18 de setembro de 2016

Especial: Temporada de Outono 2016






Sem texto de introdução, sem enquete e muito menos aquele rankinzinho mostrando os animes mais aguardados (e os menos também) da temporada pela comunichedade do MyAnimeList? Pois é, considerem isso uma versão "light" do habitual guia por culpa dos erros do querido Blogger, que me fizeram gastar horas para conseguir salvar apenas o que está no post neste momento, e nada mais. Se conseguirei fazer atualizações nos próximos dias aí eu já não sei, mas deixarei pra pensar nisso depois.


Edição, horas mais tarde: Bem, a enquete e o ranking eu consegui colocar na nova página que criei, contudo o texto de abertura deixarei de lado mesmo dessa vez, já que não vejo sentido em adiciona-lo após a publicação.

k*****

Há listadas por ora 49 estreias, porém esse número aumentará, no mínimo, para 66. A razão disso é que há mais 17 animações já confirmadas que preferi ir adicionando aos poucos nos próximos dias, para que o post não atrasasse. Segue abaixo a relação dos títulos faltantes:

Brave Witches (adicionado)
Cheating Craft (adicionado)
Digimon Universe: Appli Monsters (adicionado)
Girlfriend (Note) (adicionado)
Luger Code 1951 (adicionado)
Nazotokine (adicionado)
Occultic;Nine (adicionado)
Pokemon Sun & Moon (adicionado)
Shuumatsu no Izetta (adicionado)
Soul Buster (adicionado)
Soushin Shoujo Matoi (adicionado)
Tiger Mask W (adicionado)


Como de praxe, disponibilizarei logo adiante outra fonte para divulgação das estreias de OVAs, Movies, Specials e OADs que virão nos próximos meses. Já para séries de TV e ONAs, continuarei com comentários pessoais meus em boa parte dos animes, principalmente naqueles cuja obra original eu pude conhecer um pouco - nessa temporada cheguei a poucos 10 títulos lidos, número bem inferior em comparação com as temporadas passadas.  Certamente um anime que estou aguardando muito agora poderá ser uma droga, ou um que só menosprezei poderá se mostrar muito bom (e às vezes eu também acerto, vai!); mas enfim, são apenas especulações, de acordo com a visão que tive do material original ou da equipe envolvida na produção.

*****

Como esse post está sendo feito com certa antecedência, muitos dados novos surgirão ou terão de ser corrigidos; desse modo, manterei logo a frente uma relação das atualizações realizadas aqui. A propósito, todos os animes possuem em seu título um link que o leva às suas respectivas páginas no MyAnimeList.

Concluindo, as datas de estreia se referem ao dia exato da primeira exibição do anime (excluindo pré-estreias), não importando o horário. Ex: em alguns sites colocam que anime X estreará dia 6 de outubro, sendo que sua estreia será à 1:00 da manhã já do dia 7; mas aqui a data estará como dia 7 de outubro mesmo.

PS: Comentários são bem-vindos; ou, para ser exato, eu quero que comentem! Claro, só estou sendo um pouco exagerado, mas feedbacks para algo que levou semanas para ser montado (e que nem chegou ao fim ainda) é, assim, um ótimo "pagamento", que me motiva a continuar com essa postagem em temporadas futuras. Não se preocupe com o tamanho ou conteúdo do comentário, somente deixar seu suporte, crítica ou sugestão já me será o suficiente.


*****



Aos que quiserem ver de forma mais sucinta as estreias não somente de séries de TV, como também OVAs, Movies, Specials e OADs, recomendo usarem o Anichart, um famoso site que disponibiliza de forma personalizável e constantemente atualizada as informações das estreias de cada temporada.

Para quem quiser ver os animes listados de acordo com suas respectivas datas de estreia, clique aqui para acessar uma planilha que montei no Google Drive.


**********

Atualizações:

19/10: Adicionado o anime "Pittanko! Nekozakana" (página 2).
19/10: Adicionado o anime "Ohayou! Kokekkou-san" (página 2).
19/10: Adicionado o anime "Kimoshiba" (página 2).
09/10: Adicionado o anime "Dochamon Junior 2" (página 1).
09/10: Após 21 dias e 93 notificações, declaro que AS ATUALIZAÇÕES ESTÃO ENCERRADAS; possíveis correções de informações ou links quebrados, se houver, serão feitas sem aviso - a exceção fica para animes que ainda vierem a ser adicionados ou modificações que eu julgar importante destacar aqui.  09/10: Adicionado o anime "Dream Festival!" (página 1).
09/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Sengoku Choujuu Giga" quanto ao tamanho de seus episódios.
08/10: Adicionado o anime "Heybot!" (página 1).
08/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Bernard-jou Iwaku." quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "To Be Hero" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Nazotokine" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Cheating Craft" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Bishoujo Yuugi Unit Crane Game Girls Galaxy" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Mahou Shoujo Nante Mou li Desukara. 2nd Season" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Kiitarou Shounen no Youkai Enikki" quanto ao tamanho de seus episódios.
06/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Anitore! XX" quanto ao tamanho de seus episódios.
05/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Nobunaga no Shinobi" quanto ao tamanho de seus episódios.
04/10: Adicionada uma nota de atualização no final do texto do anime "Luger Code 1951".
03/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Okusama ga Seitokaichou!+!" quanto ao tamanho de seus episódios.
03/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Chi's Sweet Home (2016)" quanto ao tamanho de seus episódios.
03/10: Atualizada a informação "Formato" do anime "Ao Oni The Animation" quanto ao tamanho de seus episódios.
02/10: Adicionada uma nota de atualização no final do texto do anime "Luger Code 1951".
02/10: Corrigida a informação "Formato" do anime "Luger Code 1951".
02/10: Veja na segunda página um ranking com o número de votos para cada anime na enquete, bem como alguns comentários sobre os números desse guia (clique aqui).
02/10: Corrigida a informação "Data de estreia" do anime "Luger Code 1951".
02/10: Adicionado novo trailer de "Keijo!!!!!!!!".
02/10: Adicionado no título do anime "Tama & Friends: Uchi no Tama Shirimasen ka?" um link para a sua página no MyAnimeList.
01/10: Adicionada uma nota de atualização no final do texto do anime "Bloodivores".
30/09: Adicionados dois novos trailers de "WWW.Working!!".
30/09: Adicionada a informação "Trailer" do anime "12-sai.: Chicchana Mune no Tokimeki 2nd Season".
30/09: Adicionada uma nota de atualização no final do texto do anime "Ao Oni The Animation".
30/09: Adicionado o anime "Tama & Friends: Uchi no Tama Shirimasen ka?" (página 2).
30/09: Adicionado o anime "Tiger Mask W" (página 2).
29/09: Substituído o link do trailer de "Bubuki Buranki: Hoshi no Kyojin" por uma versão legendada em inglês.
29/09: Substituído o link do trailer de "Bungou Stray Dogs 2nd Season" por uma versão legendada em inglês.
29/09: Adicionado o anime "PePePePengiin" (página 2).
29/09: Adicionado o anime "Kaijuu Girls: Ultra Kaijuu Gijinka Keikaku" (página 1).




**********

Formato: TV 
Data de estreia: 03/10
Estúdio: Oriental Light and Magic
Diretor: Seiki Taichuu
Gênero: Comédia / Romance
Tema: Escolar
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 9 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "12-sai.: Chicchana Mune no Tokimeki", anime baseado em um mangá shoujo publicado desde 2012 que conta a história de Hanabi Ayase, uma garota de 12 anos que enfrenta questões habituais a sua idade, tais como o primeiro amor, preocupação com as mudanças ocorridas em seu corpo, formação de amizades e inimizades aqui e ali e outros assuntos inerentes à sua rotina escolar e familiar. Infelizmente, não há versões traduzidas do mangá e confesso que sequer assisti o primeiro anime, mas tendo como base um OVA de 2014 dá pra confirmar que trata-se mesmo de uma romântica adaptação shoujo bem inocentezinha e bonitinha.

Esse OVA, a propósito, faz parte de uma série de 8 episódios de 12 minutos cada que foi lançada em 2014, acompanhada em seguida por outra de 4 episódios com o mesmo tamanho, ambas produzidas pelo estúdio SynergySP - porém a série de TV reconta tudo desde o início, então não seria obrigatório assisti-los. Também já tendo inspirado um filme live-action em 2015 e um jogo simulador para Nintendo 3DS em 2014, não foi confirmado ainda se a segunda temporada de "12-sai." trará alguma mudança na equipe de produção, o que é pouco provável - entretanto, caso isso ocorra, acrescentarei uma nota no texto e avisarei a respeito no campo de atualizações do guia.


**********

Formato: TV 
Data de estreia: 08/10
Estúdio: Shaft
Diretor: Kenjirou Okada 
Gênero: Comédia / Drama / Slice-of-Life
Tema: Jogo (Shogi)
De onde saiu: Mangá, 11 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui (é um pequeno vídeo de 2 minutos com opiniões dos dubladores e algumas cenas do anime) e aqui

Adaptação de um mangá publicado desde 2007 na Young Animal, revista de demografia seinen que também reserva espaço para ensaios seminus femininos, "3-gatsu no Lion" tem como protagonista Rei Kiriyama, um jovem de 17 anos que tornou-se jogador profissional de shogi. Morando sozinho e não tendo uma família de verdade, Kiriyama também possui poucos amigos e conhecidos, sendo algumas delas três irmãs vizinhas, chamadas Akari, Hinata e Momo, que ele visita com frequência e que cuidam de vários gatos em sua pequena casa. Conforme a trama progride é narrado os altos e baixos desse rapaz, que tenta amadurecer tanto como jogador, quanto pessoa.

"3-gatsu no Lion" é de autoria de Chika Umino, mangaká deveras conhecida pela obra "Honey and Clover" - adaptada em duas séries de TV durante os anos de 2005 e 2006, o mangá de 10 volumes chegou a ser publicado aqui no Brasil pela Panini entre 2009 e 2011 (na ocasião comprei só os 3 primeiros volumes, ao passo que no início deste ano fiquei indo em tudo que é lugar para achar os outros sete, a maioria a preços abusivos!). Com exceção do romance que aqui não se faz presente, ele possui o mesmo estilo coming-of-age com toques de dramaticidade e comédia, aliada a uma arte muito agradável e doce, que é visto no principal trabalho de Umino, o que torna sua adaptação num fortíssimo candidato a anime mais aconchegante, caloroso e com melhor desenvolvimento de personagem da temporada.

Apesar de ter sido o quinto jogador de shogi na história a tornar-se profissional estando no ensino médio, e de hoje ser capaz de morar sozinho e se sustentar graças ao que ganha jogando esta versão japonesa do xadrez, Kiriyama ainda precisará amadurecer bastante no quesito emocional, visto que permanecem lhe assombrando e oprimindo reminiscências e cicatrizes de um infeliz passado cujos detalhes me omitirei em dizer, já que o mangá atrai e instiga o leitor revelando aos pedaços diferentes trechos de sua vida que explicam sua personalidade e conflitos atuais. Sendo nesse instante 5º dan no shogi (são dez graduações igual no judô, por exemplo), Kiriyama não se encontra na melhor fase; lhe pesa demais a pressão imposta pelos outros devido à sua precocidade na área, além das citadas desavenças com o problemático passado e dúvidas diárias de decisões tomadas ou a tomar que permeiam sua cabeça, algo que tem causado uma instável sequência de vitórias e derrotas que o impedem de avançar nos rankings e torneios. Pra piorar, ele não tem lá muitos amigos e familiares com quem possa se apoiar ou distrair-se um pouco - se tanto há o professor Takashi Hayashida, fã de shogi que praticamente é o único da escola a interagir com o rapaz -, logo o surgimento das irmãs Kawamoto em sua vida e as cada vez mais frequentes visitas à sua humilde casa tornam-se momentos de grande alívio mental em meio aos seus conflitos internos - os quais alguns deles serão amenizados ou resolvidos direta ou indiretamente por elas.

Devido ao seu tom cotidiano e certos eventos dos quais é melhor não explanar muito, fica difícil criar um texto de maior complexidade a respeito dos dois primeiros volumes de "3-gatsu no Lion" - até mesmo o uso de imagens ficou limitado em comparação com outras estreias cujos mangás eu li, já que elas não teriam tanta relevância. Simplesmente, enquanto vemos Kiriyama, apesar de sua hesitação e reserva, ficando mais íntimo e receptivo à generosidade das vizinhas Akari - esta a mais velha das irmãs, que parece uma "mãezona" pela maneira como se preocupa com o rapaz, se bem que ela faz isso com qualquer ser vivo em condições precárias seja esse humano ou animal -, Hinata (irmã do meio com seus dilemas típicos da adolescência) e Momo - caçula que transborda fofura -, acompanhamos em conjunto seus fracassos e sucessos no shogi, que tem comentários bastante elucidativos, mas não ganha tanto espaço a ponto de espantar ou entediar aqueles não familiares às suas regras (tipo eu), bem como o desenrolar das relações dele que vão surgindo com outros personagens, a destacar - creio que Kiriyama não gostaria disso, mas okay - Harunobu Nikaidou, um gordinho e riquinho jogador de shogi que se autodeclara rival do protagonista mesmo este não o reconhecendo como tal - em sua cabeça a rivalidade entre dois jovens seria necessária para cada um se aperfeiçoar e no fim virarem grandes amigos, mas podemos dizer que as únicas a lhe darem alguma atenção seriam Momo ao chama-lo de "Bodoro", referência a certo personagem ilustre do Ghibli; e Hikari, que fica maravilhada com a saúde do garoto e seu corpo perfeitamente redondo (...). Seja durante as animadas refeições numa pequena casa, o conturbado preparo em grupo de um "bentô" para o amigo de escola que Hinata gosta, o ombro amigo dado a alguém numa hora de choro ocasionado pela recordação de uma tragédia ou, apenas, as cômicas aparições dos esfomeados, desesperados e mentirosos gatos da família Kawamoto (que "falam" do mesmo modo que o cachorro Leader de "Honey and Clover", tendo seus pensamentos manifestados em pequenas frases ao fundo), revelo que "3-gatsu no Lion" me atingiu das mais diversas formas, mesclando momentos ora realmente engraçados, ora bem humorados, alguns apenas agradáveis pelo bem estar causado ao retratar o cotidiano do elenco principal enquanto se aproveitava o máximo possível da simpática arte do mangá e, claro, outros de considerável sensibilidade e tristeza. Não sou nenhum fã de Chika Umino, pois só tinha visto antes a versão animada de sua obra de maior sucesso - ainda que tenha sofrido para completar seu mangá eu li somente 1 volume dele até hoje -, logo espero que não enxerguem esses comentários como mera rasgação de seda: Eu de fato adorei o pouco que li, dois volumes que conseguiram contar tanta coisa, impor tantos sentimentos, usando pra isso uma narrativa delicada e personagens modestos. Foi muito bom, de verdade, e fiquemos por aqui porque não daria para me estender mais sem ter que citar outros acontecimentos da história. 

A ser produzido pelo estúdio Shaft ("Nisekoi", "Owarimonogatari"), "3-gatsu no Lion" não terá o onipresente e workholic Akiyuki Shinbou na direção - pra ser exato, ele surgirá como diretor assistente, e no seu lugar Kenjirou Okada estreará no cargo mais alto após atuar em algumas funções em outros animes do estúdio. Yukari Hashimoto ("Osomatsu-san", "MM!", "Toradora!") cuidará da trilha sonora e Nobuhiro Sugiyama ("Nisekoi", "ef: a tale of memories") do "character design". Por fim, está previsto para 2017 o lançamento de uma versão em live-action do mangá, ao qual até o momento só tem este site oficial disponível.

**********


Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 03/10
Estúdio: DLE
Diretor: Michio Machida
Gênero: Comédia
Tema: Escolar / Paródia
De onde saiu: Spin-off do anime de 2005, vindo de um mangá com atuais 49 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

E mais uma obra obtém sua versão de comédia escolar.

Iniciado em 1976 por Suzue Miuchi, o aclamado e premiado mangá shoujo "Glass Mask" traz como destaque os diversos imprevistos, mal entendidos, sucessos e insucessos da vida profissional e amorosa de Maya Kitajima, jovem atriz que no começo da história tem somente 13 anos. Tal obra possui no momento 49 volumes publicados, sendo que desde 2012 não é lançado um novo - o de número 50 teve sua publicação adiada e nunca mais divulgada, e por parte de sua autora há somente algumas declarações nos últimos anos dizendo que pretende terminar o mangá "em breve". Quanto a adaptações animadas (além de duas séries em live-action), "Glass Mask" recebeu um anime de 23 episódios em 1984, um remake de 51 episódios em 2005, uma série de 3 OVAs em 1998, e... Um spin-off para a TV com episódios curtos onde as protagonistas do romance se transformaram em líderes de gangues rivais em 2013, isso já pelas mãos dos estúdio DLE, que também cuidará dessa nova paródia em 3D.

Como é de praxe em projetos desse estúdio, "3-nen D-Gumi Glass no Kamen" deverá vir com episódios de curta duração, porém não foi anunciado ainda o seu tempo exato. Igual eu disse na abertura do texto, aqui será usado um argumento "clássico" para esse tipo de spin-off, pois o elenco original do mangá será jogado num cenário escolar - havendo nisso uma comédia bastante visual focada em sátiras a respeito da sociedade moderna. Com Michio Machida na direção, o anime terá ainda Hitomi Mieno ("Flying Witch", "Noragami", "Akagami no Shirayuki-hime") na supervisão de roteiros e Kio na criação do "character design" em CG.

**********


Formato: TV 
Data de estreia: 08/10 
Estúdio: Polygon Pictures
Diretor: Hiroyuki Seshita ("Sidonia no Kishi: Daikyuu Wakusei Seneki")
Gênero: Ação / Horror / Suspense
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 7 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Ajin", anime de ação baseado num mangá seinen publicado desde 2012 na revista "good! Afternoon" ("Witch Craft Works", "Billionaire Girl") que mostra o drama de Kei Nagai, adolescente que descobre ser um Ajin, nome dado a pessoas que são imortais - depois de tal peculiaridade vir à tona ele passa a ser alvo do governo e de diferentes grupos e organizações enquanto foge pelo país, cada qual com seus interesses. Tendo em vista a sua outra adaptação em andamento (citada logo abaixo), não deve haver mudanças na equipe principal, composta por Hiroyuki Seshita na direção, Hiroaki Ando de diretor assistente, Hiroshi Seko ("Mob Psycho 100", "Owari no Seraph", autor do mangá "Shingeki no Kyojin: Lost Girls", spin-off de "Shingeki no Kyojin") na supervisão de roteiros, Yuugo Kanno ("Psycho-Pass", "Jojo's Bizarre Adventure: Stardust Crusaders") na trilha sonora e Yuki Moriyama ("Sidonia no Kishi") no "character design".

Vale ressaltar ainda que dia 23 de setembro estreará nos cinemas japoneses "Ajin Part 3: Shougeki", o último filme de uma trilogia iniciada em novembro passado com "Ajin Part 1: Shoudou" e, esse lançado em maio, Ajin Part 2: Shoutotsu - todos eles são versões resumidas do que foi (ou será só agora) visto nas séries de TV. Enquanto isso, o mangá começou a ser publicado em julho no Brasil pela Panini, estando previsto o lançamento de um novo volume a cada dois meses.

**********


Formato: TV 
Data de estreia: 07/10
Estúdio: Madhouse / TMS Entertainment
Diretor: Kenichi Shimizu ("Kiseijuu: Sei no Kakuritsu")
Gênero: Comédia / Drama
Tema: Esporte
De onde saiu: Mangá, 9 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Baseado num mangá seinen publicado desde 2013 na Monthly Morning Two ("Saint☆Oniisan", "Moyashimon"), "All Out!!" narrará a rotina de um clube de rúgbi da escola Kanagawa High School, e particularmente dos novos membros Kenji Gion, um esquentado rapaz de baixa estatura que acaba de conhecer esse esporte e se interessa pelo seu estilo de jogo; e o tímido Iwashimizu Sumiaki, um jovem alto que joga rúgbi desde sua escola anterior, porém tem receio de continuar praticando após um incidente ocorrido durante uma partida. Formado por jogadores das mais diversas personalidades e qualidades, acompanhamos a crescente evolução deles enquanto tentam lidar com seus respectivos pontos fracos e aprendem a atuar em equipe.

Apesar de ter sido um dos poucos mangás dos quais pude ler alguma coisa, não tenho em mãos nada para mostrar de "All Out!!" que não fuja do óbvio para histórias desse gênero, visto que atualmente há apenas 9 capítulos traduzidos - e tal material se resumiu a uma interação inicial dos vários integrantes do clube de rúgbi; Gion sendo rapidamente repreendido pela sua insolência com os colegas mais velhos, mas mostrando muita força de vontade e talento; apresentação do incidente ocorrido com Sumiaki que o fez se afastar do campo; e uma primeira partida amistosa que evidenciou os pontos fracos e diamantes brutos presentes na equipe, além de já deixar clara também a rivalidade entre certos jogadores. E só. Não posso dizer que achei o mangá ruim, entretanto o começo dele tão ordinário, a minha total falta de interesse por rúgbi e a caracterização de alguns personagens não me empolgaram para continuar lendo o mangá no futuro, ao passo que até darei uma chance a essa adaptação por conta de seu tamanho, uma vez que o anime já está previsto para durar 25 episódios.

Basicamente, Gion Kenji é um tampinha: sua estatura de poucos 1,59m o fez ficar complexado e sensível em relação a este assunto, contudo ele deveria dar mais atenção ao seu modo de agir bastante desaforado, barulhento e enfezado que é difícil de se lidar - mas ao menos esse comportamento foi útil para salvar o grandalhão Sumiaki de bulliers, que apesar de medir altos 1,90m é um sujeito extremamente medroso e hesitante. Pronto, outra amizade feita graças ao bullying, amizade essa que será fortalecida através de um truculento esporte onde só sei que 15 homens de cada lado correm atrás de uma bola achatada, e ao contrário do que muitos pensam arremessa-la entre as traves adversárias não é o que dá mais pontos! (há também modalidades com 13 ou 7 jogadores, sendo essa última a que passou a ser praticada nas Olimpíadas a partir desse ano no Rio de Janeiro, onde a seleção masculina de Fiji massacrou a Grã Bretanha na final, criadores desse esporte, por 43 a 7). Admirado pelo intenso contato físico e a possibilidade em se sobressair na partida ao derrubar e roubar a bola de jogadores bem maiores do que ele, Gion é fisgado em um instante pelo rúgbi e exibe uma intensa capacidade de aprendizado e força física - ainda que de início só se interesse em fazer "tackles", esse movimento no qual se derruba o jogador que estiver portando a bola -, todavia logo fica evidente que ele precisará primeiro ter disciplina e levar muito puxão de orelha caso queira fazer parte do time principal do clube, tarefa essa que será realizada, principalmente, pelo bonitão capitão Takuya Sekizan e seu cabelo exótico. Do outro lado, acompanhamos Sumiaki e um trauma passado em que, devido a uma lesão causada por ele em um colega durante uma partida, o fez ficar com receio de realizar qualquer contato físico num esporte onde isso é inevitável - mas nos primeiros capítulos já deu pra ver o quanto Gion terá importância na missão de ajuda-lo a suprir esse medo e voltar a jogar normalmente. De resto, nos dois volumes que li foi apresentado um grande número de personagens (veja esta cartela com todos eles), porém poucos tiveram significativa participação na história até o momento, então só destaco por enquanto Mutsumi Hachiouji, vice capitão de personalidade extremamente amigável; Ebumi Masaru, jogador um tanto mala que promete pegar no pé do protagonista devido à sua estatura e por atuarem na mesma posição (mas não seria novidade caso a competição e rivalidade entre eles os aproximassem um do outro); Etsugo Ooharano, jovem cuja experiência com rúgbi desde a infância é eclipsada pela sua deficiência no trabalho em equipe; e Umeno Hoakari, a única garota do elenco que cuida da administração do clube e faz o tipo de personagem simpática e descontraída.

Para ser exato, as maiores críticas que vi por aí do mangá foram a respeito de sua arte inconsistente e o fato de alguns rapazes possuírem traços um tanto estranhos demais (as imagens e cartela que linkei servem um pouco de exemplo, e eis outro clicando qui), e até admito que eu também me incomodei com isso em alguns momentos - mas seria injusto condenar o mangá por um detalhe desses. Como disse lá em cima, muito da minha indiferença com o que li se deve realmente aos primeiros passos da trama que seguiram um padrão demasiado conhecido nesse gênero, todavia eles no geral foram satisfatórios - nada de inspirador ou novo, mas satisfatórios. Não achar graça alguma em rúgbi é outro ponto subjetivo, logo só me resta criticar mesmo o quão caricatos (ou toscos, para ser direto) se mostraram alguns personagens em seus atos e frases - o que seria de se esperar levando em conta o tamanho do elenco -, contudo pode ser que um maior tempo gasto nas suas respectivas caracterizações em volumes futuros tenham já resolvido ou vá resolver essa fraqueza. Pois é, no fim não pude dar uma opinião concreta a vocês em relação ao mangá, porém não é culpa minha se esses dramas esportivos sempre começam do mesmo jeito e demoram a engrenar...

Como curiosidade extra, sabiam que o Japão é relativamente forte no rúgbi? Sua seleção (cujo emblema traz três flores de cerejeira) se encontra hoje na 12ª posição no ranking mundial e tem sido campeã asiática todo ano desde 2004 - sendo que obteve 23 de 28 títulos disputados no total -, mas por outro lado ainda sofre quando disputa a Copa do Mundo de Rúgbi (ao qual será país sede na próxima edição, em 2019), onde jamais sequer passou da primeira fase. Quanto a animes não consegui achar nenhum que tivesse esse esporte como tema central, mas em mangás temos à disposição títulos como "15: Meisetsu Kougyou Koukou Rugby-bu", "War Cry", "Upset 15", "Rugby Bu Joshi Mane Kakumei Nazuna no Onegai!!" e "No Side" - esse último vem com a premissa mais curiosa, pois o protagonista é um garoto que morre no meio de uma partida e, incapaz de descansar no além antes de ajudar seu time, consegue voltar à Terra e tomar posse do corpo... De uma garota (e então dá-lhe um drama sobre discriminação de gênero)!  De todo modo, a ser produzido pelos estúdios Madhouse ("One Punch Man", "Overlord", "Ore Monogatari!!") e TMS Entertainment ("Orange", "Amaama to Inazuma"), "All Out!!" terá Kenichii Shimizu na direção, Masahiro Yokotani ("Free!", "Busou Shinki") na supervisão de roteiros e Masanori Shino ("Terraformars", "Gungrave") no "character design".


**********

Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 02/10
Estúdio: EMT²
Diretor: Kushi Ishii
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá digital sem separação de volumes.
Site oficial: Clique aqui

Terceira temporada de "Ame-iro Cocoa", anime vindo de um mangá digital que possui textos e áudios tanto em japonês, quanto em inglês (sim, você pode ouvir dubladores interpretando cada linha). Com curtíssimos episódios de um minuto e meio se desconsiderarmos os trinta segundos da música de abertura, a primeira animação mostrou em sua maior parte apenas um bando de rapazes bishounen jogando conversa fora numa cafeteria chamada "Rainy Color" - é dito que o mangá tem um toque "shounen-ai", porém isso não ficou tão evidente no anime. Já na segunda temporada (que passou por uma muito bem sucedida campanha para arrecadar fundos) permaneceu com esse mesmo e monótono fiapo de argumento e duração, mas com o extra de ter ao final dos episódios divertidas sessões de bate-papo entre os dubladores; sendo na realidade a única parte que presta nisso tudo, eu até cheguei a fazer breves comentários a respeito neste post de notas do MyAnimeList da temporada de outono passada.

Com o mangá estando disponível para compra nas lojas do Google Play e iTunes, a terceira temporada trará novos nomes na equipe, nesse caso Kushi Ishii na direção e Eri Tokugawa no "character design". Além disso, o protagonista dessa vez será um novo personagem chamado Nozomu Tokura, irmão de Aoi Tokura (protagonista da primeira temporada) que será responsável por uma tal loja de nome "Waikiki" na cafeteria Rainy Color. Seu dublador, Yugo Sato, é um novato no ramo que por ora só teve um outro papel com nome, conforme podem ver em sua página no MyAnimeList.


Atualização, 24/09: Além da mudança de título, foi explicado que, na verdade, o novo personagem Nozomu Tokura cuidará de uma franquia da "Rainy Color" localizada no Havaí. Não que seja importante discutir sobre a história de um anime desses, mas de todo modo a confusão foi desfeita. 


**********

Formato: TV (4 min. por episódio)
Data de estreia: 05/10
Estúdio: Rising Force
Diretor: Atsushi Nigorikawa
Gênero: Comédia
Tema: Exercícios
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Anitore EX", anime exibido no final de 2015 que, pura e simplesmente, mostrou em episódios de curta duração um quinteto feminino moe praticando exercício físicos - nesse caso tivemos uma garota que sofria de chuunibyou, uma ojou-sama peituda, a típica loirinha tsundere complexada pelo seu busto de tamanho modesto, a garota de óculos atrapalhada e de voz suave e a habitual líder enérgica e um tanto bobinha. Se aproveitando de ângulos muitas vezes sugestivos enquanto essas jovens realizavam séries de flexões, abdominais, alongamentos, rotação de coluna ou sessões de dança usando orelhinhas de animais (!), a novidade nessa continuação será a inclusão de uma nova personagem, precisamente a "egoísta, porém solitária" (sua única descrição oficial) Sakura, a garotinha mais à esquerda na imagem acima - ela será dublada por Eri Suzuki, que recentemente deu voz à fofa Chinatsu de "Flying Witch" e a louquinha Hikari de "Amanchu!".

O estúdio produtor permanece sendo o Rising Force, que estreou no comando de uma animação após auxiliar a produção de centenas de animes em várias etapas. Fora isso, nada foi dito sobre o restante da equipe, que caso receba alguma alteração ela será relatada aqui.

**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 02/10 
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Toshirou Hamamura
Gênero: Comédia / Terror
Tema: Paródia
De onde saiu: Jogo para PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Baseado em um popular jogo de terror gratuito lançado em 2008 para PC e criado a partir do programa RPG Maker, "Ao Oni The Animation" terá como palco uma mansão isolada e abandonada onde dizem ocorrer aparições de um fantasma - rumor esse que o jovem e racional Hiroshi resolve verificar em companhia do bem humorado Takurou, da autointitulada heroína do grupo Mika e do medroso Takeshi. Uma vez no local eles passam a serem perseguidos por uma criatura azul chamada Oni, e agora Hiroshi tentará salvar seus amigos enquanto procura um meio de sair vivo dessa mansão.

Mesclando elementos de RPG e puzzle, "Ao Oni" tornou-se um jogo "cult" no Japão, recebendo elogios principalmente pela trilha e efeitos sonoros que contribuem bastante na criação de uma tensa atmosfera apesar de sua simplicidade visual - no Youtube é possível achar centenas de vídeos dele, como por exemplo este aqui, onde um brasileiro tagarela mostra os momentos iniciais da história e morre duas vezes logo na primeira aparição do tal monstrengo roxo. Tendo já recebido em 2013 uma série de 3 volumes em light novel, outra em mangá de volume único e dois filmes live-action entre 2014 e 2015, (clique aqui e aqui para ver o trailer de cada um), "Ao Oni" ganhará agora através do Studio Deen uma série de TV com episódios de curta duração, contudo ainda não foi revelado seu tamanho exato (todavia, não esperem levar qualquer tipo de susto aqui, visto que o anime se inclinará para o gênero da comédia com traços SD). Além disso, em 2017 também está previsto o lançamento de um longa animado.

No mínimo, se o anime não empolga tanto, recomendo darem uma olhada no jogo, do qual já gastei algum tempinho e por ora tem sido interessante. Com Toshirou Hamamura estreando na função de diretor, "Ao Oni The Animation" virá ainda com Chisei Maeda como diretor assistente, Kanekoke na supervisão de roteiros, Shiyu Yanagida na trilha sonora e kichi no "character design".


Atualização, 30/09: Divulgaram hoje um trailer do filme que estreará em 2017 e, ao contrário da série de TV, ele será mais fiel ao clima de terror e suspense do jogo - entretanto apresentará uma história original, ainda não divulgada. Clique aqui para ver o vídeo.

**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 07/10
Estúdio: Creators in Pack
Diretor: Hisayoshi Hirasawa ("Ojisan to Marshmallow", "Ozmafia!!")
Gênero: Comédia
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Uma poser literária.

Publicado desde 2013 na revista shounen Comic Rex ("Kannagi", "30-sai no Houken Taiiku"), o mangá em tirinhas 4-koma de "Bernard-jou Iwaku." tem como peça central Sawako Machida - apelido "Miss Bernard" -, uma garota preguiçosa que ostenta enorme paixão por livros - o único problema nisso tudo é que ela finge ter lido grandes obras literárias, quando na verdade mal chegou perto delas. Junto com Shiori Kanbayashi e seu vício por sci-fi, Sumika Hasegawa e sua obsessão por Sherlock Holmes, e o rapaz Endou - esses sim leitores ávidos -, Machida forma um grupo cujas conversas rotineiras citam livros de grande importância como a Bíblia, "Heike Monogatari", "A Porta para o Verão", "Armas, Germes e Aço" e "O Último Teorema de Fermat", dentro outros títulos.

Tendo começado a produzir animes por conta própria em 2015 com "Military!" e suas soldados lolis, o estúdio Creators in Pack havia feito até o momento 5 séries com episódios de curta duração, e para essa temporada ele trará mais 3 de uma só vez - os outros dois verão logo abaixo, e infelizmente todos eles não possuem obras traduzidas pela internet (okay, um até tem 2 capítulos à disposição, porém isso é o mesmo que nada). Confesso que, dos títulos em tal situação, esse foi um dos que mais lamentei não haver nada traduzido, visto que adoro livros e me atraiu essa ideia de pseudo discussões literárias bem humoradas e protagonizadas por uma poser que só se faz de entendida no assunto. Não pude encontrar sequer comentários relevantes a respeito do estilo de sua comédia, logo a única opção é aguardar por algum trailer que ainda venha a ser divulgado antes do anime estrear. Se muito, posso informar apenas que o autor do mangá, Yuuki Shikawa, ganhou em 2014 na categoria Obra Curta Prêmio Cultural Osamu Tezuka, nesse caso por "Onnoji", história de volume único que fala sobre uma garotinha chamada Miyako que certo dia se vê totalmente sozinha no mundo - porém, enquanto vagueia por uma cidade deserta ela percebe que "uma coisa" está atrás de si lhe acompanhando, e a nomeia Onnoji. É outro mangá em tirinhas 4-koma, que narra o dia a dia dessa garota em tal cenário incomum.

Já anunciado que seus episódios chegarão a 5 minutos de duração - porém a notícia inicial em casos assim geralmente cita o tempo total do bloco do anime na TV, logo esperem por episódios de 3 minutos cada -, "Bernard-jou Iwaku." virá com Hisayoshi Hirasawa na direção, Yuuichi Uchibori na supervisão de roteiros, Yoshikazu Maeda na trilha sonora e Gonta no "character design".

**********


Formato: TV (13 min. por episódio)
Data de estreia: 05/10
Estúdio: Kyotoma
Diretor: Hino Tommy
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Bishoujo Yuugi Unit Crane Girls", animação original em flash cujas três protagonistas precisam salvar o mundo da queda de meteoritos... Jogando aquelas fraudulentas, me arrancaram muito dinheiro na infância maquininhas de garra - visto que, vá entender, a rota dos meteoritos é alterada quando elas são bem sucedidas nesse jogo ao colocarem em prática as várias "técnicas" ensinadas por uma experiente agente da CIA. Pois é.

Trata-se apenas de um projeto financiado por associações de operadores e fabricantes de máquinas de jogos, tanto que o primeiro anime, de poucos 4 minutos de duração em cada episódio, ocupava uma faixa de vinte minutos nos quais os dezesseis restantes eram usados para mostrar as dubladoras principais jogando entre si. A equipe de produção será a mesma, com o estúdio Kyotoma ("JK Meshi!") no comando, Hino Tommy na direção, Uematsu Inoue nos argumentos e Fuyuri no "character design".

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 01/10
Estúdio: Creators in Pack
Diretor: Masashi Nakamura
Gênero: Ação
Tema: Sobrenatural / Vampiro
De onde saiu: Manhua, número de volumes/capítulos indefinido.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

É a China tomando espaço nos nosso animes chineses.

Sessenta anos atrás uma estranha epidemia de insônia atacou a população no mundo todo, forçando-os a permanecerem acordados por mais de uma semana - e como resultado disso suas vítimas, nesse longo período de privação de sono, acabaram perdendo o juízo e ficando loucas. Para curar essa doença foi desenvolvido um novo remédio, todavia seus efeitos colaterais transformaram os pacientes em vampiros. A humanidade entrou em guerra contra estas criaturas e sagrou-se vencedora, porém não obteve sucesso em aniquila-las por completo.

Nascido de uma relação entre duas espécies diferentes, o personagem principal, Mi Liu, é a "Criança da Esperança" que representará uma nova chance de união entre vampiros e humanos. Líder de um assalto a banco, Mi Liu é preso e transferido para uma cadeia da Agência Nacional de Defesa que monitora essa nova espécie, sendo que, durante um tentativa de fuga ao lado de uma jovem chamada Anji, o protagonista é atacado por monstros estranhos e descobre que a localização da prisão corresponde ao ponto de origem dos vampiros, a velha capital "Blue Town". Por que os vampiros são aprisionados nessa cidade? O que são estes monstros que os atacam? Nossos heróis deverão lutar muito para solucionar tais mistérios.

Eu ia até modificar o desfecho da sinopse e retirar estas perguntas, mas no fim as achei tão prazerosamente toscas quanto o restante do texto que decidi deixar tudo fiel ao original...

Pois bem, esse anime com premissa pra lá de questionável e imagem promocional amadora tem como origem um web comic chinês - não consegui descobrir a data exata de seu lançamento ou tamanho atual, somente que é disponibilizado nesse site da Tencent, empresa chinesa que atua em diversos ramos, desde o entretenimento em geral a serviços adicionais de internet e telefonia móvel. Como não existem versões traduzidas dele, e nem ao menos fui capaz de encontra-lo nesse site (se alguém acha-lo me avisa!), fico impossibilitado de detalhar seu conteúdo um mínimo que seja, porém o curioso é que a tradução literal do seu título em mandarim seria, em inglês, "Space-Time Prisoner", o que tem feito alguns leitores do original questionarem se haverão alterações significativas na trama do anime devido a mudança de nome.

Aliás, devem ter reparado que nas últimas temporadas surgiram um bom número de animações com estilo japonês, entretanto produzidas por estúdios chineses (e todas com argumentos extremamente desgastados, os quais veríamos aos montes, assim, uns dez anos atrás...), que eu mesmo ignorei nos guias passados porque não havia um estúdio nipônico no comando do projeto. Entretanto, nesse caso em particular o Creators in Pack será o principal animador de "Bloodivores", mas ao contrário de suas outras produções não foi definido se os já programados 12 episódios serão de curta duração (leia o texto de "Bernard-jou Iwaku." logo acima para servir de complemento). Como estúdio auxiliar teremos a Emon Animation Company, empresa fundada em outubro de 2015 que atualmente está com "Hitori no Shita: The Outcast" em exibição e que é a filial japonesa da Haoliners Animation League, estúdio chinês criado em 2013 - subsidiária de uma empresa multimídia chamada Shanghai Haoliners Cultures Media, a Haoliners é a principal responsável por essa recente onda de "animes chineses", tendo cuidado diretamente do tratamento de ao menos dez animações nesses dois anos de existência, fora as co-produções com estúdios do Japão. Por fim, sobre os principais nomes da equipe de "Bloodivores" só foi citada a dupla de diretores, composta por Masashi Nakamura estreando nesse cargo (sua única experiência anterior se resume ao comando de alguns episódios de "Rokka no Yuusha") e o chinês Chen Ye como diretor assistente.


Atualização, 01/10: Conforme o leitor Paulo Freire destacou nos comentários, o manhua "Bloodivores" possui no momento 42 capítulos traduzidos para o inglês, então eu até poderia ter lido um pouco dele para montar um texto mais detalhado, porém... Esqueci que seu título original é "Space-Time Prisoner", e na hora de pesquisar quais obras tinham material traduzido busquei esse aqui pelo nome de "Bloodivores" mesmo (e logicamente não achei nada)! Deslize meu, perdão, mas agora já foi.

**********

Brave Witches
Formato: TV 
Data de estreia: 06/10
Estúdio: Silver Link
Diretor: Kazuhiro Takamura ("Strike Witches", "Vividred Operation")
Gênero: Ação / Sci-fi
Tema: Ecchi / Militar
De onde saiu: Spin-off do anime de 2010, vindo de um projeto multimídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Spin-off de "Strike Witches", franquia que na área da animação teve um OVA em 2007 e uma série de TV em 2008 produzida pelo saudoso estúdio Gonzo, outra série de TV (continuação direta da anterior) em 2010 e um filme em 2012 pelo AIC e sua filial AIC Spirits, e por fim um OVA de 3 episódios em 2014 já através do estúdio Silver Link, que prosseguirá com o projeto - nesse período coloquem antes e depois de cada anime diferentes versões em mangás, light novels e inclusive 4 jogos lançados para Playstation 2, Xbox 360 e Nintendo DS. Explicando sua história em termos gerais porque, bem, isso aqui é o de menos, "Strike Witches" trazia como plano de fundo uma 2ª Guerra Mundial na qual os humanos se veem obrigados a deixar as diferenças de lado e unir forças para enfrentar os Neuroi, uma ameaça alienígena que possui a forma de aeronaves e que espalha um miasma corrosivo por onde passa. As armas habituais são ineficazes contra eles, logo é preciso usar... Garotas com habilidades mágicas, inspiradas em pilotos da vida real, que portam máquinas ligadas às suas pernas para realizarem combate aéreo e aumentar o próprio poder, havendo o detalhe de que elas recebem fofas orelhinhas e caudas sempre que liberam sua magia!

Ah, para completar há um fanservice de nível moderado na perversão, porém abundante na quantidade e no yuri vibe, e nada melhor para servir de exemplo do que apresentar esta e esta galeria de imagens das duas séries de TV, que são exclusivamente focadas nessa questão (por conta das tais máquinas nas pernas as garotas nesse anime geralmente preferem ficar sem calças a maior parte do tempo, então pantyshots é o padrão por aqui...).

Com exceção do OVA de 2007, todas as animações tiveram Kazuhiro Takamura na direção, profissional que, em 2013, participou com o A-1 Pictures de um anime original que trouxe a mesma ideia de garotas combatendo alienígenas, chamado "Vividred Operation" - dá pra dizer que essa série "se pagou", mas não a ponto de ter sido levada adiante por muito tempo, se limitando a um jogo mal recebido para Playstation 3 no mesmo ano e algumas versões em mangá que foram encerradas no início de 2014. Agora, quanto a "Brave Witches", ele se passará no mesmo período e conflito que as animações anteriores, contudo em local diferente e tendo como destaque um novo batalhão. Se "Strike Witches" tinha de protagonistas as integrantes do "501st Joint Fighter Wing "Strike Witches"", que derrotaram os Neuroi na República de Gallia (tradução: França, veja este mapa retratando a geografia política desse mundo), seu spin-off trará à tona o "502nd Joint Fighter Wing "Brave Witches"", batalhão posicionado na cidade de Petersburg no Império da Orussia (Rússia...) que aproveitará a vitória dos aliados no outro lado da Europa para impor uma nova derrota ao inimigo. Até o momento foram divulgadas nove garotas (boa parte adeptas do estilo "calças pra quê?"...), e por razões óbvias prefiro nem perder tempo as descrevendo. Obra ecchi com historinha tonta, é isso, e mesmo sendo spin-off devem ter percebido que não fará diferença ter visto ou deixado de ver os títulos que o antecedem.

Cuidando da direção e do "character design", Kaazuhiro Takamura terá Striker Unit na supervisão de roteiros (esse nome esteve presente na segunda temporada e no filme, deve ser algum pseudônimo usado para duas ou mais pessoas reunidas), Seikou Nagaoka ("Hitsugi no Chaika", "Brave 10") na trilha sonora, Hiroyuki Terao ("Birdy de Mighty Decode:02") e Shinobu Tsuneki ("Ghost in the Shell: Stand Alone Complex", "Psycho-Pass") nos desenhos mecânicos e Takaaki Suzuki ("Girls und Panzer") como consultor de História Militar.


**********

Formato: TV 
Data de estreia: 01/10
Estúdio: Sanzigen
Diretor: Daizen Komatsuda
Gênero: Ação / Drama / Sci-fi
Tema: Mecha
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui (Leg. em inglês)

Segunda temporada de "Bubuki Buranki", animação original com elementos de mecha e poderes especiais que está sendo produzida pelo estúdio Sanzigen em seu aniversário de dez anos. A equipe segue sem alterações, com Daizen Komatsuda na direção, Yukinori Kitajima ("Gokukoku no Brynhildr") e Jirou Ishii na criação e supervisão de roteiros, Masaru Yokoyama ("Shigatsu wa Kimi no Uso", "Rampo Kitan", "The Rolling Girls") na trilha sonora, Yuusuke Kozaki ("Speed Grapher") no "character design" e Takeshi Takakura ("Aquarion Evol", "Captain Earth", "Infinite Stratos") nos desenhos mecânicos. 


**********

Formato: TV
Data de estreia: 06/10 
Estúdio: Bones
Diretor: Takuya Igarashi ("Captain Earth", "Ouran High School Host Club", "Sailor Moon Stars")
Gênero: Ação
Tema: Super poderes
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 10 volumes.
Site oficial: 
Clique aqui
Trailer: Clique aqui (Leg. em inglês)

Segunda temporada de "Bungou Stray Dogs", anime de ação baseado num mangá seinen publicado desde 2011 na revista Young Ace ("Blood Lad", "Boku Dake ga Inai Machi") que traz, como destaque, uma série de personagens detetives que carregam nomes de famosos autores literários e, além disso, possuem poderes especiais e trejeitos de acordo com as características e obras dos mesmos. Por tratar-se de um split-cour a equipe de produção seguirá a mesma, com Takuya Igarashi na direção, Yoji Enokido ("Nodame Cantabile Paris-hen", "Shoujo Kakumei Utena") na supervisão de roteiros, Taku Iwasaki("Akame ga Kill!", "Gatchaman Crowds", "Noragami") na trilha sonora e Nobuhiro Arai ("Hitsugi no Chaika") no "character design".


**********


Cardfight!! Vanguard G: Next
Formato: TV 
Data de estreia: 02/10
Estúdio: TMS Entertainment
Diretor: Itsurou Kawasaki
Gênero: Ação / Aventura
Tema: Jogo de cartas.
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um projeto multimídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Oitava temporada (ou quarta se contar apenas a saga "G") de "Cardfight!! Vanguard", anime integrante de um projeto multimídia formado por Akira Itou (desenhista do mangá "Yu-Gi-Oh! R"), Satoshi Nakamura (exímio jogador de "Magic: The Gathering" que auxiliou na criação de "Duel Masters") e a Bushiroad, empresa fabricante de jogos e coleções de cartas. A animação teve início em janeiro de 2011, o popular jogo de cartas veio um mês depois e um mangá é publicado até hoje - a franquia também já passeou por outras mídias, chegando ao ponto de lançarem até um filme live-action em 2013, clique aqui para vê-lo por inteiro no Youtube.

Ainda não foi divulgado oficialmente se a equipe de produção segue a mesma (o que é bastante provável, visto que o anime estreará uma semana depois do término da sétima temporada), porém atualizarei esse texto caso haja qualquer informação a respeito.


**********

Cheating Craft
Formato: TV (12 min. por episódio)
Data de estreia: 05/10
Estúdio: Blades
Diretor: Keitaro Motonaga ("Akane Iro ni Somaru Saka", "Date A Live", "Digimon Adventure tri.", "Jormungand", "Princess Princess", "School Days") 
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Escolar
De onde saiu: Light novel, número de volumes indefinido.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Em um mundo onde as pessoas são divididas desde a infância através de exames, apenas aqueles que se dão bem neles obtêm sucesso - por outro lado, os que falham são jogados à margem da sociedade. Nesse campo de batalha constante há dois grupos de alunos, sendo um deles do Tipo L (Learning = Aprendizado), que se esforçam nos estudos e possuem vasto conhecimento; e o outro do Tipo C (Cheating = Trapaça), que buscam subir os degraus da vida trapaceando e cometendo fraudes. Mesmo que às vezes esses dois grupos possam cooperar entre si, normalmente eles se rivalizam e tentam atrapalhar um ao outro. Nessa história os protagonistas serão Mumei Shokatsu, um aluno do Tipo C, e sua prima Koi Oh, que é do Tipo L.

Tal ideia de "batalha campal escolar" que soa um "Baka to Test to Shoukanjuu" inferior tem como origem uma light novel... Chinesa! Não consegui descobrir quantos volumes chegaram a ser publicados, apenas que também foi adaptada para um manhua há pouco tempo. O site oficial é outro que não auxilia muito na busca por informações, uma vez que há sete personagens listados, todavia só quatro possuem alguma descrição - do protagonista Mumei ainda é dito que ele quer obter notas altas e tornar-se um advogado para poder libertar seu pai que foi injustamente preso (certo...), enquanto temos logo abaixo Rinu Shu, aluno do Tipo L que é colega e rival de Mumei; e Haku Ryu, outra garota Tipo L que despreza os que cometem fraudes nos exames. Fora isso, pesquei pouquíssimos comentários sobre a light novel, todos confirmando que trata-se de uma comédia exagerada onde é retratada de maneira supostamente descolada e "cool", na maior parte do tempo, alunos realizando os mais absurdos, criativos e impossíveis planos para tanto passar por cima dos estudantes certinhos, quanto de outros colegas trapaceiros. Admito que pela premissa besta e origem duvidosa eu nem chegaria perto dessa estreia, mas como ela terá 12 episódios de curta duração (será exibida em conjunto com "To Be Hero"), acabarei a acompanhando uma vez que tento ver todo anime que seja pequeno, independente do quão ruim possa parecer.

Novidade alguma, Emon Animation Company e Haoliners aparecem envolvidos neste projeto de origem chinesa, mas quem está sendo creditado como estúdio principal é o Blades, empresa da qual nunca ouvi falar - por ver uma equipe totalmente japonesa no comando estou considerando que ela seja desse país, então prossigamos. A ser dirigido pelo muito criticado Keitaro Motonaga, "Cheating Craft" trará Takamitsu Kouno ("Absolute Duo", "Onigiri") na supervisão de roteiros, Go Sakabe ("Digimon Adventure tri.", "Ookami Shoujo to Kuro Ouji") na trilha sonora e Mai Matsuura ("Pretty Rhythm Rainbow Live") com Norie Tanaka ("Hundred") no "character design".

**********

Formato: TV (12 min. por episódio)
Data de estreia: 02/10
Estúdio: Marza Animation Planet
Diretor: Kiminori Kusano
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Remake do anime de 2008, vindo de um mangá já finalizado em 22 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Remake de "Chi's Sweet Home", anime baseado num mangá seinen que teve 12 volumes publicados entre 2004 e 2015 na revista Weekly Morning ("Giant Killing", "Vagabond", "Uchuu Kyoudai") - exibidas nos anos de 2008 e 2009, as duas séries de TV produzidas pelo estúdio Madhouse tiveram cada qual 104 episódios de 3 minutos de duração cada. Sua história é focada em Chi, uma gatinha que após se perder de sua mãe e irmãos é adotada por uma família, que de início cuida dela em segredo por morarem em um prédio onde animais não são permitidos. Descobrindo novas coisas a cada dia, se metendo em frequentes confusões, conhecendo outros animais e sendo tratada e mimada por três humanos (pai, mãe e filho) que não possuem experiência alguma com bichos de estimação e vão aprendendo na marra a cuidar dessa filhote, "Chi's Sweet Home" é uma comédia slice-of-life simpaticíssima dotada com pitadas de sentimentalismo em alguns momentos e bom desenvolvimento de sua protagonista, cuja popularidade ainda permanece em alta no Japão. Eu cheguei a publicar resenhas para ambas as temporadas no falecido site antigo do Anime Haus; como não estão mais disponíveis por aí, indico o texto da Escritora Otaku aqui do Animecote caso queiram ter mais detalhes sobre seu conteúdo, ou então o post da seção X-10 "Dez animes e animais", onde eu também cito e recomendo esse anime.

Agora, em relação a essa nova série, a principal novidade é que a rotina ora agitada, ora preguiçosa, dessa gatinha receberá uma versão em 3D CG - e considerando o trailer divulgado o trabalho feito por ora não está nada mau, apesar de muitos fãs já terem expressado pela internet sua preferência para a modesta animação em 2D dos animes anteriores. Junto a isso, a dubladora de Chi, Satomi Koorogi (experiente em papéis de animais e crianças, tais como Togepi em "Pokemon", Himawari Nohara em "Crayon Shin-chan" e Ushio Okazaki em "Clannad: After Story") será a única do elenco original que repetirá seu papel, porque os demais personagens ganharão novos dubladores. O restante da equipe de produção também sofreu mudanças, tendo agora Kiminori Kusano estreando no posto de diretor, Misuzu Chiba ("Doraemon") na supervisão de roteiros, Kenji Kondou ("Shirokuma Cafe", "The Diary of Tortov Roddle") na trilha sonora e Satoshi Kounosu no "character design". Já quem ficará dessa vez a cargo da animação será o Marza Animation Planet, estúdio fundado em 2005 que possui maior experiência com trabalhos em 3D CG (ano que vem eles lançarão um novo filme nesse formato da franquia "Resident Evil", intitulado "Resident Evil: Vendetta").

Não foi confirmado formalmente, porém eu "chutei" lá no início do texto que essa nova animação trata-se de um remake porque, no trailer, aparece um personagem que se despede da pequena Chi no final da primeira temporada. Por fim, o mangá foi finalizado no ano passado com 22 volumes, contudo ele retornou há poucos meses (não consegui descobrir quantos capítulos foram lançados até agora) mostrando a vida de Chi e seus donos em París, visto que o título anterior terminou com eles se mudando para essa cidade - de gatinha perdida numa área residencial de classe média japonesa a moradora parisiense, que ascensão! Caso seja necessário corrigir alguma informação a respeito disso, ou então anunciar sua duração exata (devem ser episódios curtos novamente) eu atualizarei este texto, mas por enquanto fiquemos com os adoráveis perfis do anime no Twitter e Instagram, que são constantemente abastecidos com montagens engraçadinhas envolvendo figures da Chi (encomendarei talvez ainda nesse mês uma coleção delas no eBay!). 


**********

Formato: TV 
Data de estreia: 08/10
Estúdio: Sunrise
Diretor: Yoichi Fujita ("Binbougami ga!", "Gintama'", "Osomatsu-san")
Gênero: Comédia
Tema: Música
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Comédia, super poderes, mechas e grandes personalidades da música clássica.

Os jovens Kanae e Sousuke são dois estudantes que moram numa pequena cidade do interior que está tentando se revitalizar através da música. Certo dia, esse casal de amigos veem surgir diante de si dois homens de aparência e comportamento suspeitos que seriam os renomados compositores Beethoven e Mozart - se intitulando "ClassicaLoids", eles tocam uma música denominada "mujik" que tem o poder de fazer estrelas cair do céu e gigantes robôs aparecerem. Com um dia a dia agora cada vez mais tumultuado, Kanae e Sousuke ainda conhecerão aos poucos outros ClassicaLoids, tais como Bach - que é produtor de um grupo idol -, o recluso Chopin e o demasiado sério Schubert.

Ah, também teremos a bela Tchaikovsky, mulher que faz parte do "Classici Classic", grupo de idols gerenciado por Bach; e a extravagante Liszt, para verem que sequer perderam a oportunidade em trocar o sexo de dois gênios da música clássica nessa louca animação original a ser produzida pelo estúdio Sunrise - que vira e mexe apresenta um projeto próprio que mescla mechas com outros temas um tanto inusitados, logo não é assim tão inovador o que será feito aqui (ainda mais tendo música, visto que nos últimos anos o Sunrise lançou um bom número de franquias focadas nisso). Já digo que as sinopses encontradas por aí se divergem um pouco quanto a introdução dos mechas e esses poderes de estrelas caindo do céu e etc, mas o que importa é que testemunharemos mesmo robôs gigantes ao redor de versões um tanto cômicas de Bach, Mozart e companhia, enfrentando sabe lá qual ameaça que possa surgir pelo caminho numa cidade do interior em decadência. De resto, o site oficial resume o anime como uma "Comédia pastelão com batalhas, histórias agradáveis e um leve romance(?)" (o ponto de interrogação é deles, viu).

A ser dirigido por Yoichi Fujita, um excelente nome para o tipo de humor que deveremos ver por aqui, "ClassicaLoid" trará ainda Ichiro Sakaki (autor das light novels "Outbreak Company" e "Hitsugi no Chaika") e Michihiro Tsuchiya ("PriPara", "Cross Game") na supervisão dos roteiros criados pelo quarteto Miya Asakawa ("Shirokuma Cafe", "Tribe Cool Crew"), Tsuyoshi Kida, Kyo Kogure e Shuu Matsubara ("Osomatsu-san"). Seiichi Hashimoto adaptará o "character design" originalmente criado por Makoto Tsuchibayashi ("Sengoku Basara"), e quanto a trilha sonora, que será composta por versões em pop, rock e techno de composições clássicas, Masashi Hamazu ("Binbougami ga!") será o principal nome nessa área, porém outros compositores ficarão a cargo de alguns personagens em particular, nesse caso Tomoyasu Hotei (pelo nome podem não conhecer, mas muitos de vocês já devem ter ouvido este arranjo dele) para Beenthoven, tofubeats para Mozart e Tsunku para Bach.



**********

Digimon Universe: Appli Monsters
Formato: TV 
Data de estreia: 01/10
Estúdio: Toei Animation
Diretor: Gou Koga ("Dokidoki! Precure")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia / Fantasia
De onde saiu: Integrante da franquia multimídia "Digimon".
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui (este é mais uma propaganda apresentando os novos conceitos do anime) e aqui

Nona série de TV de "Digimon", franquia bem conhecida por quase todo mundo que teve início em 1997 através do  lançamento de um pet virtual. Entre diversos outros produtos, o primeiro anime viria em 1999, enquanto que o último, precisamente a terceira saga de "Digimon Xros Wars", veio em 2012 - não esquecendo também a trilogia de filmes "Digimon Adventure tri.", que terá sua parte final exibida nos cinemas a partir do dia 24 de setembro. Já em "Digimon Universe: Appli Monsters" somos jogados em um mundo onde estranhas criaturas chamadas "Appli Monster", ou somente "Appmon", residem dentro dos aplicativos de smarthphones. Elas são formas de vida com vontade própria que se encontram na fronteira entre o mundo humano e o espaço digital ao qual regulam, sendo que, no vasto mar da internet, um monstro de nome "Leviathan" toma controle dos Appmon usando um vírus e começa a hackear todos os sistemas, não tardando a influenciar e prejudicar também o mundo real a partir disso. O protagonista Haru Shinkai acaba de algum modo adquirindo o acessório "Appli Drive" e com ele torna-se capaz de materializar Gatchmon, o monstro de um aplicativo de busca que lhe ajudará a combater esse mal.

Bem, àqueles que deram uma nova chance à franquia seja por conta dos filmes, seja devido ao bom e mais maduro jogo "Digimon Story: Cyber Sleuth" lançado para PS Vita e PS4 no início do ano, creio que os ânimos esfriaram bastante ao verem que a nova série de TV de "Digimon" será voltada primariamente ao público infantil - e é claro que com a estreia do anime virá uma enxurrada de produtos, tais como um jogo para Nintendo 3DS, outro para arcades, brinquedos, jogo de cartas e inclusive duas versões em mangá, sendo uma delas baseada na história da animação e a outra um cenário alternativo no qual os Appmon frequentarão uma escola onde o protagonista Gatchmon é líder do comitê de moral pública! Apenas para não fugir do habitual - porque duvido que muitos estão interessados nisso -, além do protagonista de 13 anos que é descrito como um jovem gentil, alegre, dono de uma intensa força de vontade e etc, e seu digi... Digo, Appmon que sempre tenta agir de maneira descolada, teremos ainda a vigorosa Eri Karan, uma jovem de 14 anos que atua num grupo de idols e que tem como Appmon amigo o baixinho Dokamon, que é derivado de um aplicativo de jogo de ação; Torajirou Asuka, garoto de poucos 11 anos facilmente influenciável que é um famoso "Apptuber" (sim, sim, ele publica vídeos no site chamado "Apptube"...) e tem como companheiro Musimon, cujo nome já deixa implícito que ele vem de um aplicativo de música; e Rei Katsura, um excelente e misterioso hacker de 14 anos que persegue Haru e que talvez tenha informações sobre o tal Leviathan - seu Appmon será Hackmon, logicamente um monstrinho perito em hacking. Há outros três ou quatro personagens já anunciados, mas esses nem ao menos possuem Appmons, logo vou ignora-los sem ressalvas!

A ser produzido pela querida Toei Animation ("Dragon Ball Super", "World Trigger"), "Digimon Universe: Appli Monsters" trará Gou Koga na direção, Yoichi Kato ("Aikatsu!", "Mushibugyou", "Youkai Watch") na supervisão de roteiros, Kotaro Nakagawa ("Active Raid", "Prison School", "Inu x Boku SS") na trilha sonora e Kenichi Ohnuki ("Gundam Build Fighters", "Major") no "character design". 


**********

Dochamon Junior 2
Formato: TV (9 min. por episódio)
Data de estreia: 10/10
Estúdio: Calf Studio
Diretor: Pon Kozutsumi
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Dochamon Junior", animação original infantil que possui como protagonistas espíritos guardiões chamados Dochamon, que são responsáveis por cada uma das 47 prefeituras do Japão - os destacados aqui estão em fase de treinamento para um dia substituir os espíritos mais velhos. Com episódio de 9 minutos de duração cada, o Calf Studio permanece na produção, porém Pon Kozutsumi substituirá Kei Oyama na direção.


**********


Dream Festival!
Formato: ONA 
Data de estreia: 23/09
Estúdio: Bandai Namco Pictures
Diretor: Yuuta Murano ("Brave Beats")
Gênero: Drama / Slice-of-Life
Tema: Música
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Integrante de uma franquia chamada "2.5D idol project" que é liderada por várias empresas do grupoBandai, "Dream Festival!" traz como protagonista Kanade Amamiya, um carismático estudante do ensino médio que, certo dia, é abordado e convidado pelo ex idol Haruto Mikami a ingressar no mundo da música. Trabalhando agora na agência D-4 Production, Kanade entrará em um grupo com outros aspirantes a idols, que é formado pelo misterioso Shin Oikawa, o estoico Junya Sasaki, o gentil Itsuki Katagiri e o atrapalhado e inteligente Chizuru Sawamura. O objetivo deles é vencer o "Dream Festival", uma competição da própria agência que dá direito aos novatos de gravar seu primeiro CD, e pra isso Kanade precisará aprender a angariar o apoio de suas fãs, visto que isso lhe garante os "Dream Festival Cards" (ou "Dorika" abreviado), que são cartas capazes de habilitar novos vestuários e movimentos especiais durante a apresentação dos idols em pleno palco.

Sim, idols masculinos e cartas! O trailer dá uma amostra disso, e o primeiro episódio (e único) que eu vi mostra melhor como funciona tal ideia: Resumidamente, as fãs expressam seus sentimentos pelos idols através de um aparelho que arremessa cartas no ar e estas, uma vez pegas pelos rapazes, os fazem mudar de roupa (com direito a transformação ao estilo mahou shoujo na frente do público!) ou realizar encenações diferentes. Eu consegui ver em 14 minutos um episódio de 23, isso porque aumentei a velocidade do vídeo por não suportar assistir normalmente algo tão ruim. Seja os diálogos vergonhosos, os personagens estereotipados e com péssima dublagem (os dubladores são todos estreantes), as apresentações musicais em CG sem graça e, logicamente, esses argumentos idiotas, não há nada aqui que se salva - mas pelo menos as atualizações do guia finalmente chegarão ao fim após adiciona-lo!

Direcionado ao público feminino na faixa dos 15 a 30 anos, o projeto do qual este anime faz parte já obteve um jogo gratuito para aplicativos móveis e uma série de cartas colecionáveis, pretendendo lançar ainda produtos diversos personalizados, CDs e eventos musicais com os dubladores novatos. Produzido pelo Bandai Namco Pictures, "Dream Festival!" vem com Yuuta Murano na direção, Yoichi Kato ("Aikatsu!", "Youkai Watch") na supervisão de roteiros e Yayoi Yoshikawa no "character design". 

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 07/10
Estúdio: Hoods Drifters Studio
Diretor: Kenichi Suzuki ("Jojo's Bizarre Adventure")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia / Fantasia
Tema: Histórico
De onde saiu: Mangá, 5 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Desligue o cérebro e se divirta.

Durante a batalha da Sekigahara o samurai Shimazu Toyohisa consegue ferir fatalmente Ii Naomasa, mas em contrapartida é atingido gravemente por várias lanças de soldados inimigos. Enquanto anda cambaleante e sangrando pelo campo onde ocorreu o confronto, ele é misteriosamente transportado para um corredor branco repleto de portas no qual se encontra um homem de óculos sentado numa escrivaninha - chamado Murasaki, esta pessoa esperava por sua chegada e manda Toyohisa para uma das portas mais próximas, que o carrega a outro mundo. Nesse local onde ele é rapidamente visto e socorrido por dois elfos, o samurai descobrirá em seguida que outros grandes guerreiros iguais a ele também foram enviados para esse mundo, a fim de fazerem parte de um grupo chamado "Drifters".

Publicado desde 2009 na revista seinen Young King OURs ("Excel Saga", "Aoki Hagane no Arpeggio"), "Drifters" é de autoria de Kouta Hirano, o mesmo criador da popular obra sobre vampiros "Hellsing" - tendo recebido uma série de TV meia boca em 2001 e uma elogiada série de 10 OVAs lançada entre 2006 a 2012, o mangá foi publicado aqui no Brasil primeiro em 20 volumes meio-tanko pela JBC de 2008 a 2010, e depois em 10 volumes normais de 2015 até março desse ano. Aproveitando-se de uma manjada premissa envolvendo pessoas que viajam para mundos paralelos, quem é familiar com o trabalho mais famoso de Hirano verá junto a isso uma combinação de elementos já conhecida: muita ação, sangue pra todos os lados, cabeças rolando, personagens badass e uma história que promete dar "alguns" nós em sua cabeça.

Confesso que, pela bagunça de ideias e elementos, por pouco não desisti de ler o mangá após somente 1 volume - e se no final eu mal cheguei a terminar o terceiro é porque preferi evitar muitos spoils do que será visto no anime, porém se não fosse por isso teria continuado a leitura sem problemas. Como já dito na sinopse acima, além do samurai Shimazu Toyohisa (nome real de um guerreiro do Período Sengoku), o mundo para onde ele é enviado serve de destino a outras figuras históricas, tanto que não tarda a conhecermos um velho Oda Nobunaga calculista e talvez com uns parafusos a menos na cabeça de tão fanático que é por guerras, e uma versão jovem e efeminada do samurai Nasu no Yoichi - ah, detalhe que o primeiro morreu 18 anos antes de Toyohisa sequer nascer, e o segundo vem de quatro séculos atrás! Nisso, conforme os curtíssimos capítulos avançam através de explicações truncadas (sacanagem um mangá mensal vir com 10, 15 páginas por vez!), descobrimos que nessas terras os humanos formaram um império chamado "Orte" que está há décadas enfrentando e escravizando raças humanoides como elfos, anões e hobbits, e logicamente nossos três protagonistas, após salvarem uma vila élfica de ser destruída, aos poucos se envolverão mais a fundo na situação política desse império enquanto conhecem outros Drifters e tornam-se um incômodo cava vez maior para os seus líderes. Vale ressaltar que, antes disso, já sabemos que o tal homem de óculos no corredor branco supostamente envia os Drifters para diferentes mundos a fim de que alterem certas tragédias, ao passo que uma "rival" sua, chamada por ele de Easy, age de forma contrária ao tentar reverter suas ações trazendo um segundo grupo de figuras históricas denominada "Ends", que ostentam grande ódio pela humanidade por conta do que sofreram em vida (e além de terem se tornado malvadões eles possuem habilidades especiais como apelação). Bem, não sei o quanto está longe para que sejam melhor explicadas as ações desses dois - e tampouco as reais intenções da "Octobrist", uma organização que, novidade, vigia e reúne Drifters para enfrentar os Ends, sendo que estes por sua vez são liderados por um encapuzado sinistro chamado "Black Wing" que deseja aniquilar os humanos -, mas o importante é que tal desculpinha será perfeita para inserir em lutas sanguinárias diversos personagens cujos nomes você já deve ter visto em livros de História, Wikipédia, filmes, enciclopédias ou até mesmo em algum filme da Disney!

De um lado, três sujeitos afeiçoados ao campo de batalha, mais (vá clicando nos asteriscos caso queira ver uma página falando sobre a pessoa real) o exímio piloto japonês Naoshi Kanno (*), o estadista cartaginês Aníbal (*), o general romano Cipião Africano (*), o bandido norte americano Butch Cassidy (*) e seu parceiro Sundance Kid (*). Já do outro, serão reunidos uma Joana d'Arc (*) que tem poderes de fogo (ha), uma Anastacia (*) com poder de criar nevascas (wow), o ex vice comandante do Shinsengumi Hijikata Toshizou (*) e sua habilidade em invocar fantasmas de antigos membros dessa força policial para apoia-lo em batalha, o soldado francês Gilles de Rai (*) e sua super força e por fim Grigori Rasputin (*), que serve como espião dos Ends. Eu critiquei os capítulos curtos do mangá, mas em compensação a arte detalhada, peculiar e de traços fortes de Hirano se sobressai ao retratar conflitos não só graficamente violentos graças às inúmeras cabeças cortadas e corpos partidos ao meio, como também surreais por colocar personalidades de diversas eras e regiões ao lado de criaturas como elfos, dragões e ogros (e pra isso você não colocou imagens como exemplo, né, Erick?). É babaca, porém atrativo e com alguns momentos de intensidade e drama consideráveis, não esquecendo nisso o bom trio principal de arrogantes e "fodões" que são o agressivo Toyohisa e seu forte espírito de liderança, Oda Nobunaga e suas táticas de guerra inteligentes e criativas e Yoichi com sua esperteza e ironia. Falta justificar a inclusão de um dos gêneros nas informações do anime no topo, e nesse caso a comédia aqui se apresenta nos momentos mais inesperados usando aquelas caretas e arte que quem viu "Hellsing" já conhece como funciona - com razão alguns dirão que esses trechos destoam em demasia do restante do mangá, enquanto outros acharão um bom meio de amenizar a seriedade de uma obra que traz argumentos um tanto "viajados" (fico em cima do muro, passei tanto por uma quanto por outra sensação dependendo da cena). No geral, entretém com sua violência, pedantismo e loucuras, e olha que pelos spoils lidos por mim a situação só piora (ou melhora?) mais à frente.

A ser produzido pelo novo Hoods Drifters Studio (não consegui descobrir os detalhes, mas ele parece ser o antigo Hoods Entertainment, estúdio nanico que não produzia nada desde 2014 e que comandou pérolas como "Seikon no Qwaser" e "Manyuu Hikenchou"), "Drifters" já teve lançado em junho um OVA de 40 minutos, onde foram adaptados 8 capítulos e meio - e para diminuir a empolgação de alguns a animação nele se mostrou bastante irregular, abusando de muitos truques em diversas cenas para disfarçar o baixo orçamento. Dirigido por Kenichi Suzuki, a equipe será complementada com Hideyuki Kurata ("Grisaia no Kajitsu", "Oreimo", "Samurai Flamenco") na supervisão de roteiros, ele e Yousuke Kuroda ("Jormungand", "Madlax") na criação dos mesmos, Hayato Matsuo ("Hellsing Ultimate", "Kami nomi zo Shiru Sekai") e Yasushi Ishii ("Hellsing") na trilha sonora e Ryoji Nakamori ("Hellsing Ultimate") no "character design".


**********

Formato: TV 
Data de estreia: 06/10
Estúdio: Studio 3Hz
Diretor: Kiyotama Oshiyama
Gênero: Comédia / Sci-fi
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Animação original a ser produzida pelo novato Studio 3Hz ("Sora no Method", "Dimension W"), a sinopse oficial de "Flip Flappers" é daqueles textos meio vagos e enfeitados, comuns em projetos novos, que muito falam e pouco explicam, logo deixem-me resumi-lo ao que interessa: Duas garotas, de nomes Papika e Cocona, se conhecem e iniciam suas aventuras numa dimensão paralela chamada "Pure Illusion". Nesse local elas enfrentarão muitos obstáculos no seu caminho enquanto procuram pelos cristais "Shard of Mimi", um item do qual é dito ser capaz de realizar qualquer desejo. A sinopse ainda termina dizendo que, quando as duas se veem numa situação de perigo, um destes cristais brilha e ambas acabam se transformando e ganhando poderes.

Enfim, é isso. Premissa básica de "personagens de personalidades opostas e mundos diferentes" aventureiro com ares de fantasia e sci-fi, reunido a uma animação de (aparente) qualidade, personagens de traços simpáticos e - pra variar - uma pegada yuri vibe entre suas duas protagonistas, sendo uma delas a estudante perfeitinha e muito apegada a sua avó que é precavida e tem receio de encarar novidades (Cocona), e a outra uma misteriosa jovem vinda sabe-se lá de onde cuja personalidade bastante alegre e despreocupada a faz se meter em frequentes confusões (Papika). Ah, em relação aos demais integrantes do elenco que podem ser vistos no site oficialdestaque para Soruto, um homem de aparência suspeita que ambiciona coletar, por motivos obscuros, todos esses cristais "Shard of Mimi"; TT-392, um robô desengonçado e multifuncional (e também pervertido, caso tenham visto os trailers!) que é usado por Papika; Yukusukyuru, um bizarro e feio animal de estimação de Cocona que pode crescer e diminuir de tamanho à vontade...

Perdão, nem é preguiça de escrever o texto para esse anime, mas apenas que a história de "Flip Flappers" (ainda que tenhamos pouca coisa revelada) por ora não demonstra que será tão interessante e atraente quanto o trabalho artístico presenciado nos trailers, logo não há porque opinar e me alongar muito a seu respeito. Entre a sua equipe de produção um dos principais nomes é o de Kiyotaka Oshiyama, profissional estreante na função de diretor após ser desenhista em alguns episódios de diversos animes, tais como os sci-fi "Dennou Coil" e "Space Dandy" - aqui ele só é listado como diretor mesmo, então desconheço o tamanho de sua influência na parte conceitual do anime, que ficou a cargo do bom ilustrador tanu, este mais conhecido pelo "character design" de "Tari Tari" e "Rolling Girls". Aliás, Takashi Kojima (diretor de animação em "Kokoro Connect" e "Shigatsu wa Kimi no Uso") é quem idealizou os traços dos personagens humanos, e por fim o trio Mito ("Space Dandy" pelo grupo Clammbon), Masumi Itou ("Bungaku Shoujo") e Yohei Matsu, por meio da unidade To-Mas Soundsight Fluorescent Forest ("Momokuri"), será o responsável pela trilha sonora. 

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 14/10
Estúdio: Zexcs
Diretor: Toshimasa Kuroyanagi "Shounen Hollywood - Holly Stage for 49", "Suki-tte li na yo.")
Gênero: Drama / Romance
De onde saiu: Livro.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Baseado em um livro publicado em 2011 que dois anos depois seria adaptado em um bem sucedido e premiado filme, "Fune wo Amu" mostra a vida de Mitsuya Majime, um homem com dificuldades em se comunicar com os outros que trabalha no departamento de vendas da editora Genbu Shobou. Ele nunca conseguiu grandes resultados nessa área, porém sua inteligência e paixão por leitura atrai a atenção de Masashi Nishioka e Kouhei Araki, dois editores de dicionários que estão procurando um substituto para o próprio Araki, que está prestes a se aposentar e pretende ficar mais tempo ao lado da esposa acamada. Fazendo agora parte de uma equipe num departamento que é conhecido internamente como "inseto comedor de dinheiro" por gerar muitos gastos e não dar lucro algum, Majime será um dos responsáveis pela edição do "Daitokai" ("A Grande Travessia" em tradução literal), dicionário que levará anos para ser concluído. Se jogando com extrema dedicação nesse serviço, sua rotina ainda tomará um novo rumo ao conhecer e se apaixonar por Kaguya Hayashi, neta da senhoria do local onde mora que está estudando culinária.

Eu juntei as sinopses existentes no site oficial do anime e as que encontrei a respeito do filme de 2013, logo pode talvez haver alguma divergência sobre como tudo começa, entretanto o cenário é esse mesmo. A ser exibido no bloco noitaminA, o trailer deste filme em questão (o vídeo está com legendas em inglês) já ajuda bastante a ter uma noção maior do caráter recluso do protagonista e de como vai se desenrolar essa premissa a respeito da criação de um dicionário, além de dar ideia da influência que causará no seu modo de vida as interações com o frívolo e sociável Nishioka, o experiente Araki e, principalmente, a bela Kaguya - para alguns talvez sejam spoils demais, então me omitirei em dar detalhes aqui e fica por sua conta em risco assistir o trailer. De resto, é mais um livro sucesso de vendas a dar as caras no noitaminA, e aparentemente sem sofrer grandes alterações e tampouco passar por algum processo de estilização desnecessária.

A ser produzido pelo tecnicamente fraco estúdio Zexcs ("Shounen Hollywood", "Aku no Hana"), "Fune wo Amu" virá com Toshimasa Kuroyanagi na direção (bom nome para uma animação desse gênero), Takuya Satou ("Fate stay/night", "Suki-tte li na yo.") na supervisão de roteiros e Hiroyuki Aoyama no "character design". Vale aproveitar e ressaltar também o bom trio de dubladores no elenco principal, nesse caso Maaya Sakamoto no papel de Kaguya, Hiroshi Kamiya dando voz a Nishioka e Takahiro Sakurai dublando Majime.

**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 04/10
Estúdio: Team YokkyuFuman
Diretor: Toneso Kiyashi
Gênero: Comédia
Tema: Escolar / Paródia
De onde saiu: Jogo para PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Feios? Não, mas sim dotados de uma beleza exótica que poucos são capazes de apreciar.

Baseado numa visual novel voltada ao público feminino que foi lançada em 2010 para PC (e 2013 para dispositivos Android e iOS, além de ter recebido 4 títulos spin-off), a história de "Gakuen Handsome" se passa na Baramon High School, uma instituição de ensino privada só para garotos que possui grande prestígio e abriga membros da alta sociedade. O protagonista de 17 anos e sem rosto (mas pelo menos agora terá um nome, ao contrário do que era na visual novel), Yoshiki Maeda, se transfere para esse local e rapidamente conhece alguns dos principais integrantes da Baramon, dentre eles o professor "fora da lei" Teruhiko Saionjio capitão do clube de futebol Sakuya Mitsurugi e o presidente do conselho estudantil Kagami Renji - ele também irá rever Takuya Saotome, amigo de infância com o qual não falava há sete anos. Nessa nova fase de sua vida Yoshiki passará por vários momentos marcantes que envolverão amor, amizade e conflitos diversos.

Amor, numa escola só para garotos? Pois é, a visual novel de "Gakuen Handsome" possui um conteúdo BL ("Boys Love") ameno, sem cenas explícitas, porém o seu maior objetivo mesmo não envolve a tarefa de causar suspiros em seu público alvo, e sim servir de paródia para tal subgênero - como exemplo disso recomendo que deem uma olhada no post deste blog onde seu autor(a) detalha a rota do "bonitão" de cabelos roxos Sakuya, que termina com muitas mortes causadas pelo seu queixo pontiagudo (...) e... Um lindo casamento entre ele e Yoshiki! (reparem ainda nesta surreal cena de sexo dos dois, que é acompanhada por um diálogo absurdo). Tendo já sido animado por meio de um OVA em 2015 e dois clipes musicais esse ano que foram usados para divulgar os singles de seus personagens - não acharão nada traduzido, mas podem ver os respectivos trailers de cada um clicando aquiaqui e aqui -, "Gakuen Handsome" é apenas uma grande piada nonsense e mal desenhada que faz humor em cima dos clichês e arquétipos existente nas obras desse tipo, não sendo surpresa encontrar, pela internet, um bom número de jogadores da ala masculina que se aventuraram em tal jogo devido à sua proposital ruindade humorística. Desconheço se esse seu estilo terá a mesma graça em uma série de TV com episódios de 3 minutos de duração cada, porém fica o aviso para o potencial de ridículo e vergonha alheia que o anime poderá apresentar - e isso tudo sem ferir a sua masculinidade (caso tenha essa preocupação, é claro).

Aliás, como de praxe para adaptações dessa fonte, clique aqui para ver o vídeo de uma garota passando pelos primeiros eventos da visual novel.

A ser produzido pelo Team YokkyuFuman, um grupo amador que é o próprio criador do jogo (e inclusive seu diretor, Toneso Kiyashi, faz parte dele), restam passar duas curiosidades sobre "Gakuen Handsome" antes de eu fechar seu texto: primeiro, ele recebeu uma série de TV graças a 343 pessoas de bom coração que lhe ajudaram durante sua campanha para arrecadar fundos, cuja meta máxima (dentre cinco) era de 10 milhões (R$ 311 mil) de ienes para garantir desde já uma segunda temporada, contudo chegou a "somente" 6 milhões e 920 mil (R$ 215 mil) - e obviamente, aos que deram apoio ao projeto, foram distribuídos alguns mimos como panfletos, DVDs, cópias do roteiro assinadas pelo diretor (pra quê?), agradecimentos inseridos nos créditos da animação e até participação em um pequeno evento. E segundo, foi anunciado recentemente que a série terá duas trilhas de áudio distintas, uma delas na qual os personagens terão as vozes dos dubladores da visual novel, e a outra com dubladores exclusivos do anime - agora, como que funcionará isso na prática, se o mesmo episódio será exibido duas vezes por semana ou disponibilizarão o áudio extra em algum lugar, ai já não sei.

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 07/10
Estúdio: Diomedea
Diretor: Shota Ibata
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Animação original que já teve no começo do ano uma light novel lançada pela dupla QP:Flapper (ilustrador de "MM!") e Wataru Watari (autor de "Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru), "Gi(a)rlish Number" segue as vidas tanto de Chitose Karasuma, estudante universitária que almeja se tornar uma dubladora idol, quanto de outras jovens mulheres que também almejam seguir nessa carreira.

E pronto.

Nem a light novel, nem a versão mangá iniciada posteriormente receberam alguma tradução, e pra piorar mal posso me aproveitar dos perfis das personagens no site oficial porque, como são só imagens, não consigo copiar os textos para poder joga-los em qualquer tradutor e obter assim alguma ideia da personalidade e importância de cada personagem. Junto a essa Chitose, temos ainda listadas como protagonistas Koto KatakuraYae KugayamaKazuha Shibasaki e Momoka Sonou, cinco mulheres aspirantes a idols e dubladoras que receberam os traços moe de QP:Flapper e se veem inseridas numa história criada por Wataru Watari, autor cujas obras geralmente possuem argumentos e desenvolvimentos mais bem elaborados (e também pessimistas! Mas duvido que será o caso desse) do que o padrão para light novels - e por isso mesmo é que sua presença neste projeto me faz ter um mínimo de interesse no anime, apesar da minúscula sinopse não chamar muito a atenção (exceto pelo fato de que são personagens adultas, universitárias, porém não é algo que faça tanta diferença com uma arte desse tipo, né).

A ser produzido pelo estúdio Diomedea ("Handa-kun", "Mayoiga"), "Gi(a)rlish Number" será dirigido por Shota Ibata (animador com um extenso currículo na área, mas estreante nesse cargo) e terá o próprio Wataru na supervisão de roteiros, além de Sumie Kinoshita ("Dantalian no Shoka") adaptando o "character design".

**********

Girlfriend (Note)
Formato: ONA (3 min. por episódio)
Data de estreia: 22/10
Estúdio: Encourage Films
Diretor: Daisuke Tsukushi
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar / Música
De onde saiu: Spin-off do anime de 2014, vindo de um jogo para celular.
Trailer: Clique aqui

Falemos antes do jogo original: lançado em 2012 para dispositivos iOS e Android pela desenvolvedora Cyber Agent em parceria com a popular rede social japonesa Ameba, "Girlfriend (Kari)" é um jogo que possui mais de cem garotas à disposição para os jogadores conquistarem, sendo que cada uma tem sua própria dubladora - e aqui caberia uma extensa lista de links já que há no mínimo duas dezenas de nomes famosos no meio, porém vou poupa-los disso e disponibilizar apenas esta lista que exibe em ordem alfabética todas as personagens existentes. Mesclando elementos de "dating sim" com cartas bonitinhas que você pode tanto ficar só colecionando, quanto usar para batalhar com outros jogadores online, esse título angariou milhões de usuários e gerou diversas adaptações em outras mídias e produtos, sendo os mais importantes de citar aqui um anime horrível de 2014 produzido pelo estúdio Silver Link (praticamente foi um slice-of-life sem graça e bobo mostrando o dia a dia de trocentas garotas genéricas numa escola), e o jogo "Girlfriend (Note)", spin-off em 3D musical que chegou para celulares em dezembro do ano passadoclique aqui para ver um vídeo de 2 minutos no qual o jogador dança com sua personagem ao ritmo da música de abertura da série de TV, e aqui para ver outro vídeo de longos 48 minutos que detalha sua historinha e jogabilidade. Resumidamente, o argumento inicial é de que o novo e excêntrico diretor da escola Seiou Gakuen (onde estudam essa centena de garotas) inscreveu as melhores alunas em um torneio de dança chamado "World Dance Battle Royale", que será disputado contra outras escolas. Nisso, de acordo com este vídeo de introdução do jogo, é realizada uma loteria para escolher o líder dos grupos formados, e você (eu?) acaba sendo o sorteado...

Dessa forma, chegamos enfim ao novo anime em questão, que pela sinopse virá com uma trama posterior a isso. O tal "World Dance Battle Royale" já acabou, e agora foi decidido que a unidade principal "Nonet" e o trio "Ootori" da escola rival Ootoriutain High School precisarão atuar juntos em uma peça de teatro - explicando melhor, "Nonet" é formado por Fumio Murakami, Chloe Lemaire, Kokomi Shiina, Akane Sakurai, Mutsumi Shigino, Momoko AsahinaHaruka Kazemachi e Saya Kagurazaka (todas apareceram no anime de 2014, mas só as quatro primeiras foram protagonistas); e o trio "Ootori" é composto por Miyabi Kunishiro, Kasuga Asato e Subaru Makise. A peça será uma versão de "Cinderela" com muita música, sendo que Momoko fará a heroína, Miyabi o príncipe e Shiina um papel que o texto oficial se limita a dizer que seria "inesperado". E pronto.

Ou seja, aguardem por uma comediazinha escolar repleta de garotas moe e inocentes onde, como extra, deverá vir um número razoável de cenas e diálogos com yuri vibe. De curiosidade final, cito que este anime é a última parte de três projetos de verão da franquia, que incluíram ainda uma votação - que terminou dia 22, e confesso não ter entendido bem os critérios de participação - e um estranho crossover com "Mahou Shoujo Madoka Magica", cujas protagonistas estiveram disponíveis por algum tempo no jogo principal - clique aqui para ver um vídeo a respeito (Kyuubey deve ter ficado louco com tanta carne fresca em volta!).

A ser produzido pelo estúdio Encourage Films ("Etotama", "Miyakawa-ke no Kuufuku"), "Girlfriend (Note)" trará Daisuke Tsuguchi na direção, Michiko Yokote ("Handa-kun", "Prison School", "Sekkou Boys") nos roteiros e Shigeru Shibuya adaptando o "character design" criado por QP:flapper (ilustrador da light novel de "MM!").


Atualização, 24/09: Liberaram novas informações sobre o anime, e a principal é que ele será bem curtinho, em todos os sentidos: Teremos apenas 3 episódios de meros 8 minutos cada, a estrearem dia 22 de outubro.


**********

Formato: TV 
Data de estreia: 08/10
Estúdio: Production I.G
Diretor: Susumu Mitsunaka ("Cuticle Detective Inaba")
Gênero: Comédia / Drama
Tema: Escolar / Esporte
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um anime com atuais 22 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Terceira temporada de "Haikyuu!!", anime de vôlei baseado em um mangá publicado na Weekly Shounen Jump desde 2012. O estúdio Production I.G continua na produção da animação, permanecendo também Susumu Mitsunaka como diretor (mas agora ao lado de Mariko Ishikawa como diretora assistente, que cuidou de alguns episódios em separado nas temporadas anteriores), Taku Kishimoto ("91 Days", "Boku Dake ga Inai Machi", "Joker Game") na supervisão de roteiros, Asami Tachibana ("Owari no Seraph", "Gundam Build Fighters") com Yuuki Hayashi ("Death Parade", "Boku no Hero Academia") na trilha sonora e Takahiro Kishida ("Baccano!, "Durarara!!") no "character design".

Ademais, já foi anunciado que essa continuação terá somente 10 episódios, todos eles focados numa looonga partida de vôlei que ocorre entre os capítulos 150 (volume 17) e 189 (volume 21) do mangá.



**********


Hagane Orchestra
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 10/10
Estúdio: Fanworks
Diretor: Masahiko Ohta ("Himouto Umaru-chan", "Love Lab", "Minami-ke", "Mitsudomoe", "Yuruyuri") 
Gênero: Aventura / Comédia
Tema: Militar
De onde saiu: Jogo para celular.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Olha, desse aqui não tenho praticamente nada a dizer: "Hagane Orchestra" é baseado num jogo para dispositivos iOS e Android que ainda será lançado esse ano pela empresa Hanbit Ubiquitous. Trata-se de um título de RPG e estratégia em tempo real cujo cenário é um mundo em ruínas onde você realiza batalhas usando veículos customizáveis - clique aqui para ver uma animação de 2015 apresentando o jogo, e aqui para assistir 4 minutos de um trailer que mostra como ele funciona(rá) na prática.

A ser exibido em 12 episódios de meros 5 minutos cada produzidos pelo pequeno estúdio Fanworks ("Aggressive Retsuko", "Gakkatsu!"), o anime de "Hagane Orchestra" até me impede de "encher linguiça" com descrições breves dos personagens porque sequer tem isso no seu site oficial - há uma lista com o elenco todo, mas as informações se limitam a peso e altura de cada um (e os três tamanhos de busto/cintura/quadril das garotas, claro, porque isso é de extrema importância). Todavia, apesar de se ver nesse caso uma evidente adaptação barata para um jogo de nicho de baixo orçamento, é curioso como teremos o ótimo trio Masahiko Ohta na direção, Takashi Aoshima na supervisão de roteiros e Yasuhiro Misawa na trilha sonora, profissionais que já atuaram juntos em bons animes slice-of-life de garotinhas como "Love Lab", "Yuruyuri", "Mitsudomoe" e "Minami-ke", fora o último trabalho deles que foi "Himouto Umaru-chan", animação que fugiu do subgênero visto nos demais, contudo isso não a impossibilitou de receber o mesmo tratamento consistente e agradável tanto na comédia, quanto nas composições de fundo. Tendo por fim Takaharu Okuma ("Hanaukyo Maid-tai", "Mitsudomoe") adaptando o "character design" originalmente criado por Takashi Konno, eu realmente não acho que verei em "Hagane Orchestra" algo que se aproxime em qualidade dos trabalhos mais bem sucedidos desses três, visto que possuirão de ferramentas um material escasso e pouquíssimo tempo na televisão, porém não seria surpresa caso o anime se sobressaísse no geralmente sofrível grupo de animações de curta duração.


**********

Heybot!
Formato: TV 
Data de estreia: 18/09
Estúdio: Bandai Namco Pictures
Diretor: Shinji Ishihira ("Fairy Tail", "Log Horizon", "Super Lovers")
Gênero: Aventura / Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Por estar ocupado com outras coisas no blog acabei enrolando para ver o primeiro episódio desse anime (reparem que ele estreou bem cedo, no mês passado) e assim adiciona-lo no guia, mas enfim: Produção original da Bandai voltada ao público infantil, a história de "Heybot" se passa em Nejigajima, um país insular em forma de parafuso onde ocorrem as "VocaBattle", duelos nos quais criaturas robóticas de nome "VocaBot" usam parafusos em suas cabeças chamados "Voca Bot" para poder competir e ver quem realiza as melhores piadas. Tudo nesse lugar é decidido desta maneira, e o anime seguirá as aventuras do príncipe de onze anos Nejiru com seu recém adquirido parceiro Heybot na busca por novas "Voca Screws".

Sim, nada de lutas corpo a corpo, e sim piadas, porque ao receber parafusos de diferentes características em suas cabeças que lhes garantem "habilidades" diversas, os "VocaBot" encenam algumas esquetes de humor que duram poucos segundos - mas fora isso o protagonista é mais um garoto que tem qualquer item/atributo especial, enquanto seu parceiro, apesar de à primeira vista parecer fraco e comum, também se mostrará um oponente forte nessa inusitada disputa por risadas. Eu assisti somente o primeiro episódio do anime (ele já está no terceiro), e confesso que precisei de muita paciência para termina-lo, visto que testemunhei uma série de trocadilhos estúpidos e repetitivos sobre parafusos e várias piadinhas forçadas e vergonhosas - muitas delas foram escatológicas ou de duplo sentido, algo que até me fez indagar em como isso pode ter de alvo o público infantil. Caso tivesse gostado um mínimo que fosse do anime eu faria questão de ser mais detalhado em seu texto, porém o achei tão ruim que prefiro ficar por aqui mesmo.

Já tendo brinquedos sendo vendidos pela Bandai (podem ver isso no trailer acima) e com previsão de obter um jogo gratuito pra Nintendo 3DS, "Heybot!" traz Shinji Ishihira na direção, Atsuhiro Tomioka ("Blade & Soul", "Brave Beats", "Pokemon XY") na supervisão de roteiros, Tomotaka Ohsumi ("Dagashi Kashi") na trilha sonora e Satohiko Sano no "character design". 

**********

Formato: TV
Data de estreia: 06/10 
Estúdio: Kyoto Animation
Diretor: Tastsuya Ichihara ("Chuunibyou Demo Koi ga Shitai!", "Clannad", "Kanon 2006", "Suzumiya Haruhi no Yuuutsu")
Gênero: Drama
Tema: Escolar / Música
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de uma novel com atuais 4 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "Hibike! Euhonium", anime baseado em uma novel publicada em 2013 - e que posteriormente teve lançadas duas continuações e uma coletânea de histórias curtas pouco antes e durante a exibição da série de TV no ano passado - cuja trama foca na rotina dos membros do clube de orquestra de uma escola do ensino médio. Produzido pelo Kyoto Animation, Tatsuya Ichihara continua na direção ao lado de Jukki Hanada ("Kyoukai no Kanata", "Kantai Collection", "Love Live! Sunshine!!") na supervisão de roteiros, Akiko Matsuda ("Glasslip", "Jitsu wa Watashi wa") na trilha sonora e Shoko Ikeda ("Suzumiya Haruhi no Yuuutsu") no "character design".

Cabe dizer que em abril foi lançado nos cinemas o filme "Hibike! Euphonium Movie: Kitauji Koukou Suisougaku-bu e Youkoso", que resumiu a história da primeira temporada. Por fim, já foi antecipado que o episódio de estreia terá uma hora de duração (ou quarenta e poucos minutos considerando os intervalos comerciais).

(Aliás, que narração em inglês bizarra essa do primeiro trailer...)


**********

Formato: TV (13 min. por episódio)
Data de estreia: 03/10
Estúdio: Seven Arcs
Diretor: Katsuya Kikuchi ("Sengoku Paradise Kiwami")
Tema: Idol / Música
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Chineses de novo.

Idealizado pela Happy Elements Asia Pacific, empresa chinesa do ramo de entretenimento (em especial jogos para celular), "Idol Memories" possui como cenário de fundo o ano de 2035, época onde a tecnologia de realidade virtual evoluiu a tal ponto que as pessoas podem experimentar viagens ao mundo e outros eventos ao vivo direto do conforto de suas casas - e nesse caso o foco do anime é a apresentação de idols por meio das "Salas VR", um tipo de entretenimento que alcança imensa audiência mundial. Devido a essa sua popularidade, foi necessário criar a Kanon Private Academy, uma escola localizada na "Beginning Island" (sério que é esse o nome?) que tem como objetivo treinar novas idols. Todas competem entre si para alcançar o topo da "World Idol League", e a história trará em destaque seis idols de dois grupos distintos, chamados "StaRing" e "Shadow".

Idols realizando apresentações no mundo todo por meio de realidade virtual e brigando pelo pódio mais alto numa liga mundial de idols! Previsto para ter episódios de 15 minutos de duração cada uma vez que os outros 5 servirão para exibir pequenos segmentos em live-action com as dubladoras, "Idol Memories" não apenas saiu da cabeça de empresários de uma empresa chinesa, como também trará ao menos duas personagens que tem a China como terra natal. Já que não há mais nada de relevante a ser dito dessa história "um pouco" questionável, vamos encher linguiça citando as seis idols principais e suas respectivas e breves descrições, que são a radiante líder do grupo "StaRing" Vivi Lin, jovem natural de Shanghai que possui como sonho voltar um dia ao seu país e realizar um concerto ao vivo por lá; a obstinada Kokona Hakayama, garota de Tóquio que estudou na China e deseja se tornar uma idol igual a sua avó (!); Sena Hattori, moradora estilosa de Osaka que gosta de se distrair com blocos da Lego (...) e à primeira vista parece ser uma pessoa inteligente, todavia ela é na realidade um tanto cabeça de vento; a séria e responsável Miku Kajiwara, líder do grupo "Shadow" originária de Fukuoka; a tímida Nanami Hoshi, que veio de Hokkaido e gosta de fazer programação e colecionar figures; e por fim Yucho La, uma espécie de "gênio preguiçosa" que nasceu na cidade chinesa de Dalian. Em relação a meia dúzia de personagens coadjuvantes já divulgados, creio que vale a pena mencionar Shoko Shirayuki, diretora da Kanon Private Academy que será dublada pela diva Nana Mizuki; e Ren Hayami, o "excêntrico" presidente da Crimson Star Academy, escola rival da Kanon que parece ser focada em idols masculinos.

Pronto, é isso.

Aliás, falando em rapazes idols, a Happy Elements também está com outro anime em andamento, a estrear em 2017, cuja trama é sobre uma academia para idols masculinos - intitulado "Ensemble Stars!", ele é baseado em um jogo para celulares que seria spin-off do popular "Ensemble Girls!!", esse protagonizado por garotas. Quanto a "Idol Memories", ele será animado pelo Seven Arcs ("Trinity Seven", "Ooyasan wa Shinshunki!") e sua equipe será formada pelo novato Katsuya Kikuchi na direção, Hiroshi Ohnogi ("Aquarion", "Shangri-La") na supervisão de roteiros e Rena Okuyama no "character design".


**********

Kaijuu Girls: Ultra Kaijuu Gijinka Keikaku
Formato: ONA (5 min. por episódio)
Data de estreia: 27/09
Estúdio: Medicrie / Studio Puyukai
Diretor: Minoru Ashina ("Agriculture Angel Baraki")
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia
Tema: Paródia
De onde saiu: Personagens de tokusatsu.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Antigos monstros feiosos transformados em meninas moe chibi.

Se em 2015 a famosa franquia de tokusatsu "Ultraman" recebeu uma série de curta duração na qual os inimigos do super herói podiam relaxar e afogar suas mágoas em um bar dedicado a eles (sendo que isso era baseado num estabelecimento temático que existiu de verdade), dessa vez esses mesmos monstrengos se tornarão garotinhas fofas - por que não, né? "Kaijuu Girls" justificará tal argumento ao trazer um cenário pacífico onde os frequentes embates da humanidade contra monstros gigantes (ou kaijus) chegou ao fim, porém por algum motivo começaram a surgir garotas que carregam em si as almas dessas criaturas - estas serão chamadas justamente de "Kaijuu Girls", sendo capazes de transformar-se e usar as habilidades de seus respectivos monstros. Elas precisarão lutar contra algum vilão ou salvar a Terra de qualquer ameaça? Bem, quem sabe nos últimos episódios surja algo do tipo, mas na sinopse oficial só diz que acompanharemos a bela e despreocupada história dessas garotas e o fardo que carregam.

Encabeçado pela Tsuburaya Production (criadora da série do super herói), esse anime é somente parte de um projeto iniciado em 2013 intitulado "Ultraman Monster Personification Project", cujo intuito é antropomorfizar monstros em meninas bonitinhas que ainda reteriam traços marcantes de cada um, e assim usa-las em diversos produtos e mídias - por ora já houve um mangá em tirinhas 4-koma, novel, figures, chaveiros, pingentes, toalhas e mais alguns outros trecos nos quais conseguiram inserir essa ideia. O site do projeto possui 60 personagens listadas, contudo parece que o anime trará somente 9 delas, sendo essas representações de (os links levam às páginas de cada uma no site, tendo nelas um desenho da garota em tamanho normal ao lado de uma imagem do monstro que lhe inspirou) Agira, Miclas, Windom, Pigmon, Zetton, Red KingEleking, Gomora e Zandrias. Como devem ter reparado na grade de informações acima o anime já estreou, porém não o adicionei antes por não saber se teríamos nesse caso um episódio único ou série. Eu assisti ontem o de estreia, e dá pra resumir que vi 5 minutos de uma animação fofa e bobinha na qual Agira, Miclas e Window (elas têm nomes normais, entretanto fica mais fácil mencionar os dos monstros logo) são chamadas para um mesmo local a fim de receberem respostas sobre alguns estranhos sintomas pelos quais estão passando, entre eles cura instantânea, vontade de rugir e super força - e nisso conhecem Pigmon, que as introduz à "Organização Internacional de Resgate e Ensinamento de Kaiju" e rapidamente explica um pouco sobre o que farão ali e como deverão usar certo aparelho para se transformarem completamente. Não compreendendo este último ponto, o episódio termina com as três conhecendo Zetton impedindo um incidente, evento esse que as faz ficarem motivadas com a nova "tarefa" que terão de lidar.

Até falei demais da história tendo em vista o tipo de anime. Em se tratando de comédia achei seu início fraquinho, e só me atraí realmente pelo seu teor moe.

A ser produzido pelos estúdios Medicrie e Puyukai, "Kaijuu Girls: Ultra Kaijuu Gijinka Keikaku" virá com Minoru Ashina de diretor, Yasuharu Takanashi ("Fairy Tail", "Gantz", "Jigoku Shoujo") na trilha sonora e nomes como Hiroshi Tani, minoa, Namaniku ATK (light novel de "Hitsugi no Chaika") Nekosuke Okuma (light novel de "Shinmai Maou no Testament") e CHOCO (visual novel de "Chaos;Head") na criação do "character design".

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 03/10
Estúdio: Shin-Ei Animation
Diretor: Yukiyo Teramoto
Gênero: Aventura / Comédia / Suspense
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 22 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Quarta temporada de "Kaitou Joker", anime iniciado em 2014 que é adaptado de um mangá infantil, em publicação desde 2008, que tem como protagonista um jovem ladrão capaz de roubar qualquer item de valor com seus diversos truques que desafiam a lógica. Ainda não foi confirmado se haverá alguma alteração na equipe principal, que foi a mesma nos três animes anteriores.


**********

Formato: TV
Data de estreia: 06/10
Estúdio: Xebec
Diretor: Hideya Takahashi
Gênero: Comédia
Tema: Ecchi / Esporte (?)
De onde saiu: Mangá, 12 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui


Bundas, bundas e mais bundas.

Kaminashi Nozomi, de apenas 17 anos, é uma excelente ginasta, tanto que ela é disputada por faculdade dotadas com excelentes programas nessa área. Infelizmente, a garota tem outros planos: Por vir de uma família pobre ela sempre deu importância em ganhar a administrar dinheiro, e é por isso que seu desejo é entrar no mundo do "Keijo", um tipo de esporte onde altas apostas ocorrem para verem mulheres competindo entre si em pequenas plataformas flutuantes na água. O objetivo é empurrar a rival para fora dela, porém só é possível usar sua bunda ou seios a fim de se conseguir isso. Junto com várias outras candidatas, Nozomi dará seu primeiros passos nesse esporte ao participar de uma disputada seleção que escolherá somente 40 mulheres para estudar na Setouchi Keijo Training School, a melhor instituição de país no treinamento de Keijo.

Então, bundas!, Adaptação de um mangá shounen publicado desde 2013 na Weekly Shounen Sunday ("Gin no Saji, Dagashi Kashi", "Magi"), me sinto envergonhado em dizer que essa foi a estreia cuja obra original eu mais li capítulos, e nem vou dar a desculpa de que fiz isso porque queria ao menos ver as protagonistas terminando a fase de testes e entrando de fato na tal escola para poder ter mais o que falar a seu respeito - acabei lendo mais de 2 volumes e sequer cheguei neste ponto. Oras, fui avançando nas páginas simplesmente porque me atraí pelo ecchi empurrado com um argumento tão besta, e recomendo sem ressalvas o anime caso o seu intuito seja assistir algo repleto de fanservice - e tanto faz se você prefere peitos pois haverá espaço para eles também, contudo é claro que bundas serão reinantes aqui (escolha essa que certo diretor aprovaria com um largo sorriso no rosto!).

Logo no primeiro capítulo Nozomi nos dá uma fria e racional explicação do porque não querer seguir carreira na ginástica - em resumo, isso não a deixará rica. Sendo logo depois levada por seu professor (que é um apostador viciado...) a um evento ao vivo de Keijo para que se confirmasse o quão forte é sua determinação, descobrimos que Keijo é muito mais perigoso e difícil do que se parece, visto que todo ano ocorrem até mortes nele devido às quedas sofridas nas plataformas, ao passo que suas praticantes se submetem a rotinas de exercícios e torneios tão longas e rígidas que sequer as fazem pensar em ter relacionamento, tampouco usufruir de algum tempo livre para visitar amigos e familiares! Nozomi compreende a seriedade dessa escolha, mas sua determinação é tão firme quando seus glúteos conforme testemunharemos adiante, e dessa forma não tarda a conhecermos outra protagonista da história, a de poucas palavras Sayaka Miyata e seu busto modesto. Ex lutadora de judô, mas agora se aventurando nesse esporte tão lucrativo, ela enfrenta Nozomi numa partida para principiantes e, após muitas colisões e resistência de ambos os lados, a nossa heroína acaba vencendo com um movimento muito inteligente onde usa sua bunda para atacar Sayaka por baixo e assim arremessa-la na água. Pronto, o resto é rápido, As duas reconhecem as qualidades uma da outra, meio que começam a se ver como rivais e, passando mais um encontro em que demonstram seu poder de observação ao assistirem e comentarem outras partidas de Keijo, são convidadas a se candidatarem a uma das vagas no já citado local de treinamento, dando desse modo início a uma série de curiosos testes aos quais terão de se submeter.

De uma lado uma garota meio tsundere que demorará um pouco para se expressar melhor ao redor da nova amiga, e do outro uma jovem enérgica que é muito cabeça de vento e estabanada, a ponto de passar vexame (sim, esse link contém uma bunda em destaque) logo na sua primeira visita à instituição por achar que já estava sendo testada. Seja durante um exercício no qual precisam movimentar suas bundas para formar um "8" perfeito o maior número de vezes possível - serve para medir o quanto elas conseguem controlar seu quadris, gente, eles explicam -, onde uma veterana usará a força do vento para atrapalhar as concorrentes, todavia não será párea ao requebrado à velocidade da luz de Nozomi ("Ela tem uma máquina na sua bunda?", pergunta incrédulo o examinador); ou seja noutra prova na qual terão de "chutar" uma bola com a bunda ou seios em um dos tambores que estiver com a luz acesa, "Keijo!!!!!!!!" acaba se tornando involuntariamente cômico justamente nessas horas em que tenta dar uma de sério com eventos tão idiotas, pois quando se esforça para realizar de fato uma piada direta - muitas delas apelando para paródias e referências a outras obras - ele falha grotescamente. Puxa, só nesse último exercício intitulado "Penalty Shoot" há pérolas como "Apostarei tudo na minha bunda!""A aura da bunda dela mudou""É como se fosse um caçador observando sua presa" e "Você está tentando decidir isso por meio dos instintos da sua bunda?", frases essas que antecedem uma cena em que Nozomi usa da força centrífuga para acelerar os movimentos da sua bunda e assim ter tempo de acertar a bola enquanto profere o "golpe" "Ass Cannon"! E chega. Ainda há capítulos inteiros que se passam no salão de banho feminino com as garotas presas (nem espere imagens aqui, é um capítulo todo!) porque, óbvio, era outro método de avaliação, bem como uma prévia do primeiro draminha do mangá que envolverá o motivo de Sayaka ter abandonado o judô, sem contar também o surgimento de outras garotas além das duas protagonistas que já tiveram algum destaque, mas... Creio que basta de tagarelice para uma obra desse tipo. Ignorando totalmente o suposto desenvolvimento de personagens, o anime fará alguns rir porque seus argumentos e diálogos serão ridículos e vergonhosos, e não porque serão realmente engraçados, e muitos nem darão bola pra isso e só o assistirá para visualizar o maior número possível de bundas (palavra dita 15 vezes nesse texto!) em situações curiosas e inesperadas. Problema algum com isso, visto que eu próprio estarei no mesmo barco logo ali, cabisbaixo, após ter aguentado tantas temporadas sem pegar uma série somente por seu teor ecchi...

E olha, aos interessados o autor desse mangá, Daichi Sorayami, tem outro título já finalizado chamado "Momi- Baraishi", cuja história é sobre um homem que, no intuito de banir demônios dos corpos de lindas mulheres que eles possuiram, é obrigado a fazer contato físico com os seios delas. Okay.

A ser produzido pelo instável estúdio Xebec ("Triage X", "Tokyo ESP"), o que me faz duvidar muito se veremos bundas (16) da mesma qualidade que o mangá, "Keijo!!!!!!!!" terá Hideya Takahashi debutando na direção, Takao Kato na supervisão de roteiros e Keiya Nakano ("Atelier Escha & Logy") no "character design".


**********

Formato: TV (4 min. por episódio)
Data de estreia: 05/10
Estúdio: Creators in Pack
Diretor: Hisayoshi Hirasawa ("Ojisan to Marshmallow", "Ozmafia!!")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

O estúdio Creators in Pack completa sua trinca de estreias da temporada com "Kiitarou Shounen no Youkai Enikki", anime baseado no mangá homônimo lançado desde 2008 que traz como protagonista Kiitarou, um garoto dotado de grande poder espiritual. Após ser expulso de casa por quase ter entrado em um armazém cujo acesso era proibido, ele é obrigado a morar sozinho numa residência da família que se encontra abandonada e caindo aos pedaços - porém, ao chegar nela Kiitarou descobre que o local é habitado por uma zashiki warashi chamada Suzu, com quem rapidamente entra em um acordo para que morem juntos. Após isso, o garoto atrairá para si outros youkais, como por exemplo uma kitsune na forma de uma bela mulher, um nurikabe e um mokumokuren.

Não dá pra me estender tanto a respeito dessa estreia, visto que a obra original teve até hoje apenas 2 capítulos (mal) traduzidos - e como podem ver no capítulo um o mangá possui ilustrações de página inteira e textos na parte de cima ou embaixo, sem balões. Confesso ter achado seu início muito fraco, com piadinhas bobas demais, e fora os youkais já citados acima (vocês clicaram nos links para aprender um pouquinho sobre o folclore japonês, né?), haverá também Yukihana, que é uma yuki onna; Yukimusume, uma yukinko; e inclusive um Aka-name, que caso leiam sua descrição verão que ele tem lá sua utilidade - estes foram todos os youkais mencionados em sinopses oficiais que pude achar por aí, mas acredito que, com exceção da Suzu, apenas algumas das personagens femininas serão fixas.

Outro anime do estúdio Creators in Pack a ser composto por episódios de curta duração (possivelmente 3 minutos, visto que os 5 já anunciados devem ser o espaço total dele na TV considerando comerciais), "Kiitarou Shounen no Youkai Enikki" virá com Hisayoshi Hirasawa fazendo dobradinha no cargo de direção nessa temporada, além de Noriyuki Imaoka no "character design".



Clique aqui para ir à segunda página do post onde no momento há mais (41) animes listados, além da enquete e informações gerais sobre o guia.


Comente com o Facebook:

25 comentários: