucos anos atrás - todavia, apesar de não ser inédito ver um anime abordando essa profissão, ele será o primeiro a ter de fato homens nos papéis principais! Quem tiver interesse pode dar uma olhada nesse texto meu sobre "Joshiraku", uma comédia slice-of-life de 2012 bastante satírica protagonizada por cinco garotas praticantes de rakugo, e além dele há ainda "Rakugo Tennyo Oyui", anime que mescla viagem no tempo ao Período Edo com seis garotas possuidoras de poderes especiais, tendo uma delas o "dom das palavras"...

Previsto para estrear com um episódio especial de uma hora de duração, "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu" terá Shinichi Omata (também conhecido pelo pseudônimo Mamoru Hatakeyama) na direção ao lado de Jun Kumagai ("Hamatora", "Persona 4 The Golden Animation") na supervisão de roteiros e Mieko Hosoi ("Aiura", episódios 9 e 10 de "Aoi Bungaku") no "character design".

**********

Sushi Police
Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 07/01
Estúdio: KOO-KI
Diretor: Tatsushi Momen
Gênero: Comédia
Tema: Culinária / Policial
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Uma luta sem fim contra restaurantes impostores!

Os jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio estão se aproximando, e isso tem causado um boom de restaurantes oferecendo sushi e outros alimentos japoneses pelo mundo afora, fazendo com que surgisse em seguida uma preocupação quanto a isso: como agir diante dos ilegítimos pratos que não representam a essência da culinária japonesa?

A resposta do governo do Japão para esse problema foi juntar forças com outras potências do globo para estabelecer a "Organização Mundial de Conservação da Cultura Alimentar" - ou WFCO abreviado em inglês - a fim de proteger e promover culinárias locais autênticas. Sendo responsável em inspecionar a culinária japonesa mundo afora, a 9ª Divisão do WFCO, também chamada de "Sushi Police", é conhecida pela conduta agressiva de seus membros frente a qualquer um que sirva comida japonesa ilegítima ou de baixa qualidade tanto nos Estados Unidos, quanto na Rússia, França, China e qualquer demais país que seja necessário fiscalizar. Por conta dessa disposição em eliminar sushis e outros alimentos ruins, os três japoneses dessa divisão são aos poucos desprezados e temidos por donos de restaurantes no mundo todo.

Essa ideia maluca não saiu do nada: "Sushi Police" é um termo irônico criado por jornais ocidentais para se referir a uma iniciativa, idealizada pelo então Ministro da Agricultura Toshikatsu Matsuoka em meados de 2006, na qual seriam concedidos selos oficiais de aprovação aos restaurantes estrangeiros que servissem pratos japoneses de qualidade - ele começou a pensar nisso justamente após uma viagem ao Colorado (Estados Unidos), onde flagrou em um dito restaurante japonês algo que ele considerou um "grave crime culinário", pois no local eram oferecidos sushis junto com alimentos típicos não do Japão, mas sim da Coréia do Sul. Reunindo em seguida vários "delitos" semelhantes, indo desde saquês falsos em Paris a bolinhos de alga com ingredientes estranhos no Canadá e estabelecimentos que dizem ser especializados na culinária nipônica, contudo disponibilizam pratos filipinos ou chineses, nesse mesmo ano autoridades do governo japonês passaram a investigar como teste dezenas de restaurantes na França em segredo, no caso de alguns, ou convidados por seus donos no caso de outros, para listar aqueles que se enquadrassem como servidores de pratos "puramente japoneses" - apenas um terço deles foi aprovado e assim dignos de exibir o tal selo em suas dependências, na forma de uma pétala de cerejeira, além de aparecem como um estabelecimento de culinária recomendado num site mantido pelo governo.

Porém, isso tudo não foi muito longe; criticado principalmente pelos Estados Unidos e até por membros de seu próprio governo, que consideravam tal prática exagerada e discriminatória, Toshikatsu teve de voltar atrás e pausar seu projeto para refazê-lo com o intuito de o deixar mais ameno. Havendo uma nova previsão de ser lançado em 2008, eu não achei depois dessa data nenhuma notícia sobre o programa, e, como esse ministro cometeu suicídio em 2007 após ser acusado de corrupção, não acredito que alguém tenha seguido em frente com a ideia. Bem, antes fiscalizasse suas próprias ações, né...

Ah, claro, voltemos ao anime. Produzido pelo pequenino KOO-KI, estúdio localizado em Fukuoka que possui experiência com animações em CG e que já foi inclusive premiado no Festival de Cannes em 2007 graças a um divertido comercial da Nike com Power Rangers, "Sushi Police" está sendo mencionado por seus criadores como uma série de TV de episódios curtos, mas não detalharam ainda seu tamanho exato. De estilo bem cartunesco como podem ver pelo trailer, e protagonizado por três dedicados "policiais do sushi", que são o gordinho líder Honda, o analista de dados e usuário de nunchaku Suzuki e o inspetor androide Kawasaki, a animação terá, junto a Tatsushi Momen na direção, os roteiristas Ichiro Kusuno e Kotaro Ando na criação e supervisão de roteiros.


**********

Tabi Machi Late Show
Formato: TV (7 min. por episódio)
Data de estreia: 08/01
Estúdio: CoMix Wave Films
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Como já dito em outros textos acima, o bloco "Ultra Super Anime Time", que foi criado em 2015 com o intuito de focar exclusivamente em animações de curta duração, terá 5 estreias nessa temporada - nas anteriores foram 3 títulos de 7, quase 8 minutos cada compartilhando um espaço de 30 minutos semanais. "Oshiete! Galko-chan" e "Sekkou Boys" serão exibidos durante três meses, ao passo que 3 animes do CoMix Wave Films serão transmitidos cada qual em um mês diferente, sendo todos compostos por 4 episódios: esse "Tabi Machi Late Show" está previsto para janeiro, "Kono Danshi, Mahou ga Oshigoto Desu" terá início em fevereiro e um título ainda não anunciado ficou reservado para março. E o curioso é que, apesar de ser o primeiro a estrear, mal há notícias desse anime enquanto que de "Kono Danshi..." já se sabe tudo...

Seu site oficial foi lançado há poucos dias, e nele temos apenas uma cerejeira cobrindo boa parte da página, uma agradável música instrumental ao fundo e os títulos dos quatro episódios que serão exibidos: "Recipe", ("Receita") "Transistor Smartphone", "Natsu Matsuri" ("Festival de Verão") e "Clover" ("Trevo"). Também é dito que o tema da série de TV será "viagens e despedidas", o que dá a entender que teremos uma coleção de leves e curtos dramas. Sem divulgação da equipe, trailers ou sinopses, não há mais o que falar a respeito dessa animação, mas se e quando surgirem novidades as adicionarei aqui.


**********

Teekyuu 7
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 11/01
Estúdio: Millenpensee
Diretor: Shin Itagaki ("Ben-To", "Devil May Cry")
Gênero: Comédia
Tema: Escolar
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 10 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Forever and ever!

Sétima temporada de "Teekyuu", anime iniciado em 2012 que mostra, abusando de muito humor nonsense e diálogos insanamente rápidos, a rotina de quatro garotas membros de um clube de tênis. Na verdade, elas podem praticar baseball, jogar video-game, participar de uma guerra ou ficar apenas tagarelando em uma velocidade que o obriga a pausar o vídeo a cada dez segundos (mas calma que os episódios só duram 2 minutos!), porém, jogar tênis mesmo, nem esperem por isso!

É simplesmente uma comédia totalmente aleatória com um grupo de garotas nada recatadas ou normais, indo desde uma riquinha esnobe que tenta resolver tudo com dinheiro a uma pervertida com tendências lésbicas dublada pela diva Hanazawa Kana. Suas três primeiras temporadas saíram pelo estúdio MAPPA ("Sakamichi no Apollon", "Shingeki no Bahamut: Genesis") e tiveram vendas muito boas considerando seu tamanho e orçamento baixíssimo; pra se ter ideia a terceira temporada, de 2013, vendeu quase 3 mil cópias em seu volume único. Já da quarta temporada em diante exibidas desde 2015 ainda tem-se o mesmo diretor, Shin Itagaki, no comando das animações, porém o nanico Millepensee, estúdio que foi produtor-assistente nos animes anteriores, passou a ser o principal no lugar do MAPPA.



Aliás, também há "Takamiya Nasuno Desu!: Teekyuu Spin-off", animação spin-off (como o próprio título deixa muito claro...) que foi exibida ao mesmo tempo que a quarta temporada na primavera japonesa de 2015, e que se baseia em um mangá focado numa das personagens da série principal, a podre de rica Takamiya DesuPor fim, eu já cheguei a citar "Teekyuu" no post "Dez animes curtos de 2012", clique aqui caso queira dar uma olhada.


**********


Watashitachi, Luck Logic-bu!
Formato: TV (1 min. por episódio)
Data de estreia: 09/01
Estúdio: Dogakobo
Diretor: Takashi Naoya
Gênero: Comédia
De onde saiu: Spin-off de "Luck & Logic".

Sabem a animação original "Luck & Logic" do estúdio Dogakobo logo acima, que ainda receberá um jogo de cartas em fevereiro? Pois bem, "Watashitachi, Luck Logic-bu!" será uma série com episódios de apenas um minuto cada que mostrará quatro garotas membros de um clube de "Luck & Logic" onde a principal atividade é, obviamente, ficar jogando. Ele será sempre exibido pouco antes da animação principal. 

Pronto, é só isso, realmente não tenho mais nada a falar desse aqui.

**********

Yami Shibai 3rd Season
Formato: TV (4 min. por episódio)
Data de estreia: 11/01
Estúdio: ILCA
Diretor: Takashi Taniguchi / Tomohisa Ishikawa
Gênero: Terror
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, vindo de uma produção original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Terceira temporada de "Yami Shibai", animação original de 2013 que, em seus curtos episódios, mostra um senhor narrando histórias de terror baseadas em lendas urbanas japonesas. Usando um estilo de animação que imita o kamishibai, no post "Dez animes curto de 2013" eu falei um pouco sobre ele, clique aqui caso queiram ler a respeito.

Prometendo apresentar nessa sequência mais de cem novas criaturas e continuar se baseando em rumores e lendas urbanas, a franquia "Yami Shibai" trocará de direção pela terceira vez: após o declínio ocorrido na decepcionante segunda temporada quando Noboru Eguchi, Shoichiro Masumoto e Takashi Shimizu (esse último diretor da série de filmes "O Grito", precisamente os originais japoneses e as duas primeiras versões americanas) substituíram Tomoya Takashima ("Kagewani"), dessa vez os que surgirão no comando serão Takashi Taniguchi e Tomohisa Ishikawa. Enquanto que de Taniguchi não pude achar nenhuma informação (alguns sites tem indicado que seria essa pessoa, o que não faz sentido algum porque trata-se de um dublador falecido em 2012), Tomohisa é conhecido tanto por suas trilhas sonoras solos em animes como "Harmonie", "Kite Liberator" e "Innocent Venus", dentre outros, quanto pelas trilhas compostas para "Trinity Seven", "Witch Craft Works" e atualmente "Sakurako-san no Ashimoto ni wa Shitai ga Umatteiru" em conjunto com seu grupo Technoboys Pulcraft Green-Fund, que é focado em música techno - pelo comercial do anime logo acima já dá para ver (ouvir) um pouco de seu estilo, mas questiono isso de ele estar sendo creditado como diretor, posto no qual nunca esteve antes.

Por outro lado, presente desde o primeiro anime, Hiromu Kumamoto permanece na criação de roteiros, agora ao lado de Satoko Kishi.


**********


TOTAL:
49 estreias*

14 continuações / spin-offs
12 novas adaptações de mangás
10 novas animações originais
05 novas adaptações de jogos (Dispositivos móveis:1; PC:3; PSP:1)
04 novas adaptações de novels
04 novas adaptações de light novels


*Já desconsiderando "Macross Delta", que foi jogado para a temporada de primavera.


Alguns dados aleatórios e inúteis sobre a montagem desse guia:
Número de mangás e light novels que eu li pelo menos um capítulo: 14
Número de volumes completos lidos: 24 (contando as versões mangás de light novels)
Número de capítulos lidos: 159 (idem)
Número de imagens reunidas no post de mangás e light novels que eu li: 247
Dias passados desde o início da montagem do guia até a sua postagem: 17
Número de postagens do Animecote que foram tiradas do ar, nesse mesmo período, pelo Blogger por suposta violação de direitos autorais: 2 (são só resenhas, meu Deus! Ainda estamos recorrendo quanto a isso)
Quantidade de jogos que comprei no Steam em igual período: 13 (e ainda tem o evento de fim de ano daqui a alguns dias...)


**********

Animações mais - e também menos, por que não - esperadas pela comunidade do MyAnimeList (de acordo com o total de usuários que já adicionaram cada anime às suas listas) (números do dia 13/12):

 Durarara!!x2Ketsu - 38,784
 Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season - 19,644
 Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri - Enryuu-hen - 16,332
 Akagami no Shirayuki-hime 2nd Season - 12,606
 Ajin - 10,138
 Ao no Kanata no Four Rhythm - 9,315
 Boku dake ga Inai Machi - 9,255
 Hai to Gensou no Grimgar - 8,855
 Dagashi Kashi - 8,528
10º Musaigen no Phantom World - 7,725
...
...
...
33º Yami Shibai 3rd Season - 834
34º Nurse Witch Komugi-chan R- 670
35º Ojisan to Marshmallow - 655
36º Reikenzan: Hoshikuzu-tachi no Utage - 315
37º Ganbare! Lulu Lolo 3rd Season - 25


Explicação quanto ao motivo de ter apenas 37 animes listados aqui: Devido a demora do MyAnimeList para realizar atualizações nessas últimas semanas, algumas estreias pequenas sequer possuem página no site até o momento, ao passo que outras já têm as páginas criadas, porém não foram aprovadas ainda e por conta disso os usuários não conseguem adiciona-las em suas listas.




**********



Resultado da enquete "Quais animes pretende ver nessa temporada?":

Foram 62 votos únicos, havendo uma média de 7,24 animes selecionados a cada voto - "Ajin" sagrou-se vencedor, o que não é grande surpresa. Por outro lado, acho curioso como "Ojisan to Marshmallow", "Sekkou Boys" e "Sushi Police" obtiveram boas posições, considerando que serão animações de curta duração. Por ter sido jogado para a temporada de primavera, acabei retirando "Macross Delta", porém ele estava com 5 votos antes da exclusão.

Aliás, no mês passado o site Anime News Network realizou uma enquete parecida sobre o assunto, porém nessa era possível votar em apenas duas opções - "Ajin" perdeu para 4 continuações muito esperadas, e notem que há na sexta posição o título "Fairy Tail Zero"; lá, ao contrário do MyAnimeList, ele está sendo considerado como um novo anime. No meu caso, já que não foi explicado direito se será uma série de TV em separado ou somente um arco novo na série atual, achei melhor não adiciona-lo aqui.

De todo modo, o site só divulgou os 20 primeiros colocados mesmo, e além disso mostrou o resultado em porcentagem, não em número total de votos:


Enfim, agradeço mais uma vez a participação e o feedback de todos nesse guia. Até a próxima temporada!

**********

Meus perfis:

Comente com o Facebook:

24 comentários:

  1. Olha que irônico, enrolei 3 meses pra ler o Especial da Temporada de outubro, até exatamente hj, e agora que li saiu o da temporada de janeiro. :v
    Aproveitar q já estou vendo isso e vou ler esse também... ^^

    Vlw pela dedicação dos guias, esse e o da temporada passada. xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha, alguém que demora mais tempo para ler os guias do que eu para ler e responder os comentários =P

      'brigado, Sr. Anônimo.

      Excluir
    2. Eu sou aquele q ano passado, ou no começo desse ano, ficou abrindo o Animecote dia após dia esperando ansiosamente pra ler logo o guia de uma temporada, até comentei na ocasião.
      Mas agr o tempo anda mais apertado, e estou vendo bem menos animes q antes, acabo n tendo tempo pra ler os guias cedo... ^^

      Como vc provavelmente n vai lembrar se eu falar de algo q aconteceu a tanto tempo assim de repente, aqui vão os coments:

      http://animecote.blogspot.com.br/2014/06/especial-temporada-de-verao-2014.html?showComment=1403129673126#c6954664603790669816

      http://animecote.blogspot.com/2014/03/especial-temporada-de-primavera-2014.html?showComment=1395635780933#c7478655898929692631

      Quem sabe em uma próxima temporada eu não coloque um identificador como alguns fazem... ^^

      Excluir
    3. Achei um método simples de deixar um ID aqui sem necessidade de criar contas... ^^

      Já que consegui por a URL sem muitos problemas, vou aproveitar pra enviar uma solicitação, de boas?

      Excluir
    4. Ha, lembrar do comentário eu até lembro, mas realmente por sido anônimo não o associaria a você... Já lhe adicionei lá no MAL.

      Excluir
  2. Espero muito, mas muito mesmo pelo Half Life 3 dos animes, que depois de incriveis 5 anos depois de um teaser finalmente vai sair, vou me deliciar com seus 3 filmes K-I-Z-U-M-O-N-O-G-A-T-A-R-I

    ResponderExcluir
  3. Devo concordar, essa temporada está bem decente. Ainda serão adicionados vários animes nessa lista, dos quais devo selecionar alguns para ver, e mesmo assim já acabei separando boa parte pra assistir. Além disso mais algumas ótimas continuações, estou particularmente empolgado para a continuação de Gate, que realmente estou gostando muito!

    Dentre as novidades, olhos bem atentos para Boku dake ga Inai Machi e Ajin. Estou bastante curioso sobre Sekkou Boys também, que já me tirou risadas no guia, afinal, né? Hahaha. Definitivamente tenho que conferir no que vai dar xD

    Que venha uma excelente temporada. Aguardando as atualizações com os outros animes :B

    Novamente parabéns Erick! Guia 'sensabuloso'!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por acompanhar o guia por mais essa temporada, Cristiano. Tentarei adicionar os demais animes o quanto antes, mas a leitura das light novels e mangás faltantes tem ido tão, tão devagar...

      Excluir
  4. Dessa temporada vou acompanhar Boku dake ga Inai Machi, Dagashi Kashi, Schwarzesmarken, Musaigen no Phantom World e Oshiete! Galko-chan.
    Ah, vou ver Haruchika: Haruta to Chika wa Seishun Suru mais pelos belos cenários do q pela historia.

    ResponderExcluir
  5. Rapaz até que essa temporada de inverno está prometendo mais que as temporadas de inverno dos últimos anos.

    Aguardo ansioso a análise do Sommelier de Hentai sobre Norn9, afinal a impressão passada sobre Makura Danshi fora insuperável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, João Paulo, mas infelizmente não devo ver o anime de Norn9, que nem já antecipei no texto sobre ele, porque achei a história uma m... Coisa bem ruim =F. A versão mangá já me deu spoils dos maiores (e estúpidos) segredos da trama, então prefiro nem arriscar.

      Excluir
  6. Sekkou Boys melhor boyband <3

    O membro que você não encontrou é Cosme de Médici, banqueiro principal membro da família Médici que ajudou a criar a hegemonia de suas cidades comandadas e considerado o mais bondoso e respeitado dos Médici. Provavelmente será o afeminado do grupo... Mas quem se importa, já que esse anime será uma trainwreck de emoções :V

    Do mais, pretendo ver Ajin e o pseudo-Efeito Borboleta, o restante meio que vou ignorar por motivos óbvios. O senhor está de parabéns por ter uma garra de invejar ao ver tanta porcaria pra criar esse texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela informação, Milmil. E, ah, eu não diria que foi "tanta porcaria"; do que pude ler/assistir ficou 50% "bom/ótimo" e 50% "regular/ruim", praticamente, mas creio que ao final das atualizações o segundo acabará vencendo...

      Excluir
  7. Minha lista para essa temporada ficou assim:
    Ajin
    Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season
    Boku dake ga Inai Machi
    Durarara!!x2 Ketsu
    Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri - Enryuu-hen

    E como sempre ótimo guia!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por aparecer aqui mais uma vez, Conan =)

      Excluir
  8. Vlw pelo guia *O*
    Acompanho aqui desde 2013 e pretendo continuar daqui pra frente!!
    Parabéns pelo excelente trabalho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha, obrigado pela fidelidade, Maka, e também pretendo continuar com esses (cansativos) guias até quando for possível.

      Excluir
  9. o trailer do Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu esta errado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo aviso, Sr. Desconhecido, já corrigi o link - copiei a formatação de "Active Raid" e esqueci de trocar o trailer.

      Excluir
  10. Ótimo guia! Já virou padrão pra mim vir aqui todo inicio de temporada ler seu guia. "Parabains" pelo excelente trabalho.

    ResponderExcluir
  11. Putz! Demorei tanto para ler o guia que fiquei de fora da enquete.
    Ótimo trabalho como sempre Sr. Erick Dias.
    Já faz um tempo que estou usando seus guias de temporada para ver os animes que acompanharei.
    É claro que por se tratar de primeiras impressões, provavelmente em torno da metade dos animes de minha lista vão ser dropados.
    Tirando algumas continuações que já estavam em minha lista, estou bastante interessado em algumas estréias, com destaque para Dagashi Kashi.
    No mais segue a lista dos animes que verei nesta temporada. (não estão inclusas algumas continuações).
    Abraços a todos.
    Active Raid Kidou Kyoushuushitsu Dai Hakkei
    Ajin
    Ansatsu Kyoushitsu (TV) 2nd Season
    Ao no Kanata no Four Rhythm
    Boku dake ga Inai Machi
    Bubuki Buranki
    Dagashi Kashi
    Dimension W
    Hai to Gensou no Grimgar
    Haruchika: Haruta to Chika wa Seishun Suru
    Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo!
    Koukaku no Pandora
    Luck & Logic
    Macross Δ
    Momokuri
    Musaigen no Phantom World
    Nijiiro Days
    Ooyasan wa Shishunki!
    Oshiete! Galko-chan
    Phantasy Star Online 2 The Animation
    Prince of Stride: Alternative
    Reikenzan: Hoshikuzu-tachi no Utage
    Saijaku Muhai no Bahamut
    Schwarzesmarken
    Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu
    Sushi Police

    ResponderExcluir
  12. Opa, blz mais um temporada com um guia show de bola, parabéns.

    ResponderExcluir

Copyright © 2016 Animecote , Todos os direitos reservados.
Design por INS